Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

sábado, 30 de julho de 2011

Tormentas da Vida

“Por que vocês são tão medrosos? Respondeu Jesus. Como é pequena a fé que vocês têm! Aí ele se levantou, deu uma ordem ao vento e às ondas, e tudo ficou calmo.” Mt 8:26 (BLH).

Jesus havia atravessado o mar da Galiléia durante uma tempestade, e tornou-o calmo. Jesus atravessou esse e todos os outros mares de tempestades da Sua vida, porque Ele sabia que Deus O sustentaria num mar de medo e pecado quando Satanás tentasse desanimá-Lo de Sua grande missão de salvação.

Para nós, sempre traz conforto saber que Jesus está ao nosso lado para acalmar as tempestades. Quantas vezes duvidamos e não compreendemos que Jesus está ali. Ficamos com medo e desanimados sem saber que o Mestre está pronto para dar Sua ordem contra as tempestades da vida e contra as tormentas que nos atingem a cada instante, trazendo novamente a paz e tranqüilidade que precisamos.

Existirão tempos de calmarias e tranqüilidade em nossa vida, mas nunca poderemos escapar das tempestades. Todos nós iremos sofrer problemas, lutas e dificuldades. Portanto, é indispensável que Jesus esteja no barco conosco. Que tenhamos fé em Seu poder de acalmar e repreender as tormentas de nossa vida. Cada dia precisamos e devemos orar: “Senhor, dirige o barco de minha vida e leva-o ao Porto Seguro”.

Todos nós precisamos de um guia, que nos dirija através das muitas dificuldades e obstáculos da vida, assim como o marinheiro precisa de um piloto que guie o barco entre os bancos de areia ou nos rios cheios de recifes, obstáculos e perigos.

Não desanime da oração, intercedendo por sua família e por seus amigos. Não desanime da comunhão permanente com Jesus. Não desanime de buscar o poder do Espírito Santo para sua vida. A vitória sempre é prometida somente ao que perseverar, nunca ao que acaba desanimando. Perseverar até o fim, este é nosso desafio e privilégio em Jesus!

Assim, nas tormentas ou na paz você estará confiante com um Piloto que nunca o abandona a deriva da vida, mas sempre vai nos levar para Sua segurança, conforto, paz e esperança: Cristo Jesus! Feliz semana no rumo certo!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Araquari – SC.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Resumo da lição 5 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título: “Você é Feliz, Ó Israel”

Texto-chave
“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal; que fazem das trevas, luz, e da luz, trevas; e fazem do amargo, doce, e do doce, amargo! Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!”. Isa 5:20,21

Objetivos

1. Mostrar que a verdadeira Adoração faz submeter a vontade à Deus.

2. Revelar que a adoração falsa está centralizada no homem e a adoração verdadeira, em Deus.

3. Mostrar que a verdadeira adoração tem como consequência a obediência.

Verdade Central
Adorar é um ato de dependência do divino.

Lição de domingo: A consagração

Quando voei de Quelimane para Maputo numa viagem missionária, o meu colega pastor fez um pedido inusitado. Ele solicitou à aeromoça, permissão para estar na cabine de comando com os pilotos. E não é que houve aprovação!? Ele ficou por lá, mais de 30 minutos, acompanhou tudo na cabine do piloto, o vôo e a aterrisagem. Quando ele saiu de lá, o rosto estava radiante, transformado. Ele me contagiou a ter a mesma experiência no próximo vôo. Infelizmente não tive a mesma sorte da permissão. Mas de uma coisa eu sei: quando eu vi o seu rosto, daquele jeito, eu quis ter a mesma experiência. O mesmo acontece quando temos um encontro com Deus.

1. Saímos com o rosto transformado quando temos um encontro com o piloto.
2. Quando adoramos de verdade, isso contagia outros a adorarem também.
3. O vôo, a vinda à Igreja, se torna uma experiência extraordinária, porque você vai estar na cabine de comando, na presença de Deus.
4. Esta experiência traz duas coisas: Alegria e reverência. Você está contagiado e presta atenção em tudo. Dois elementos inseparáveis na adoração: ALEGRIA E REVERÊNCIA.

Lição de segunda-feira: Fogo do Senhor

Deus é três coisas que revelam o seu caráter: AMOR, JUSTIÇA E IRA. Isso é didaticamente demostrado pela metáfora do fogo. E neste sentido, a Cruz é o centro destas três faces.

1. Para o AMOR – o fogo SALVA. Na cruz Ele resgata a Humanidade.
2. Para a JUSTIÇA – o fogo REVELA. Na cruz o caráter de Cristo é vindicado.
3. Para a IRA – contra o pecado – o fogo ANIQUILA. Na cruz, Satanás e o pecado são condenados.

Lição de terça-feira: Você é feliz, ó Israel

Quais são as razões que revelam uma verdadeira adoração a Deus? E o que isso mostra sobre a verdadeira felicidade?

1. Razão 1 – A palavra inglesa para adorar é Worship – que significa atribuir valor. Atribuir valor a Deus.
2. Razão 2 – Numa experiência de adoração você não está preocupado em se sentir feliz, mas em tornar Deus feliz.
3. Razão 3 – O foco não são as pessoas, os bancos, o som, o foco é Deus, sua graça, sua salvação. E isso é demonstrado pelo nosso envolvimento na adoração. Como cantamos, onde nos posicionamos, como interagimos e como fazemos a diferença na vida das pessoas.

Lição de quarta-feira: Uma atitude de entrega

A verdadeira Adoração revela o posicionamento diante de nós. Como isso é personificado numa experiência de culto, quer seja na Igreja ou fora dela?

1. Deus se posiciona de maneira Imanente – Perto, presente, próximo. De tão fácil acesso que tal privilégio exige nada menos que uma atitude de entrega total do que temos e somos.
2. Deus se posiciona de uma maneira Transcendente – Distante, mais longe. O suficiente para não sermos fulminados pela sua glória, para O temermos, O respeitarmos e O reverenciarmos.
3. Esta é a combinação que vimos em Ana – Alegria da benção e reverência por estar na presença de Deus. A Imanência e a Transcendência estão unidas para dizer que você é completamente dependente de Deus.

Lição de quinta-feira: Adoração e obediência

Qual a relação entre adoração e obediência? Uma vem antes da outra? Ou ambas agem concomitantemente?

1. A obediência é uma consequência de uma verdadeira adoração.
2. Deus deseja que tudo, cerimônias, ritos, liturgia, sejam voltados para Ele, e não para os homens. Do contrário, tudo isso será legalista ou relaxamento libertino.
3. A verdadeira adoração gera a verdadeira obediência. Obediência produzida por Cristo e não por nós mesmos.

Conclusão

1. Adoração é atribuir valor a Deus e não a nós.
2. Verdadeira Adoração reconhece o caráter de Deus [AMOR, JUSTIÇA, IRA] e personifica isso em adoração de entrega total.
3. A verdadeira adoração possui dois componentes: ALEGRIA E REVERÊNCIA.
4. A verdadeira adoração contagia os outros a fazerem o mesmo.

Pr. Alex Palmeira
Departamental de Escola Sabatina na ASP

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Dormir bem é fundamental

Muitos não conseguem dormir oito horas diárias, devido à rotina de trabalho e doméstica ou a problemas relacionados ao sono. Pois se esses fatos fazem com que você descanse menos do que seis horas por noite, saiba que os resultados disso não são apenas cansaço e falta de concentração durante o dia, mas riscos maiores de sofrer ataques do coração ou derrames cerebrais.

O resultado é de uma pesquisa da Universidade de Warwick, na Inglaterra, que analisou os hábitos de quase 500 mil pessoas nos Estados Unidos, Japão, Suécia, Alemanha, além da própria Inglaterra. Os dados, publicados pelo European Heart Journal, apontam que pessoas com esse perfil têm até 48% de chances de ter algum tipo de ataque do coração e até 15% de sofrer um derrame.

O sono insuficiente causa o desequilíbrio de hormônios ligados ao apetite, fazendo com que a sensação de saciedade não seja obtida. Daí a conexão entre pouco sono e o consumo excessivo de alimentos e a obesidade, o que aumenta pressão arterial e as chances dos problemas.

A recomendação é a de dormir pelo menos sete ou oito horas diárias. “A tendência de dormir tarde e acordar cedo é, na verdade, uma bomba-relógio para a saúde, portanto precisamos agir desde cedo para evitar o risco de desenvolver essas doenças”, afirmou Francesco Cappuccio, um dos pesquisadores.

Para obter uma boa noite de sono, siga as seguintes recomendações:

1) Faça atividades físicas diaramente;

2) Evite consumir estimulantes como a cafeína e o açúcar ao longo do dia;

3) Faça um jantar leve e cedo, até 3 horas antes de dormir;

4) Evite ouvir músicas ou assistir TV ao deitar na cama;

5) Tome um banho morno e uma xícara de chá calmante;

6) Mantenha o quarto bem ventilado, escuro e silencioso;

7) Bons sonhos!

(Fonte: www.terra.com.br - adaptado por Dr. Luiz Fernando Sella em UCOB).

Nota: O sono é um dos oito remédios de Deus para a saúde. Ellen White escreveu que um "hábito prejudicial é o de tomar alimento exatamente antes de dormir. Pode-se haver tomado as refeições regulares, mas, por sentir-se uma sensação de fraqueza, ingere-se mais alimento. Mediante a condescendência, essa prática errônea se torna um hábito, e tantas vezes tão firmemente fixado que se julga impossível dormir sem comer. Em resultado de tomar ceias tardias, o processo digestivo é continuado através do período de repouso. Mas, embora o estômago trabalhe constantemente, sua função não é bem feita. O sono é mais vezes perturbado por sonhos desagradáveis, e pela manhã a pessoa acorda sem se haver descansado, e com pouco apetite para a refeição matinal. Quando nos deitamos para repousar, o estômago já devia ter concluído a sua obra, a fim de, como os demais órgãos do corpo, fruir repouso." Conselhos Sobre Saúde, 187. Pr. Evandro Fávero

Definição de Felicidade

Todas as profissões têm sua visão do que é felicidade.

Já li um economista defini-la como ganhar 20.000 dólares por ano, nem mais nem menos.Para os monges budistas, felicidade é a busca do desapego.

Autores de livros de auto-ajuda definem felicidade como "estar bem consigo mesmo", "fazer o que se gosta" ou "ter coragem de sonhar alto".

O conceito de felicidade que uso em meu dia-a-dia é difícil de explicar num artigo curto.

Eu o aprendi nos livros de Edward De Bono, Mihaly Csikszentmihalyi e de outros nessa linha.

A idéia é mais ou menos esta: todos nós temos desejos, ambições e desafios que podem ser definidos como o mundo que você quer abraçar.

Ser rico, ser famoso, acabar com a miséria do mundo, casar-se com um príncipe encantado, jogar futebol, e assim por diante.

Até aí, tudo bem. Imagine seus desejos como um balão inflável e que você está dentro dele.
Você sempre poderá ser mais ou menos ambicioso inflando ou desinflando esse balão enorme que será seu mundo possível.

É o mundo que você ainda não sabe dominar. Agora imagine um outro balão inflável dentro do seu mundo possível, e portanto bem menor, que representa a sua base.

É o mundo que você já domina, que maneja de olhos fechados, graças aos seus conhecimentos, seu QI emocional e sua experiência.

Felicidade nessa analogia seria a distância entre esses dois balões - o balão que você pretende dominar e o que você domina.

Se a distância entre os dois for excessiva, você ficará frustrado, ansioso, mal-humorado e estressado.

Se a distância for mínima, você ficará tranqüilo, calmo, mas logo entediado e sem espaço para crescer.

Ser feliz é achar a distância certa entre o que se tem e o que se quer ter. O primeiro passo é definir corretamente o tamanho de seu sonho, o tamanho de sua ambição.

Essa história de que tudo é possível se você somente almejar alto é pura balela. Todos nós temos limitações e devemos sonhar de acordo com elas.

Querer ser presidente da República é um sonho que você pode almejar quando virar governador ou senador, mas não no início de carreira.

O segundo passo é saber exatamente seu nível de competências, sem arrogância nem enganos, tão comuns entre os intelectuais.

O terceiro é encontrar o ponto de equilíbrio entre esses dois mundos. Saber administrar a distância entre seus desejos e suas competências é o grande segredo da vida.

Escolha uma distância nem exagerada demais nem tacanha demais. Se sua ambição não for acompanhada da devida competência, você se frustrará.

Esse é o erro de todos os jovens idealistas que querem mudar o mundo com o que aprenderam no primeiro ano de faculdade.

Curiosamente, à medida que a distância entre seus sonhos e suas competências diminui pelo seu próprio sucesso, surge frustração, e não felicidade.

Quantos gerentes depois de promovidos sofrem da famosa "fossa do bem-sucedido", tão conhecida por administradores de recursos humanos?

Quantos executivos bem-sucedidos são infelizes justamente porque "chegaram lá"? Pessoas pouco ambiciosas que procuram um emprego garantido logo ficam entediadas, estacionadas, frustradas e não terão a prometida felicidade.

Essa definição explica por que a felicidade é tão efêmera. Ela é um processo, e não um lugar onde finalmente se faz nada. Fazer nada no paraíso não traz felicidade, apesar de ser o sonho de tantos brasileiros.

Felicidade é uma desconfortável tensão entre suas ambições e competências. Se você estiver estressado, tente primeiro esvaziar seu balão de ambições para algo mais realista.

Ou então encha mais seu balão de competências estudando, observando e aprendendo com os outros, todos os dias. Os velhos acham que é um fracasso abrir mão do espaço conquistado.

Por isso, recusam ceder poder ou atribuições e acabam infelizes. Reduzir suas ambições à medida que você envelhece não é nenhuma derrota pessoal.

Felicidade não é um estado alcançável, um nirvana, mas uma dinâmica contínua. É chegar lá, e não estar lá como muitos erroneamente pensam.

Seja ambicioso dentro dos limites, estude e observe sempre, amplie seus sonhos quando puder, reduza suas ambições quando as circunstâncias exigirem. Mantenha sempre uma meta a alcançar em todas as etapas da vida e você será muito feliz. (Stephen Kanitz)

Nota: "O artigo acima destaca a importância do equilíbrio e a necessidade de ter e lutar pelos sonhos. Que eles devem ser coerentes porém desafiadores. No entanto a verdadeira felicidade se encontra em buscar estes sonhos na presença do Senhor Jesus, sem esquecer que Ele deve ser o nosso maior sonho. Paulo mencionou: 'Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus...Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos." Filipenses 3:12-14,16

Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Leitura bíblica faz com que as pessoas tenham mais consciência social, revela estudo

Um novo estudo da Universidade norte-americana Baylor revelou que a leitora frequente da Bíblia faz com que as pessoas tenham mais consciência social, se preocupando mais com a pobreza e tratando criminosos de uma forma mais humana.

A pesquisa foi coordenada pelo pesquisador Aaron Franzen que apontou que a probabilidade de os cristãos dizerem que é importante procurar ativamente a justiça social e econômica para ser uma boa pessoa aumentou 39% entre o que fazem a leitura da Bíblia ao menos uma vez por ano comparado aos que leem mais de uma vez por mês.

Entre os cristãos entrevistados, 27% estão mais propensos a dizer que é importante consumir ou usar menos produtos e ser uma pessoa boa ao se tornaram leitores mais frequentes da Bíblia.

De acordo com os dados desta pesquisa, a leitura frequente da Palavra de Deus também está ligada a melhores atitudes em relação à ciência. Os entrevistados mostraram que, entre os que mais leem a Bíblia, têm 22% menos probabilidade de ver a religião e a ciência como incompatíveis.

No caso de outro debate sobre a política pública e a união de pessoas do mesmo sexo, quase metade dos entrevistados que leem a Bíblia menos de uma vez por ano disse que homossexuais podem casar-se, enquanto que apenas 6% das pessoas que leem a Bíblia várias vezes por semana aprovam essas uniões.

Os leitores mais assíduos da Bíblia também mostraram-se mais propensos a se opor ao aborto legalizado, à pena de morte. Além disso, pedem punição mais severa para criminosos e o aumento da autoridade do governo para combater o terrorismo.

O estudo de Franzen também revelou que os efeitos desse hábito devocional parecem transcender as fronteiras comumente estabelecidas entre conservadores e liberais. Nessa pesquisa, menos de 25% dos entrevistados disseram ler a Escritura uma vez por semana ou mais.

Para Franzen, seu estudo mostra que “os literalistas tendem a ler a Escritura com mais frequência, mas ao longo do tempo a leitura apenas reforça seu conservadorismo”. (Adonainews)

Nota: "Quando as lições da Bíblia são aplicadas na vida diária, exercem elas profunda e duradoura influência sobre o caráter." (Ellen White, Atos dos Apóstolos, 205). Paulo escreveu a Timóteo que "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça,a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." II Timóteo 3:16,17.

"Nada há mais apropriado para fortalecer o intelecto do que o estudo das Escrituras. Nenhum outro livro é tão poderoso para elevar os pensamentos, para dar vigor às faculdades, como as amplas e enobrecedoras verdades da Bíblia. Se a Palavra de Deus fosse estudada como devera ser, os homens teriam uma largueza de espírito, uma nobreza de caráter e firmeza de propósito que raro se vêem nesses tempos." (Ellen White,Caminho a Cristo, 90). Pr. Evandro Fávero

Deus cuida

"Entreguem todas as suas preocupações a Deus, porque Ele cuida de vocês.” 1 Pedro 5:7 (BHL).

Vivemos num mundo de pecado e perturbado com problemas, provações e sofrimento por toda parte. Mesmo assim, a Palavra de Deus nos orienta a entregar todas as preocupações.

Não encontramos na Bíblia a garantia de que os filhos de Deus neste mundo nunca passariam ou viveriam com problemas e lutas. Jesus pessoalmente nos diz: “O mundo vai fazer vocês sofrerem, mas tenham coragem, eu venci o mundo!” (Jo16:33 BLH). Porém, Deus não deseja que os problemas oprimam Seus filhos.

Nunca viveremos sem perigos ou ansiedades. O que encontramos todavia na Bíblia é que Jesus promete estar conosco, nos provendo e guiando. Devemos, portanto, esquecer a prática muito comum da preocupação e ansiedade em relação às dificuldades futuras que estão fora do nosso alcance e solução, e qua ainda não chegaram ou nunca chegarão!

No sermão do monte, Cristo ensinou lições de fé e confiança. Chamou àtenção para as aves do céu e as flores do campo. Disse que assim como são cuidados e se vestem de beleza, Seus cuidados e providência acompanham aos que confiam a vida a Jesus.

Ao dar esse conselho, Cristo não estava sugerindo para sermos descuidosos ou indolentes ao provermos nossas necessidades futuras. Mas que não devemos aumentar os fardos da vida, com preocupação pelas provações e lutas que não vieram ainda. Isso nos faz sentir mal, além de lançar sombra de tristeza sobre os que nos rodeiam.

O único remédio verdadeiro para a ansiedade é confiar no cuidado de Jesus. Se, entregamos a vida à guia e cuidado do Senhor, nunca estaremos em situação na qual Jesus não tenha a melhor solução para nós.

Jesus nos convida: “Vinde a Mim ... e Eu vos aliviarei!” Deixe Jesus cuidar de você, das suas lutas, doenças, provações, efim, cuidar da sua vida hoje! Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Araquari – SC

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Resumo da Lição 4 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título: “Alegria diante do Senhor: santuário e adoração”

Texto-chave

“E regozijem-se ali perante o Senhor, o seu Deus, vocês, os seus filhos e filhas, os seus servos e servas, e os levitas que vivem nas cidades de vocês por não terem recebido terras nem propriedades” (Dt 12:12, NVI).

Objetivos

1. Estudar e compreender o serviço do antigo santuário israelita.

2. Compreender como todo o cerimonial era a representação de algo muito maior.

3. Como podemos hoje aprender, com o antigo santuário israelita, a adquirirmos uma experiência mais profunda de adoração ao nosso Deus.

Verdade Central

A nossa devoção pessoal a Deus, precisa vir do coração, da mente, de um verdadeiro relacionamento de fé com Ele, pois o Pai busca quem o adore em espírito e em verdade.

Lição de Domingo: “Para que Eu possa habitar no meio deles”

Deus disse: “Eles me farão um santuário e eu morarei entre eles”. Por que você acha que Deus queria morar no meio do seu povo? Há nisso uma ligação ao fato de Deus habitar entre nós através de Jesus, Aquele que é Emanuel, Deus conosco?

1. Deus “estendeu Sua tenda ao lado da dos homens, para que pudesse viver entre nós, e tornar-nos familiares com Seu caráter e vida divinos”. Desejado de Todas as Nações, 23.

2. Desde que Cristo veio habitar entre nós, sabemos que Deus está relacionado com as nossas provações, e Se compadece de nossas dores. Todo filho e filha de Adão pode compreender que nosso Criador é o amigo dos pecadores. Pois em toda doutrina de graça, toda promessa de alegria, todo ato de amor, toda atração divina apresentada na vida do Salvador na Terra, vemos "Deus conosco". (Mat. 1: 23). Idem, 24.

3. Na pessoa de Jesus, Deus armou sua tenda entre os homens, veio habitar conosco, para que pudéssemos conhecer Deus, Sua santidade, justiça e amor.

Lição de Segunda-feira: Corações dispostos

Deus se sujeitou a habitar num tabernáculo feito por mãos humanas, mas por que você acha, Ele não forneceu o material para a construção, mas permitiu que seu povo doasse voluntariamente?

1. Deus permite que todos os seus servos, lhe adorem com os bens materiais que Ele próprio lhes confiou como uma dádiva de amor e cuidado, todos os Seus filhos são mordomos para realizar Seus propósitos e suprir abundantemente com seus recursos, a Sua causa na terra.

2. Todos os que amam ao Senhor são chamados a adorar através de ofertas de gratidão e louvor, pois todo o que ama dá. Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho para nos resgatar do pecado. Deus amou, por isso deu. Quem não dá com alegria é porque não O ama de todo o coração.

3. O apóstolo Paulo, em seu ministério entre as igrejas, foi incansável em seus esforços para inspirar no coração dos novos conversos o desejo de fazer grandes coisas pela causa de Deus. Muitas vezes ele os exortava à liberalidade. Falando aos anciãos de Éfeso sobre suas anteriores atividades entre eles, disse: "Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber." Atos 20:35. "E digo isto", escreveu ele aos coríntios, "que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância também ceifará". "Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria." II Cor. 9:6 e 7. Atos dos Apóstolos, 342.

Lição de Terça-feira: O holocausto contínuo

Por que você acha que Deus instituiu um sistema de sacrifício de animais contínuo, o que Ele queria ensinar aos homens?

1. O sacrifício diário de cordeiros, pela manhã e a tarde, chamado de holocausto contínuo (Êx 29:42), devia transmitir ao povo a ideia de constante dependência de Deus, quanto a necessidade humana de arrependimento, confissão, perdão e aceitação. O fogo permanente sobre o altar lembrava ao povo a necessidade de um Salvador.

2. A morte de um cordeiro é uma cena chocante, pois é um animal dócil e indefeso. Essa cena devia levar cada adorador a um profundo sentimento de pesar e aflição. Pela fé, deveriam enxergar o Salvador, como Cordeiro de Deus, com sua morte substitutiva, tirando o pecado do mundo.

3. “O Salvador profetizado devia vir, não como um rei temporal, para livrar a nação judaica de opressores terrestres, mas como um homem entre homens, para viver uma vida de pobreza e humildade, e ser afinal desprezado, rejeitado e morto. O Salvador predito nas Escrituras do Antigo Testamento devia oferecer-Se como um sacrifício em favor da raça caída, cumprindo assim cada requisito da lei quebrantada. NEle os tipos sacrificais deviam encontrar seu antítipo, e Sua morte na cruz devia emprestar significado à inteira dispensação judaica”. Atos dos Apóstolos, 228, 229.

Lição de Quarta-feira: Comunhão com Deus

O que significa em sua profundidade a verdade de que todos nós fomos criados para ter comunhão com Deus?

1. Jesus afirmou, em Sua oração sacerdotal, que a vida eterna é que se conheça a Deus como único Deus verdadeiro e a Jesus, aquele que Deus enviou como Salvador. Conhecer é mais do que saber coisas a respeito de alguém, crer em doutrinas e praticar ritos e cerimônias, mas envolve vivência, comunhão e uma vida de constante ligação com Deus.

2. Comunhão envolve dedicar tempo para estar a sós com Deus, e pela leitura da Palavra, pela oração, ações de graça e hinos espirituais, adorar a Deus. “Depois de haver sido formada a união com Cristo, só pode ser conservada por meio de fervorosa oração e incansável esforço. Devemos resistir ao próprio eu, negá-lo, vencê-lo. Mediante a graça de Cristo, pela coragem, pela fé, pela vigilância, é-nos possível obter a vitória”. Testimonies, vol. 5, pág. 231.

3. “A união com Cristo, por meio da fé viva, é duradoura; qualquer outra união está condenada a perecer. Cristo nos escolheu primeiro pagando por nossa redenção um preço infinito; e o verdadeiro crente escolhe a Cristo como primeiro, e último, e melhor de todas as coisas. Essa união, porém, custa-nos alguma coisa. É uma união da mais íntima dependência, da qual deverá participar um ser orgulhoso. Todos os que a formam precisam sentir sua necessidade do sangue propiciador de Cristo. Precisam experimentar a mudança do coração. Precisam submeter sua própria vontade a vontade de Deus. Haverá luta contra obstáculos externos e internos. É preciso que haja doloroso trabalho de desligamento bem como de ligamento. O orgulho, o egoísmo, a vaidade, o mundanismo - o pecado em todas as suas formas - precisa ser vencido, se quisermos entrar em comunhão com Cristo. A razão por que muitos acham a vida cristã tão deploravelmente difícil, por que são tão inconstantes, tão volúveis, é que procuram ligar-se a Cristo sem primeiramente se desligarem de ídolos acariciados”. Mensagens aos Jovens, 118.

Lição de Quinta-feira: Alegrar-se diante do Senhor

Como era o culto de adoração dos israelitas diante do Senhor no Seu santuário, e o que isso tem a ver conosco hoje?

1. Foi o Senhor que instituiu e orientou a respeito de como seria prestada adoração a Ele. Ele estabeleceu regras estritas sobre o que e como deveria ser feito, mas essas diretrizes não eram fins em si mesmas. Deus desejava que Seu povo fosse uma demonstração prática de como é feliz a nação cujo o Deus é o Senhor. Seu povo deveria viver em santidade e desfrutar da alegria de viver no Senhor.

2. O perigo que corre hoje sobre adoração e estilo de culto está nos extremos: de um lado se encontra um estilo ritualístico e formal, destituído da alegria da salvação e no outro lado um estilo emocional e sem regras, sem a devida decência e ordem que Deus espera de todo adorador que se aproxima Dele.

3. “A adoração prestada em sinceridade de coração tem grande recompensa. "Teu Pai, que vê em segredo, te recompensará publicamente." Mat. 6:6. Pela vida que vivemos mediante a graça de Cristo, forma-se o caráter. A beleza original começa a ser restaurada na alma. São comunicados os atributos do caráter de Cristo, começando a refletir-se a imagem do Divino. A fisionomia dos homens e mulheres que andam e trabalham com Deus, exprime a paz do Céu. São circundados da atmosfera celeste. Para essas pessoas começou o reino de Deus. Possuem a alegria de Cristo, a satisfação de ser uma bênção à humanidade. Têm a honra de ser aceitos para o serviço do Mestre; é-lhes confiado o fazer Sua obra em Seu nome”. Desejado de Todas as Nações, 312.

Conclusão

1. Deus em Sua misericórdia veio habitar com Seu povo para lhes revelar Seu caráter Santo, para que esses pudessem aprender com Ele algo da santidade que Ele esperava dos Seus.

2. Jesus armou sua tenda entre nós para nos revelar o amor e a bondade de Deus, e para que através de sua vida imaculada e perfeito sacrifício comprasse para Deus, pelo Seu sangue, todo filho e filha de Adão que, pela fé, aceitasse Sua morte substitutiva.

3. O salmista disse: “Alegrei-me quando me disseram, vamos a Casa do Senhor. O culto prestado ao nosso Deus deve ser cheio de alegria e manifestação de louvor, mas feito com a ordem que é peculiar a tudo que se relaciona a Deus.

4. “Deus quer que Seu povo limpe as mãos e purifique o coração. Porventura fazer isso os tornará infelizes? Virá infelicidade a sua família se forem bondosos e pacientes, corteses e longânimos? - Longe disso! A bondade que manifestarem para com a família, refletir-se-á sobre eles mesmos. Essa é a obra que deve ser promovida no lar. Se os membros de uma família não estiverem preparados para habitar em paz aqui, não estarão preparados para morar com a família que se há de reunir em volta do grande trono branco”. Nos Lugares Celestiais, MM 1968, p.30.

Pr. Nilton Oliveira
Pastor do distrito de Maringá-PR

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Comida gordurosa tem efeito similar à maconha

Um estudo revelou que a gordura contida em alimentos como batatas fritas desencadeia um mecanismo biológico de gula no organismo que atua de modo similar aos efeitos da maconha. A pesquisa, feita por cientistas da Universidade de Califórnia, descobriu que quando provaram comidas gordurosas, ratos, utilizados como cobaias na pesquisa, começaram a produzir substâncias químicas conhecidas como endocanabinóides, espécie de lipídios biologicamente ativos, que exercem um efeito semelhante ao da maconha sobre o indivíduo. O processo, relata a pesquisa, tem início na língua, onde as gorduras contidas no alimento geram um sinal que viaja do cérebro, através de um feixe de nervos conhecido como nervo vago, para o intestino. Lá, ocorre o estímulo na produção de endocanabionóides, e a substância provoca uma onda de ativação celular, que induz à ingestão desenfreada de alimentos gordurosos.

“Sabemos que comidas gordurosas podem ter um bom sabor, mas os mecanismos moleculares e sinais por trás dessa resposta eram desconhecidos. Agora sabemos que comidas gordurosas geram um sinal na língua que leva o intestino delgado a produzir as substâncias químicas conhecidas como a maconha natural do corpo humano, que induzem ao consumo de gordura”, afirma Daniele Piomelli, que comandou a pesquisa.

A pesquisa pode indicar novos caminhos na luta para conter a obesidade e outras doenças, segundo os cientistas envolvidos no estudo. A ampla disponibilidade de alimentos gordurosos em países industrializados é considerada um fator determinante para condições como a obesidade, diabetes, câncer e doenças cardiovasculares. [...] (Saúde e Família - originalmente publicado em BBC Brasil)

Nota: O melhor regime, sem dúvida é o natural, que nosso Criador designou aos nossos pais. "Deve-se escolher o alimento que melhor proveja os elementos necessitados para a edificação do organismo. Nessa escolha, o apetite não é um guia seguro. Mediante hábitos errôneos de comer, o apetite se tornou pervertido. Muitas vezes exige alimento que prejudica a saúde e a enfraquece em lugar de fortalecê-la. Não nos podemos guiar com segurança pelos hábitos da sociedade. A doença e o sofrimento que por toda parte dominam são em grande parte devidos a erros populares com referência ao regime alimentar. A fim de saber quais são os melhores alimentos, cumpre-nos estudar o plano original de Deus para o regime do homem. Aquele que criou o homem e lhe compreende as necessidades designou a Adão o que devia comer: "Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente... e toda árvore em que há fruto de árvore que dá semente; ser-vos-ão para mantimento." Gên. 1:29. (...) Cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético escolhido por nosso Criador. Esses alimentos, preparados da maneira mais simples e natural possível, são os mais saudáveis e nutritivos. Proporcionam uma força, uma resistência e vigor intelectual que não são promovidos por uma alimentação mais complexa e estimulante." Ellen White, A Ciência do Bom Viver, 296.

Pr. Evandro Fávero

Valorizar cada momento

“Aproveitem bem o tempo, porque os dias em que vivemos são maus.” Ef 5:16 (BLH).

Algum tempo atrás, na cidade de Nova York, um homem pulou a janela do quarto do Hotel em que estava no 18 andar, e ficou equilibrando-se no pequeno parapeito da sacada.

Por oitenta minutos ele balançou ali ameaçando saltar para a morte. Bombeiros estenderam uma rede embaixo, enquanto os amigos pediam com veemência que ele subisse novamente na janela e voltasse para a segurança do quarto.

Finalmente, o homem atendeu aos pedidos e voltou. Porém, quatro meses depois, ele saltou direto da janela, pulando para a morte instantaneamente.

Durante aquele intervalo de quatro meses entre a tentativa e a consumação de seu suicídio, ele havia dito a esposa e aos amigos: “Eu simplesmente não posso suportar mais! Há sete anos, aposentei-me do trabalho e dos negócios. Estou a sete anos em ociosidade! Não consigo administrar isso!”

Nos dias em que corremos desde a manhã até a noite, às vezes pensamos em uma folga. Duvidamos de que é bom vivermos atarefados. Mas com freqüência, nos tornamos ansiosos por ter mais tempo em vez de menos trabalhos. Todavia, a maioria de nós costuma ter mais tempo do que sabemos usar com sabedoria.

Uma tabuleta em um edifício publico dizia: “O que você faz das 17h às 23h, vai significar teu sucesso ou fracasso!” Algumas pessoas gastam essas seis horas vendo televisão; algumas em conversas inúteis e fúteis; algumas em diversões erradas e degradantes.

Outros, ao contrário, envolvem-se em atividades que resultam em desenvolvimento pessoal. Fazem cursos que os tornarão mais úteis e os preparam para maiores responsabilidades.

Outros ainda, estudam a Bíblia, visitam doentes, socorrem pessoas necessitadas, fazem cursos bíblicos. Nessas atividades estão “aproveitando bem o tempo”.

Vivemos em “tempos maus”. Somos expostos a tantas formas de imoralidade, assediados por tantas tentações e vícios de várias formas. Mas, também estamos rodeados de males ainda piores – a dúvida, o ceticismo, a indiferença para com o próximo e para com nosso Criador. Precisamos, portanto, utilizar de forma preciosa cada momento da melhor forma possível.

Sabe por quê? Porque precisamos nos preparar corretamente para a vinda de Jesus. Porque só assim poderemos fazer o que precisamos e devemos para prepararmos outros também para esse acontecimento! Porque quando Jesus vier como Rei dos Reis vai dizer aos que “aproveitaram bem o tempo”: “Vinde benditos, possuí por herança o reino”.

Os que realmente se preocupam com o “tempo” estarão em contraste com os que não aproveitaram as oportunidades, desperdiçaram o “tempo”.

Resta-nos apenas a pergunta: Você tem aproveitado o tempo como Jesus quer e espera? Esperamos que sim! Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Pastor distrital em Araquari – SC

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Consumo diário de meia taça de vinho aumenta risco de câncer de mama

Apenas meia taça de vinho ingerida diariamente aumenta a possibilidade de desenvolver câncer de mama, de acordo com um estudo da Universidade de Oxford conduzido por um dos principais médicos britânicos da área. Ian Gilmore afirmou em entrevista ao jornal Daily Mail que 10 gramas de álcool diários aumentam em 10% o risco de câncer nas mulheres. A pesquisa foi realizada com mais de um milhão de mulheres e revela que a bebida alcoólica altera os níveis hormonais, podendo causar uma elevação da quantidade de células cancerígenas no organismo. Conforme o especialista, não existem níveis seguros para ingestão de álcool, mas o risco nas mulheres aumenta, ainda que o consumo esteja dentro do limite normalmente recomendado. [...] As taxas de câncer de mama têm subido nos últimos 30 anos e estima-se que uma em cada oito mulheres irá desenvolver a doença em algum momento de sua vida. O aumento dos casos tem sido atribuído em parte aos altos níveis de obesidade, tabagismo e alcoolismo. (Donna)

Nota: Deus criou o ser humano e lhe deixou regras de alimentação saudável (Gênesis 1:29, Levíticos 11). Quanto ao vinho a Bíblia ensina que "o vinho é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles." Provérbios 20:1 e "no se deixe atrair pelo vinho quando está vermelho, quando cintila no copo e escorre suavemente! No fim, ele morde como serpente e envenena como víbora." Provérbios 23:31,32

Casamento com os dias contados?

Dados do Departamento de Censo mostram que os casados, pela primeira vez na história, representam menos das metades dos lares norte-americanos. A clássica família, com mamãe, papai e as crianças sob o mesmo teto está desaparecendo. Em todos os estados, o numero de companheiros não casados, casais sem filhos e pessoas solteiras cresce numa velocidade muito superior à dos casais com filhos, diz o censo de 2010. Casais com filhos representavam 43% dos lares no país, em 1950; eles agora representam apenas 20%. E essa tendência demonstra uma potente dimensão de classes. Casamentos tradicionais evoluíram de um rito quase universal para um luxo restrito aos educados e poderosos. Quase não havia diferença em 1960: apenas quatro pontos percentuais separavam os casados universitários dos formandos escolares. Essa diferença aumentou para 16%, de acordo com o Pew Research Centre. Uma analise do Departamento do Censo, lançada na última primavera, mostrou que as noivas estão muito mais propensas a terem um diploma universitário do que na metade dos anos 1990.

“O casamento se tornou muito mais seletivo, e é por isso que o índice de divórcios baixou”, diz Bradford Wilcox, diretor do Projeto Nacional de Casamentos na Universidade da Virgínia, em Charlottesville. O projeto descobriu que os índices de divórcio entre casais com diplomas universitários são apenas um terço maiores que entre aqueles apenas com diplomas escolares.

Norte-americanos com diplomas escolares ou menos (que representam 58% da população) disseram aos pesquisadores que gostariam de se casar, mas não têm condições financeiras para isso. Ao invés disso, eles têm filhos fora do casamento. Apenas 6% das crianças nascidas de mães com diplomas universitários nasceram fora do casamento. Entre as mães apenas com diploma escolar, esse índice é de 44%.

“Menos casamento significa menos renda e mais pobreza”, afirma Isabel Sawhill, da Brooking Institution. Ela e outros pesquisadores associaram a desigualdade na renda no país às mudanças na composição familiar: pais solteiros (quase sempre sem diploma universitário) estão se tornando mais pobres, enquanto casados (com educação e dupla renda) estão prosperando. “Essa é uma grande diferença que não é compreendida pelo público”, diz.

Não espere, no entanto, que o Partido Democrata aborde essa questão nas eleições do ano que vem. Mulheres solteiras votaram massivamente em Barack Obama. “Você não sugere a uma mãe solteira que se case”, diz Sawhill. “Seria denegrir seu estilo de vida. (Opinião e Notícia).

Nota: A degradação da família e a proliferação da promiscuidade sexual é um dos sinais do tempo do fim. Jesus mencionou que "assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem." Mateus 24:37=39

Pornografia Fatal

Manhã de terça-feira, vinte e quatro de janeiro de 1989. Enquanto o sol dourado se erguia sobre os campos verdejantes do lado de fora da prisão estadual da Flórida, um véu negro caiu sobre o rosto de Theodore Robert Bundy.

Theodore Robert Bundy foi executado às 7h16 desta manhã, na cadeira elétrica da prisão estadual.

A mãe de T.R.Bundy afirmou: “Perder nosso filho amado não podemos. Não o criamos para ser esse tipo de pessoa. Demos a ele uma boa educação, mas alguma coisa aconteceu com ele em alguma época depois que ele saiu desta casa. Ele desenvolveu dentro de si alguns costumes terríveis.”

O que o teria transformado num maníaco assassino? Bundy culpou o seu vício pela pornografia como a causa principal de sua mortífera paixão.

Por toda a estrada que leva à Prisão Estadual da Flórida, a notícia da morte de Bundy fez com que a multidão que a aguardava comemorasse. Todos gritaram. Todos. Eles soltaram fogos. Eles bateram em frigideiras dizendo: “Terça é dia de fritura!” Podemos entender a ira deles em relação a Bundy.

Se alguém mereceu o corredor da morte, bem como a cadeira elétrica, Ted Bundy foi esse alguém, disse Bob Martinez, Governador da Flórida.

Mesmo assim, pessoas ponderadas ficaram tristes com o verdadeiro carnaval que fizeram do lado de fora da prisão. A multidão chegou a aplaudir quando o carro fúnebre branco passou carregando o corpo de Bundy.

Alívio? Sim. Não resta a menor dúvida. Bundy havia aterrorizado várias regiões do país com seus crimes horríveis.

Ele iludiu dúzias de moças para que confiassem nele, muitas vezes fingindo estar ferido ou ter defeito físico. Então ele as submeteu a horríveis torturas antes de tirar-lhes a vida.

A polícia do Colorado capturou Bundy, mas ele fugiu para a Flórida, onde continuou com seus crimes horrendos.

Finalmente, cercado e levado à justiça, Bundy fez a sua própria defesa em seu julgamento, brincando com o sistema legal.

Foi sentenciado, finalmente, ao corredor da morte, impassível, sempre negando sua culpa.

Quando pressionado por um repórter sobre um crime particularmente horrendo, ele zombou: “O que representa uma pessoa a menos na face da terra, afinal?” Que horror! Que insensibilidade incrível! Como pôde um bom rapaz, de um lar cristão, tornar-se talvez o homem mais temido e odiado da América?

Bundy em pessoa responde a essa pergunta em uma entrevista com o Dr. James C. Dobson, psicólogo e diretor de “Focalizando a Família”, uma organização sem fins lucrativos dedicada à preservação da família.
O dramático diálogo aconteceu poucas horas antes da execução de Bundy.

Dr. Dobson: Nos autos, você é culpado de ter matado muitas mulheres e moças. É verdade?

Bundy: Sim. Sim. É verdade.

Dr. Doson: Vamos voltar então para suas raízes. Primeiramente você foi criado, segundo eu soube, no que você considera um lar saudável.

Bundy: Sem dúvida.

Dr. Dobson: Não foi molestado fisicamente, não foi molestado sexualmente nem emocionalmente.

Bundy: Não. De modo algum. Isso é parte da tragédia em toda esta situação, pois fui criado num lar maravilhoso, com pai e mãe dedicados e amorosos. Eu pertenço a uma família de cinco filhos. Um lar onde nós, quando crianças, éramos as prioridades na vida de nossos pais. Íamos regularmente à igreja. Eu tinha pais cristãos que não bebiam, não fumavam e não jogavam. Não havia agressões nem brigas em casa. Não estou dizendo que aquilo era o paraíso…

Dr. Dobson: Não era um lar perfeito.

Bundy: Não. Não. Eu não sei se existe um lar assim, mas era um ótimo e sólido lar cristão. Espero que ninguém procure o caminho mais fácil, simplesmente culpando minha família em ter contribuído para isto, porque eu sei e estou tentando transmitir do modo mais sincero possível o que aconteceu. Acho que esta é a mensagem que eu quero transmitir.

Quando eu tinha doze ou treze anos, por aí, eu conheci, fora de casa novamente, nas lojas de revistas e nas lanchonetes locais, a pornografia leve. Acho que expliquei a você, Dr. Dobson, como os meninos fazem.

Nós explorávamos os quintais dos fundos, os corredores e cantinhos de nossa vizinhança e muitas vezes as pessoas jogavam ali o lixo e objetos quando limpavam sua casa. De vez em quando, encontrávamos livros pornográficos da pesada. Figuras do tipo mais explícito do que aqueles que encontrávamos nas lojas de revistas. E isso também incluía coisas do tipo “revistas de detetives”.

Dr. Dobson: Aquelas que incluem violência?

Bundy: Sim. Sim, e isto é uma coisa que eu gostaria de enfatizar como sendo um dos tipos mais prejudiciais de pornografia. Isto eu estou falando por experiência pessoal, da dura e fria experiência pessoal.

O tipo mais prejudicial de pornografia é aquele que envolve violência e violência sexual, porque o casamento dessas duas forças, que eu conheço muito bem, faz aflorar um comportamento terrível, terrível demais para descrever.

Dr. Dobson: Agora, explique-me como é isso. O que se passava na sua mente naquela ocasião?

Bundy: Está bem, mas antes de prosseguirmos, é importante para mim que o povo acredite no que estou dizendo. Quero dizer que não estou culpando a pornografia, não estou dizendo que ela fez com que eu saísse e fizesse certas coisas. Eu assumo total responsabilidade por tudo o que fiz. A questão aqui não é essa. A questão é de que modo este tipo de literatura contribuiu e ajudou a moldar esse tipo de comportamento violento.

Dr. Dobson: Isso alimentou suas fantasias.

Bundy: É isso. Bem, no princípio ela alimenta esse tipo de processo de pensamento, então, em certa ocasião, é o instrumento na sua cristalização, transformando-o em algo que chega a ser quase uma entidade separada dentro de nós. A essa altura, você está próximo. Eu estava próximo de agir segundo esses tipos de pensamentos.

Dr. Dobson: Eu gostaria de entender isso. Você tinha ido o mais longe que poderia ter ido em sua vida de fantasias…

Bundy: Certo.

Dr. Dobson: Com o material impresso, isto é, vídeos…

Bundy: Filmes, revistas e tudo.

Dr. Dobson: Aí veio a necessidade de dar aquele pequeno passo, o grande passo, em direção da ação física.

Bundy: E acontece… Aconteceu em estágios, gradualmente. Não tem necessariamente de acontecer da noite para o dia, pelo menos na minha experiência com pornografia. Não a comum, mas a que focaliza a violência com sexo. É assim que ficamos viciados nela, pois eu vejo isso como uma espécie de vício, como outros tipos de vícios. Eu procurava sempre um material mais forte, mais explícito, com variedades gráficas. Assim como um vício, você fica desejando algo mais forte e mais forte. Algo que lhe dê uma sensação maior de excitação, até você atingir o ponto em que começa a pensar se talvez a prática não lhe daria algo além de apenas ler ou ficar olhando.

Dr. Dobson: Por quanto tempo você ficou nesse ponto até chegar de fato atacar alguém?

Bundy: Eu sentia fortes inibições contra o comportamento criminoso e violento que estava condicionado dentro de mim. Essas inibições foram produzidas dentro de mim, em meu meio-ambiente, em minha vizinhança, em minha igreja, em minha escola. Coisas que diziam: “Não! Isso é errado. Mesmo pensar nisso é errado. Fazer é mais errado ainda.” Eu estava na borda, estava diante dos últimos vestígios da restrição.

As barreiras para se fazer alguma coisa estavam sendo testadas constantemente e agredidas, atacadas pela vida de fantasias que era grandemente alimentada pela pornografia.

Dr. Dobson: Nas primeiras vezes, você estava sempre meio bêbado quando fazia essas coisas, não é mesmo?

Bundy: Sim. Sim.

Dr. Dobson: E era sempre assim?

Bundy: Eu diria que geralmente era assim. Quase sem exceção.

Dr. Dobson: Muito bem, se eu entendi direito, travava-se uma batalha dentro de você, havia as convicções que você tinha aprendido. Havia o certo e o errado que lhe ensinaram quando criança, bem como essa paixão incontida alimentada pela pornografia violenta que endurecera seu íntimo e essas coisas estavam em guerra entre si.

Bundy: Sim.

Dr. Dobson: Então, com o álcool arrefecendo suas inibições, você se soltou.

Bundy: Sim. E pode-se resumir a coisa toda dessa forma, sim senhor.

Dr. Dobson: Ted, após cometer seu primeiro homicídio, qual foi o efeito emocional em você? O que aconteceu nos dias que se seguiram?

Bundy: Ao acordar pela manhã, e pensar no que eu tinha feito, com a mente clara e todos os meus sentimentos morais e éticos intactos naquele momento, fiquei absolutamente horrorizado por ter sido capaz de fazer uma coisa daquelas.

Dr. Dobson: E você havia sentido isso antes?

Bundy: Não existe em absoluto um jeito de descrever. Primeiro, a ânsia brutal de fazer esse tipo de coisa; depois, o que acontece é mais ou menos satisfatório e revigorante, após eu dispender toda aquela energia. Revigorante, mas basicamente eu voltava a ser eu mesmo outra vez. Eu quero que as pessoas entendam isto também.

Não estou dizendo isto gratuitamente, porque é importante que as pessoas entendam isto: basicamente eu era uma pessoa normal. Eu vivia uma vida normal, com exceção deste pequeno, mas muito potente, muito destrutivo segmento que eu mantinha em segredo, guardado só para mim. Eu não deixava ninguém saber a respeito.

Acho que as pessoas precisam reconhecer que aqueles iguais a mim, que têm sido influenciados pela violência nos meios de comunicação, em particular pela violência pornográfica, não são nenhuma espécie de monstros inerentes. Nós somos seus filhos e somos seu marido. Crescemos em famílias comuns. A pornografia pode estender as mãos e pegar um garoto de qualquer casa hoje. Ela me pegou do meu lar, há vinte, trinta anos, por mais diligentes que fossem meus pais.

Eles foram diligentes em proteger seus filhos, e por mais cristão que fosse nosso lar, tínhamos um maravilhoso lar cristão, não há proteção contra esse tipo de influência que está à solta em uma sociedade que a tolera.

Veja, não sou nenhum cientista social e não fiz nenhuma pesquisa.

Eu não vou fazer de conta que sei o que os cidadãos em geral pensam sobre isto, mas eu vivi na prisão por muito tempo e conheci muitos homens que foram motivados a cometer violência assim como eu. Sem exceção, cada um deles esteve profundamente envolvido com pornografia, sem dúvida e sem exceção, profundamente influenciados e consumidos pelo vício da pornografia.

Não há a menor dúvida a respeito. Os próprios estudos do FBI sobre assassinatos em série, mostram que o interesse mais comum entre os que assassinaram em série é a pornografia. É verdade!

É um fato, eu lhe garanto, existem muitas crianças brincando pelas ruas deste país hoje que vão ser mortas amanhã ou no dia seguinte ou talvez no mês seguinte, porque outra criança está lendo esse tipo de coisa que está disponível nos meios de comunicação hoje.

Vandeman: Que conversa mais alarmante e comovente. Quero agradecer ao Dr. Dobson e ao programa “Focalizando a Família” por ceder trechos desta entrevista.

Alguns críticos afirmam que a entrevista de Bundy foi apenas uma última tentativa desesperada para salvar sua vida. Isso não pode ser verdade, uma vez que esta entrevista estava sendo planejada seis meses antes. Outros críticos acusaram o Dr. Dobson de interferir no sistema de justiça da Flórida, tentando adiar a execução de Bundy, ou então cancelá-la.

Tal acusação também é inteiramente falsa. O Dr. Dobson reconhece que, se algum criminoso merecia morrer, esse era Ted Bundy.

“Focalizando a Família” apenas deu a Bundy a oportunidade que ele pedira para alertar o mundo sobre a atração fatal da pornografia.

A pornografia tem muitos defensores entre aqueles que a acham pessoalmente de mau gosto. Eles defendem sua existência para proteger seu próprio direito constitucional de liberdade de expressão, querendo impedir a censura a todo custo.

Na realidade, porém, todos nós não cremos na censura até um certo grau? Que pessoa responsável defenderia a pornografia para as crianças e a exploração criminosa das crianças? Obviamente certos limites devem ser estabelecidos.

Liberdade de expressão sem limites não pode existir. A pergunta chave aqui é: onde traçaremos o limite?

O que nossos antepassados tinham em mente quando garantiram a liberdade de expressão em nossa constituição? Os que estudam história sabem que os que escreveram a constituição, estavam resguardando o país contra a repressão religiosa e política.

Você acha que eles teriam arriscado a vida para que platéias sedentas de sangue pudessem se inspirar com o massacre sangrento do Texas? Por quanto tempo uma sociedade sadia poderá tolerar o chocante e revoltante abuso de mulheres?

Temos que tolerar uma avalanche de violência e obscenidades para proteger a constituição?

Os produtores da pornografia vivem nos lembrando dos seus direitos constitucionais, mas as mulheres e crianças não têm direitos também? O direito de andarem pelas ruas sem terem medo de serem atacadas?
Alguns sugerem: “Se você não gosta da pornografia, não compre, não olhe, afaste-se dela.”

Acho que não percebem o ponto. Outros estão consumindo pornografia, criminosos como Ted Bundy. Quando aqueles que têm tendência à violência vêem-na na pornografia explícita, podem ouvir uma voz do mal sussurrando: “Vão e façam o mesmo.”

Se a pornografia levasse apenas um décimo de um por cento dos homens americanos a cometerem atos criminosos, cerca de dez mil estupradores e assassinos estariam à solta.

Evidentemente podemos e devemos nos opor à pornografia, porque ela ameaça o público. Não na base da preferência religiosa, você entende, já que a fé não pode ser legislada. Nosso objetivo é apenas uma sociedade segura.

Vimos na entrevista de Bundy, que a pornografia leve, como a de certas revistas, provê uma abertura para a pornografia violenta e pesada. Pode também contribuir para a fabulosa média de divórcios.

Pense nisso por um instante. Quantos homens estão abandonando sua esposa por mulheres mais jovens. Podemos duvidar que uma das razões para isto é que a pornografia tem destruído sua apreciação pelo que eles já possuem em casa?

Esta epidemia de divórcios sobrecarrega os já superocupa processos de divórcio. Pior, filhos sem um pai por perto têm mais chances de se tornarem criminosos.

A pornografia tem que levar parte da culpa pelas fragmentadas famílias do país.

Por favor, reflita sobre este comentário final de Ted Bundy.

Bundy: Aqueles a quem eu feri e aqueles a quem causei tanta dor, mesmo que não acreditem na minha expressão de arrependimento e remorso, acreditarão no que estou dizendo agora.

Existe prejuízo em suas cidades, em suas comunidades, com pessoas iguais a mim hoje, cujos perigosos impulsos estão sendo alimentados diariamente pela violência nas variadas formas de comunicação, particularmente a violência sexual.

Vandeman: Um sóbrio alerta, sem dúvida, para todos que têm ouvidos para ouvir. Muitos têm conjecturado se Ted Bundy arrependeu-se de seus crimes horríveis.

Somente Deus sabe, é claro, mas as indicações são de que ele finalmente se arrependeu e confiou em Jesus como seu Salvador.

Esperamos que sim, embora alguns parecem duvidar que Deus poderia perdoar Ted Bundy.

Por quê? Não existe poder no sangue de nosso Senhor Jesus Cristo para perdoar o mais terrível pecador?

Jesus prometeu: “O que vier a mim, de modo nenhum o lançarei fora.” João 6:37.

Volte comigo até meados dos anos setenta, nos dias que se seguiram ao “Watergate”. Após Chuck Colson ser solto da prisão, ele não se esqueceu dos homens e mulheres ainda atrás das grades.

Um dia, em 1981, com uma equipe do seu ministério, ele visitava os presidiários na penitenciária do estado de Indiana.

Segundo Chuck menciona em seu livro “Um Deus de Amor”, o grupo entrou através do labirinto dos blocos de cela de concreto até o conjunto de portas duplas que levavam ao corredor da morte.

O carcereiro abriu as portas das celas individuais. Um a um, os condenados timidamente se aventuraram a misturarem-se com Colson e seus voluntários. Colson pregou uma breve mensagem da Bíblia. Todos eles deram as mãos para cantarem: “Preciosa Graça”.

Após a oração, o grupo de Colson despediu-se dos prisioneiros e começou a sair. Estavam todos em um setor fechado entre dois enormes portões, quando notaram que um componente do grupo estava faltando.

Colson voltou para buscar o homem. O voluntário, um homem branco e baixinho de uns cinqüenta e poucos anos, estava em pé lado a lado com um rapaz negro, lendo juntos a Bíblia.

“Sinto muito, temos que sair”, Colson disse olhando para o relógio. Além do mais, o tempo era pouco. Um avião aguardava lá fora para levar Colson a um encontro com o governador.

O voluntário olhou para ele e disse suavemente: “Dê só mais um minutinho, por favor, isto é importante”. Aí acrescentou: “Sabe, sou o Juiz Clement, o mesmo que sentenciou James Brewer aqui, à morte. Mas agora ele é meu irmão e queremos um minuto para orarmos juntos.”

Colson menciona: “Fiquei paralisado na porta da cela. Pouco importava quem eu deixei esperando. Diante de mim estavam dois homens: um impotente, o outro poderoso; um era negro, o outro branco; um tinha sentenciado o outro à morte. Em qualquer outro lugar além do reino de Deus, aquele preso teria matado o juiz com suas próprias mãos, ou ao menos desejado. Agora eram um em Cristo. O rosto de ambos refletia uma indescritível expressão de amor enquanto oravam juntos.”

Ao saírem da prisão, o juiz Clement disse a Colson que todos os dias, durante quatro anos, desde que sentenciara Brewer à morte, vinha orando pela salvação dele. Graças a Deus que tais orações foram atendidas.

Sim, James Brewer era um homem salvo ali no corredor da morte. Tanto o juiz como o prisioneiro condenado à morte permaneceram limpos perante o Senhor. Iguais aos olhos de Deus. Igualmente perdidos longe de Cristo; igualmente salvos em Cristo. Sabe, o Céu vem para nós não por sermos merecedores, mas por termos confiado nossa vida ao Senhor Jesus Cristo.

Meu amigo, a maravilhosa graça de Deus, que salvou o juiz Clement e James Brewer, é a sua única esperança e a minha também. Tem mais, a mesma graça transformadora que uniu o coração daqueles inimigos no tribunal, pode renovar nossos relacionamentos também. Existe poder em nosso Senhor Jesus Cristo para superar qualquer paixão que possa ter escravizado sua alma.

Apelo para que você entregue sua vida a Ele agora mesmo.

Sermão do Pr. George Vandeman
(Postado em Sétimo Dia)

Nota: Vale a pensa atentar para Filipenses 4:8 "Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas."

Leia também:
“Não valeu a pena”, diz Bruna Surfistinha
A indústria da infidelidade
O alto preço da pornografia

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Inglês tenta trocar moeda de um centavo por ilha em um ano

O que você faria com um centavo? Hoje em dia não dá para nada, certo? Depende! Nas mãos do jardineiro inglês Luke Seall um centavo serve, sim, para muita coisa. Inspirado pelo provérbio que ouvia de seu pai durante a infância “Cuide dos centavos que os centavos cuidarão de você” ele criou o "Project 1p" para ver até onde consegue trocar uma moeda.

Luke começou seu projeto no dia 1º de janeiro deste ano com um ‘penny’, o centavo de libra esterlina. A ideia era trocar a moeda por alguma outra coisa, e ir trocando cada objeto por algo de valor mais alto até o último dia de 2011. “Fiquei curioso sobre o que é possível atingir começando com um centavo”, contou Luke à reportagem do UOL em sua casa no balneário inglês de Brighton.

Depois de começar sem saber onde queria chegar em um ano, o jardineiro decidiu que seu objetivo é terminar 2011 com uma ilha onde possa criar seu próprio país. Nesses primeiros seis meses, Luke já teve em mãos um violão, uma bicicleta, um pedaço de terra e um vestido de noiva.

Ele criou um site e uma página no Facebook para promover o projeto e chegou a anunciar em sites gratuitos como o britânico Gumtree e o americano Craig’s List. Mesmo assim, a primeira transação foi difícil, já que poucas coisa realmente custam um centavo. Criativo, ele chegou a polir a moeda para torná-la mais atraente.

A sorte bateu à porta em forma de peixinhos dourados. Luke ficou sabendo que um amigo estava doando seus três peixes e uma lata de ração para o aquário do bar local, depois que seu próprio aquário rachou. Luke convenceu o amigo a trocar os peixes por sua moeda.

Mas os animais trouxeram um novo desafio, já que não costumam ter uma vida muito longa e poderiam acabar com o projeto logo na largada. “Eu vou tentar cuidar muito bem desses pequenos rapazes até que possa fazer a próxima transação” escreveu Luke na época.

Semanas depois, com os peixes vivendo em um balde, ele estava começando a ficar preocupado quando finalmente recebeu uma oferta pelos bichinhos. O interessado sonhava em ter um cachorro, mas resolveu se contentar em criar peixes pois não tinha autorização de seu senhorio para manter cães no apartamento alugado. Em troca, ele ofereceu um violão.

O instrumento foi bem mais fácil de trocar. Luke recusou ofertas de uma TV antiga de 20 polegadas e de um videogame, e acabou trocando o violão por uma bicicleta de mountain biking. A bicicleta foi então trocada por 50 libras, o equivalente a R$ 125. Em menos de um mês, Luke havia conseguido um aumento de 500000% em seu investimento inicial.

De um centavo a dez metros

Indeciso sobre o que comprar com o dinheiro, Luke recebeu uma oferta inusitada: 10 metros de terra na Bulgária, perto da costa do Mar Negro. O proprietário, Paul Holman, possui uma grande área no país e prometeu que quem ficasse com o terreno poderia usá-lo para construir, acampar, “criar um memorial para homenagear um cachorro morto” ou até comprar mais terras ao redor.

O negócio foi fechado e a curiosa história do inglês que trocou um centavo por terras na Bulgária chamou a atenção da mídia. A partir daí, Luke ficou mais conhecido e, assim, passou a ser bombardeado por ofertas. Entre as mais bizarras estavam uma vaca, alguns porcos, a virgindade de alguém (que ele acredita ser uma brincadeira), 70 bilhetes de loteria e uma porcentagem dos rendimentos futuros de um escritor não-publicado.

A proposta que acabou convencendo Luke foi a de um ferreiro, que ofereceu seus serviços e a matéria-prima para fabricar um objeto customizado de metal. A ideia interessou os donos de um camping na França, que precisavam de um ferreiro para construir uma moldura em forma de caracol para um chuveiro ao ar livre. Com isso, Luke passou a oferecer uma semana de estadia no camping, que tem charmosas cabanas do tipo ‘yurt’.

Ironia

A troca seguinte também foi inusitada. O jardineiro não se empolgou com nenhuma das ofertas feitas pela semana de férias e decidiu sair em busca de algo mais palpitante. Ele resolveu procurar por artistas que usassem centavos em suas obras. Ao buscar por “Penny Artist” no Google, além de várias artistas chamadas Penny, ele acabou se deparando com Adrian Firth, que cria retratos usando moedas de 1p.

Convenientemente, Firth precisava de férias e tinha um último retrato disponível, feito com 2,5 mil moedas. Ironicamente, o retrato era de Andy Hornby, o ex-diretor executivo do HBOS, uma das instituições financeiras que mais perderam dinheiro durante a crise bancária em 2008. “O 'Projeto 1p' começou com um centavo, e de repente tem um retrato feito com milhares de centavos de um homem que perdeu trilhões de centavos”, disse Luke.

Luke decidiu que gostaria de trocar o retrato com o próprio Andy Hornby, mas depois de mandar vários emails sem receber resposta, mudou de tática e foi em busca de homônimos no Facebook. O plano teve sucesso e ele trocou o retrato com outro Andy Hornby, o dono de uma loja de moda noiva que ofereceu um vestido de casamento de seu estoque.

Depois de receber algumas ofertas que não interessaram, o jardineiro se rendeu aos insistentes emails de uma fotógrafa que queria o vestido para dar de presente a uma amiga. O que nos traz até o momento atual. Alguém aí interessado em trocar alguma coisa pelos serviços de uma fotógrafa de casamento? Aceitam-se ilhas! (UOL)

Nota: Certamente este homem foi criativo e inteligente. Mas cada um de nós devemos ser cuidadosos com o dinheiro que recebemos."Fazei, com Deus, o solene concerto de, com a Sua bênção, pagar vossas dívidas e a ninguém dever coisa alguma, ainda que tenhais de viver a pão e água. É tão fácil, ao preparar a mesa, tirar do bolso uma moeda para extraordinários. Cuidai dos centavos e os dólares cuidarão de si mesmos. É uma moedinha aqui, uma moedinha ali, gasta para isto, aquilo, e aquele outro, que logo somam dólares. Negai o eu ao menos quando estais rodeados de dívidas. ... Não vacileis, não desanimeis nem desistais. Negai vosso gosto, negai a condescendência com o apetite, economizai vosso dinheiro e pagai vossas dívidas. Esforçai-vos para pagá-las o mais depressa possível. Quando vos puderdes apresentar novamente como um homem livre, não devendo nada a ninguém, tereis alcançado uma grande vitória." Ellen White, Conselhos Sobre Mordomia, 257

sábado, 9 de julho de 2011

Cientista diz que homem viverá mil anos

Ele é biomédico, gerontologista e cientista-chefe na Califórnia da Fundação de Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível. Ele é, acima de tudo, extremamente polêmico. Ele se chama Aubrey de Grey e sua última bomba na ­comunidade de pesquisadores explodiu na palestra que deu na Academia Britânica de Ciências. Grey declarou que prevê a “cura” do envelhecimento. Mais: afirmou que muitos bebês que agora estão nascendo viverão 150 anos e que, ­daqui a duas décadas, alguém já poderá atingir a idade de mil anos. “Temos 50% de possibilidades de colocar o envelhecimento sob aquilo que chamo de nível decisivo de ­controle médico, e isso acontecerá em 20 anos”, disse ele. “Poderemos adotar a geriatria preventiva, na qual regularmente repararemos os danos moleculares e celulares antes que cheguem a um patamar irreversível e patogênico.” (IstoÉ)

Nota: "O ser humano tem o desejo de viver eternamente porque foi Deus quem `pôs a eternidade no coração do homem` (Eclesiastes 3:11). Mas sempre que tentar ser eterno por suas próprias forças ele fracassará. A única forma de `controlar o envelhecimento` é seguir o plano de Deus com respeito ao cuidado da saúde, e a única forma de alcançar a eternidade é através dos méritos de Cristo. `Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.` (João 3:16) `Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.` João 3:36 Pr. Evandro Fávero

Nascidos para brilhar

“Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Prov. 4.18

Existe um grande espetáculo da natureza, que acontece principalmente nos dias de verão, nesse tempo o nascer do sol é mais cedo, sempre que posso gosto de ir a praia sentar e assistir o vislumbre do raiar de um novo dia. Interessante é que é algo progressivo, primeiro o clarão anuncia a chegada, depois o brilho ofuscante e repleto de vida dos raios solares. No começo se pode até arriscar olhar um pouquinho, mas depois é impossível contemplar por muito tempo.

O texto de hoje retrata essa realidade, do aparecimento diário do sol, por muitos renegados, aqui usado sabiamente por Salomão em comparação ao desenvolvimento do Cristão ao qual ele chama de vereda dos justos. Todo novo cristão pensa que seus desafios foram anteriormente ao batismo, agora uma vez batizado está pronto, porém o que muitos esquecem é que o batismo apenas mostra a quem amamos, e que todo amor tem que ser vivido na prática, o próprio Jesus afirma que ‘’Se me amardes guardareis os meus mandamentos.” João 14.15.

Nesse início do verso descobrimos que nosso maior desafio somos nós mesmos. “A luta contra o próprio eu é a maior batalha que já foi ferida. A renúncia de nosso eu, sujeitando tudo à vontade de Deus, requer luta; mas a alma tem de submeter-se a Deus antes que possa ser renovada em santidade.” CC, 43

Essa luta atrapalha nosso crescimento espiritual; interessante que na natureza ou você está crescendo ou está morrendo, então se você como cristão não estiver em constante crescimento, está morrendo! Você pode se perguntar agora: como fazer para não morrer espiritualmente?

Esses conselhos abaixo podem ajudá-lo a nutrir-se e a crescer mais e mais:

• Leitura da Bíblia – Aqui encontramos os alimentos fundamentais para o crescimento do cristão. É através de Sua palavra que Deus se apresenta ao ser humano.

• Oração – Eis nosso canal aberto com nosso Deus, a oração é a respiração da alma.

• União com outros cristãos – Nossa família na terra são aqueles que querem um dia estar no céu.

• Anunciar o Evangelho do Senhor Jesus – Anunciar o evangelho é mostrar para as pessoas que você acredita na sua eficácia.

• Obediência – Reconhecer Cristo como o Senhor de nossa vida.

O justo anda em luz crescente; os ímpios, nas trevas (D. Moody), lembre-se “mas a vereda do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.”

Pr José dos Santos Júnior
Associação Pernambucana- UNeB

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Resumo da lição 2 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título:
Adoração e o Êxodo: Compreendendo quem é Deus.

Texto-chave
“Eu sou o Senhor, Teu Deus, quem te tirei da Terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de Mim.” Êx. 20:2, 3

Objetivos:
Os relatos antigos dos filhos de Israel indicam que o Senhor, nos encontros com o Seu povo, tinha como objetivo revelar mais sobre Sua natureza e o Seu caráter para aqueles que professavam servi-lo e adorá-lo.

Verdade Central:
Embora Deus, pessoalmente tivesse libertado Israel do Egito e Se manifestado ao Seu povo de muitas formas, Ele requeria profundo reconhecimento e respeito por Sua natureza transcendente e santa.

Domingo: Terra Santa

Que elementos fundamentais da verdadeira adoração podem ser vistos em Êxodo 3:1-15?

1. Reverência (Moisés tirou as sandálias), admiração e temor, podemos observar também a consciência do seu pecado, pois Ele escondeu o rosto.

2. Deus primeiramente Se revelou a Moisés em algo muito comum: uma sarça. Um arbusto que estava em chama. Numa área seca como aquela, os arbustos deviam pegar fogo com bastante frequência. O fogo era a maneira pela qual a natureza removia a vegetação morta para dar lugar à vegetação viva. Moisés, porém notou que a sarça não se consumia. Tendo conseguido a atenção de Moisés, o Senhor então, trabalharia de maneira especial com Seu servo.

3. Moisés viu dois fenômenos naturais se comportando de modo antinatural, o que indicava que Deus estava presente. Deus havia aparecido no meio de Sua criação e, coisas estranhas estavam acontecendo. A resposta natural foi adoração. Moisés foi orientado a tirar as sandálias como sinal de reverência, admiração e temor, elementos cruciais para que possamos nos envolver na verdadeira adoração.

Segunda-feira: A morte dos Primogênitos: Páscoa e Adoração

Deus, ao intitular a Páscoa, deu ordens expressas ao Seu povo. Seu procedimento deveria ocorrer ao décimo dia do primeiro mês. Cada família tomaria para si um cordeiro. Este seria sem defeitos, macho de um ano, ou um cabrito. O sangue deveria ser colocado sobre as ombreiras e na vergas da porta, nas casas em que o comeriam. Isto, por que naquela noite Deus executaria juízo. O sangue seria sinal nas casas e não haveria entre o povo de Deus praga destrutiva, como aconteceria com o povo do Egito.

1. A obediência revelou-se em salvação. O Senhor passou por cima das casas dos filhos de Israel no Egito, feriu os egípcios. Em resposta, o povo se inclinou e adorou.

2. A palavra hebraica traduzida por “adorou” vem de uma raiz que significa “se curvar” ou “se prostrar”, esse gesto representa um sinal de reverência, admiração e gratidão. O sangue nas ombreiras e vergas das portas representa o sangue de Cristo, nosso Libertador.

Terça-feira: Não terás outros deuses

Os primeiros dez mandamentos (Êx. 10:1-6) lembram aos filhos de Israel que somente o Senhor, o Deus verdadeiro, o único Deus deveria ser adorado. Todos os outros deuses, como os do Egito, eram falsos, criações humanas, incapazes de salvar ou livrar.

1. Essas declarações são os princípios básicos da aliança do Senhor com o Seu povo. Pois o Libertador é o único que deve receber adoração.

2. A verdadeira adoração ocorre quando nos encontramos em meio à realidade comum e, reconhecemos que, talvez, a experiência não seja tão comum, afinal, nos lembra de que Deus está no centro da adoração e que devido a essa realidade, nós somos totalmente dependentes DEle.

Quarta-feira: “Estes são teus deuses”

O que a história do bezerro de ouro nos ensina?

1. Em Êxodo 32: 1-6 encontramos uma passagem triste da experiência do povo de Deus. O povo de Israel havia quebrado sua aliança com Deus.

2. A história do bezerro de ouro demonstra que a cultura pagã adotada pelo Egito e assimilada pelos filhos de Israel ainda estava muito arraigada entre eles. Misturar um pouco do culto pagão com “uma festa ao Senhor” resultou em uma festa pagã, assim como teria ocorrido se eles simplesmente abandonassem o Senhor e abraçassem o paganismo.

3. O sincretismo entre o santo e o profano resulta em apostasia. Quando eles adoraram o verdadeiro Deus, o fizeram com humildade e reverência. Mas, adorando o bezerro de ouro, se comportaram como verdadeiros animais. Eles trocaram a glória de Deus pela imagem de um animal. Essa adoração idólatra incluiu folia, barulho e dança, bem diferente da adoração requerida por Deus.

Quinta–feira: “Mostra-me a Tua Glória”

Após a experiência do bezerro de ouro, Moisés implorou a Deus em favor dos filhos de Israel (Êx 32:30-33). Por causa desse terrível pecado, Deus ordenou ao Seu povo que tirassem os enfeites. A remoção dos ornamentos simbolizaria o arrependimento e reconciliação com Deus. (Êx. 33:4-6). Por que Moisés pediu que Deus lhe mostrasse a Sua glória?

1. O pedido brotou de um profundo desejo de sentir a presença de Deus, depois de tão escandalosa apostasia. Embora, Moisés não houvesse participado do pecado, ele foi afetado pela situação. O pecado do mundo afeta a todos. Esta consequência não deve ser esquecida, porém, Jesus já pagou completamente.

2. Moisés queria ver a glória de Deus, algo que o levaria a compreender ainda mais a própria pecaminosidade e impotência e, consequentemente, sua completa dependência de Deus.

3. Moisés tinha sido chamado para levar o povo de Deus até Canaã, um grande desafio. Ele sentiu esta grande responsabilidade, e não é de admirar que ele tivesse sentido necessidade de conhecer mais intimamente o Seu Deus. Ele acreditava que precisava dessa manifestação para ter segurança diante do desafio da jornada. Só assim eles poderiam chegar ao descanso da Terra prometida.

Conclusão

1. Deus deve ser o centro da nossa adoração.
2. A ênfase deve ser o nosso empenho em conhecer mais sobre Ele e Seu caminho, com humildade, fé, submissão e reverência.
3. Humildade e reverência devem caracterizar o comportamento de todos que vão à presença de Deus.
4. “Todos os que em verdade se compenetram de Sua presença, se prostram com humildade perante Ele.” (Patriarcas e Profetas, p 252)

Pr. Lourival Gomes de Souza
Presidente da Associação Central Paranaense

Lei de evangélico multa no Rio biblioteca que não tiver Bíblia

O governador Sérgio Cabral (PMDB) sancionou hoje (4) lei de autoria do deputado evangélico Edson Albertassi (PMDB), 42, que obriga as bibliotecas do Estado a terem Bíblia. A biblioteca que descumprir a lei será multada em R$ 2.130 e, no caso de reincidência, em R$ 4.260.
A lei é polêmica porque o Estado, por ser laico, não pode fazer imposições de cunho religioso, ainda mais em se tratando de uma determinação que beneficia uma única denominação, no caso a cristã. A lei deixa de fora, por exemplo, livros espíritos, ao Corão e o Torá.

O mesmo deputado apresentou projeto de lei para cada uma destas propostas: instituição do ensino religioso obrigatório, leitura da Bíblia antes do começo das aulas, isenção de IPVA às igrejas e de ICMS na compra de automóveis e a inscrição da frase “Deus seja Louvado” nas contas das concessionárias de serviços públicos. Albertassi é diácono da Assembleia de Deus de um templo da cidade de Volta Redonda.

Em setembro do ano passado, Albertassi conseguiu sanção para uma norma que altera a lei de incentivos fiscais de modo a beneficiar a produção e apresentação de música gospel. O deputado tem uma rádio FM de músicas evangélicas. (AdonaiNews)

Nota: "Mais importante do que impor a Bíblia por decreto de lei, é pregar a Bíblia através de uma uma vida transformada, de uma família que se ama, de uma igreja que vive os princípios do evangelho." Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Pais influenciam comportamento sexual das filhas

“Quando se trata de garotas e suas decisões sexuais, a influência paterna realmente é importante”, afirma o escritor Bruce J. Ellis, da Universidade do Arizona, em uma publicação universitária. Ellis e outros pesquisadores analisaram 59 pares de irmãs em famílias onde os pais se separaram e o pai foi embora de casa e 42 pares de irmãs de famílias onde os pais continuavam juntos. Os pesquisadores descobriram que meninas que viveram em ambiente com pais com boas habilidades paternas eram menos propensas a desenvolver um comportamento sexual arriscado. Enquanto que as meninas que viveram com pais com pouca habilidade mostravam um comportamento sexual mais arriscado. “Descobrimos que não importava o quanto cada filha tinha vivido ao lado do pai, e sim o que o pai fazia enquanto estava presente”, afirma Ellis.

O estudo observou ainda que no caso das irmãs de pais divorciados, a mais velha passava uma média de sete anos a mais vivendo com o pai do que a irmã mais nova.

Comportamento sexual de risco inclui fazer sexo sem camisinha, ter vários parceiros sexuais, fazer sexo enquanto estava alcoolizada ou drogada e ficar grávida antes dos 19 anos. (Delas Filhos)

Nota: Os pais são muito importantes na formação do caráter da criança. E comportamento sexual arriscado é também aventurar-se sexualmente fora do plano de Deus. Os pais são os responsáveis (Samo 78:1-6 e Deuteronômio 6:4-7) por transmitir os valores celestiais para seus filhos e assim formar uma sociedade melhor.

"Se os filhos tivessem mais familiaridade com os pais, se neles confiassem e lhes desabafassem as alegrias e tristezas, poupar-se-iam muita mágoa futura. Quando se acham perplexos, sem saber qual o procedimento correto, exponham aos pais a questão, tal qual a consideram sob o seu ponto de vista, e peçam-lhes conselho. Quem seria tão capaz como os pais tementes a Deus, de lhes apontar os perigos? Quem tão bem como eles compreenderá seu temperamento particular? Os filhos que forem cristãos avaliarão acima de toda bênção terrena o amor e a aprovação dos pais tementes a Deus. Os pais podem simpatizar com os filhos, e orar por eles e com eles, para que Deus os proteja e guie." Ellen White, Fundamentos da Educação Cristã, págs. 104-106. Pr. Evandro Fávero

Leia também:
A indústria da infidelidade
Abstinência antes do casamento ajuda vida sexual
Sexo, por que não?
Pais devem ser guias e companheiros das crianças

Orar na presença de Deus

“Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer”
Lucas 18:1

Todo ser humano quer ser um vencedor. Ninguém deseja fracassar visto que isso não faz parte da natureza humana. Você é pastor e no profundo de seu coração sempre deseja ser um pastor extraordinário e, quem sabe já o seja, mas se ainda não alcançou o êxito desejado é porque você necessita orar sempre sem esmorecer.

Ellen G. White diz: “As maiores vitórias da igreja de Cristo, ou do cristão em particular, não são as que são ganhas pelo talento ou educação, pela riqueza ou favor dos homens. São as vitórias ganhas na sala de audiência de Deus, quando uma fé cheia de ardor e agonia lança mão do braço forte da oração” (O Colportor Evangelista, p. 81).

A pior tragédia de um pastor é saber que deve orar mas não ora e, se o faz, isso é apenas de vez em quanto ou talvez ore diariamente, mas apenas por um curto período de tempo. Essa foi minha experiência por muitos anos e, a despeito disso, Deus operou maravilhosamente em meu ministério, mas nunca me senti totalmente bem e sabia que necessitava de algo mais e que podia fazer muito mais pelo Senhor. Até que um dia compreendi que o maior privilégio de um cristão é orar, e assim pedi a Deus que me ajudasse a deixar a rotina e começar a orar como estes homens:

Moisés (Êxodo 32:11); Jeocaz (2 Reis 13:4); Ezequias (2 Reis 19:1); Neemias (Neem. 1:4); Daniel (Dan. 6:10). Todos ao orarem tinham a certeza de que estavam na presença de Deus, mas não O viam olhando para o céu, mas o contemplavam ao seu lado. Orar é falar consigo mesmo; orar é desfrutar da presença de Deus. Quanto você passa por essa experiência não quer que sua oração termine porque a presença de Deus é agradável, dá sentido à sua vida e ao seu ministério. Moisés falava face a face com Deus como com um amigo (Êxodo 33:11). A presença de Deus era tão importante para ele que anelava estar o tempo todo com Deus. “A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso” (Êxodo 33:14).

Quando o poder da presença de Deus for real em sua vida, coisas incríveis e maravilhosas irão ocorrer. Deus já demonstrou isso com Moisés que passou quarenta dias e quarenta noites sem comer pão ou beber água (Êxodo 34:28). Se Deus fez isso por Moisés também poderá fazer o mesmo por você. Experimente! Comece de novo, hoje! Busque a presença de Deus a cada manhã.

Pr. Carlos Requejo Paico
Asociación Nor Pacífico Del Peru– UPN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More