Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

sábado, 31 de março de 2012

O testemunho

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.” Mateus 28:19,20

O testemunho não é algo que fazemos porque é um “programa” da igreja ou porque alguém nos exige, a verdade é que é o resultado de nossa conversão e dedicação a Jesus. Você e eu testemunhamos não porque recebemos salário, mas porque amamos Jesus. Testemunhamos porque estamos apaixonados por Ele. Nossa vida não terá sentido se não a vivermos para os propósitos de Deus. Cumprir Seus propósitos alegra a vida. Nossa vida nada é se não for vivida para Deus. No coração de cada ministro e de cada pessoa deve haver esse pensamento.

Devemos estar ávidos para usar nossos dons para fazer avançar o reino de Deus porque o amor de Cristo nos motiva a tal.

Não apenas nascemos pelo Espírito Santo, mas temos o grande privilégio de servir o Senhor. Nosso coração está tomado pelo desejo de testemunhar. Você lembra quando Pedro e João se depararam com o paralítico junto à porta Formosa, seu desejo foi o de ajudá-lo. O amor por Seu Salvador havia transformado os discípulos. Tudo o que desejavam era ser uma bênção para os demais. Quando o paralítico pediu esmola a Pedro, este lhe disse simplesmente: “em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” Os discípulos, assim como você, não podiam conter o que havia em seu coração.

Hoje quero convidá-lo a desfrutar de ministério servindo com alegria e a permanecer junto a Ele cumprindo Sua missão, cuidando para que seu coração transborde como o de João e Pedro ao cumprir a sua missão, ou seja, dedicar tempo para estar na presença do Senhor.

Pr. Pablo Quispe Q.
Missão Central do Chile- UCh

sexta-feira, 30 de março de 2012

Resumo da lição 13 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: A Promessa de Sua Vinda

Texto-chave

“Eis que venho em breve! A Minha recompensa está comigo, e Eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez” (Ap. 22:12, NVI).

Objetivos

1. A volta de Cristo, apresentada em mais de 2.500 textos das escrituras é um evento próximo e literal.

2. Entender que a mensagem do breve retorno de Cristo é a mensagem central dos Adventistas do Sétimo Dia.

Verdade Central

Há alguns anos enquanto realizava uma semana de oração fui abordado na porta da igreja por uma senhora que pedia visitação. Ao chegar em seu lar no dia seguinte constatei que ela vivia uma crise espiritual cada vez mais comum entre os cristãos; Numa breve retrospectiva de sua vida ela contou-me como sua avó morreu acreditando no retorno de Jesus e de como sua mãe também desgastou-se pregando que Cristo viria em seus dias. Disse-me então: “Desde jovem esperei Jesus, mas o tempo passou e minha mãe morreu e meus filhos cresceram e assim percebi que o tempo passava e eu encontrava-me incrédula a respeito da segunda vinda”.

Apesar das inúmeras promessas registradas na Bíblia, esta é a realidade presente em muitos corações que antes aguardavam a bendita esperança. Muitos por não verem cumprida a maior esperança de todos os tempos, começam a inventar fábulas e criar interpretações paralelas ao ponto de até mesmo afirmar que Cristo já voltou de forma simbólica e invisível.

No final da década de 60, muitos cristãos pregavam que Jesus viria naquela ocasião. O mesmo repetiu-se no fim dos anos 90 e na passagem do último milênio. Este é outro ponto de extremo perigo. Nossa fé deve subsistir independente de tempos e datas. Uma coisa nos é certa, ainda que pareça demorar: Jesus Logo Virá.

Domingo: O Princípio e o Fim

Jesus afirmou por três vezes no livro de Apocalipse (1:8, 21:6, 22:13) ser o Alfa e o Ômega. Ao referir-se a primeira e última letra do alfabeto grego Ele se posiciona como o Senhor da história humana. O Mesmo Cristo que estava na criação está cuidando do grande desfecho final. Há um comandante, uma mão ao leme e uma voz de comando que mesmo inaudível para alguns ainda conduz todas as coisas.

 Comente com sua unidade de ação: Muitos têm dito que a criação do mundo não aconteceu exatamente como está escrito no registro bíblico. Os sete dias literais da criação tem sido atacados por muitos grupos que se dizem cristãos. O mesmo acontece em relação à volta de Jesus quando vozes tem se erguido afirmando que o retorno de Cristo é simbólico e que até mesmo já aconteceu. O que você conclui comparando estes estas duas interpretações do início e do fim?

 Um pregador experiente contava-me a respeito do início de seu ministério quando ele abria as escrituras e falava do tempo do fim baseado em Mateus 24 e todos os sinais ali descritos. “Parte daqueles sinais há alguns anos pareciam distantes e até mesmo improváveis de se cumprirem,” dizia ele, “mas em poucos anos este quadro mudou. Há dez anos,” completou, “eu nem mesmo conhecia a existência da palavra Tsunami”.

Segunda-feira: Promessa e expectativa

Nós somos a geração que vivenciou grandes tragédias como o 11 de Setembro, que estarrecida acompanhou o caso Isabele Nardoni, jogada pela janela pelos próprios pais e Eloá, garota assassinada pelo namorado diante da televisão. Mas somos também a geração Esperança.

O que é Esperança para o mundo?
 Ganhar na Loteria
 Pagar a última das 48 parcelas do liquidificador que comprou nas Casas Bahia.

Nossa mensagem como Adventistas do Sétimo Dia é infinitamente maior que qualquer expectativa humana poderia cumprir. O apóstolo Pedro ficou conhecido como o apóstolo da esperança, por escrever para milhares de cristãos, vítimas da perseguição de seus dias. Ele escrevia de uma cela confinada a pouco mais de um metro quadrado de onde se alimentava de migalhas. Mas sua esperança viva encorajava e trazia vida. Esse é o poder que temos em nossa mensagem final para o mundo.

“Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita a justiça”. II Pedro 3:13

Terça-feira: Nossa Grande Certeza

A ressureição dos mortos, a doutrina da nova terra e do milênio entre outras, depende de um cumprimento literal da volta de Jesus. Apocalipse 1:7 é claro quando afirma que todo olho verá a Jesus. Mateus 24:27 e 25:31 falam de um evento grandioso e universal. O apóstolo Paulo em I Coríntios 15:52-55, em acordo com outros inúmeros textos, fala de trombetas e mortos ressuscitando, ou seja, não é um evento qualquer e não poderia passar despercebido. Na verdade não há espaço na Bíblia para crermos na volta de Jesus de maneira diferente que a literal.

O Plano da redenção teve apenas uma parte de seu cumprimento na cruz. A primeira vinda de Jesus só faz sentido quando toda obra se completa no quadro geral da segunda vinda e da Nova Terra.

Quarta-feira: Onde está a promessa de sua vinda?

Desde o Éden a vinda de Cristo foi esperada. Patriarcas sonharam ao longo de todo Antigo Testamento com a vinda do Messias. Mães esperavam que seus descendentes preenchessem os requisitos da profecia. Olhos eram cerrados antes de vislumbrar a promessa e não poucos corações exclamavam: até quando?
Hoje não é diferente, esperamos a cada curva da história o sinal do Salvador. Por vezes nos perguntamos: até quando?

 Você já foi zombado e escarnecido por crer na volta de Jesus? Que experiência você poderia contar a respeito de um momento em que sua fé foi provada?

“O Senhor não retarda a sua vinda ainda que alguns a julgam demorada, antes tem paciência para convosco, não querendo que ninguém se perca, mas que todos se arrependam.” (II Pedro 3:9)

Se Jesus tivesse voltado há vinte e cinco anos atrás, eu não teria tido a chance de conhecer a verdade. Meu pai tomou a decisão de ser batizado há pouco mais de cinco anos. Ontem ainda pregava para um grupo de 30 pessoas que talvez estivessem perdidas se Jesus tivesse voltado na semana passada. Oportunidade: esta é a palavra que se estende diante de todos os filhos de Deus neste momento solene da história.

Quinta-feira: Eis que venho sem demora

Um dia desses estava de saída para uma cidade onde realizava uma campanha evangelística. Minha filha de seis anos, na ocasião, se despedia como sempre reclamando a minha presença. Disse a ela que em três dias estaria retornando e que contasse com seus dedinhos quanto faltava até a minha chegada. Naquela noite após o sermão estava voltando para o hotel quando recebo de um amigo uma oferta de carona para retornar a minha cidade. Vi naquele convite uma oportunidade de passar a noite em casa e rever minha família pelo menos por mais um pouco. Aceitei o convite e cheguei um pouco depois da meia-noite. Pela manhã, minha filha acordou e foi para nossa cama. Qual foi a surpresa quando ela me viu ali. Colocou as mãos na cintura e fazendo gesto de quem estava confusa perguntou: “Pai, eu dormi por três dias?”

Assim será no retorno de Cristo. Num abrir e fechar de olhos, os que estavam dormindo no pó da terra ressurgirão incorruptíveis e os vivos serão transformados.

Só mais um pouquinho...

Pr. Alex Escher
Departamental de Escola Sabatina na MOSR

quarta-feira, 28 de março de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 13

Assista ao vídeo "Recapitulando com Sucesso". Este é um recurso para ajudar os professores da Escola Sabatina a aprimorar o estudo da lição.

terça-feira, 27 de março de 2012

Bebidas açucaradas aumentam risco de doença cardíaca

"Os homens que consomem diariamente bebidas açucaradas têm um risco 20% maior de sofrer doenças cardíacas do que os que não ingerem essas bebidas, revela um estudo divulgado nesta segunda-feira (12/03/2012) nos Estados Unidos. A pesquisa, dirigida por Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia na Universidade de Harvard, acompanhou mais de 42 mil homens, a maioria deles brancos, durante 22 anos.

"O estudo, publicado na Circulation, revista da Associação Americana do Coração (AHA, na sigla em inglês), encontrou um maior risco cardíaco, como altos níveis de inflamação e lipídeos daninhos conhecidos como triglicerideos, em quem tomava diariamente bebidas doces. Esses efeitos não foram observados em quem bebia até duas bebidas açucaradas por semana.

"Segundo Hu, a pesquisa "proporciona uma justificativa sólida para reduzir o consumo de bebidas açucaradas entre os pacientes e, mais importante, na população geral". As doenças cardíacas são a principal causa de morte nos Estados Unidos e entre os principais fatores de risco estão a obesidade, o tabagismo, a falta de exercícios, a diabetes e os maus hábitos alimentares." (Terra)

Nota: A alimentação natural contribui para uma vida mais saudável. "O livre uso de açúcar em qualquer forma tende a obstruir o organismo, e não raro é causa de doença." Ellen White, Conselhos Sobre Regime Alimentar, 196. Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 26 de março de 2012

Os que anunciam a paz

“Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas [...]” Isaías 52:7

O artista espanhol Pablo Picasso pintou, em 1937, o óleo “Guernica” em resposta ao bombardeio alemão sobre a cidade basca do mesmo nome. Ele levou dois meses para concluí-la e foi denominada por muitos como a “pintura do século”. As cenas apresentadas nessa obra refletem a mais crua violência e destruição de que é capaz o ser humano. Por outro lado, Sigmund Freud, depois de presenciar a I Guerra Mundial, desenvolveu seu conceito de “Impulsos Tanáticos” se referindo aos impulsos psíquicos do ser humano que se opõem à vida. Esses impulsos se manifestam de duas maneiras: 1. Autodestruição: para o interior do ser; 2. Violência: para o exterior.

Já conhecemos bem a dura realidade que nos cerca. Todos os dias vemos pessoas que, devido a vícios, a condutas irresponsáveis ou à falta de esperança e paz, se encaminham para a autodestruição. Por outro lado, as diferentes formas de abuso e violência, as desordens, o terrorismo, a guerra, etc. completam o escuro quadro das tendências destrutivas dos habitantes deste mundo de pecado. Sabemos, pela Palavra de Deus, que esses terríveis males seguirão seu avanço devastador por esse planeta, arrastando cada vez mais pessoas à destruição eterna, mas nem tudo está perdido, há esperança para os que estão sob essa terrível condição. A alegre notícia é que Deus traçou e está executando um plano de resgate em favor daqueles que estão sob violência e condenação do pecado.

Você e eu fazemos parte desse plano, somos “os que anunciam a paz”. O Deus que nos resgatou e ao qual hoje servimos nos chamou para que a anunciemos neste mundo violento. Devemos levar as boas novas do evangelho aos que nos rodeiam para que se reconciliem com o Senhor, encontrem a paz interior e cheguem a ser pacificadores junto conosco.

Durante todos os dias, você encontrará pessoas que necessitam receber a maravilhosa paz que somente Deus sabe dar. Mesmo entre os membros de sua própria igreja restam alguns que não têm recebido tudo.

Convido-o a experimentar essa paz em sua própria vida e a anunciá-la a outros como se fosse o último dia em que esteja vivendo na terra.

Pr. Josué Espinoza H.
Missão Sul Austral do Chile- UCh

Gordura trans pode estar associada a comportamento agressivo e impaciência

"Muito além da obesidade e dos riscos de problemas cardiovasculares, um novo estudo da Faculdade de Medicina de San Diego da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, associou o consumo de gordura trans com maior impaciência e comportamento agressivo. Segundo a pesquisa, publicada na edição deste mês no periódico PLoS ONE, essas reações adversas podem ser apresentadas tanto por homens quanto por mulheres e de todas as idades.

"Essa é a primeira vez em que um levantamento relaciona o consumo de gordura trans com alterações no comportamento de um indivíduo. Essa gordura é produzida industrialmente a partir da hidrogenação, um processo químico, e pode ser encontrada em alimentos como bolachas, pipoca de micro-ondas, chocolate, sorvete, pastel e tudo o que utiliza margarina nas receitas.

"A pesquisa — Os autores do estudo avaliaram 945 adultos com base em informações como hábitos alimentares, comportamento, histórico e autoavaliação de agressão, impaciência ou irritabilidade, entre outras características comportamentais.

"Os resultados indicaram que as pessoas que mais consumiam gordura trans tinham uma forte tendência a apresentar comportamento agressivo e impaciência no futuro em comparação com aquelas que não ingeriam tanta gordura no seu dia-a-dia. Elas também tinham históricos com mais casos de comportamentos como esses. Essa associação não se alterou com sexo, idade e etnia dos participantes.

"'Se esses dados se mostrarem verdadeiros, há mais lógica ainda para que as pessoas diminuam a quantidade de gordura trans que comem todos os dias. Essa redução é essencial principalmente na alimentação das escolas e dos presídios, já que esse alimento se mostrou prejudicial tanto para quem o consome quanto para as pessoas que estão ao seu redor', afirma Beatrice Golomb, uma das autoras do estudo.

"GORDURA TRANS: É uma gordura obtida a partir de um processo químico chamado hidrogenação. Por vir de óleos vegetais, era considerada uma opção saudável na alimentação, mas estudos que começaram a ser feitos a partir dos anos 80 mostraram que a gordura é extremamente prejudicial à saúde das pessoas. Ela aumenta o LDL (colesterol ruim) e diminui o HDL (colesterol bom) e, por isso, pode acarretar diversas doenças. Está presente em frituras, em todos os alimentos que levam margarina na preparação, além de fast food, bolachas e pipocas de microondas. Carne e leite possuem quantidades mínimas de gordura trans. Acredita-se que o organismo não sintetiza essa gordura, então ela se acumula no corpo. Não há uma recomendação mínima essencial dessa gordura. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a gordura trans não passe de 1% das calorias totais consumidas em um dia por uma pessoa." (Veja)

Nota: A melhor alimentação é a que Deus providenciou para o ser humano. "Cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético escolhido por nosso Criador. Esses alimentos, preparados da maneira mais simples e natural possível, são os mais saudáveis e nutritivos. Proporcionam uma força, uma resistência e vigor intelectual que não são promovidos por uma alimentação mais complexa e estimulante." Ellen White, A Ciência do Bom Viver, 296. Pense nisto! Pr. Evandro Fávero

domingo, 25 de março de 2012

Uma mulher em busca de Deus

Conheça a emocionante história de Sheyla Guimarães. Durante anos, esta mulher esteve em busca de Deus. A Grande Esperança chegou a sua casa. Assista ao vídeo:

sexta-feira, 23 de março de 2012

Meu filho vem - Arautos do Rei

Neste sábado (24/03/2012) milhões de livros "A Grande Esperança" serão distribuidos em toda América do Sul. Assista ao clip dos Arautos do Rei:

Resumo da lição 12 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Histórias de amor

Texto-chave

“Há muito que o Senhor me apareceu, dizendo: Com amor eterno te amei; também com amável benignidade te atraí” (Jr 31:3, RC).

Objetivos

1. Conhecer exemplos de amor romântico e intimidade retratados nas histórias bíblicas como símbolos do relacionamento que Deus espera ter conosco.

2. Sentir a proximidade e intimidade que Deus deseja que tenhamos no casamento e em nosso relacionamento com Ele.

3. Promover o desenvolvimento do romance e intimidade nos contextos apropriados.

Verdade Central

Desde o primeiro casamento no Jardim do Éden até o casamento do Cordeiro no Apocalipse e as muitas histórias entre esses dois momentos, as Escrituras revelam a santidade e a beleza do romance, amor e intimidade nos relacionamentos saudáveis.

Domingo: O primeiro romance

Em Gênesis 2:24 está escrito: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” Sobre que pais a Bíblia está falando aqui, porque não havia nenhum nesse tempo? O que Ele quis dizer com a expressão “Uma só carne”?

1. Moisés escreveu esse relato muitos séculos depois que o evento aconteceu, e usou a história da criação deles para explicar com mais detalhes o que o casamento significava;

2. Eles estavam ligados um ao outro;

3. Uma indicação ao casamento;

4. Deus não é contra o romance. Ao contrário, Ele nos criou como seres capazes de experimentar isso.

Segunda-feira: Romances bíblicos

Cite três histórias bíblicas que comprovam que Deus valoriza o amor romântico e o casamento entre um homem e uma mulher.

Às vezes os seres humanos se desviam do plano de Deus para os relacionamentos. Mas a boa notícia é que Deus não apenas perdoa, mas cura. Quaisquer que tenham sido os erros cometidos nos relacionamentos românticos, como podemos aprender a buscar o perdão e a cura que vêm da cruz?

1. Os laços de amor entre Abraão e Sara, Isaque e Rebeca;

2. No amor entre Jacó e Raquel, a Bíblia pinta o quadro da resposta impulsiva e apaixonada de Jacó para Raquel. Além do Cântico dos Cânticos, certamente não há outro exemplo nas Escrituras de um homem e uma mulher se beijando antes do casamento;

3. A Bíblia abrange uma grande extensão da história. No entanto, ela dedica tempo para retratar alguns romances.

Terça-feira: O amor de Deus

Nada deve ser mais íntimo do que o relacionamento entre marido e esposa, exceto a relação individual de uma pessoa com Deus. Deus nos ama e, como qualquer amante, Ele sofre por causa da nossa infidelidade. De que forma podemos ser infiéis para com Deus? Cite algumas maneiras.

1. Não guardando os mandamentos (João 14:15);

2. Sendo infiéis nos dízimos e ofertas (Malaquias 3:10);

3. Adorando outros deuses (dinheiro, trabalho, hobbies, etc.) e não buscando a Deus em primeiro lugar (Mateus 6:33);

4. Ao mesmo tempo, porém, Deus não apenas declarou Seu amor por nós, Ele o demonstrou de muitas maneiras poderosas. A maior delas, é claro, foi a cruz e o que nela aconteceu.

Quarta-feira: Um livro de romance

Deus aprova o prazer? Segundo a Bíblia, quando pode ocorrer a intimidade saudável? Que abusos da intimidade são possíveis, e como podemos evitar esses problemas? Cite textos Bíblicos. Por que é importante compreender o amor como princípio e não apenas como sentimento?

1. Embora a questão do sofrimento humano se relacione com todos os aspectos da vida, também não devemos esquecer os prazeres da vida;

2. Deus aprova o prazer sexual no contexto do casamento (Hebreus 13:4, Gênesis 2:24, Mateus 19:5,6, Malaquias 2:14-16, Marcos 10:7-9, Êxodo 20:14)

Quinta-feira: Jesus e o romance

Qual foi a atitude de Jesus para com o casamento e o amor romântico? O que significa o fato de que Ele abençoou aquela cerimônia de casamento judaico, tão agitado e prolongado naquela época? (Jo 2:1-11) Como um relacionamento mais íntimo com Jesus pode enriquecer nossos relacionamentos pessoais?

1. Jesus saiu do deserto onde havia tomado o cálice da angústia. Dali Ele saiu para dar à família humana o cálice da bênção e para consagrar os relacionamentos afetivos da vida humana.

2. A falta de vinho foi mais do que um pequeno desapontamento. Foi uma catástrofe. E a mãe de Jesus foi falar com Ele, descrevendo a situação de emergência.

3. Jesus ofereceu 2.160 porções do melhor vinho. Quando está no casamento, Jesus oferece coisas melhores do que tudo que as pessoas já viram.

Conclusão

1. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, o casamento é utilizado para representar a união amorosa e sagrada entre Cristo e Seu povo.

2. Que práticas da sociedade e cultura atuais podem conduzir ao abuso dos prazeres?

3. O que você pode fazer para instruir os outros, especialmente os jovens, sobre os perigos de abusar desses dons? Ser fiel aos princípios e leis de Deus nos coloca em melhor situação para desfrutar a vida, em comparação com os que seguem os costumes e práticas contrários aos princípios da Palavra de Deus?

4. Nas leis civis que Deus deu a Israel, há outro lembrete da natureza romântica de Deus. Que tipo de lua de mel Deus sugere para um casal recém-casado? (Dt. 24:5). Como podemos compensar as limitações de tempo impostas pela sociedade atual?

- Peça que a classe sugira formas de fortalecer os relacionamentos pessoais dentro da igreja: com os Pequenos Grupos, em encontros de casais, programas sociais, etc.

- O homem e a mulher foram dados um ao outro para que se cuidassem e completassem mutuamente;

- Fomos criados para amar, chamados para ser amorosos e escolhidos como amados.

Pr. Evandro Fávero
Departamental de Escola Sabatina da USB

quinta-feira, 22 de março de 2012

Porque as crianças são egoístas?

"Nem tudo está perdido. Se seu pequeno anjo gritar: “É meu!” ou se recusar a compartilhar algo, isso não significa que você vai ter que se contentar com uma criança mimada pro resto da vida.

"Segundo um novo estudo, a culpa de crianças pequenas se comportarem egoisticamente pode ser de uma região de seus cérebros que está ainda imatura.

"Os pesquisadores estudaram o comportamento e imagens de scanner do cérebro de crianças enquanto elas jogavam jogos que envolviam compartilhar uma recompensa com outra criança.

"Eles descobriram que, embora crianças mais jovens entendessem que a partilha beneficiava a outra criança, elas eram incapazes de resistir à tentação de tomar a decisão “egoísta” e manter grande parte da recompensa para si.

"A análise dos cérebros revelou uma região que amadurece junto com a capacidade das crianças maiores de tomar decisões menos egoístas.

"Especialistas acreditam que, conforme as crianças crescem, tornam-se menos egoísta e cada vez mais se concentram em como o seu comportamento pode afetar ou beneficiar os outros. Mas ainda não está claro por que e como esta mudança acontece.

"Os resultados ajudarão os pesquisadores a entender melhor como o comportamento social se desenvolve.

"O estudo

"No estudo, 146 crianças participaram de dois jogos, jogados em duplas. No “jogo do ditador”, uma criança oferecia-se para compartilhar uma recompensa, e outra criança só poderia aceitar o que foi oferecido.

"No “jogo do ultimato”, uma criança poderia propor compartilhar a recompensa, mas a outra criança poderia aceitar ou rejeitar a oferta. Se a criança rejeitasse a oferta, nenhuma criança receberia recompensa.

"Os resultados mostraram que crianças mais velhas eram melhores em partilhar e negociar com os outros. Os pesquisadores disseram que essas habilidades foram aumentando conforme as crianças melhoravam o controle sobre seus impulsos.

"Apenas as crianças que fizeram ofertas para compartilhar durante os dois jogos foram selecionadas para uma análise do cérebro. Para testar se as mesmas regiões cerebrais envolvidas no comportamento das crianças continuavam a desempenhar um papel na vida adulta, os pesquisadores analisaram 14 adultos que também participaram em ambos os jogos.

"Ao comparar as crianças e adultos, as imagens do cérebro mostraram que uma região chamada córtex pré-frontal dorsolateral, localizado no lado esquerdo do cérebro, era mais desenvolvida em adultos. A área possivelmente tem relação com o controle de impulso.

"Os pesquisadores também notaram que as crianças mais jovens estavam mais dispostas a aceitar ofertas injustas do que as crianças mais velhas.

"Os resultados sugerem que o comportamento egoísta em crianças pode não ser devido à sua incapacidade de saber o que é “justo” e o que é “injusto”, mas sim a uma parte do cérebro imatura que não leva ao comportamento altruísta quando tentada a agir egoisticamente." (HypeScience).

Nota: É claro que o cérebro das crianças ainda está em desenvolvimento em relação ao cérebro de um adulto. Mas quero apresentar outra razão pela qual as crianças são egoístas. Aliás, os adultos também somos egoístas. A razão? Devido a nossa natureza pecaminosa. A Bíblia afirma que "assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram." Romanos 5:12 e que "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?" Jeremias 17:9.

O que diferencia é que as crianças são transparentes, enquanto os adultos escondem o que realmente querem e quem realmente são. Talvez seja por isso que Jesus ensinou que devemos ser como as crianças. "Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus."Mateus 18:3. Elas brigam mas perdoam com facilidade. Elas são egoístas mas podem ser ensinadas a serem altruístas. Pense nisto!

Pr. Evandro Fávero

quarta-feira, 21 de março de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 12

Recapitulando com Sucesso é um recurso para ajudar os professores da Escola Sabatina a aprimorar o estudo da lição. Assista ao vídeo:

Morte Precisosa

“Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.” Salmo 116:15

Com dois outros colegas, fomos ao hospital visitar um pastor jubilado que vivia seus últimos momentos de vida. Quando chegamos no local, ele já havia falecido. Ao entrarmos no quarto onde estava internado, deparei-me com a triste cena de seu corpo sem vida e coberto por um lençol. Pensei como aquele arauto da verdade, que dedicara toda a vida ao serviço do Grande Mestre, já não estava respirando. Seus lábios não mais se moviam para anunciar a bendita esperança que por tanto tempo abraçara. Poucos instantes depois a filha entrou no quarto, visivelmente abalada pela perda de seu querido pai. Depois o filho, também pastor, rompeu em lágrimas diante da separação de seu pai e pastor.

O pastor Daniel Díaz Araya foi um homem amante da leitura, de seu Salvador e uma inspiração para a família e para a Igreja. O pastor Daniel, por mais de 20 anos lutou contra problemas renais e um transplante. Na manhã de 18 de outubro de 2011, seus olhos se fecharam momentaneamente nesta terra.

Por que somos tão afetados pela morte? Por que nunca estamos preparados, especialmente, quando vem a um ente querido?

O salmista menciona: “Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.” Quem são esses santos? De acordo com a palavra hebraica kadosh, santo é alguém que foi separado e que se dispôs a consagrar sua vida ao serviço do Senhor. Não existe obra maior nesta terra do que ser um arauto do Salvador; não existe chamado mais enobrecedor que servir ao Rei dos reis e Senhor dos senhores. Não obstante, ser separado, ou kadosh, não nos isenta de lutas, vicissitudes e de problemas. Talvez, neste instante você esteja passando por um momento difícil em sua vida; problemas com a enfermidade de um filho, medo com respeito às expectativas dos outros sobre seu trabalho, preocupação porque seus filhos deixaram o Senhor; diante de todas essas situações, não se esqueça jamais de que aos olhos do Senhor você é especial, santo, consagrado a Ele. A despeito de suas deficiências, Ele o aceita e está disposto a transformá-lo para que seja uma bênção.

A morte parece muito dura, muito fria, mas não é o fim para os santos do Senhor. Podemos confiar absolutamente em nosso Deus pelo resto de nossa vida, vivendo cada instante confiantes de que se nossos olhos forem cerrados antes da vinda de Cristo, essa morte será preciosa, pois receberemos a vida imortal ao soar da última trombeta.

Pr Mitchel Urbano
Missão Chilena do Pacífico – UCh

segunda-feira, 19 de março de 2012

Crianças preferem perguntar ao Google do que aos pais

"A "geração Google" não se arrisca mais a perguntar aos pais as suas principais dúvidas sobre o mundo. De acordo com estudo realizado pelo centro de pesquisas britânico Birmingham Science, 54% dos jovens entre seis e 15 anos recorrem primeiramente ao Google quando têm qualquer dúvida. Os pais também perdem para os professores - 3% deles apenas pensam em questionar os seus mestres. Além de não serem a "referência" para esclarecerem as dúvidas dos jovens, os professores não são procurados em nenhuma hipótese por 9% dos jovens dessa faixa etária.

"Os pais são lembrados em segundo lugar por esses jovens - 26% deles afirmaram que os pais são a chave para responderem às suas principais dúvidas. Mas há constatações piores: 34% dessas crianças não acreditam que seus pais são capazes de ajudá-los com a lição de casa e 14% (mais de um em cada dez jovens) não acham seus pais inteligentes. Considerando que a pesquisa foi feita no Reino Unido.

"Um quarto das crianças também não sabe o que é uma enciclopédia. Uma em cada dez delas "chutaram" que seria algo para "cozinhar" ou "viajar".

Outras alternativas

"Se as crianças não encontram o que procuram no Google, a Wikipedia (essa enciclopédia eles conhecem) é a segunda alternativa - um quinto das crianças faz essa opção. O dicionário (impresso) também nunca foi utilizado por 19% dos jovens.

"'Com as crianças crescendo em um ambiente digital é aceitável esse padrão. Nós queremos apenas ver como isso tem afetado as suas pesquisas e buscas. Não é surpresa que com as respostas à um clique, jovens geralmente utilizem o Google antes de recorrerem a seus pais, amigos e professores', afirmou Pam Waddell, diretor do Birmingham Science.

"Ele complementa que o cenário não é necessariamente ruim. "Ele mostra apenas como a tecnologia é um lugar comum para as crianças hoje e o quão confortável elas estão em utilizá-la. Crianças, não interessa de qual geração, cresceram com isso, e têm uma curiosidade natural. Então, o fato de serem capazes de usar as novas tecnologias para buscar respostas é positivo para o futuro", disse.

"A pesquisa também indicou que 31% dessas crianças já usam o iPad, Kindle ou algum computador para lerem livros. E, o que já não é uma novidade, eles também preferem se comunicar com seus amigos virtualmente: Facebook e e-mail são as ferramentas mais populares entre eles." (Revista Época Negócios)

Nota: Os pais precisam ser amigos de seus filhos. A mãe precisa dedicar tempo para educá-los. Mas, atualmente as prioridades estão invertidas. Os filhos são deixados aos cuidados de uma creche ou aos cuidados da babá eletrônica (TV e computador). A confiança é adquirida com relacionamento, porém, como as crianças a adquirirão se nem o pai nem a mãe passam tempo com eles?

"O lar deve ser para as crianças o lugar mais atraente do mundo, e a presença da mãe o maior encanto desse lugar. As crianças têm natureza sensível e amorosa. Comprazem-se facilmente, e facilmente se sentem infelizes. Mediante disciplina branda, com palavras e atos amoráveis, podem as mães ligar os filhos a seu coração." Ellen White, Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, 114.

Os filhos estão sendo gerados mas não são a prioridade para os pais. Se um casal pretende ter filhos deveria planejar sua educação e rever o papel da mãe, que é passar tempo ao lado deles para educá-los para a eternidade. "A semente semeada na infância pela mãe cuidadosa e temente a Deus, torna-se árvore de justiça, que florescerá e dará frutos; e as lições dadas por um pai temente a Deus, por preceito e pelo exemplo, como no caso de José, mais tarde produzirão abundante colheita." Idem, E Recebereis Poder, 216. Pense nisto!

Pr. Evandro Fávero

domingo, 18 de março de 2012

Consumo diário de carne aumenta risco de morte precoce, diz pesquisa

"Um estudo realizado em uma das universidades mais prestigiadas dos Estados Unidos concluiu que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de doenças graves - que podem levar à morte precocemente.

"Foram quase 30 anos acompanhando 120 mil pessoas para chegar a essa conclusão: o consumo de carne vermelha pode aumentar o risco de morte precoce.

"O estudo da Universidade de Harvard mostrou que comer uma porção de carne vermelha diariamente eleva a possibilidade de morrer mais cedo em 13% e aumenta o risco de desenvolver doenças do coração, câncer e dois tipos de diabetes.

"E a porção que os cientistas consideraram nesse estudo não é grande não. Apenas 85 gramas de carne. Se essa carne for processada, os riscos são ainda maiores. Linguiça, salsicha e hambúrguer podem aumentar a mortalidade prematura em 20%.

"A equipe do Jornal Nacional conversou, pela internet, com o coordenador da pesquisa, doutor An Pan. Ele explica que a carne tem gordura saturada, que prejudica as artérias, e que a processada oferece ainda mais risco para a saúde porque possui conservantes como o nitrato de sódio, que pode elevar a pressão do sangue.

"Para diminuir esses riscos, os pesquisadores recomendam substituir as porções de carne vermelha por peixe, frango, verduras e legumes ricos em ferro, como feijão, lentilha e espinafre.

"'Mas isso não significa que todos nós agora precisamos virar vegetarianos', diz o pesquisador.

"Segundo ele, se o consumo de carne fosse reduzido para pelo menos meia porção ao dia, entre 7% e 9% das mortes de pessoas acompanhadas pelo estudo poderiam ter sido evitadas.

"'Diminuir o consumo para duas ou três vezes por semana já seria um bom começo. Eu gosto de um bom churrasco. Mas o importante é conseguirmos ter moderação e comer com qualidade', diz ele." (Jornal Nacional)

Nota: Melhor do que comer "um bom churrasco" de vez em quando, é não comer carne. Quando Deus criou o ser humano lhe deu um cardápio vegetariano (Gênesis 1:29). Após o dilúvio, algumas carnes foram autorizadas por Deus para suprir a necessidade em uma situação de emergência (ver Gênesis 8:20; 9:1-7 e Levíticos 11). Ellen White escreveu dezenas de textos sobre os perigos da carne. Abaixo três deles:

"O regime indicado ao homem no princípio não compreendia alimento animal. Não foi senão depois do dilúvio, quando tudo quanto era verde na Terra havia sido destruído, que o homem recebeu permissão para comer carne." Ciência do Bom Viver, 311

"Se já houve um tempo em que o regime alimentar devesse ser da mais simples qualidade, esse tempo é agora. Não devemos pôr carne diante de nossos filhos. Sua influência é provocar e fortalecer as mais baixas paixões, tendo a tendência de amortecer as faculdades morais. Cereais e frutas preparados sem gordura, e no estado mais natural possível, devem ser o alimento para as mesas de todos os que professam estar-se preparando para a trasladação ao Céu." Conselhos sobre Saúde, 42

"A possibilidade de adquirir doenças é dez vezes aumentada pelo uso da carne. As faculdades intelectuais, morais e físicas são prejudicadas pelo uso habitual de alimentos cárneos. Esse uso desarranja o organismo, obscurece o intelecto e embota as sensibilidades morais. ... O caminho mais seguro para vós, é deixar de lado a carne." Testemunhos Seletos, vol. 1,195 e 196.

Pense nisto!

Pr. Evandro Fávero

A palavra profética mais segura

“Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração.” 2 Pedro 1:19

Em sentido amplo, a “palavra profética” pode ser compreendida como a mensagem total e completa das Sagradas Escrituras, uma mensagem fidedigna que nos dá segurança e confiança. A essa mesma palavra profética o salmista dá o símbolo de uma candeia que ilumina o caminho dos filhos de Deus (Sl 119:105). O apóstolo Pedro acrescenta o contexto onde a palavra profética atua e o qualifica como um “lugar escuro”.

Nós associamos a escuridão ao temor, medo e insegurança. Ainda, a sociedade associa a escuridão à delinquência, impunidade, aos assaltos, etc. Na Bíblia, a escuridão tem relação direta com tudo o que se opõe a Deus e à Sua obra. Os demônios estão “sob trevas, em algemas eternas” (Jd 1:6). Infelizmente, desde a entrada do pecado em nosso mundo, nós o tornamos um “lugar escuro”, um mundo onde a escuridão cada vez se torna mais densa, mais agressiva e mais extensa. Porém, temos a palavra profética mais segura que alumia esse lugar escuro com uma luz que não pode ser eclipsada, nem mesmo pela luz do Sol.

O mesmo Autor divino que permite que Sua Palavra resplandeça em meio às densas trevas deseja iluminar nossa vida. Não sabemos com quantas tentações Satanás se apresentará hoje, ou quanto dano hoje ele causará à nossa família, à nossa igreja ou a nossos amigos. Sem dúvida, ele buscará envolver em seu manto de trevas a mais de um filho de Deus. Porém, o maravilhoso é que Deus não nos deixou na escuridão quando nos deu Sua palavra profética, com a qual podemos iluminar nosso caminho até o dia em que o Sol da Justiça iluminará nosso existir por toda a eternidade.

Pr Erwin Jerez
Missão Sul Metropolitana do Chile- UCh

sexta-feira, 16 de março de 2012

Recapitulando com sucesso - lição 11

Recapitulando com Sucesso é um recurso para ajudar os professores da Escola Sabatina a aprimorar o estudo da lição. Assista ao vídeo:

Resumo da lição 11 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Deus como Artista


Texto-chave

“Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no Seu templo”. Sl 27:4

Objetivos

1. Saber como os projetos de Deus, revelados no santuário, no mundo natural e em outras obras artísticas nos ajudam a compreender e apreciar Seu caráter.

2. Compreender que Deus deseja para nós uma beleza muito maior à que Ele usou para criar o mundo – Sua graça interior.

3. Permitir que Deus nos molde conforme seu desejo.

Verdade Central

Deus, o grande artista, revelou Sua beleza através de muitas expressões artísticas. Uma das maiores entre essas expressões é o desenvolvimento de Sua semelhança em nosso coração. Deus deseja que os cristãos sejam uma fonte de “beleza” em um planeta escuro e agonizante.

Domingo: Deus como Oleiro

Deus é o oleiro e nós o barro. Ele é o Grande Artista, o Criador, muito superior a todos nós. Então porque temos a mania de questioná-lo e, às vezes, até duvidar do Grande Oleiro?
  • Já fomos avisados por Deus que viriam tempos em que os homens “não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” (II Tm 4:3-4).
  • Assim como Israel clamava aos seus profetas: “Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e vede para nós enganos” (ou como traduz a ARA: “…profetizai-nos ilusões”), assim também hoje multidões clamam aos seus mestres: “Não nos ensineis a sã doutrina (não a suportamos); dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos fábulas!” O “cristão” do século XXI tem coceira nos ouvidos que só é satisfeita pelas fábulas inventadas por homens ou demônios (I Tm 4:1), mas não tem tempo ou disposição para ouvir a Palavra de Deus.
  • O oleiro não precisa pedir a opinião do barro; ele faz o que ele quer. Deus então afirma claramente: “Não poderei Eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel.” (18:6).
  • Ao nos entregarmos nas mãos do Oleiro, Ele fará uma obra maravilhosa em nossa vida.
Segunda-feira: Deus como arquiteto

Por que era importante que o santuário fosse tão bonito?
  • Seria para dar ao povo um senso de temor diante do poder e grandeza de Deus. Se o santuário terrestre deveria ser uma “sombra” do celestial (perfeito, lindo, maravilhoso, indescritível), assim os Israelitas deveriam construir o templo de tal forma que se assemelhasse com o modelo celestial e fosse muito melhor que Suas próprias casas (tendas), demonstrando que sua prioridade estava na casa do Senhor.
  • A beleza do santuário, portanto, não devia desviar o foco da verdadeira beleza que Deus valoriza em relação à vida humana – a construção do nosso caráter.
  • O povo de Deus é escolhido, real e peculiar, mas esse grupo é mais do que apenas um grupo de rostos bonitos. Eles devem “anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz”. A palavra grandezas significa literalmente excelências ou perfeições, com ênfase nessas qualidades manifestadas ativamente nos atos. Isso é uma referência ao caráter glorioso de Deus, abundante amor e graciosa provisão para a salvação dos pecadores. Deus adquiriu a igreja como Sua propriedade especial para que seus membros refletissem Seus preciosos traços de caráter na própria vida e proclamassem Sua bondade e misericórdia a todos os homens.
Terça-feira: Deus como músico

Qual foi o papel do Senhor na música utilizada nos cultos de adoração?
  • Talvez não existam dois livros na Bíblia que apresentem um quadro melhor da resposta de Deus à música de adoração do que 1 e 2 Crônicas. Nesses livros aprendemos que Deus dirigiu a escolha do rei Davi em relação à música e Davi seguiu todas as orientações do Senhor para a montagem da equipe de músicos e cantores, bem como a liturgia no templo.
  • A história do povo de Israel naquele período da história é uma afirmação clara que o próprio Deus projetou cada aspecto de Sua adoração, incluindo arquitetura, utensílios, vestes sacerdotais e liturgia. Não pode haver dúvida de que a concepção artística é aprovada na Palavra de Deus
  • A música na adoração continua a ser um dos assuntos mais polêmicos na igreja. O que havia na música tocada na cerimônia de consagração do templo que atraiu a presença de Deus? Não sabemos todos os elementos musicais da música tocada no templo, mas ele deve ter sido bela e certamente deve ter elevado os corações ao Senhor. Quem sabe estes sejam os princípios básicos para a música em nossa adoração hoje – beleza e inspiração.
Quarta-feira: Deus como autor
  • Por que é importante o recurso literário no texto da Palavra de Deus?Não existe nenhum tema do conhecimento humano que Deus não domine. Ele é o mentor e o autor de todos esses conhecimentos. O Senhor usou aos profetas através de sonhos e visões que transcreveram em palavras a Sua vontade. A habilidosa construção da poesia e das narrativas bíblicas, influenciada pelo Espírito Santo é fundamental para compreendermos a perfeita vontade de Deus para o ser humano. Alguns escritores bíblicos eram homens simples, todavia foram usados pelo Espírito Santo para que expressassem exatamente o que o autor (Deus) queria.
  • Por exemplo: o livro do Apocalipse é uma extensa manifestação de estética. Deus poderia ter fornecido a João um documento histórico padrão para apresentar o curso da história da salvação. Em vez disso, encontramos impressionantes panoramas figurados, retratando a realização do grande conflito entre Cristo e Satanás, expandindo a imponente revelação apocalíptica dada anteriormente a Daniel e Ezequiel. Foi Deus quem mostrou e revelou a João toda esta estrutura estética do livro.
Quinta-feira: Deus como escultor

Como escultor, o que mais impede a Deus de terminar a obra de esculpir o nosso caráter?
  • Nós mesmos! Devemos clamar a Deus pelo domínio próprio e aplicarmos nossas energias em permitir que Deus faça uma grande obra em nós. “Nem mesmo Deus pode controlar-nos de fora e deixar-nos na posse de nossa liberdade. O mais poderoso conquistador é aquele que conquista a si mesmo”. Colunas do Caráter, pág. 39.
  • Deus empreende um grande esforço para esculpir e refazer os seres humanos à Sua imagem. Muitas vezes viramos as costas e não valorizamos este esforço divino. É como se nós não quiséssemos que ele nos esculpisse. Todavia, podemos contar com o Espírito Santo, o consolador, o enviado de Cristo para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo a fim de nos entregarmos totalmente nas mãos do escultor para que Ele termine a obra em nossa vida.
  • Esta obra de escultura de nosso caráter durará a vida toda, dia após dia, até que estejamos prontos para vivermos a vida eterna com Jesus. Este é o processo da santificação.
Conclusão

1. Embora o pecado tenha arruinado a criação de Deus, ele não apagou a beleza da expressão criativa de Deus, encontrada nos reinos físico e espiritual.

2. O sacrifício de Cristo não apenas derrotou a satanás e removeu o pecado, mas possibilitou que a natureza humana pudesse ser restaurada, embelezada novamente assim como era o plano original de Deus.

3. O grande artista trabalha incansavelmente em nós a fim de passar para a tela uma perfeita semelhança de seu modelo. A construção de nosso caráter pelo poder de Cristo deveria ser a prioridade em nossa vida porque já o é na perspectiva de Deus.

Pr. Laerte Lanza
Secretário da ACSR

domingo, 11 de março de 2012

A missão e a oração

“Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus”. Atos 4:31

Os discípulos louvaram a Deus pela libertação dos apóstolos Pedro e João que haviam sido encarcerados depois do milagre no templo, quando um homem coxo foi curado em nome de Jesus. Eles haviam testemunhado diante de um tribunal de pessoas relacionadas com o sumo sacerdote. Ali estavam Anás e Caifás e foram mencionados outro João e Alexandre que nada puderam fazer contra eles, pois o povo apoiava os acusados.

Os discípulos oraram intensamente, repletos de alegria pela manifestação do poder de Deus. A oração por eles proferida partiu de um coração agradecido pela bênção de Deus. O seu coração é agradecido pela bênção do Senhor? Meditando nisso, perguntei-me qual é a maior bênção de Deus em minha vida? Muitos podemos dizer que é a saúde, a vida, os bens, algum milagre do Senhor, e creio que tudo isso representa bênçãos, mas tenho a certeza de que a maior e a melhor de todas elas é a presença de Deus em minha vida; o Espírito Santo guiando minha existência por meio de sua voz e influência poderosa para testemunhar de quem Ele é.

O lugar em que estavam reunidos tremeu diante da presença do Espírito Santo. Deus faz os montes tremerem com Sua presença, quão grande é o nosso Deus!

Há 167 anos, um grupo de crentes, que esperava a volta do Senhor Jesus, em 22 de outubro de 1844, sentiu-se escarnecido quando o Senhor não regressou. O Senhor não deixou de cumprir a promessa, apenas Miller interpretou mal o evento anunciado pela data profética, descoberta no livro de Daniel. Um grupo de fiéis seguiu orando e rogando a Deus para que fosse esclarecido quanto a esse erro profético. Deus lhes mostrou, em um milharal, o céu aberto e o Filho do homem passando do lugar santo para o lugar santíssimo no santuário celestial, revelando que o juízo investigativo estava iniciando no céu em favor de Seu povo, mensagem que tem sido pregada pela igreja desde então.

Hoje, quando nos encontramos nos últimos dias nesta terra, devemos nos unir em oração. Devemos enfrentar tempos diferentes do dos apóstolos e dos primeiros adventistas, mas nossa disposição deve ser a mesma: buscar Deus em oração, como indivíduos e como povo. A oração conferirá poder ao nosso testemunho. Veremos grandes milagres devido à presença de Deus. Convido-o a, cada dia, dedicar tempo especial à oração, à comunhão com nosso Senhor. Que Deus o abençoe.

Pr. Juan Carvacho
Associação Metropolitana do Chile - UCh

sexta-feira, 9 de março de 2012

Resumo da lição 10 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Promessa da Oração

Texto-chave

“À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e lamentarei; e Ele ouvirá a minha voz”. Salmos 55:17

Objetivos

1. Aprender com Cristo e outros exemplos que devemos ter uma vida de oração reconhecendo sua importância no processo da santificação.

2. Reconhecer a necessidade que temos em colocar nossos problemas diante de Deus e saber que as soluções vêm de Sua infinita sabedoria e amor eterno.

3. Disciplinar nosso dia de maneira que nossa hora de oração não seja esquecida ou desrespeitada e que o processo de santificação seja parte de nossa vida cumprindo as condições divinas para obtermos as respostas.

Verdade Central

A oração é uma forma de comunhão com Deus e, como tal, devemos praticá-la o máximo possível. Em Sua vida de oração, Cristo demonstrou atitudes que ajudaram muito em nossas orações, incluindo humildade, submissão à vontade de Deus e persistência.

Domingo: O poder da oração

Infelizmente muitas pessoas vivem um cristianismo com cara de paganismo. O pagão utilizava de sacrifício e outras artimanhas para que seu deus lhe concedesse uma benção ou favor, no estilo clássico, vamos sacrificar uma virgem para que o vulcão não entre em erupção. Na igreja de nossos dias muitas vezes ouvimos a seguinte afirmação: “A oração tem poder”. Pessoas então passam a dedicar horas de jejum e oração com a intenção de mover o braço do onipotente Deus na tentativa de adquirir uma bênção especial.

Então levanto a pergunta: “Seria a nossa oração forte o suficiente para mover o braço de Deus em meu favor?” Mas para responder a isso eu preciso primeiro responder: “O que é oração?”

1. “A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo.” Caminho a Cristo, p. 93

2. “A oração é a chave nas mãos da fé para abrir o celeiro do Céu, onde se acham armazenados os ilimitados recursos da Onipotência.” Caminho a Cristo, p. 95

3. “Pretender que a oração seja sempre atendida exatamente do modo e no sentido particular que desejamos é presunção.” Caminho a Cristo, p. 96

Segunda-feira: Jesus, o Messias que orava

No livro de I Samuel 30 lemos a história de Davi e seus homens, que após voltarem da guerra, descobriram que suas esposas, filhos e filhas haviam sido sequestrados pelos amalequitas. Uma situação que trouxe muita tristeza e angústia ao povo (v. 4).

O óbvio seria correr atrás do bando que havia roubado, mas Davi foi buscar primeiro o conforto nos braços do nosso Senhor. E com a estola sacerdotal orou a Deus e perguntou: “I Samuel 30:8 - Perseguirei eu o bando? Alcançá-lo-ei?” (v. 8).

Para Davi não importou que a cada segundo que passava os amalequitas ficariam cada vez mais distantes. Para Davi, naquele momento, importava o que Deus tinha para dizer e fazer segundo a vontade dEle.

Na Bíblia vemos o Senhor Jesus orando a todo instante, cada passo do Mestre era guiado pelo amor que tinha para com o Pai, pois mesmo sendo Deus, viveu na Terra sob total submissão do Senhor. Isso não quer dizer que Jesus não tivesse vontade própria, mas que a sua vontade era ser obediente a Deus até o fim.

Qual é o espaço que tenho dado em minha vida para a oração? Com quem tenho passado mais tempo, com Deus, com a televisão ou com a internet?

1. "Em todos quantos se acham sob a direção de Deus, deve-se ver uma vida que não se harmonize com o mundo, seus costumes ou práticas; e todos têm de ter experiência pessoal na obtenção do conhecimento da vontade divina. Precisamos ouvir individualmente Sua voz a nos falar ao coração. Quando todas as outras vozes silenciam e em sossego esperamos perante Ele, o silêncio da alma torna mais distinta a voz de Deus. Ele nos manda: ‘Aquietai-vos, e sabei que Eu Sou Deus.’ Sal. 46:10. Somente assim se pode encontrar o verdadeiro descanso." O Desejado de Todas as Nações, p. 363.

2. “Como coobreiros de Cristo, somos privilegiados por partilhar com Cristo dos Seus sofrimentos. Devemos contemplar a Sua vida, estudar-lhe o caráter, e imitar o modelo. O que Cristo foi em sua perfeita humanidade, devemos nós ser; pois devemos formar caráter para a eternidade.” Testemunhos para Ministros, p;173

Terça-feira: A oração da fé

Sara ouviu a promessa que seu marido seria o pai de uma grande nação, mas ao olhar a sua volta observou de maneira empírica que nenhuma mulher da sua idade poderia ter um filho.

A falta de fé fez com que Sara “ajudasse” a Deus com uma serva. Assim Abraão, seu marido, poderia ter o filho tão prometido. Abraão cedeu e mostrou que também não tinha fé na promessa divina.

Muitas vezes somos semelhantes a Abraão e Sara, pois quando estamos em perigo e olhamos a nossa volta buscamos soluções humanas para os nossos problemas em vez de entregá-los na mão de Deus.

Você tem orado a Deus em busca de soluções e confiando nas promessas divinas, ou tem apenas feito da oração um hábito rotineiro e mecânico?

1. “É quando chegamos a circunstâncias difíceis que Ele revela Seu poder e sabedoria em resposta à humilde oração. NEle confiai como um Deus que ouve e responde à oração. Ele Se vos revelará como Alguém capaz de socorrer em todas as emergências. Aquele que criou o homem, que lhe deu suas maravilhosas faculdades físicas, mentais e espirituais, não recusará aquilo que é necessário para manter a vida por Ele dada. Aquele que nos deu Sua Palavra - as folhas da árvore da vida - não reterá de nós o conhecimento da maneira de prover alimento a Seus necessitados filhos.” A ciência do bom viver, p. 199

2. “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” Hebreus 11:6

Quarta-feira: Porque não pedem

Todo mundo já sentiu pelo menos uma vez seu mundo pessoal sendo invadido por outra pessoa. Às vezes gostaríamos de tomar determinada atitude e alguém força uma situação que não nos deixa mais a vontade de fazer aquilo que planejamos.

Interferir em nossas vidas e decisões é desrespeitar aquilo que Deus nos deu de mais precioso, nosso livre-arbítrio. Agora imagine nosso Pai celestial interferindo em todo o que pensamos ou queremos fazer, isso seria o oposto de nos dar o direito da livre escolha.

A oração tem muitos benefícios, como melhorar nossa fé, ajudar a conhecer Deus melhor, auxiliar a compreender meus próprios erros. Mas quando pedimos a Deus um milagre, nós estamos autorizando Ele a interferir na nossa vida.

O problema é: Confiamos em Deus o suficiente para saber que nossos problemas podem ser solucionados por Ele?

1. “Deus é muito sábio para errar, e bom demais para reter qualquer benefício dos que andam sinceramente. Não receeis, pois, confiar nEle, ainda que não vejais a resposta imediata às vossas orações. Apoiai-vos em Sua segura promessa: "Pedi, e dar-se-vos-á." Mat. 7:7.” Caminho a Cristo, p. 96.

2. “Nossos desejos e interesses devem-se fundir com Sua vontade. Estas experiências que provam a fé são para nosso bem. Por elas manifesta se nossa fé é verdadeira e sincera, repousando unicamente na Palavra de Deus, ou se depende de circunstâncias, sendo incerta e instável.” A Ciência do Bom Viver, p. 231.

Quinta-feira: Cumprindo as condições

“Todos nós queremos respostas para os nossos problemas, mas não desejamos obedecer às condições que trazem a provisão de Deus. Nós logo imploramos por soluções sem usar o problema como uma oportunidade de nos aproximar de Cristo.

Citamos a oração de Jabez: ‘Ah, abençoa-me e aumenta minhas terras...’ (1 Crônicas 4:10). Mas não nos importamos em ler o versículo anterior à oração: “Jabez foi o homem mais respeitado de sua família’ (v.9)” John Hagee, Os desafios da vida, suas oportunidades, p.6-7

Eu consigo me ver como um cristão respeitado, principalmente por Deus? Sou fiel a Deus nas suas vontades e mandamentos?

1. “Pois os olhos do Senhor passam por toda a Terra, para cima e para baixo, procurando pessoas que tenham coração perfeito para com Ele, de maneira que Ele possa mostrar o grande poder que tem em ajudar essas pessoas.” 2 Crônicas 16:9.

2. “Embora haja uma tendência natural de seguir uma conduta descendente, existe um poder que se fará combinar com o fervoroso esforço do homem. Sua força de vontade terá uma tendência contrária. Se ele combinar com ela o auxílio divino, poderá resistir à voz do tentador. Mas as tentações de Satanás concordam com suas tendências defeituosas, pecaminosas, e instam com ele a que peque. Tudo que lhe cumpre fazer é seguir o líder Jesus Cristo, que lhe dirá justamente o que deve fazer. Deus te acena, do Seu trono no Céu, oferecendo-te uma coroa de glória imortal, e te ordena que combata o bom combate da fé, complete a carreira, com paciência. Confia em Deus a todo o momento. É fiel Aquele que guia avançando.” Mente, caráter e personalidade, vol 1, p. 105.

Conclusão

1. A oração é mais do que conversa, mas uma inteiração com o divino e perfeito.
2. Assim como muitos personagens da Bíblia, incluindo o Senhor Jesus, passavam tempo dedicado a oração, nós também necessitamos desse tempo de comunhão.
3. Ter fé para colocar os problemas diante de Deus e convicção de que as soluções para meus problemas vão ser solucionados da maneira mais sábia possível.
4. Entender que necessitamos cumprir o nosso papel para que Deus cumpra o dEle.

Pr. Thomas Francisco Lopes
Pastor auxiliar do distrito de Santa Isabel na ASR

quarta-feira, 7 de março de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 10

Recapitulando com Sucesso aborda o tema da Oração. Assista a lição 10 do vídeo que tem o objetivo de ajudar os professores da Escola Sabatina envolver a classe e aprimorar o estudo da lição.

terça-feira, 6 de março de 2012

O poder da oração Intercessora

Testemunho de Hélio Valença sobre o poder da oração intercessora e a dedicação à pregação do evangelho através da Classe Bíblica. Assista ao vídeo.

segunda-feira, 5 de março de 2012

A missão no Apocalipse

“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos.” Apocalipse 2:2

A leitura cuidadosa do Apocalipse, com uma lente missional, nos dá uma resposta interessante às perguntas: Onde se encontram aqui a grande comissão e a tarefa de evangelizar? Será que de fato é possível encontrar um enfoque missionário nesse livro?

Um dos modelos clássicos que mais claramente nos apresentam a missão, em Apocalipse é a de um anjo. Quer seja nas sete igrejas ou nas três mensagens angélicas.

A característica mais própria de um anjo é sua intimidade com Deus e Seu serviço. Nenhum ser criado está mais perto de Deus do que os anjos e ninguém mais ocupado em servir aos seres humanos do que eles. O anjo sai de Deus e volta para Ele. Voa pelo céu e circunda toda a terra.

A missão no contexto dos anjos nas igrejas tem que ver com a relação com Deus. Quem ama não pode deixar de cumprir a missão. Assim, na cadeia profética das igrejas não aparece a ênfase no evangelho ou na proclamação, visto que isso ocorre como ato natural. Esses atos são de consideração e a ênfase por parte da testemunha fiel.

No serviço a Cristo está incluída a vida espiritual relacionada à missão. Na mensagem às sete igrejas, a igreja cumpriu sua missão? A resposta é sim. Algumas vezes melhor que outras. Teve de enfrentar várias batalhas, algumas internas e outras externas, próprias do grande conflito entre o bem e o mal, mas Deus sempre teve um grupo que se manteve fiel. A missão foi o objetivo de Cristo e é a finalidade da igreja e de Seu remanescente.

A revelação nos mostra que o Senhor requer um povo, uma igreja, o remanescente para cumprir a missão. A despeito dos obstáculos, o anjo levou a igreja a ser sempre motivada a cumprir o propósito das “obras” por Deus ordenadas à igreja.

Se conhecemos os obstáculos não há pânico. Nas fileiras do Senhor e entre os fiéis não há pânico, nem desânimo nem deserção. Apenas luta inteligente, apenas confiança absoluta. Por que Cristo, o Rei dos reis, tem todo o poder para fazer com que a missão se cumpra.

“A igreja de Cristo é a agência de Deus para a proclamação da verdade, capacitada por Ele para realizar uma obra especial, e se for leal a Deus, obediente a todos os Seus mandamentos, nela habitará a excelência do poder divino. Se ela honrar o Senhor Deus de Israel, não haverá poder que possa permanecer contra ela.” O Cuidado de Deus, MM 1995, p. 310.

Você e eu pertencemos à igreja triunfante porque temos intimidade com Deus.

Israel Jaramillo
Missão Chilena do Pacífico – UCh

domingo, 4 de março de 2012

Meu Senhor tarda em vir

“Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.” Lucas 12:37

O meu senhor tarda em vir”: Esta declaração que foi dita pelo servo negligente, faz parte de uma parábola na qual Jesus enaltece a virtude da vigilância. Três vezes Jesus pronuncia uma bem-aventurança sobre os servos que forem encontrados vigilantes: “Bem-aventurados aqueles servo, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!” (Lc 12:37, 38, 43).

Jesus usa o plural tanto no verso 36, como no 37, porque louvado seja Deus, sempre houve e sempre haverá servos vigilantes que “esperam pelo seu Senhor”. Não são como aquelas dez virgens que adormeceram enquanto aguardavam o aparecimento do noivo. Os servos vigilantes estão no posto do dever dia e noite. Absolutamente não querem ser tomados de surpresa. Sabem que não basta vigiar uma hora ou duas. Precisam estar alerta, a noite toda, se preciso for.

O “bom servo”, sobre o qual uma bênção é pronunciada, é movido não só pelo sentimento do dever: “preciso estar vigiando quando voltar meu Senhor”; mas é movido pelo sentimento de amor: “eu quero estar pronto quando meu Senhor voltar”.

Eu O amo e de modo algum quero desapontá-Lo. Fosse apenas o sentimento do dever que o animasse, as horas de espera pareceriam longas e penosas. Mas porque ama a seu Senhor, nenhum sacrifício lhe parece demasiado grande.

Como outrora para Jacó, os anos de espera por Raquel “lhe pareceram poucos dias, pelo muito que a amava” (Gn 29:20), assim para o servo que ama seu Senhor, as horas lhe passam rapidamente. Está de tal modo ocupado com os preparativos, que não percebe as horas escoar. É o servo ocioso que conta as horas e para quem a espera parece interminável.

O fato de o senhor encontrar os servos vigiando, apesar do adiantado da hora, é considerado tão extraordinário que o Senhor, em vez de assentar-se à mesa para ser servido, cinge-Se, faz os servidores assentarem-se à mesa e os serve. Os servos são tratados como senhores, pelo simples fato de serem vigilantes. Isso indica como a virtude da vigilância é de alto valor aos olhos do Mestre.

Em Lucas 12:40, Jesus relaciona a parábola com Sua segunda vinda: “Ficai também vós apercebidos, porque à hora que não cuidais, o Filho do homem virá”. Dos evangelistas, Lucas é o que mais se preocupa com o problema da demora da vinda do Senhor. Era um problema que começava afligir aqueles que, havia mais de trinta anos, aguardavam a vinda de Cristo em glória.

Foi antecipando este estado de coisas na igreja, quando a verdade da segunda vinda estava sendo posta em dúvida por muitos, por uns de modo tímido e velado e por outros de modo ostensivo e zombeteiro, que Jesus pronunciou esta e outras parábolas, enfatizando a necessidade de vigiar e orar.

Caro colega, você faz parte do grupo dos servos vigilantes?

Pr. Adilson Miranda
Secretário e Ministerial da MTO - UCOB

sábado, 3 de março de 2012

História de Regina Pamplona - Testemunho de Classe Bíblica

Regina Pamplona é um exemplo de dedicação, oração e trabalho na causa de Jesus. Ela respira o evangelismo e trabalha incansavelmente para expandir o Reino de Deus. Assista ao Vídeo:

sexta-feira, 2 de março de 2012

Resumo da lição número 9 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: A Bíblia e a História

Texto-chave

“Eu Sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é que era e que há de vir, o Todo Poderoso”. (Apoc. 1:8)

Objetivos

1. Examinar como Deus tem atuado na história a fim de mostrar seu Caráter e sua Vontade.

2. Sentir como o amor de Deus chegou até nós, através da história da cruz.

3. Acreditar nas revelações proféticas de Deus na História a fim de salvar a raça humana.

Verdade Central

Deus atua através da história revelando Seus propósitos e respeitando o livre arbítrio de cada um a fim de terminar com o grande conflito entre o bem e o mal.

Domingo: O passado e o futuro

O que a Bíblia tem afirmado sobre o passado (início) e o futuro (fim) da história da humanidade?

1. A história desta terra teve um início: Deus é o Criador de tudo. O princípio de tudo teve origem por Ele, Ele fundou os Céus e a Terra. (Gên. 1:1)

2. A história desta terra terá um fim. Logo após o milênio o mal será destruído e uma nova terra será estabelecida. (Apoc. 21:1-6)

Para Reflexão: “... Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim.” (Apoc 21:6)

Medite: Deus é o dono da história, conhece o futuro e sabe tudo o que acontecerá. Como é bom sentir o conforto e compreender que um Deus de amor sabe de tudo o que acontece em nosso caminho e que todas as coisas contribuem “para” o bem daqueles que amam a Deus”

Segunda-feira: Profetas como historiadores

Qual era a fonte ou origem das palavras que os profetas usavam para contar a história?

1. Ouvi a palavra do Senhor. (Isaias 1: 10)

2. Veio ainda a Palavra do Senhor... Disse-me o Senhor. (Jeremias 1:11,12)

3. Veio expressamente a Palavra do Senhor. (Ezequiel 1:3)

4. Assim diz o Senhor. (Naum 1:12)

Exemplos de profecias proferidas pelos profetas e que se cumpriram:

1. A destruição de Jerusalém predita em Jeremias 1:15 e 16. Está totalmente destruída e hoje tanto a arqueologia como a história comprovam o local das antigas ruínas desta cidade.

2. O local do nascimento de Jesus predito em Miquéias 5:2. Tanto Mateus 2:1 quanto a história e tradição do cristianismo comprovam que Jesus nasceu em Belém, como disse o profeta Miquéias 750 anos antes.

Terça-feira: Daniel 2 e a providência de Deus na história

Como Daniel 2 Deus nos mostra que Deus conhece o futuro com muita antecedência?

1. Através do Sonho que Nabucodonosor teve da estátua onde cada parte dela significava uma época da história desde Babilônia passando pelos Medos e Persas, Grécia e Roma.

2. O capítulo 2 de Daniel foi escrito há mais de 2.600 anos e tudo tem se desenrolado da maneira como Deus predisse. Vemos exatamente como esses impérios surgiram e desapareceram.

3. Estamos no ponto da história onde só resta surgir o Reino de Deus, se todo o resto já se cumpriu, podemos acreditar que este último também acontecerá. Amém!

“Nos anais da história humana, o crescimento das nações, o surgimento e queda dos impérios aparecem como dependendo da vontade e façanhas do homem...Na palavra de Deus, porém é afastada a cortina e contemplamos ao fundo, em cima e em toda a marcha e contramarcha dos interesses, poderio e paixões humanas, a força de um Ser todo misericordioso a executar, silenciosa e pacientemente, os conselhos de Sua própria vontade. “ A Bíblia revela a verdadeira filosofia da História”. (Ellen White, Educação P.173)

Quarta-feira: O Grande Conflito e a história

Como podemos ver na Bíblia o desenrolar do Grande Conflito na história?

1. Apocalipse 12: 7-17- Mostra que o Conflito começou no Céu, onde Lúcifer perdeu a batalha e foi expulso aqui para a Terra.

2. Jó 2:1-2- Mostra as duas partes deste Grande Conflito: Deus e Satanás.

3. Genesis 3:15- Mostra que o Grande Conflito se estendeu aqui para a Terra logo após a queda.

4. Efésios 6:12- Fala da luta atual do crente contra as tentações e armadilhas do diabo. Participamos também deste conflito diariamente.

5. Romanos 16:20- Fala do fim do Grande Conflito quando o nosso Deus esmagará debaixo dos seus pés a Satanás.

Medite: “O objetivo do grande rebelde foi sempre justificar-se e provar que o governo divino era responsável pela rebelião. Para esse fim aplicou todo o seu poderoso intelecto. Trabalhou deliberada e sistematicamente, e com maravilhoso êxito, levando vastas multidões a aceitar a sua forma de ver quanto ao grande conflito que há tanto tempo se vem desenvolvendo. Durante milênios de anos esse chefe conspirador tem apresentado a falsidade em lugar da verdade.” O Grande Conflito, 557

Quinta-feira: A cruz na história

O que a Cruz representa na história?

1. O nascimento de Cristo dividiu a história em antes e depois de CRISTO, o que nenhum outro evento conseguiu fazer.

2. A cruz mudou a dividiu a história do ser humano. Pois ao morrer na cruz, Cristo mostrou que Deus nos perdoa e nos torna seus filhos. Deus abriu diante de nós um Futuro com Esperança.

3. Por meio da cruz de Cristo e sua ressurreição a história da escravidão do pecado terá fim e nós viveremos para sempre com Jesus e longe do mal, do pecado e da morte.

Discuta: Se alguém lhe pedisse para resumir sua história em antes e depois de Cristo, o que você diria e por quê?

Conclusão

1. Devemos confiar na Palavra de Deus como fonte verídica da história,
2. Devemos acreditas nas palavras dos profetas, pois foram inspirados por Deus,
3. A Bíblia nos apresenta claramente o surgimento e a ruína das nações, só falta o Reino de Deus,
4. Participamos todos da batalha do Grande Conflito, mas Cristo e Sua morte na cruz nos dão a vitoria final sobre o pecado e a oportunidade de morarmos em Seu Reino de paz e vida eterna!

Pr. Fábio Corrêa
Departamental de Escola Sabatina na AC

quinta-feira, 1 de março de 2012

Um breve exame das parábolas de Jesus

Jesus demonstrou em seus ensinos ser o mestre por excelência. Seu conhecimento e sabedoria causaram admiração aos leigos e educadores de seus dias. A metodologia de ensino era inigualável e as mais importantes universidades foram fundadas por sua causa.

Alguns de Seus ensinos mais sublimes foram expressos em linguagem figurativa como as parábolas. “Ele não poderia haver usado método de ensino mais eficaz”(1). A reação dos ouvintes era: “Jamais alguém falou como este Homem” (João 7:46).

Um exame minucioso destes ensinos é significativo quando se evidencia que um terço do ensino de Jesus nos evangelhos sinóticos se apresentam em forma de parábolas(2). O evangelista Marcos comprovou esse fato quando escreveu: “Com muitas parábolas semelhantes Jesus lhes anunciava a palavra, tanto quanto podiam receber. Não lhes dizia nada sem usar alguma parábola”. (Mc 4:33-34).

O que é uma Parábola?

O conceito popular de parábola é um tipo de figura de linguagem em que se fazem comparações. “No velho testamento o termo utilizado em Hebraico em é marshal, que também é usada para designar provérbio ou enigma”(3). No Novo testamento o termo é parabole e “vem do Grego para (“ao lado” ou “junto a”) e ballein (“lançar”). Assim, a história é lançada com a verdade para ilustrá-la”(4). “No âmago do significado de parabole e marshal está a ideia de uma comparação entre duas coisas dessemelhantes. A realidade de nosso mundo é posta em contato com um mundo narrativo da parábola para alguma comparação que produza uma nova compreensão”(5).

As parábolas de Cristo estão correlacionadas com outras figuras de linguagem. As “similitudes” geralmente falam de costumes no tempo presente fazendo uma comparação entre dois elementos e usam geralmente as expressões como, assim como, tal qual, tal como. Pedro usou uma símile quando escreveu: “...toda humanidade é como a relva...” (1 Ped 1:24). Já as parábolas falam de um determinado momento do passado (e.g., O semeador saiu a semear. Mat 13:3).

Também são perceptíveis as alegorias. “É uma figura de linguagem, mais especificamente de uso retórico, que produz a virtualização do significado, ou seja, sua expressão transmite um ou mais sentidos que o da simples compreensão ao literal”(6). Enquanto que uma parábola consiste num acontecimento factível, a alegoria pode ser tanto factível como fictício. “Olhando para todas as parábolas que Jesus contou e as situações variadas em que Ele as proferiu, é razoável afirmar que Ele usou uma variedade de parábolas, algumas das quais eram meros símiles que não precisavam muito de alguma explicação (todos compreendiam imediatamente o seu propósito), e outras que poderiam ser melhor descritas como metáforas ou como de natureza alegórica e precisando de explicação”(7).

Por que Jesus falava por parábolas?

Assim como a Divindade foi revelada através da sua humanidade, ao usar os elementos da natureza em suas parábolas, Jesus fornecia um veículo poderoso para compreensão das verdades espirituais em seus ouvintes. “Tão ampla era a visão que Cristo tinha da verdade, e tão extensos os Seus ensinamentos, que cada aspecto da natureza foi utilizado para ilustrar verdades. Ensinava com autoridade já que toda a criação era obra de suas mãos. “O desconhecido era ilustrado pelo conhecido; verdades divinas, com as quais o povo estava familiarizado”(9). Mais tarde quando os ouvintes se deparavam com os objetos ilustrados vinham-lhes a mente os ensinos de Jesus.

Não eram simples ilustrações como as que estamos acostumados a ouvir num sermão. A parábola envolvia as pessoas em um nível muito aprofundado de reflexão. Eram tão penetrantes que produziam efeitos diversos. Enquanto uns entregavam o coração instantaneamente a Cristo, outros o procuravam matá-lo.

“Ele lhes disse: A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus, mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas, a fim de que, ainda que vejam, não percebam; ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados” (Marcos 4:11 e 12).

Percebe-se que o propósito das parábolas de Jesus era multifacetado. Usava para revelar e ao mesmo tempo para esconder. Como “a multidão não julgava as parábolas; eram as parábolas que julgavam as pessoas”(10), ao ouvinte interessado e sincero era revelado aquilo que anteriormente estava oculto, o mistério do Reino de Deus. Este grupo sentia o desejo de ganhar a salvação enquanto que o ouvinte desinteressado ouvia a parábola, mas não entendia por que o coração estava endurecido e por achar que sabia tudo. Para estes, restavam-lhes apenas o juízo.

Ellen White no livro Parábolas de Jesus, afirma que nem todos estavam preparados para aceitar e compreender suas parábolas. Assim, evitava com que a multidão incrédula lhe fizesse alguma acusação e rompesse com o seu ministério de maneira prematura(11).

Regras para interpretação de parábolas

No livro "Compreendendo as Escrituras"(12) é apresentando quatro regras básicas de interpretação:

1. Evite alegorização – Inicialmente é importante diferenciar entre alegoria e alegorização. Como já foi citado, a alegoria usa uma metáfora ampliada para referir verdades fora do significado literal da narrativa. Já a alegorização é o processo de usar algum texto que não é alegórico por natureza e transformá-los em alegoria a fim de promover novos significados que originalmente não era a intenção do autor. O teólogo Agostinho usou a alegorização para dizer que na parábola do Bom Samaritano o homem que descia de Jericó era igual a Adão(13). Ele não foi o único a usar este princípio interpretativo. Durante séculos este foi o método mais usado, mas o seu rompimento iniciou no movimento da reforma e terminou com o erudito alemão A. Jülicher no século passado(14).

A alegorização facilita enxergar qualquer coisa em quase todas as parábolas. Acaba impondo um significado que o autor jamais pretendia.

2. Reúna dados históricos, culturais, gramaticais e léxicos - O mundo em que vivemos é muito diferente do mundo dos aldeões da palestina. Essa distância pode ser amenizada usando as descobertas arqueológicas, bem como a leitura de bons dicionários e comentários bíblicos e livros que retratam os costumes desta época.

3. Analise a narrativa da parábola – “As parábolas têm personagens, ações, cenários e suportes, e relações de tempo; elas têm um narrador e um leitor subentendido, um ponto de vista e um enredo. A Análise destes ajuda o leitor a ver, de forma objetiva, a maneira por que é criado o impacto emocional da narrativa e ajuda a delinear os temas e ênfases da narrativa.”(15)

Determine o auditório. Para quem Jesus está falando? Para escribas, Fariseus, às multidões, ou aos discípulos? A compreensão destas perguntas ajudará o leitor a determinar se a aplicação da parábola é para os dentro ou fora da igreja; para grupos ou pessoas. Também observe a reação dos ouvintes de Jesus, pois servirá de excelente pista para o seu significado.

4. Use o Espírito de Profecia – Depois da leitura Bíblica, esta deveria ser a primeira fonte de pesquisa. O livro Parábolas de Jesus é rico em detalhes e fornece uma interpretação correta das parábolas por ser um livro inspirado. Desta forma, grande soma de tempo em busca de respostas com outras literaturas pode ser evitada.

5 – Aplique a parábola à situação de hoje – Identifique o princípio teológico ensinado por Jesus na parábola e aplique à sua vida pessoal. Lembre-se que a aplicação provém da parábola em vez de ser imposta a ela.

Fabio dos Santos
Pastor na Associação Paulista Oeste
@prfabiosantos

Referências:
(1) Ellen White, Parábolas de Jesus, p. 21.
(2) Grant R. Osborne, A Espiral Hermenêutica: uma nova abordagem à interpretação bíblica (São Paulo: Vida Nova, 2009), p.372.
(3) Ibid.
(4) Roy B. Zuck, A Interpretação Bíblica: meios de descobrir a verdade bíblica (São Paulo: Vida Nova, 1994), p. 225.
(5) George W. Reid, Compreendendo as Escrituras: uma abordagem adventista (Engenheiro Coelho, SP: Unaspress, 2007), p.232.
(6) Ver HIPERLINK: http://pt.wikipedia.org/wiki/Alegoria
(7) George W. Reid, Op. Cit., 225.
(8) Ellen White, Parábolas de Jesus, p. 20.
(9) Ibid., p. 17.
(10) Warren W. Wiersbe, Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento: Vol I (Santo André:SP: Geográfica Editora, 2006), p. 157.
(11) Ellen White, Op. Cit., 21.
(12) George W. Reid, Op. Cit., 235.
(13) Ibid.
(14) Kennet Bailey, As Parábolas de Lucas (São Paulo: Vida Nova, 1995), p.25.
(15) George W. Reid, Op. Cit., 236.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More