Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ensinando com Sucesso: Um Ministério Perpétuo - vídeo para o Professor

A Escola Sabatina é a maior escola bíblica da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O vídeo abaixo é um auxiliar para o professor apresentar a lição com sucesso.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Amor de pai é uma das principais influências na personalidade humana

Branco, negro, gordo, magro, católico, protestante, rico, pobre. Não importa quantos fatores sociais, econômicos, culturais ou religiosos difiram entre as pessoas, nós todos temos algo em comum: viemos ao mundo graças a um pai e uma mãe, e o amor deles por nós faz toda a diferença na nossa vida.

Segundo um novo estudo, ser amado ou rejeitado pelos pais afeta a personalidade e o desenvolvimento de personalidade nas crianças até a fase adulta. Na prática, isso significa que as nossas relações na infância, especialmente com os pais e outras figuras de responsáveis, moldam as características da nossa personalidade.

“Em meio século de pesquisa internacional, nenhum outro tipo de experiência demonstrou um efeito tão forte e consistente sobre a personalidade e o desenvolvimento da personalidade como a experiência da rejeição, especialmente pelos pais na infância”, disse o coautor do estudo, Ronald Rohner, da Universidade de Connecticut (EUA). “Crianças e adultos em todos os lugares tendem a responder exatamente da mesma maneira quando se sentem rejeitados por seus cuidadores e outras figuras de apego”.

E como elas se sentem? Exatamente como se tivessem sido socadas no estômago, só que a todo momento. Isso porque pesquisas nos campos da psicologia e neurociência revelam que as mesmas partes do cérebro que são ativadas quando as pessoas se sentem rejeitadas também são ativadas quando elas sentem dor física. Porém, ao contrário da dor física, a dor psicológica da rejeição pode ser revivida por anos.

O fato dessas lembranças – da dor da rejeição – acompanharem as crianças a vida toda é o que acaba influenciando na personalidade delas. Os pesquisadores revisaram 36 estudos feitos no mundo todo envolvendo mais de 10.000 participantes, e descobriram que as crianças rejeitadas sentem mais ansiedade e insegurança, e são mais propensas a serem hostis e agressivas.

A experiência de ser rejeitado faz com que essas pessoas tenham mais dificuldade em formar relações seguras e de confiança com outros, por exemplo, parceiros íntimos, porque elas têm medo de passar pela mesma situação novamente.

É culpa do pai, ou é culpa da mãe?

Se a criança está indo mal na escola, ou demonstra má educação ou comportamento inaceitável, as pessoas ao redor tendem a achar que “é culpa da mãe”. Ou seja, que a criança não tem uma mãe presente, ou que ela não soube educar.

Porém, o novo estudo sugere que, pelo contrário, a figura do pai na infância pode ser mais importante. Isso porque as crianças geralmente sentem mais a rejeição se ela vier do pai. Numa sociedade como a atual, embora o nível de igualdade de gênero tenha crescido muito, o papel masculino ainda é supervalorizado e muitas vezes vêm acompanhado de mais prestígio e poder. Por conta disso, pode ser que uma rejeição por parte dessa figura tenha um impacto maior na vida da criança.

Com isso, fica uma lição para os pais: amem seus filhos! Homens geralmente têm maior dificuldade em expressar seus sentimentos, mas o carinho vindo de um pai, ou seja, a aceitação e a valorização vinda da figura paterna, pode significar tudo para um filho, mesmo que nenhum dos dois saiba disso ainda.

E para as mães, fica outro recado: a próxima vez que vocês forem chamadas à escola por causa de algo que o pimpolho aprontou, tenham uma conversa com o maridão. Tudo indica que a culpa é dele! Brincadeiras à parte, problemas de personalidade, pelo visto, podem resolvidos com amor de pai. E quer coisa mais gostosa? (Fonte: Hype Science)

Nota: Certamente o pai tem muita influência sobre os filhos. Por isso Ellen White orientou que "Como sacerdote da família, o pai deve tratar delicada e pacientemente com os filhos. Deve cuidar para não despertar neles um espírito combativo. Não deve permitir que a transgressão passe sem corretivo, mas assim mesmo há um modo de corrigir sem despertar as piores paixões do coração humano. Fale com amor às crianças, dizendo-lhes quão triste está o Salvador com a sua atitude; então com elas se ajoelhe diante do trono da graça, apresentando-as a Cristo, orando para que Ele Se compadeça delas e as leve a se arrependerem e pedirem perdão. Tal disciplina quase sempre quebrantará o mais obstinado coração" Orientação da Criança, 183. Pense nisto!


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Resumo da lição 13 da Escola Sabatina

 
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Um ministério perpétuo 

Texto-chave 

“Com que se parece o Reino de Deus? Com que o compararei? É como um grão de mostarda que um homem semeou em sua horta. Ele cresceu e se tornou uma árvore, e as aves do céu fizeram ninhos em seus ramos" (Lucas 13:18, 19)

Objetivos 

• Conhecer a base bíblica para evangelismo e como Cristo deseja que trabalhemos pela salvação de outros. 

• Ter uma noção bem clara da importância de formar novos discípulos. 

• Trabalhar em favor daqueles que um dia pertenceram a igreja de Deus e hoje estão afastados. 

Verdade Central 

Evangelismo e testemunho são o meio pelo qual a semente de mostarda (a igreja de Deus) se torna uma grande árvore que enche o mundo. 

Domingo: Evangelismo e testemunho incessante 

• Imagine a seguinte situação: Quando é dada oportunidade para alguém conhecer a palavra de Deus e esta pessoa rejeita, então podemos dizer que fizemos a nossa parte e podemos lavar as mãos, pois estamos livres do sangue daquela pessoa. Sim ou Não? 

• Devemos trabalhar em favor da pessoa como Cristo fez com a samaritana. 

• Ela não sabia que precisava da água, até ser apresentada a ela pelo Mestre, despertando assim a curiosidade e interesse. 

• Não podemos desistir das pessoas no primeiro não, devemos insistir, porém com sabedoria, como Jesus o fez. 

Segunda-feira: Um ambiente estimulante 

• Em nossas igrejas temos bons programas espirituais e isso atrai muitas visitas, mas o que estamos fazendo para mantê-las na igreja? 

 • As pessoas devem encontrar dentro da igreja, alimento espiritual e serem nutridas com um ambiente social, é muito importante que encontrem amigos. 

• Ao andarmos na luz vamos promover comunhão e unidade. 

Terça-feira: Formando instrutores 

• Como a história de Paulo e Timóteo nos ajuda a compreender o processo de formação de novos líderes? 

 • Paulo mostra a importância de formar novos líderes, pois um dia os mais antigos morrerão. Princípio da continuidade. 

• Necessidade de crescer numericamente levando o maior número de pessoas a Cristo, numa progressão geométrica: líderes multiplicando outros líderes. Princípio da expansão do evangelho. 

Quarta-feira: Resgatando pessoas afastadas 

• Fabiana depois que se batizou voltou apenas algumas vezes na igreja, depois nunca mais voltou. Depois de seis meses alguém da igreja a encontra e pergunta por que ela não voltou mais pra igreja, ela responde que não conseguiu fazer amizades. O que responder a ela? 

• A amizade não deveria ser o fator principal da permanência na igreja, mas, é o elo entre a doutrina e a convivência na igreja. 

 • Pelo menos até que a pessoa amadureça espiritualmente é necessário um acompanhamento ou até ela se tornar um líder que faça o mesmo por outros. 

Quinta-feira: A porta dos fundos 

• Manter a porta dos fundos fechada, seria possível? 

• Talvez trancá-la para que ninguém passe, parece algo difícil de acontecer, porém podemos diminuir o fluxo de passagem por ela. 

• Envolver, se aproximar das pessoas e descobrir suas necessidades, parece ser algo que diminua a saída tão drástica da igreja. 

• Apenas pessoas amorosas e carinhosas conseguem fazer isso. 

Conclusão 

1- Qualquer pessoa pode trabalhar na salvação de almas, basta apenas deixar-se ser usado por Deus. 

2- A igreja é o meio pelo qual Deus alcança seus filhos e os salva. 

3- Formação de novos líderes é tão importante quanto ganhar novas pessoas para Cristo. (Lembre-se: Jesus passou três anos e meio e não batizou ninguém, passou este tempo treinando os discípulos.) 

4- Conservação de membros é possível quando temos uma igreja relacional em que as necessidades pessoais são atendidas. 

Pr. Jean Abreu 
Pastor do Distrito de Bairro Camaquã, pertencente à ASR

sábado, 23 de junho de 2012

O Espírito Santo e a Missão

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria até aos confins da terra.” Atos 1:8 

Durante os três anos e meio do ministério público do Senhor Jesus Cristo, Ele demonstrara aos Seus discípulos a grande missão de salvar a raça humana. Através dos milagres, testemunho pessoal, ensinos para as massas e particulares, toda a Sua vida evidenciava o que havia declarado: “O Filho do homem veio buscar e salvar o que havia perdido” Lc 19:10.

Após Sua crucificação, morte e ressurreição, Jesus chega a um momento dramático para os Seus discípulos; é à hora de declarar que Ele precisa partir para junto do Pai. Os discípulos sentiam a grande dor que a separação causa no ser humano, pois afinal, estar sempre com Jesus ouvindo Suas mensagens confortantes, Seus cuidados incessantes, e Seu grande amor era essencial para cada um deles, e a ausência de Cristo cortava o coração dos discípulos.

Foi nesse momento que Jesus lhes reforçou Sua grande missão em salvar os perdidos. Fitando os olhos neles disse: “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.”At 1:8.

Aqui Jesus os está incitando para algo que não deveriam esquecer: a responsabilidade de pregar o Seu evangelho. Onze homens e uma igreja de 120 membros (At 1:15), sua missão: evangelizar o mundo inteiro. Essa igreja abalou os primeiros séculos da era cristã com a mensagem da esperança. Dentre as muitas características da igreja cristã primitiva, duas ficam evidentes:

1. Essa igreja aprendeu a depender do Espírito Santo para o cumprimento da Missão. O grande pregador batista Charles Spurgeon admitiu: “Sem o Espírito de Deus não podemos fazer nada. Somos como veleiros ou carruagens sem cavalos. Como galhos sem seiva, murchamos. Como carvão sem fogo, somos inúteis”. Jesus cumpriu Sua promessa para com os discípulos, e eles receberam o poder do alto e multidões aceitaram a mensagem de Cristo. Quando Ellen White comparou a experiência do pentecostes com a nossa hoje, ela chegou à seguinte conclusão: “Quão grandemente necessitam os obreiros do batismo diário do Espírito Santo, para se tornarem verdadeiros missionários de Deus.” CSES, p. 155

2. Essa seguinte característica nos mostra que Jesus Cristo era o centro de suas mensagens. O grande evangelista do pentecostes, o apóstolo Pedro declarou: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” At 4:12. Em todas as pregações doutrinárias, discurso entre as autoridades, no templo e nas casas, a mensagem da cruz tocava profundamente os corações. Somos chamados para exaltar as verdades como é em Cristo Jesus. “de todos os professos cristãos, devem os Adventistas do Sétimo dia ser os primeiros a exaltar a Cristo perante o mundo” OE, p. 278.

Dessa maneira esses onze homens levaram Sua igreja a desenvolver uma experiência singular na grande missão de salvar os perdidos. Obtiveram êxito na missão evangelística, inúmeras pessoas foram salvas para o reino dos céus. Hoje o nosso Mestre nos desafia a conquistar esse mundo para Si. A mensagem profética nos diz: “Os que ensinam a outros devem suplicar a Deus que lhes comunique seu Espírito, e os habilite exaltar a Cristo como a única esperança para o pecador” OE, p. 154, 155. Mas lembre-se da promessa de Cristo para você neste dia: “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo [...]”. At 1:8

Pr Angelo Evangelista Belo 
Serra Missão Sul Maranhense – UNB

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Site de notícias do mundo gospel destaca projeto "Reavivados por Sua Palavra"


A publicação massiva de impressões sobre textos bíblicos, feita por internautas adventistas chamou a atenção do site "Gospelprime". Os comentários que são feitos em razão do projeto "Reavivados Por Sua Palavra", publicados majoritariamente no início da manhã, tem despertado a atenção de quem fica online neste período (USB). Leia abaixo a notícia:

"Pastores, líderes e membros da Igreja Adventista participam há mais de dois meses do culto virtual chamado de “Reavivados por Sua Palavra”. Todas as manhãs entre as 5h e 7h eles realizam a leitura do dia e postam suas impressões sobre o estudo no Twitter usando a hashtag #rpsp.

"O objetivo dessa campanha é motivar os 17 milhões de adventistas espalhados pelo mundo a estudarem a Bíblia diariamente. Esse projeto deve durar até 2015 quando os 1.189 capítulos da Bíblia serão estudados. Esse culto virtual já chamou a atenção de muitas pessoas como o pastor Jael Eneas, diretor de Desenvolvimento Espiritual e pastor do Unasp, campus Hortolândia, interior de São Paulo, que deu seu depoimento no site Criacionismo:

"'O projeto Reavivados por Sua Palavra nos desafia não somente a ler, mas a estudar o texto bíblico, remoer o tema em oração, e, depois, postar uma síntese em 140 caracteres na rede social do Twitter. A experiência é agregadora. Primeiro, porque ao ler um trecho mais curto, você é levado a refletir sobre o tema. Dessa forma, detalhes se realçam e contextos se interconectam. A segunda parte é complemento da primeira, porque, ao escrever uma síntese, o tema é fixado na mente. Antes de compartilhar o texto, busco na oração uma ideia, um formato, uma abordagem, uma bênção”.

"As palavras do pastor Eneas são uma amostra do sentimento dos participantes desse culto virtual, a quantidade de membros no Twitter é tão grande que a hashtag usada já chegou a entrar para a lista das palavras mais discutidas no microblog por diversas vezes.

"Até o momento o livro de Gênesis já foi completamente estudado e tuitado e agora o plano de estudo segue para o livro de Êxodo. Quem quiser conhecer mais sobre esse projeto pode acessar o site www.reavivamentoereforma.com."  (Gospel Prime)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ensinando com Sucesso: Vídeos para auxiliar o Profesor da Escola Sabatina - Lição 12

Vídeos com técnicas de ensino para o professor da Escola Sabatina. Assista, pratique e faça de sua unidade de ação um grupo pequeno de Sucesso.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Resumo da lição número 12 da Escola Sabatina

 
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Avaliando o Testemunho e o Evangelismo 

Texto-chave:

“Como brinco de ouro e enfeite de ouro fino é a repreensão dada com sabedoria a quem se dispõe a ouvir” (Pv 25:12, NVI). 

Objetivos: 

1. Destacar a necessidade de se avaliar os resultados congregacionais.

2. Entender como a avaliação auxilia no crescimento espiritual do cristão.

3. Proporcionar a reflexão sobre como a igreja local tem usado a avaliação como ferramenta útil na projeção de crescimento.

Verdade Central 

A avaliação permite reconhecer o nível de desenvolvimento espiritual e missional de um cristão ou de uma congregação.

Domingo: Por que avaliar?

O que aconteceria se a igreja não avaliasse o perfil de seus líderes ou até mesmo seus propósitos missionários?

-Deus espera que as orientações bíblicas sirvam como referencial de avaliação para a igreja, seja nos critérios pessoais ou congregacionais.

-Uma igreja que não considera sua missão à luz da expectativa divina corre um sério risco de perder sua relevância espiritual.

Segunda-feira: Avaliando de maneira cordial

Qual é o impacto que uma avaliação desequilibrada pode provocar num grupo de voluntários?

-As avaliações devem reconhecer os aspectos positivos e negativos.

-Quando se avalia algo, é necessário observar dois elementos de maneira equilibrada: os processos envolvidos e os resultados obtidos.

-Qualquer avaliação deve promover o crescimento em amor e boas obras.

Terça-feira: O que o Senhor pede

As pessoas podem avaliar nossa espiritualidade a partir do nosso comportamento?

-Deus espera que nosso amor por Ele se expresse através de uma vida de fidelidade e obediência aos seus mandamentos.

-No processo de evangelismo e testemunho, devemos salientar, em primeiro lugar, a importância de um relacionamento vivo e dinâmico com Deus.

-Os novos discípulos de Cristo devem entender que o comportamento é transformado, quando se ama verdadeiramente ao Senhor.

Quarta-feira: Avaliando para o crescimento espiritual

Qual é o propósito de nossa igreja em estabelecer o quadro dos Pilares da Esperança? Como isto se relaciona com o crescimento espiritual?

-Oração, intercessão, estudo da Bíblia e testemunho são disciplinas espirituais que demonstram nosso compromisso com o Senhor.

-Um cristão envolvido com as disciplinas espirituais básicas tende a crescer continuamente na graça e no conhecimento de Jesus Cristo, frutificando em amor e boas obras.

Quinta-feira: Avaliando para o crescimento da igreja 

Considerando os últimos três anos desta congregação, pode-se dizer que ela está crescendo? Se não, o que podemos fazer para fazê-la crescer?

-Uma igreja que cresce compreende bem sua missão e sua doutrina.

-Uma igreja que cresce conquista continuamente novos discípulos para o reino de Cristo.

-Uma igreja que cresce colabora com o estabelecimento de novas congregações.

Conclusão

1. A Bíblia apresenta referenciais para uma avaliação pessoal e congregacional.

2. Avaliar de maneira equilibrada promove a reflexão e o estímulo para o crescimento em amor e boas obras.

3. Ao avaliar o crescimento de uma congregação deve-se considerar: (a) crescimento espiritual (disciplinas espirituais); (b) crescimento numérico (número de novos discípulos) e; (c) crescimento geográfico (novas congregações estabelecidas).

Pr. Wellington Barbosa – Associação Sul Paranaense

Namoro sem beijo e nem sexo

Eles não beijam na boca durante o namoro e defendem o sexo somente após o casamento. O objetivo: conhecer o verdadeiro amor. Este é o estilo de relacionamento que muitos jovens evangélicos têm adotado como princípio para uma vida “emocionalmente saudável”. É o que o universitário Rafael Almeida, de 22 anos, e Heloísa Lugato, de 24 anos, formada em direito, garantem estar vivenciando há mais de um ano.

O casal conta que os dois são adeptos da pureza sexual até o casamento e durante este período de relacionamento não tiveram relação sexual. “Preferi me preservar. Nós abdicamos do contato físico, do toque, para focar nosso relacionamento na amizade e em conhecer um ao outro”, comenta Rafael. Ele destaca também que a escolha ajuda ainda em ter uma vida emocional equilibrada.

Para Heloísa, a união do casal está respaldada na santidade e em princípios que estão descritos na bíblia. Ela argumenta que o contato físico pode contribuir para que o namoro saia do foco e, por conta disso, o máximo que fazem é pegar na mão e abraçar. “Sabemos que o beijo não é pecado, até porque a Bíblia não se refere a isso. Porém, o sexo é, por isso evitamos. Mas não se trata de uma regra. Somos livres para optar e escolher”, pontua.

A jovem disse que já teve outros relacionamentos fora da igreja e que as experiências só reforçam o estilo adotado no namoro atual. “Somos guardados do prejuízo que é ter um coração machucado e ferido”.

O casal já marcou a data do casamento para o mês de março de 2013. E para chegar até lá, Rafael e Heloísa contam que o namoro dos moldes atuais foi trocado para a modalidade “corte”, no sentido de resgatar valores que se perderam. Mas, para Rafael, isso não é uma tarefa fácil. Ele ressalta que o preconceito da sociedade é grande e que a castidade ainda é um assunto polêmico. Cursando engenharia civil, o universitário disse que já foi até chamado de louco por colegas. “A postura vai contra as regras ditadas pela sociedade. É difícil para muitos aceitarem que alguém em pleno século 21 pense assim. No entanto, quando se tem convicção, seguimos em frente”, avalia.

Ou então, segundo Heitor, chegam ao casamento e não conseguem sustentá-lo por falta de amadurecimento. Além disso, percebem que se casaram com a pessoa errada. “Por isso a corte é diferente do namoro, pois preserva o conhecimento entre o casal. Não é respaldado em beijo ou sexo. Voltamos ao tempo em que nossos pais e avós namoravam na sala com a presença da família toda”, reforça.

O molde de relacionamento tem ganhado cada vez mais adeptos nas igrejas evangélicas do país. O movimento “Eu Escolhi Esperar”, por exemplo, que prega a virgindade até o matrimônio tem sido disseminado cada vez mais nas redes sociais e já ganhou milhares de seguidores no Facebook e Twitter.

A adesão à corte, conforme o pastor Heitor Henrique, é feito por casais, preferencialmente a partir de18 anos e que têm o objetivo de casamento. “É muito maior que um movimento de pró-sexualidade. É o resgate das veredas antigas”, observa.

A doutora em psicologia comunitária Maria Auxiliadora de Oliveira avalia que a sociedade contemporânea deturpou o sexo ao explorar a sensualidade. Segundo ela, está cada vez mais intenso o desenvolvimento precoce da sexualidade, o que tem aumentado os casos de gravidez na adolescência.

“A questão afetiva e familiar hoje está banalizada. São muitos jovens e adolescentes começando uma vida sentimental sem estrutura. Sabemos que cada coisa tem o seu tempo e priorizar isso ajuda a minimizar os problemas que afetam a juventude”, frisou Maria Auxiliadora.

Os frutos de um relacionamento preservado na pureza sexual são o que o casal Sandro Cruz, de 28 anos, e Maria Aparecida de Assis da Cruz, de 29, garantem estar colhendo. Com apenas três de meses de namoro, eles se casaram e optaram pela castidade até subir ao altar.

Para Sandro foi a melhor opção que fez, após ter namoros fora dos padrões da igreja que geraram problemas sentimentais. “Começamos a nos conhecer e o sentimento foi aumentando. Percebi que já poderia me casar e fiz tudo dentro do que acreditei estar correto. Hoje percebo que valeu à pena porque tenho um casamento recheado de respeito, confiança e carinho”, revela.

Maria Aparecida, que tem uma filha de sete anos, disse que não teve dúvidas em se preservar. Ela disse que foi difícil a caminhada, mas a vontade de encontrar o verdadeiro amor falou mais alto. “A questão é dar valor às coisas que se perdem no decorrer da relação. Nossa prioridade foi a amizade e a base do evangelho. Hoje vejo o quanto essa escolha fez a diferença em minha vida”.

(G1 Mato Grosso)

Nota: Vale a pena seguir o que diz a Bíblia, porque "O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros." Hebreus 13:4 - Fávero

Tropa de Elite

“Vós sois a luz do mundo: não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.” Mateus 5:14 e 15

Cada vez maior tem sido o interesse das pessoas pelas estratégias de guerra. Filmes, seriados, documentários históricos e até jogos de mesa focalizam planos e estratégias para se conquistar objetivos. É interessante observar que em quase todas essas estratégias, existe uma tropa de elite, que se caracteriza por ser um grupo mais forte, inteligente, capacitado ou que recebeu um treinamento diferenciado. A missão da tropa de elite é diferente da dos demais. Dela espera-se algo fora do comum por serem especiais.

E o que dizer do exército de Cristo? Teria Deus uma tropa de elite? Se sim, qual é a missão e o que se esperadela? Veja essa citação de Ellen White: “Para que a obra possa avançar em todos os ramos, Deus pede vigor, zelo e coragem próprios dos jovens. Ele escolheu a juventude para ajudar no progresso de Sua causa. Planejar com clareza de espírito e executar com mãos valorosas, exige energias novas e sãs. Os jovens, homens e mulheres, são convidados a consagrar a Deus a força de sua juventude, a fim de que, pelo exercício de suas faculdades, mediante vivacidade de pensamento e vigor de ação, possam glorificá-Lo, e levar salvação a seus semelhantes.” Obreiros Evangélicos, p. 67.

Se não houver envolvimento dos jovens não haverá igreja no futuro e nem futuro para os jovens. Os grandes transformadores e realizadores de nossa história podem ter alcançado o auge na fase adulta, mas foi na juventude que se plantou em seus corações o que se tornaria realidade mais adiante. Exemplos como Albert Einstein, que fez sua maior descoberta, a teoria da relatividade quando era um jovem de 23 anos de idade. Bill Gates largou a faculdade e desenvolveu o sistema Windows. Mas nenhum deles tem uma missão mais importante que a nossa: a salvação de todo o universo! É como se eles tivessem dado suas vidas por um grão de areia da praia enquanto nós temos uma praia inteira com ondas e mar. E a nossa responsabilidade é uma: brilhar! “Vós sois a luz do mundo: não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.” Mateus 5:14 e 15.

Mas será que você tem gasto a vida na internet, jogos, aventuras amorosas, ou sido fiel à missão? Se a tropa de elite falhar, o que será dos demais? Há alguns anos, uma banda de jovens fazia muito sucesso: Mamonas Assassinas. Claro que suas músicas eram amorais. Mas queria refletir seus últimos instantes de suas vidas, eles haviam alcançado tudo: dinheiro, fama, sucesso, garotas... até um avião particular. Mas depois de uma sequência exaustiva de shows, eles só queriam uma coisa: voltar pra casa. E naquela noite, tudo se perdeu na escuridão. E se tivesse uma luz? Quem sabe a história seria diferente?

Nossa sociedade pode ser comparada a um grande boing lotado de pessoas que, mesmo com suas viagens, estudos e trabalho, só querem uma coisa: voltar para casa, assim como os Mamonas Assassinas. Mas sobrevoam a escuridão, e a sua missão jovem é uma: Brilhar! Deus precisa dessa tropa de elite antes que tudo se perca! Para isso, é preciso que essa tropa esteja conectada à Fonte de luz. Querido jovem, Deus o chama hoje a despertar, não deixe as distrações do inimigo tirarem o foco da sua missão.

Pr. Danilo Lopes de Menezes 
Missão Sul Maranhense – UNB

domingo, 17 de junho de 2012

Desafios da Missão

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” João 8:32.

 Enquanto fazia alguns cursos em Brasília, sobre prevenção ao uso de drogas, ouvi a história de uma jovem cristã, de boa formação e caráter. Ela foi a uma festa de aniversário com uma amiga e ali conheceu um jovem que lhe ofereceu um copo com refrigerante.

Só que nesse copo de refrigerante havia uma substância tóxica conhecida por alguns como “droga do estupro” ou “boa noite Cinderela”, que dopou a jovem sem ter consciência de mais nada. Ao amanhecer, ela se vê só em uma cama de motel. Tenta entender o que houve e liga para seu pai, para buscá-la e pagar a conta.

Parece que já entendemos que a igreja não possui uma redoma de vidro, onde podemos dizer que nada poderá nos atingir. Nada sabemos sobre o dia de amanhã, mas o fato é que precisamos entender que acontecimentos como esse devem servir para nos apegarmos mais à fé e aos princípios, bem como ter todo o cuidado com os “lobos em pele de cordeiro.”

Um dos grandes desafios de nossa missão é fazer a juventude entender e enxergar os perigos da vida. Se olharmos em nossa volta, infelizmente veremos nas pessoas o desejo ardente por liberdade, tornando-se às vezes uma procura louca e sem sentido.

Parece que as coisas fora do mundo religioso, ético e moral, tornaram-se muito mais atrativas e até irresistíveis, sem preconceitos, sem limites, em fim, totalmente livres. É necessário mostrar que, se tem algo que a religião não faz é tirar a liberdade das pessoas, torná-las sem personalidade, ou subjugá-las. Ao contrário do que muitos pensam, a religião torna as pessoas livres. “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará"João 8:32.

 Acredita-se que a religião estabelece os fundamentos ou pilares morais: Caráter, família e casamento. E cabe a pastores e líderes de igrejas aceitarem esse desafio e cumprir a missão.

Realmente temos muita liberdade, somos livres para escolher, para optar, para decidir e este bendito dom, tem sido uma maldição para muitas pessoas.

Temos em nossas mãos uma extraordinária missão! Ellen G. White nos dá o perfil daqueles que cumprirão a missão dada ao povo de Deus, ela diz: “Os homens que Deus deseja ligar a Sua causa não são frouxos e sem fibra, sem músculos ou força moral de caráter. (...) Não devem esses homens desanimar se as circunstâncias e o ambiente forem os mais desfavoráveis. Não devem desistir de seu propósito como sendo completo fracasso, antes de se convencer, além de qualquer dúvida, de que não podem fazer muito para honra de Deus e benefício das almas”. (3T, 496 e MCP, 265)

Pr. Paulo Ramos 
Associação Sul do Pará - UNB

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Ensinando com Sucesso: Vídeos para auxiliar o professor da Escola Sabatina

Vídeos para auxiliar o Professor da Escola Sabatina:

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Eleitos para a Missão

Mas vós sois a geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” Pedro 2:9

Neste texto encontramos quatro razões pelas quais devemos nos envolver e comprometermo-nos com a missão de Cristo. A primeira é a eleição. As pessoas prestam vestibular, apresentam currículo, se candidatam, outras até mesmo se corrompem objetivando com isso serem eleitas ou aprovadas. A verdade é que é bom ser escolhido.

O ser humano tem certos critérios para eleição. A mesma decorre de algum mérito, capacidade ou mesmo formação da pessoa escolhida. Há, contudo exceções. Ao contrário da condição humana, Deus nos elegeu apesar de não termos mérito algum. Como diz Ellen White: “Vosso único mérito é a vossa grande necessidade” (CSS, p. 590). Não possuímos nada que nos recomende ao favor de Divino.

A segunda razão encontrada no texto é sacerdócio real. No Antigo Testamento o povo de Deus possuía um sacerdócio, cujo sacerdote era um tipo de Cristo. Na Nova dispensação é concedido a cada crente o privilégio de identificar-se com o sacerdócio de Cristo. Esta identificação ocorre no sentido de que cada crente em Cristo pode “achegar junto ao trono da graça” e apresentar-se diante do Monarca do Universo. A terceira razão para a missão que encontramos neste texto é nação santa. Uma perfeita identificação com Cristo levar-nos-á a santidade. Por fim, a quarta e última razão: povo adquirido. O preço desta aquisição custou à vida do Salvador. Como diz o apóstolo: “resgatados...pelo precioso sangue”.

Estimado a esse ponto não resta ao pecador alternativa se não: “Proclamar as virtudes daquele que o chamou das trevas para Sua Maravilhosa”. O privilégio da eleição deve nos levar ao cumprimento da missão. Ninguém é eleito para nada fazer. Não existe eleição para a indolência. A ociosidade não corresponde ao preço do resgate.

 A identificação com o sacerdócio de Cristo deve nos levar à santidade, mas deve também nos levar a anunciar o reino de Deus como Jesus o fez. Do contrário a identificação não corresponde ao antítipo. Uma correta compreensão desses privilégios certamente nos levará ao cumprimento da missão. Se com tais privilégios não nos comprometermos nada mais nos fará comprometer. Que a compreensão desses privilégios nos leve a sermos fiéis à alta vocação de nossa profissão, bem como de nossa eleição em Cristo. Que nos leve a cumprirmos a missão.

Pr. Eder Alves 
Missão Oeste do Pará - UNB

domingo, 10 de junho de 2012

Resumo da lição número 11 da Escola Sabatina


CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT


Título: Levando informação à igreja 


Texto-chave 


“Voltaram os apóstolos à presença de Jesus e lhe relataram tudo quanto haviam feito e ensinado”. Marcos 6:30 


Objetivos 


1. Levar as pessoas a conhecer os benefícios da apresentação de relatórios sobre o resultado do testemunho e evangelismo no corpo da igreja.  


2. Sentir o entusiasmo e o ânimo que a alegria na obra de Deus desperta no coração. 


3. Saber que relatórios honestos ajudam a igreja avaliar e planejar o trabalho no campo de colheita. 


Verdade Central 


Como um relatório dos esforços missionários da igreja primitiva, o livro de Atos, está cheio de lições para nós. 


Domingo: Um princípio bíblico 


A Igreja primitiva não tinha os recursos que temos atualmente. Qual era o segredo de seu sucesso? 


-Eles defendiam e dependiam de Cristo. Considere que naquele tempo eles não tinham jornais, rádio ou televisão, a palavra falada era a principal forma de espalhar a boa notícia sobre Jesus. No centro de suas vidas estavam Jesus e o estudo das Escrituras. 


-Eles sabiam orar para que a mão de Deus operasse com grande poder. Quando alguém pediu a Charles Spurgeon que explicasse o segredo de seu ministério extraordinário, o grande pregador respondeu: Meu povo ora por mim. 


-Eles sabiam relatar as vitórias e também as ameaças suplicando o poder de Deus para vencer toda e qualquer dificuldade. Eles se reuniam, ouviam os relatos, e então escolhiam uma estratégia que lhes permitisse serem fiéis à vocação evangelística. 


Segunda-feira: O que Deus tem feito 


A vida cristã envolve tanto a liberdade quanto a disciplina. As metas da vida de Paulo eram glorificar a Deus e levar as pessoas a Cristo. Uma das principais tônicas de seu ministério era fazer qualquer coisa para ganhar pessoas para Cristo. Voltando a Jerusalém de uma viagem missionária, Paulo relatou a Tiago e a todos os anciãos a maneira pela qual Deus havia abençoado seu ministério entre os gentios. 


 Terça-feira: A importância de relatar 


 O que torna o cristianismo atraente? 


-É fácil ser levado para igrejas por causas das bonitas programações, dos bons pregadores, do tamanho dos templos e suas belas instalações. Na igreja cristã primitiva, as pessoas eram atraídas pelas expressões do poder de Deus em ação: a generosidade, a sinceridade, a honestidade, a união dos membros e o caráter dos líderes. 


-Podemos perceber esse relato no livro de Atos em atividades relatadas pelos primeiros líderes, de multidões que aceitaram o evangelho e a perseguição forçando os cristãos a saírem de suas casas levando junto com eles as boas novas de salvação. 


-Os primeiros cristãos íam a todos os lugares em que pudessem, pregando sobre Jesus e seu Reino. Os resultados relatados e registrados mostram que foi em Antioquia que o cristianismo alcançou um caráter de missão mundial, onde os cristãos ativamente pregaram para os gentios que não adoravam a Deus. 


-A importância destes relatos nos lembra que, unidos com o Espírito Santo, concluiremos neste tempo uma obra de proporção mundial. 


Quarta-feira: Relatórios e motivação 


 Porque os espias trouxeram um relatório negativo e estavam desanimados, enquanto Josué e Calebe estavam motivados e trouxeram um relatório positivo? 


-Deus havia dito aos israelitas que Canaã era rica e fértil e prometeu que essa rica terra seria deles. Moisés definiu o que era necessário saber antes de Israel entrar na terra prometida e por qual caminho os espias deviam seguir para trazer um relatório preciso com as informações necessárias. 


-Devemos lembrar que ao tomarmos decisões ou assumirmos novas responsabilidades precisamos de fé e também visão dos fatos para o cumprimento dos propósitos de Deus. 


-Josué e Calebe tiveram a visão correta da terra prometida e, como consequência, deram um bom relatório da terra e sugeriram que fossem imediatamente tomar posse. Eles viam os obstáculos para conquistar a terra, mas confiavam nas promessas de Deus. Os outros que estiveram com eles deram um relatório negativo porque ao verem as cidades fortificadas se esqueceram das promessas de Deus. 


-Ao enfrentarmos dificuldades ou situações difíceis, não permitamos que os problemas ofusquem as bênçãos de Deus. Pense nos prós e contras cuidadosamente e não permita que as dificuldades o impeçam de ver o poder de Deus para ajudá-lo, guiá-lo e motivá-lo a cada momento. 


Quinta-feira: Dando glória a Deus 


No capítulo 11 de Atos, Pedro fez um relatório perante a igreja para justificar o batismo de Cornélio. A comunhão com os gentios era uma experiência nova para os cristãos judeus que, durante toda a vida, haviam considerado os gentios como pagãos e forasteiros. 


Em Atos 11 há duas reações, dos cristãos primitivos, que glorificam a Deus: 


-Eles aceitaram os gentios. Assim que Pedro voltou a Jerusalém, foi procurado por membros de um partido extremamente legalista. Assim que ouviram o relato de Pedro perceberam o testemunho do Espírito, pois foi o testemunho do próprio Deus, de que havia salvação para os gentios. 


-Eles encorajaram os gentios. Com cerca de meio milhão de habitantes, Antioquia era a terceira maior cidade do império romano, depois de Roma e Alexandria. Suas construções grandiosas contribuíram para que fosse chamada de Cidade Dourada, Rainha do Oriente. Sua principal rua tinha mais de 7 quilômetros de extensão, era calçada com mármore e única cidade do mundo antigo com iluminação noturna. Era a Nova York do mundo antigo. Lá, onde os deuses da Antiguidade eram adorados, era preciso que Cristo fosse exaltado. 


-Quando os cristãos perseguidos chegaram em Antioquia, não se sentiram nem um pouco intimidados. Todavia por causas dos relatórios sobre as bênçãos e atuação divina de salvar todas as pessoas em todos os lugares, eles tinham a Palavra de Deus em seus lábios e a mão de Deus sobre suas vidas. Muitos pecadores arrependeram-se e creram. Foi uma obra espetacular da graça de Deus. 


 Conclusão 


 1. A igreja Glorifica a Deus ao relatar os resultados do testemunho e esforços evangelísticos. Através dos relatórios percebemos a maneira de Deus atuar. 


 2. Beneficiamos a família da igreja quando não apenas fazemos o que falamos, mas falamos sobre o que fazemos. 


 3. Apresentar relatórios sobre o trabalho que a igreja realiza, enquanto procuramos fazer a vontade de Deus nos campos de colheita, ajuda a incentivar outros a se envolver, planejar o futuro e glorificar o que Deus fez, à medida que temos trabalhado com Ele. 


 4. Relatar é reconhecer as bênçãos de Deus, dependendo sempre do seu auxílio. 


Pr. Sandro Fagundes 
Pastor do Distrito de Monte Belo-Londrina/PR, pertencente à Associação Norte Paranaense

sábado, 9 de junho de 2012

Esperando a volta de Jesus sem excitação

“Então, os que estavam reunidos Lhe perguntaram: Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela Sua exclusiva autoridade.” Atos 1:6 e 7

Os discípulos estavam ansiosos por saber o tempo exato da revelação do reino de Deus, mas Jesus lhes disse que eles não podiam saber os tempos e as estações, pois o Pai não os revelou. Compreender quando o reino de Deus devia ser restaurado não era a coisa mais importante para eles saberem. Eles deviam se encontrar seguindo o Mestre, orando, esperando, vigiando e trabalhando. Deviam ser, perante o mundo, representantes do caráter de Cristo. O que era essencial para uma bem-sucedida experiência cristã nos dias dos discípulos é essencial em nosso tempo. "Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela Sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo." E depois que o Espírito viesse sobre eles, que deviam eles fazer? "E sereis Minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da Terra" (Atos 1:7 e 8).

Esta é a obra em que nós também devemos nos empenhar. Em vez de viver na expectativa de algum tempo especial de excitação, cumpre-nos aproveitar sabiamente as oportunidades presentes, fazendo o que deve ser feito para que almas sejam salvas. Em lugar de exaurir as energias de nossa mente em especulações quanto aos tempos e às estações que o Senhor estabeleceu por Seu próprio poder e reteve dos homens, nós mesmos devemos render-nos ao domínio do Espírito Santo e cumprir os deveres atuais, dar o pão da vida, não adulterado com opiniões humanas, às almas que estão perecendo pela verdade.

Satanás está sempre pronto a encher a mente com teorias e cálculos que desviam homens da verdade presente e os inabilitam para dar a mensagem do terceiro anjo ao mundo. Nossa tarefa se mostra resumida em São Mateus 28: 19, 20: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”.

Pr. Jair Góes
Departamental - UCOB

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Recapitulando com Sucesso - Lição 10 - Uma resposta de amor

Recapitulando Com Sucesso. Subsídios para ajudar o professor da Escola Sabatina:

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Preparando nossos filhos

“Ensinai a vossos filhos, assentado em vossa casa, andando pelo caminho, deitando-vos e levantando-vos.” Deuteronômio 11:19

Fiquei muito triste ao visitar o velório do filho de uma irmã da igreja. Ela se tornou cristã quando já adulta e seu filho morreu sem aceitar a Jesus. Quando eu cheguei ao local ela chorava e perguntava: “Pastor, será que meu filho será salvo?” Eu não sabia o que dizer e então proferi palavras que a confortassem espiritualmente, pois não sabemos o que passou no coração deste jovem nos seus últimos momentos de vida. Ao voltar para casa passei a refletir em nosso papel como pais cristãos.

Será que não estou falhando, será que tenho passado para meus filhos essa imagem de preparação para o porvir? Será que tenho adquirido material para alimentá-los espiritualmente e guiá-los à eternidade? Será que tenho proporcionado momentos espirituais especiais para que eles possam amar as coisas celestiais?

 “Curto é o tempo que dispomos aqui. Não podemos passar por essa vida senão uma vez, tiremos, pois o melhor proveito de nossa vida. A tarefa a que somos chamados não requer riquezas, posição social, nem grandes capacidades, se soubermos aproveitar fielmente as oportunidades de nossos lares, maravilhosas serão suas possibilidades. Se abrirmos o coração e o lar aos divinos princípios da vida poderemos ser condutos que levem correntes de forca vivificante. A primeira obra dos cristãos é serem unidos na família, então a obra se deve estender a seus vizinhos de perto e de longe. A influencia de famílias e igrejas depende das influencias domesticas.” Lar Sem Sombras, p. 19,20

Isso me leva a pensar que preciso preparar melhor meus filhos para viverem a eternidade. Como Noé preciso alertar o mundo, mas se não conseguir salvar ninguém é imprescindível entrar no céu com minha família. “A obra dos pais sábios jamais será apreciada pelo mundo, mas quando se instalar o juízo e se abrirem os livros, sua obra aparecerá como Deus a vê e será recompensada diante dos homens e dos anjos. Ver-se-á que uma criança que foi criada de maneira fiel tem sido uma luz ao mundo. Custou lágrimas, ansiedades e noites sem dormir a vigiar a construção do caráter desta criança, mas a obra foi feita com sabedoria, os pais ouvem o “bem está” do Mestre. Ibidem, p. 213.

Que citação linda! Esse é o meu anseio de pai. Peço todos os dias a Deus sabedoria ao criar meus filhos nos caminhos do Senhor. Esse é o desejo de meu coração, quando Jesus voltar, entregar os meus filhos nos braços do Salvador. E você, tem cumprido o seu papel como mãe e como pai ao instruir seus filhinhos nos caminhos corretos? Que Deus nos ilumine e que possamos fazer o nosso trabalho, dedicar tempo e nos prepararmos melhor para a educação dos nossos pequeninos. Que o nosso lar possa ser um pedacinho do céu que terá continuidade nas mansões celestiais. Amém.

Pr. Evanir Rodrigues dos Santos 
Associação Maranhense - UNB

Uma resposta de amor - vídeo do auxiliar da lição da Escola Sabatina

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Resumo da lição número 10 da Escola Sabatina


 
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Uma resposta de amor 

Texto-chave 

“Se vocês Me amam, obedecerão aos Meus mandamentos”. João 14:15 

Objetivos 

1. Conhecer a motivação certa para se envolver na obra do Senhor. 

2. Mostrar os perigos de trabalhar com as motivações erradas. 

3. Sentir que a evangelização e o testemunho devem ser nossa resposta de amor ao dom da salvação que Deus nos oferece. 

Verdade Central 

Nossa motivação para testemunhar e evangelizar deve ser principalmente a graça de Deus concedida a nós e não um sentimento de culpa, simples obrigação, ou dívida. 

Domingo: Motivado pelo amor 

Que razões temos para amar e obedecer a Deus e trabalhar para Ele? 

-Fazemos as coisas para Deus porque O amamos e porque sabemos que Ele nos ama. 

-Amor e obediência são inseparáveis, desde que ocorram nessa ordem. 

-Se quisermos que as pessoas trabalhem para Jesus, devemos ajudá-las a desenvolver uma conexão amorosa com Ele. 

Segunda-feira: Motivação pela culpa? 

Você já ouviu ou pensou: “Se o Senhor fez tanto para nos salvar, como podemos permanecer inativos no aspecto evangelístico?” Somos motivados pela culpa? 

-A função da lei é revelar nossa condição pecaminosa e guiar-nos a Cristo. 

-Depois que vamos a Cristo, somos motivados a testemunhar aos outros sobre o que Cristo fez por nós. 

-Parece que a motivação sempre se torna prejudicial quando retira a ênfase do que Deus fez e a coloca no que devemos fazer. 

Terça-feira: Motivados para servir 

Como podemos ter certeza que fazemos as coisas para Deus com a motivação certa? Como revelamos nosso amor a Deus? E ao próximo? 

-O amor é o mais poderoso fator de motivação e se revela por meio de nossas ações. 

-Em toda relação amorosa, nossa motivação é agradar a pessoa que é o objeto do nosso amor. 

-Ele deseja que nossa conexão com Ele seja tão intensa que nos motive a fazer o que Lhe agrada e a estar em sintonia com as coisas que são importantes para Ele. 

Quarta-feira: A armadilha do legalismo 

Você também acredita que “não existe almoço grátis”? Muitos tentam ser merecedores da salvação por meio da obediência à vontade de Deus. 

-Uma religião legalista faz com que o indivíduo se concentre no desempenho pessoal (e muitas vezes no desempenho dos outros) e não na comissão evangélica. 

-Atitudes legalistas podem levar ao orgulho e à arrogância aqueles que são tão cegos que realmente se consideram santos o suficiente para ser salvos. Ou podem levar ao desânimo e desespero os que percebem que estão muito longe do padrão divino. 

-O Senhor não quer que nos envolvamos no testemunho e evangelismo porque pensamos que temos uma dívida para com Ele. O Senhor deseja que O amemos tanto que alcancemos as pessoas a quem Ele ama. 

Quinta-feira: Livre para ser escravo 

O que significa ser servo de Cristo? (Fp 1:1; Tg 1:1; 2Pe 1:1) 

-A Bíblia deixa claro que antes éramos escravos do pecado, mas por intermédio de Cristo, deixamos de ser escravos (Rm 6:6), fomos libertados (Gl 5:1), livrados da ira (1Ts 1:10), adotados (Rm 8:15), e regenerados (1Pe 1:23). 

-Servir a Cristo é uma escolha voluntária. Uma vida em resposta amorosa ao que Cristo fez, faz e fará por você. 

-O caminho para a vitória nesta nova vida é se entregar constantemente. 
Conclusão 

Para que sua vida se mantenha sadia e no caminho certo: 

1. Mantenha sua ligação pessoal com Cristo. 
2. Avalie sua motivação. 
3. Mantenha seu entusiasmo. 
4. Mantenha seu foco: “... Em primeiro lugar o reino de Deus...” 

Pr. João Maria Cancélla 
Pastor do distrito de Caxias do Sul/RS, pertencente à Associação Central Sul-Rio-grandense - ACSR.

domingo, 3 de junho de 2012

Deus pode

“Estes são os teus servos, o teu povo. Tu os resgataste com o teu grande poder e com o teu braço forte.” Neemias 1:10

O que o homem faz com o poder que tem na mão? Adolfo Hitler matou de forma cruel milhares de homens; Barack Obama, presidente dos EUA, sem dúvida nenhuma, é o homem que tem mais poder em todo mundo. Ele capturou e eliminou Bin Laden. O império romano por muito tempo tentou exterminar os cristãos e até mesmo a própria igreja romana lançava na fogueira da Inquisição os que por ela era denominados “hereges”. O que detém o poder e é corrupto usa o poder para subjugar, extorquir, explorar, roubar e matar.

Deus também tem poder, na verdade Ele “tem grande poder”. O que você faria se possuísse 1% do poder do Todo-Poderoso? O que Deus faz com tão grande poder?

Para entendermos melhor o significado da expressão “teu grande poder” usada por Neemias, temos que recorrer à grandeza do universo. A energia dissipada em uma bomba atômica é de 100 trilhões de joules (1014 J) não chega perto da energia das explosões solares. O Sol é uma estrela de quinta grandeza. A estrela mais próxima do Sol é a Alfa Centauro, que dista cerca de 4,2 anos-luz. Ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano. Sendo que sua velocidade é de 300.000 Km/s (para ter uma noção dessa velocidade, a luz demora cerca de 1s para ir e voltar da lua). Um ano-luz equivale aproximadamente 9,5 bilhões de quilômetros. Nosso planeta é apenas um dos nove que fazem parte do sistema solar. O conjunto de sistemas forma uma galáxia, do qual a nossa chama-se via-láctea, cujo comprimento é de 130.000 anos-luz. A galáxia mais próxima da nossa chama-se Andrômeda, que dista 20.000.000 anos-luz. Quem criou tudo isso? Qual o tamanho do poder de Deus? Ele é descomunal!

Querido amigo e missionário de Deus, tenha convicção de que o Senhor pode resgatar aqueles que estão abatidos e desanimados.

Faça como Neemias, reconheça a desgraça do pecado, sente-se, chore e ore porque Ele é poderoso. Deus usa Seu poder para salvar e você é Seu instrumento. Ele pode resgatar todo aquele que está sob o domínio do pecado. A boa notícia de hoje é que o poder de Deus continua o mesmo.

Pr. Gleydson Barbosa 
Associação Sul do Pará–UNB

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More