Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 5

Assista o vídeo "Recapitulando Com Sucesso", que oferece recursos didáticos para professores da Escola Sabatina.

Esta semana o vídeo apresenta suporte para os professores recapitularem a quinta lição que trata sobre a santidade de Deus. O objetivo do vídeo é oferecer aos docentes itens como contextualização dos temas e sugestão de atividades que envolvam a classe, tornando o processo de aprendizagem mais dinâmico e levando o aluno a tomar uma decisão ao final de cada estudo.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Trabalhar demais duplica chances de depressão

Você trabalha longas horas no dia? Se sim, pense em uma maneira de diminuir a carga de trabalho: um novo estudo mostra que trabalhar demais pode aumentar substancialmente o risco de uma pessoa de tornar deprimida, independentemente do quão estressante é o trabalho.

Um novo estudo acompanhou 2.123 funcionários públicos britânicos durante seis anos, e constatou que as pessoas que trabalham pelo menos 11 horas por dia em escritório tinham cerca de duas vezes mais chances de desenvolver depressão do que os colegas que trabalham sete ou oito horas diárias.

A ligação entre longas jornadas de trabalho e depressão permaneceu a mesma depois dos pesquisadores levaram em conta fatores como a tensão no trabalho, o nível de apoio no local, uso de álcool, tabagismo e doenças físicas crônicas.

Pessoas mais sobrecarregadas no trabalho parecem mais propensas à depressão do que empregados em cargos superiores. A duração da jornada de trabalho não teve um impacto perceptível sobre a saúde mental dos funcionários mais bem pagos e de nível superior, como secretários de gabinete, diretores, líderes de equipe e gestores de políticas. Isso porque eles têm mais controle sobre o trabalho, e muitas vezes têm mais escolhas.

Para quem está em níveis inferiores de trabalho, longas horas de jornada podem contribuir para a depressão de várias maneiras, criando conflitos familiares ou de relacionamentos, por exemplo, ou aumentando os níveis de estresse. Insegurança no emprego e privação de sono também pode ajudar a explicar o aumento do risco de depressão. (Hype Science - Foto CNN)

Nota: Equilíbrio deve ser a nota tônica de todos. A Bíblia afirma categoricamente que deve haver tempo para tudo."Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu" Eclesiastes 3:1. E Ellen White escreveu que "Alguns se tornam doentes por excesso de trabalho. Para esses, o descanso, a libertação do cuidado e um regime reduzido são essenciais à restauração da saúde. Para os que estão mentalmente fatigados e nervosos devido a trabalho contínuo e restrita limitação de ambiente, uma visita ao campo, onde podem viver uma vida simples, livre de cuidado, pondo-se em íntimo contato com as coisas da natureza, será muito salutar. Vagar pelos campos e matas, apanhando flores, escutando os cânticos dos pássaros, fará por seu restabelecimento incomparavelmente mais que qualquer outro meio." A Ciência do Bom Viver, 237. - Pr. Evandro Fávero

domingo, 29 de janeiro de 2012

Cinco Razões porque não vou ao Cinema!

Como um adventista que nasceu na igreja, vejo estampado no rosto dos nossos jovens hoje, o mesmo drama e conflito que vivi. É pecado ir ao cinema ou não? A igreja parece impotente para dar respostas convincentes, e os nossos jovens exigem uma que esteja escrita na Bíblia ou no Espírito de Profecia. No tempo de Ellen White não havia cinema, mas havia teatro e ela foi claramente contra. A igreja, no intuito de preservar os nossos jovens da influência do mundanismo, estabeleceu o estigma de que ir ao cinema é pecado. O cinema em si pode não ser ruim, contudo, a tradição religiosa da igreja diz que isso é pecado (tanto no Brasil, como nos Estados Unidos, para minha surpresa). Na realidade, o motivo da proibição , era impedir os nossos jovens de assistir aos filmes, e não de ir ao cinema em si.

Com o advento do viodeocassete, a igreja foi traída pela sua proibição, e agora todo mundo assiste em casa, e a polêmica definitivamente se estabeleceu. Ir ou não ir? Pode ou não pode?

Em primeiro lugar, temos que lembrar que para a pessoa que está realmente determinada a ir ao cinema, nada vai convencê-la do contrário. Contudo, as cinco razões que apresento aqui pode ajudar aqueles que são sinceros, e que, na dúvida, estão orando a Deus, querendo fazer a Sua vontade.

A Primeira Razão:

Vou usar como primeiro argumento aquilo que muitos jovens acham elementar. Se hoje você vai ao cinema e alguém o vê indo, essa pessoa pode ficar escandalizada, e isso é pecado.
Se o seu comportamento escandaliza o seu irmão, o princípio é claro ao dizer que é melhor não fazer. A Bíblia fala fortemente sobre esse princípio em I Coríntios 8. Paulo fala que alguns, não tendo conhecimento profundo da verdade, têm uma consciência fraca. No verso 9, Paulo estabelece o princípio quando diz: “vede, porém, que esta vossa liberdade não venha, de algum modo, a ser tropeço para os fracos.”

Em I Coríntios 10:23 3 32, Paulo diz que “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm”. “não vos torneis causa de tropeço... para a igreja de Deus.” E o que mais me impressiona é a declaração do capítulo 8:12 quando Paulo diz: “E deste modo (referindo-se ao pecado do escândalo), pecando contra os irmãos, golpeando-lhes a consciência fraca, é contra Cristo que pecais.” Se ao ir ao cinema, escandalizo a minha igreja ou o meu irmão, estou pecando contra Cristo, diz a Bíblia.

Segunda Razão:

Um princípio elementar, mas que não deixa de ser uma razão, é que ali é a “roda dos
escarnecedores”. Bem, você pode dizer que a “roda dos escarnecedores” está em todo lugar, no metrô, no ônibus, etc. Contudo, a “roda dos escarnecedores” do cinema é específica. O grupo que ali está, não está por uma necessidade, mas porque querem ir espontaneamente para satisfazer a si próprios e entreter o seu ego. Vão lá porque gostam e querem assistir ao filme, mas existe algo mais que o filme: como o ambiente, o escurinho, o silêncio, o som e o tamanho da tela. Tudo isso é planejado de uma maneira, não para fazer você assistir ao filme, mas para você entrar no filme.

Concordo com o salmista no Salmo 1:1, quando ele diz: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Creio que o cinema é uma roda específica de escarnecedores, que estão buscando um tipo de prazer que só lá dentro alcançarão. Será que ao ir ao cinema não estou me detendo no caminho dos pecadores?

Terceira Razão:

A escuridão do ambiente afeta tremendamente o ouvinte. Engraçado é que ninguém percebe e acha normal. E é aí que a gente vê como o diabo é sutil. O ambiente escuro é para ninguém ver ninguém, e para tentar colocar na sua cabeça que aquela imagem é uma realidade só sua, feita para você; ainda que seja só naquele momento. Seu subconsciente consegue captar mensagens que podem afetar profundamente sua maneira de ver, pensar e agir, baseado em imagens que muitas vezes nem sequer fazem parte do nosso mundo real.

Normalmente, não gostamos da escuridão. Temos medo. E tão logo entramos em um ambiente escuro, procuramos uma luz para acender. Entretanto, no cinema, as trevas têm por objetivo captar a sua mente, levando você a uma fantasia que não é a sua realidade. Pode parecer que não, mas ver o filme no escuro do cinema, e ver no claro na sala de estar da sua casa, faz uma grande diferença quanto à influência que você recebe. E às vezes, essa influência é involuntária, você nem a percebe, mas ela está lá. Ao escrever esta declaração, não estou defendendo a liberação de qualquer filme em casa, mas tentando mostrar que, definitivamente, o cinema não é um lugar para cristãos.

Quarta Razão:

O tamanho da tela gera uma imagem muito realística, que associada com o escuro, exerce um poder fascinante, transportando você da sua realidade para dentro de um mundo imaginário no filme. Como todo mundo nesta vida de pecado tem sonhos, os filmes não são outra coisa senão os sonhos dos seres humanos se tornando realidade. Daí porque o mundo está fascinado com Hollywood. Jamais a tela de um televisor, por maior que seja, vai exercer sobre você um poder tão fascinante como dentro do cinema. Se fizermos uma pesquisa com duas pessoas, sendo que uma assiste a dez filmes em casa, e depois dermos um questionário para elas responderem, buscando ver o efeito dos filmes no subconsciente, compreenderemos o poder do cinema, e por que a igreja está certa em dizer que ele é pecado.

Quinta Razão:

O último motivo pelo qual o cristão não deve ir ao cinema é simples. Eu até diria elementar, mas de uma sabedoria fantástica: “Na dúvida, não ultrapasse.” Por que correr o risco, se o assunto é polêmico? Será que jesus entraria com você no cinema? A mesma pergunta podeser feita quanto à escolha que você faz dos seus filmes. Será que ele sentaria com você napoltrona da sua casa e assistiria aos filmes que você está assistindo? acho que, na dúvida, não é bom ultrapassar. Que sabe esse último princípio, ainda que simples, possa salvar jovens que ainda não têm fé suficiente para compreender os quatro princípios anteriores. Talvez você não esteja convencido de que não deve ir, mas se a dúvida está no seu coração, é mais seguro não ir. Para aqueles que não têm dúvida, e que se sentem confortáveis em ir, achando que não há nada de mais, eu diria que a sua consciência não é um guia seguro. Você pode até estar sendo sincero no que faz, mas se caminhar na direção errada, perderá o jogo da vida eterna.

Certa vez, li uma história em que a Coca-Cola resolveu fazer um teste de marketing para testar o poder da imagem sobre o subconsciente das pessoas. Na produção de um filme para o cinema, eles incluíram várias vezes, no meio da projeção, rápidas imagens de uma garrafa de Coca-Cola . Os flashes eram rápidos como um relâmpago e, embora as pessoas vissem aquele rápido flash na tela, elas não conseguiam identificar a imagem. Na saída do cinema, eles colocaram bancas de Coca-Cola para vender e, à porta ,eles perguntavam às pessoas se elas podiam dizer o que viram na imagem dos flashes. Ninguém conseguiu dizer o que tinha visto na imagem, mas todos perceberam o flash rápido. Apesar de não terem notado a imagem da garrafa de Coca-Cola, 70% daqueles que assistiram ao filme, comprararm uma garrafa de Coca-Cola para beber, na saída do cinema. Os outros 30% não compraram, mas confessaram que estavam com vontade de beber. Essa experiência mostra que o poder do subconsciente de captar as imagens é muito grande. Somos afetados sem perceber, e aí reside o perigo.

Em minha opinião, a igreja está certa quanto a não ir ao cinema. Se bem que também devemos cuidar muito com o que assistimos em casa.

Hollywood está determinando o comportamento da sociedade moderna e criando filmes que, em lugar de entreter as pessoas, as levam a ficarem insatisfeitas com a sua vida, porque elas vêem nos filmes um mundo de sonhos e cores. A comparação é uma arma de Satanás para nos conduzir ao pecado. Ele fez isso no Éden, tentando comparar o homem a Deus. E hoje ele usa os meios mais sofisticados para levá-lo a comparar a realidade da sua vida com a imagem fantasiosa dos filmes. Se a sociedade pudesse imaginar o que existe por trás dessas produções, e como se situa o mundo artístico, talvez nem assistisse aos filmes que por eles são produzidos.

O critério para provar se um filme é bom ou não? Faça a pergunta: Poderia Jesus assistir comigo? Sim ou não? Lembre-se de que lá no Céu não existe o mundo imaginário dos filmes e das superproduções. Lá, sim, nos encontraremos com a verdadeira realidade dos nossos sonhos, e a tela, seja do cinema ou da TV, já não terá mais poder sobre nós, e nem existirá, porque Aquele que é real, nos transformará para as realidades eternas. (Advento Blog e Blog Ação)

sábado, 28 de janeiro de 2012

A importância da amizade

“Em todo o tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.” Provérbios 17:17

Sociabilidade (amizade) é o principal fator, entre muitos, que leva uma pessoa a se tornar membro de uma igreja e a permanecer nela. Não se pode manufaturar crises na vida das pessoas e nem mesmo manipular famílias, pressionando-as a levar pessoas à igreja. Mas o fator social pode ser a maneira de levantar a consciência dos membros e levá-los a ter uma atmosfera amigável dentro da igreja.

Harris Poll realizou uma entrevista entre os americanos para saber qual era a principal prioridade na vida deles. Eis o resultado:

1) Relacionamento (56 %);
2) Fé e religião (21 %);
3) Fazer do mundo um lugar melhor (12 %);
4) Realização profissional (5 %);
5) Dinheiro (5 %).

Não importa qual seja o segmento da sociedade, o aumento da importância do relacionamento é visível. Ellen White também defendeu a importância desse relacionamento na vida da igreja:

“Os que se encerram em si mesmos, que são avessos a se desdobrarem para beneficiar os outros mediante amigável convívio, perdem muitas bênçãos; pois mediante o contato mútuo os espíritos são polidos e refinados; por meio do intercâmbio social, formam-se relações e amizades que dão em resultado certa unidade de coração e uma atmosfera de amor que agradam ao Céu” (Conselhos sobre Educação, 158).

O simples fato de começar a fazer parte de uma congregação significa também a possibilidade de fazer novos amigos. A igreja não é um Country Club, mas certamente necessita ter vida social. Quando uma pessoa aceita a Jesus e passa a fazer parte do Seu corpo, com muita freqüência muda os hábitos sociais e consequentemente os amigos. Então, a igreja tem por obrigação suprir estas lacunas.

A vida social na igreja deve ser uma oportunidade de compartilhar, dar e receber. Esse companheirismo é experimentado quando pessoas são ajudadas em suas dificuldades. Não importa qual seja a necessidade (financeira, espiritual ou emocional) sempre haverá pessoas movidas pelo sentimento de ajuda e companheirismo.

Pr. José dos Santos Filho

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Resumo da lição número 4 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: O Deus da Graça e do Juízo


Texto-chave

“Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mau”. Ec 12:14, NVI.

Objetivos

1. Saber que o mesmo Deus que julga é o Deus que oferece Graça e Salvação, estando disposto, antes, a oferecer esta última!

2. Sentir que em Adão estamos todos condenados, porém no segundo Adão, Jesus Cristo todos temos acesso a Graça e Salvação. Esta promessa está disponível mesmo antes de Cristo morrer, ou seja, desde que existiu pecado.

3. Fazer um propósito de, pela graça, sermos mais submissos e obedientes a Deus para não temermos o dia do juízo!

Verdade Central

A nossa salvação vem unicamente pela fé na graça de Deus em Cristo Jesus. Não seremos condenados por nossos pecados no dia do juízo a menos que, em tempo oportuno, não os confessemos e não apelemos à graça divina!

Domingo: O dia do juízo

A justiça e a graça (juízo e salvação) de Deus são complementares e perfeitamente equilibradas como a dureza do aço e a maciez do veludo.
As doutrinas do juízo e da salvação são incompatíveis?

 Não: pois o assunto do juízo aparece mais frequentemente no NT do que no AT evidenciando desta forma que o conceito do juízo não é contrário à nova aliança da graça de Deus por meio de Cristo!

 Não: pois colocar uma contra a outra equivale a não entender ou aceitar os ensinos dos evangelhos.

 Na prática, os atributos de justiça e graça divina é que vão culminar na condenação dos ímpios e absolvição dos justos.

Segunda-feira: Juízo e graça no Éden

No Éden não havia pecado, portanto, não necessitava dos elementos da graça ou juízo.
A partir de quando e, em que contexto surgiu a graça e o juízo, respectivamente? Que importância ou impacto isso tem em sua vida?
 Quando surgiu o pecado, imediatamente surgiu a graça! As primeiras palavras de Deus, depois da queda, foram “onde estás?”. Estas palavras foram um convite do Criador para que nossos primeiros pais fossem até Ele, onde havia solução (graça).

 Em Gênesis 3:15 temos o evangelho em miniatura. Ali o Senhor pronuncia: 1) Seu juízo contra a serpente; 2) Sua graça e salvação ao casal (raça humana); 3) Finalmente, pronuncia seus juízos ao casal (humanidade). Aqui se percebe o juízo sendo aplicado sobre a base da graça!

 Lembremo-nos que “onde abundou o pecado, superabundou a graça de Deus” (Romanos 5:20).

Terça-feira: O Dilúvio

Quantas oportunidades de graça e salvação Deus tem oferecido a você a cada dia.
Em que momento na história do dilúvio podemos perceber o juízo e a graça divina em ação?
 O anúncio do juízo divino descrito em Gênesis 6:5-7. Não por iniciativa de Deus, mas como uma resposta à “maldade do homem”.

 Logo no verso 8 é apresentada a graça de Deus a Noé, sua família e a todos os que a aceitassem!

 Os 120 anos dispensados em construir a arca, foram anos de oportunidade de graça e salvação oferecidos àquela geração.

Quarta-feira: Condenação e graça

Embora em João 3:16 encontremos uma mensagem de graça, é preciso compreender, pelo contexto imediato que não se trata de “graça barata”. Se não crermos e obedecermos no salvador, a condenação jaz às portas!
No capítulo 3 de João, como graça e juízo para condenação estão ligados?
 Em João 3:16 e 17 lemos uma mensagem de graça à toda a humanidade, aos que aceitarem a Cristo!

 Na sequência, verso 18, percebemos um esclarecimento com ampliação do exposto nos versos anteriores. Juízo para os que não crêem nEle e absolvição aos que nEle crerem!

 Primeiro, todos estão condenados (ver também, Romanos 3:23); depois, todos estão justificados (Romanos 3:24). Com isso, mais uma vez nesta semana se comprova que juízo e graça estão interligados. Se não houvesse a possibilidade do juízo (condenação), não haveria a necessidade de graça.

Quinta-feira: A hora do Seu juízo

Em Mateus 10:26 nos é dito que para Deus “Não há nada escondido que não venha a ser revelado”. Esta afirmação te deixa tranquilo ou preocupado?

 Se Deus olhasse somente para as nossas falhas, defeitos e pecados, todos estaríamos perdidos!

 Assim como em Gênesis 3, que vimos nesta semana, também em Apocalipse 14:6 e 7, a Palavra de Deus começa proclamando o evangelho da salvação para depois falar de juízo e condenação.

 Felizmente para nós nossa mensagem tem o “evangelho eterno como fundamento”! Desta forma podemos ficar tranquilos, confiados na graça e misericórdia de Deus (veja Romanos 8:1).

Conclusão

1. Desde o Éden, onde surgiu o pecado, a graça e misericórdias do Senhor passaram a ser franqueadas a todos os pecadores que queiram. Note a relação entre esta mensagem e a do último capítulo da Bíblia, Apocalipse 22:17.

2. Embora tenhamos visto nesta semana “o Deus da graça e do juízo”, Ele está muito mais interessado em nos dar sua graça e salvação do que juízo e condenação! (veja I Pedro 3:9).

3. “Jesus não lhes justifica os pecados, mas apresenta seu arrependimento e fé, e, reclamando o perdão para eles, ergue as mãos feridas perante o Pai e os santos anjos, dizendo: ‘Conheço-os pelo nome. Gravei-os na palma de Minhas mãos’" (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 484).


Pr. Dinei Moreira Carriel
Pastor em Guarapuava Norte (ACP)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 4

Clique abaixo em "Leia Mais" ou no título para assistir o vídeo "Recapitulando Com Sucesso", que oferece recursos didáticos para professores da Escola Sabatina.

A ferramenta oferece suporte aos docentes em itens como contextualização dos temas e sugestão de atividades que envolvam a classe, tornando o processo de aprendizagem mais dinâmico e levando o aluno a tomar uma decisão ao final de cada estudo.

As 8 maiores religiões do mundo

Com tantas doutrinas espalhadas pelo mundo, é até difícil adivinhar quais têm os maiores números de seguidores. Por exemplo, uma delas tem seu principal núcleo de praticantes no Brasil. Você sabe qual é?

Abaixo uma lista preparada pela Super com as principais religiões do mundo:

8. Espiritismo (aprox. 13 milhões de adeptos)

Espiritismo não é exatamente uma religião, mas também entra na lista. A sobrevivência do espírito após a morte e a reencarnação são as bases dessa doutrina, que surgiu na França e se expandiu pelo mundo a partir da publicação de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec (1857). É no Brasil que se encontra a maior comunidade espírita do mundo: 1,3% da população do país é espírita.

7. Judaísmo (aprox. 15 milhões de adeptos)

Atualmente, a maior parte dos judeus do mundo vive em Israel e nos Estados Unidos, para onde migraram fugindo da perseguição nazista. Mesmo assim, os judeus representam somente 1,7% da população norte-americana. Enquanto isso, na Argentina, nossos hermanos judeus são 2% da população.

6. Sikhismo (aprox. 20 milhões de adeptos)

Embora pouco difundido, o Sikhismo é a sexta maior religião do mundo. A doutrina monoteísta foi fundada no século 16 por Guru Nanak e se baseia em seus ensinamentos. O sikhismo nasceu na província de Punjab, na Índia, e grande parte de seus seguidores ainda vivem na região. Eles representam 1,9% da população da Índia e 0,3% de Fiji.

5. Budismo (aprox. 376 milhões de adeptos)

A doutrina baseada nos ensinamentos de Siddharta Gautama, o Buda (600 a.C.), busca a realização plena da natureza humana. A existência é um ciclo contínuo de morte e renascimento, no qual vidas presentes e passadas estão interligadas. Como era de se esperar, essa religião oriental é a principal doutrina em vários países do sudeste asiático, como Camboja, Laos, Birmânia e Tailândia. No Japão, é a segunda maior religião do país: 71,4% da população é praticante.

4. Religião tradicional chinesa (aprox. 400 milhões de adeptos)

“Religião tradicional chinesa” é um termo usado para descrever uma complexa interação entre as diferentes religiões e tradições filosóficas praticadas na China. Os adeptos da religião tradicional chinesa misturam credos e práticas de diferentes doutrinas, como o Confucionismo, o Taoísmo, o Budismo e outras religiões menores. Com mais de 400 milhões de praticantes, eles representam cerca de 6% da população mundial.

3. Hinduísmo (aprox. 900 milhões de adeptos)

Baseado nos textos Vedas, o hinduísmo abrange seitas e variações monoteístas e politeístas, sem um corpo único de doutrinas ou escrituras. Os hindus representam mais de 80% da população na Índia e no Nepal. Mesmo com tamanha variedade, são apenas a terceira maior religião do mundo. Porém, ostentam um título mais original: o maior monumento religioso do planeta. Trata-se do templo Angkor Wat – depois convertido em mosteiro budista –, que tem cerca de 40 quilômetros quadrados e foi construído no Camboja no século XII.

2. Islamismo (aprox. 1,6 bilhões de adeptos)

A medalha de prata na lista das religiões é dos muçulmanos. Segundo projeções, daqui vinte anos, eles serão mais de um quarto da população mundial. Se esse cenário se concretizar, o número de muçulmanos nos Estados Unidos vai mais do que dobrar e um quarto da população israelense será praticante do islamismo. Além disso, França e Bélgica se tornarão mais de 10% islâmicas.

1. Cristianismo (aprox. 2,2 bilhões de adeptos)

Mesmo com o crescimento de outras religiões, o cristianismo continua sendo a doutrina com mais adeptos no mundo todo. Porém, seus seguidores têm mudado de perfil. Há um século, dois terços dos cristãos viviam na Europa. Hoje, os europeus representam apenas um quarto dos cristãos. Mas, o interessante mesmo é apontar onde o cristianismo mais cresceu no último século: na África Subsaariana. De 1910 para cá, a população cristã da região saltou de 9 para 516 milhões de adeptos. (Carolina Vilaverde na Super)

Nota: Neste emaranhado de religiões, isso sem falar das milhares de denominações dentro do cristianismo, podemos fazer a pergunta que Pilatos fez a Jesus: "Que é a verdade?" João 18:38. A única maneira saber a resposta e conhecer a verdade, por que existem tantas religiões, de onde viemos, porque vivemos e para onde vamos é estudando a Bíblia. Convido você a estudá-la.

Clique aqui para estudar a Bíblia. Desvende o maravilhoso universo do passado, presente e futuro delineado por Deus. - Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O BBB e o “estupro consentido” dos brasileiros

A revista Veja desta semana (com uma capa pra lá de apelativa) reclama da baixaria que vem tomando conta da TV. No editorial, publicaram: “O beijo mais casto já foi considerado imoral no cinema nos anos 30 e hoje a nudez parcial e as cenas que evocam o ato sexual são comuns nas telas.” É a mídia contribuindo para, aos poucos, romper toda barreira que ainda persiste na tentativa de conter a avalanche de imoralidade que toma conta do mundo. Mesmo sob a suspeita de que um dos participantes do reality teria estuprado uma colega adormecida (ou entorpecida pelo álcool), Pedro Bial disse: “O amor é lindo.” Além de distorcer o significado da palavra amor (na verdade, o que houve, possivelmente, tenha sido abuso – ou, que seja, fornicação indecente e voyeurística), o jornalista ajuda a esconder os fatos – o que a própria Globo fez, ao retirar da internet os vídeos suspeitos. Depois, Bial simplesmente justificou a saída do rapaz dizendo que o que ele havia feito se tratava de “comportamento inadequado”. Só isso? Possibilidade de estupro (crime), então, seria apenas “comportamento inadequado”?

As redes sociais fervilharam. A TV Record aproveitou a polêmica e martelou o “escândalo BBB” durante todo aquele dia. E a Veja, sem poupar críticas, escreveu: “Santa ironia: a emissora dos bispos da Igreja Universal do Reino de Deus, lar do assistencialismo apelativo de Gugu Liberato, do sensacionalismo do Domingo Espetacular e das peladonas de A Fazenda, desancava o baixo nível da líder de audiência. Logo quem.” Pois é, Edir, o sujo não pode falar do mal lavado. Toma!

Voltando ao BBB da Globo, o que esse programa chulo tem promovido? O consumo de álcool, o comportamento irresponsável e o sexo livre. E o que a mesma emissora hipocritamente combate ou noticia com espanto, de vez em quando? Os malefícios do álcool (famílias desfeitas, crimes e mortes no trânsito, por exemplo) e o aumento do número de mães adolescentes solteiras. Além disso, tenta combater a disseminação de doenças como a aids (com campanhas igualmente apelativas). Ou seja: morde e assopra.

Infelizmente, é a lei, os valores, os princípios morais e a mente dos brasileiros que vêm sendo estuprados diariamente por essa programação rasteira. Passou dos limites? Sim, mas a audiência continua nas alturas... E uma vez consentido, o abuso deixa de ser abuso.

Michelson Borges
Criacionismo.com.br

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Bíblia com tratamento literário vira fenômeno de vendas na Noruega


O principal evento literário da Noruega em 2011 não foi uma das rentáveis histórias de mistério que a Escandinávia passou a exportar ao mundo na esteira do sucesso ilimitado da trilogia "Millennium", escrita pelo sueco Stieg Larsson. A obra que encerrou o ano como best-seller por lá foi a Bíblia. Mas não uma edição qualquer da Bíblia: para produzir esta nova tradução para o norueguês - a primeira em 30 anos -, foram convocados 12 escritores, alguns entre os mais notórios do país nórdico. Trabalharam, ao longo de seis anos, junto de um time composto por 30 tradutores, padres e acadêmicos.

Ao reaparecerem na Noruega, vertidas diretamente do grego e do hebreu, as Sagradas Escrituras se converteram em fenômeno. No lançamento, houve gente em filas varando a madrugada diante de livrarias - "estilo ?Harry Potter?", cita um texto do jornal britânico "The Guardian". Em entrevista ao diário, Stine Smemo Strachan, da Sociedade Bíblica Norueguesa, falou que se desejava oferecer uma versão "legível" e com "boa linguagem". "Nenhum dos autores é religioso - eles são apenas bons escritores que imaginaram que seria um projeto interessante no qual se envolver."

Resultado: 79 mil cópias comercializadas em poucas semanas, bastante acima da expectativa inicial, o que Strachan atribui à "legibilidade" e ao fato de se estar diante de um "evento cultural". Para ele, há razões além da religião por trás disso. Quem está adquirindo não seriam apenas cristãos, do contrário as cifras seriam mais modestas. Há gente interessada também no texto em si.

Literária

A Sociedade Bíblica Norueguesa editou uma segunda opção do mesmo texto: é uma Bíblia sem capítulos nem versos, para ser lida "como um romance". Vendeu "incrivelmente bem", nas palavras de Strachan. A reportagem do The Guardian" a descreve como sendo uma Bíblia "literária". É o mesmo termo estampado na capa de um dos títulos comercializados pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), que publica quatro traduções da Bíblia, em variados modelos. A obra em questão se chama "O Livro dos livros - Edição literária da Bíblia Sagrada" e, sintomaticamente, foi lançada na Bienal do Rio de 2011.

Não está na forma, contudo, a única diferença entre esta versão e a convencional. Em entrevista ao G1, o teólogo e linguista Paulo Teixeira, secretário de tradução e publicações da SBB, explica que a literária é "uma Bíblia de nicho, de segmento". E que segmento seria esse? "O leitor em geral, o sujeito que gosta de ler um Dante [Alighieri, autor de "A divina comédia"], alguma coisa de ficção mais moderna, como o [J.R.R.] Tolkien [autor de "O senhor dos anéis"]. Faz um sucesso muito grande entre leitores de clássicos."

Mais vendidas

A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, publicada em 2008 pelo Instituto Pró-Livro, colocou as Sagradas Escrituras como livro mais lido - e com folga - pelos brasileiros. À época da apuração, feita em novembro e dezembro de 2007, "6,9 (7%) milhões de leitores estavam lendo a Bíblia": ela foi 18 vezes mais citada que vice-campeão, "O código Da Vinci". Quando a pergunta foi "qual o livro mais importante da vida do leitor", deu de novo a Bíblia no primeiro posto: ela foi dez vezes mais lembrada que o segundo colocado, "O stítio do pica-pau amarelo". O levantamento considerou 92% da população brasileira de então, ou 172,7 milhões de pessoas.

A assessoria de imprensa da Câmara Brasileira do Livro (CBL) afirma não saber qual a editora que mais vende Bíblias no país. Por parte da SBB, Teixeira oferece "uma estimativa": "A gente tem entre 70 e 80% do assim chamado mercado brasileiro". Trasposta para números absolutos, tal participação chegou a 6,78 milhões de unidades em 2011. Um recorde, aponta o secretário: "Isso, de Bíblias completas. E temos também diversas categorias, como a comum, que é apenas o texto bíblico, a de estudo, que contém comentários pra facilitar a compreensão...".

Ele destaca uma "categoria", em particular, que tem conquistado o público. Lançada em 2000, a "Nova tradução na linguagem de hoje" é a que mais cresce na predileção dos leitores. No site da SBB, ela é detalhada como "clara, exata e natural". É, precisamente, o texto que a editora coloca também em "O Livro dos livros - Edição literária da Bíblia Sagrada". Muda só a diagramação - a exemplo do similar norueguês, não apresenta colunas ou versículos.

Perguntado se a SBB cogita promover uma ação coletiva, agora encabeçada por escritores brasileiros, para tentar repetir o "evento cultural" que tomou a Noruega, Teixeira responde que "até este momento, ainda não pensamos". Mas acha que "pode ser, sim, interessante": "Acredito que envolver, digamos, celebridades literárias brasileiras, numa tradução ou numa releitura, pode ser muito bem-vindo. Até para quebrar o paradigma de que é um livro meramente religioso..."

Como exemplo da prática, ele recorre a uma das traduções que a editora publica, lançada originalmente em 1917. "Só pra você ter uma ideia do calibre das pessoas que participaram, o revisor de estilo e gramático foi o [político e escritor] Rui Barbosa. Os outros foram o [também político e escritor] Heráclito Graça e o [escritor, jornalista e pesquisador de literatura] José Veríssimo."

Tradução

No Brasil, não existe uma tradução considerada a oficial da Bíblia, esclarece o padre Valdeir dos Santos Goulart, diretor editorial da Edições CNBB, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Ele conta que um grupo de "biblistas" está revisando a versão que a CNBB vende em coedição com a editora Canção Nova. "Acredito que até o final deste ano o texto já esteja pronto para ser encaminhado para a Santa Sé. Mas nenhuma Bíblia precisa ser enviada para lá. O que precisa é passar por algum responsável no Brasil", explica o padre. "Por enquanto, nenhuma das Bíblias do Brasil foi aprovada por Roma. O fato de passar pela Santa Sé é ter o reconhecimento, mas não há a necessidade."

Ele diz que "o pessoal não usa revelar muito" as cifras relativas ao comércio da Bíblia. De sua parte, calcula em cerca de 250 mil unidades por ano, na média. E há outras editoras que publicam a versão católica do livro. A Ave Maria, de São Paulo (SP), por exemplo, divulga vender anualmente algo em torno de 700 mil exemplares. "Embora tenhamos uma única tradução, temos uma preocupação muito grande em fazer Bíblias personalizadas. São mais de 30", argumenta o padre Luis Erlin, diretor editorial da Ave Maria. "A gente tem capa especial para o jovem, uma para meninas adolescentes, exemplares mais populares... A de bolso está na base de R$ 13. A de luxo, de R$ 159."

As editoras chegam aos clientes por meio de livrarias seculares e de livrarias próprias. No caso destas últimas, não se pode considerar que aconteça concorrência: o estabelecimento de propriedade de uma negocia exemplares produzidos por outra - e vice-versa. Mesmo porque o propósito, aqui, não seria o lucro. As editoras asseguram que o dinheiro arrecadado destina-se à confecção de novos livros e a ações de filantropia e caridade, o que vale para as católicas e para a SBB.

Paulo Teixeira concorda que o "principal cliente" da SBB não é a igreja católica: "Mas nós não distinguimos entre evangélicos e católicos". Por outro lado, ele rejeita a descrição da instituição, fundada em 1948, como sendo "ecumênica". "Evidente que a maioria absoluta tem a configuração protestante, evangélica, mas as escrituras em geral, e as obras acadêmicas que também publicamos, elas atingem todo mundo, tanto o evangélico quanto o seminarista católico."

Tamanha produção é garantida pela Gráfica da Bíblia, que fica na sede nacional da SBB, em Barueri (SP). A gráfica, que iniciou atividades em 1995, armou, no ano passado, uma solenidade para celebrar a marca de 100 milhões de Bíblias impressas: 87 milhões na versão integral e mais 13 milhões de Novos Testamentos. Parcela disso é exportada, em textos escritos em idiomas que vão do espanhol e do inglês ao árabe e ao iorubá, língua falada em países da África. Em norueguês, por enquanto, não.

Nota: "A Bíblia tem sido muito divulgada. Mas não esqueça. Ela não terá valor algum se ficar apenas guardada na sua estante ou ao lado de sua cama. Ela precisa ser lida e praticada. Paulo disse que "as sagradas letras, podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça,a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." II Timóteo 3:15-17. - Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Resumo da lição número 3 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: Deus como Redentor


Texto-chave

Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças” (Ap 5:12).

Objetivos

1. Reconhecer que somente o Deus Criador pode ser o Redentor.

2. Compreender que o amor de Deus vertido na cruz é a única coisa maior, mais intensa e profunda do que o pecado.

3. Promover a decisão suprema: O que fazer com o evangelho da Cruz? Ignorar, vivendo o pecado até a morte, ou aceitar e testemunhar até receber a salvação eterna?

Verdade Central

Não por obras, ou qualquer outra coisa que possamos fazer, mas somente pela graça de Cristo manifestada na cruz, é que podemos ser resgatados do pecado e sermos aproximados de Deus. Cristo suportou a ira de Deus para que nenhum de nós jamais tivesse que suportá-la, e esta é a essência do plano da salvação.

Domingo: Na cruz

Cristo morreu para criar em Deus o amor pelo pecador ou por causa do amor de Deus pelo pecador? João 3:16 responde e amplia.

1. Jesus nunca teve que convencer o Pai a nos amar. Deus não passou a nos amar porque Cristo morreu por nós; Cristo morreu por nós porque Deus nos amava.

2. A verdadeira tragédia é que pecamos contra Deus e perdemos grande parte do conhecimento de Deus, nem sequer sentimos a necessidade de arrependimento, porque nem sempre temos certeza do quanto temos ofendido a Deus com nossos pecados. O moderno sentimentalismo religioso muitas vezes minimiza a repugnância ao pecado.

3. Paulo não teve medo de falar sobre a ira de Deus. O amor de Deus é a razão de Sua ira ter sido lançada contra o pecado e o mal; que corromperam e destruíram Seus amados filhos.

Segunda-feira: O evangelho no Antigo Testamento

Grande Descoberta: Graças à onisciência de Deus, capaz de reconhecer o pecado antes da sua concepção, o evangelho da graça é mais antigo que o próprio pecado. Foi apresentado ainda no Éden, e escrito desde o Antigo Testamento.

O evangelho da ira de Deus:

1. Gênesis 3:15 apresenta o primeiro anúncio do evangelho após a entrada do pecado no Éden.

2. Em Romanos 16:20 Paulo amplia o conceito de Gênesis 3:15 e anuncia com clareza que Deus esmagará Satanás, o pecado e o mal.

3. A história de Abraão e Isaque, em Gênesis 22, ilustra a dor e o amor de Deus atuando junto de Sua ira contra o pecado. Levando o amoroso pai sentenciar seu unigênito e inocente Filho à morte. A diferença para Abraão é que Deus completou a execução da sentença, até a morte do Filho.

Terça-feira: Salvação em Isaías

Qual a essência, grande ênfase e revelação do evangelho de Cristo pregado em Isaías 53?

1. A grande ênfase do evangelho de Cristo pregado em Isaías 53, é o caráter substituto do servo sofredor.

2. A única maneira de nos salvar era Jesus pagar a penalidade em nosso lugar e, só então, nos oferecer Sua perfeita justiça, que reivindicamos pela fé.

3. Isaías 53 apresenta a mais clara explanação teológica da cruz, mostrando todos os significados da cruz, apontam para Cristo morrendo em nosso nome, suportando em Si mesmo o castigo que merecemos.

Quarta-feira: Os evangelhos e a cruz

Qual é o foco central dos evangelhos?

1. Acima da grandeza das ações de Jesus, ou da profundidade dos Seus ensinamentos, a Cruz é o grande foco dos evangelhos.

2. O grande esforço de Jesus, nos quatro evangelhos, esteve em preparar os discípulos para a grande prova da cruz.

3. Os quatro escritores dos evangelhos decidiram enfatizar a última semana da vida de Cristo e Sua morte. Cada leitor é "forçado" a prestar atenção no grande ato redentor de Deus e no Seu grande amor.

Quinta-feira: O brado na cruz

Você pode lembrar-se de alguns dos muitos paradoxos da cruz? Mencione alguns e descubra qual é o maior de todos.

1. O maior paradoxo da cruz, é que a morte de Cristo na cruz não pode ser comparada a nenhum exemplo de grande sacrifício de amor altruísta. Mais do que isto, só Deus poderia morrer na cruz, para que Deus recebesse em Seu próprio corpo, a dor de Sua própria ira, contra o pecado de quem Ele quisesse salvar.

2. Os brados de Cristo na cruz revelam que o Salvador não podia enxergar para além dos portais do sepulcro... Temia que o pecado fosse causar eterna separação de Deus... Mas revela também a fé no amor do Pai, clamando e se entregando a Ele, em cada angústia, desespero e sentimento de desamparo.

3. O "brado de desamparo" de Jesus é o clamor mais doloroso da Bíblia. Não existe nenhuma expressão que se iguale à de Jesus na cruz. Nessse brado temos um vislumbre do que o Senhor estava disposto a sofrer, a fim de nos trazer a salvação.

Conclusão

1. Nas Escrituras, Deus é retratado como tendo grande amor pelos pecadores e também como tendo grande ira contra o pecado. Alguns acham que o amor e a ira de Deus são conflitantes e competem a própria natureza de Deus. Não seria o amor de Deus pelos pecadores, uma das principais razões pelas quais Ele está irado contra o pecado?

2. O que o ato de Cristo como Salvador nos ensina sobre o amor divino?

3. A compreensão da santidade de Deus, em contraste com nossa pecaminosidade, nos ajuda a entender melhor o alto preço de nossa salvação.

Desde as primeiras páginas de Gênesis, a Bíblia aponta Cristo na cruz, onde Ele morreria a morte do pecador, a fim de nos redimir da destruição eterna que o pecado traz. Embora a Bíblia use símbolos e metáforas diferentes para explicar a morte de Cristo, no centro de tudo isso está Sua função como substituto. Afinal, o que mais, seres caídos como nós, poderiam acrescentar a esse sacrifício?

"A infinita misericórdia e amor de Jesus, o sacrifício feito por Ele em nosso favor demandam a mais séria e solene reflexão. ... Ao contemplarmos assim os temas celestiais, nossa fé e amor se fortalecerão, e nossas orações serão cada vez mais aceitáveis a Deus, porque a elas se misturarão cada vez mais a fé e o amor. Serão inteligentes e fervorosas." (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 89).

Pr. Elton Bravo
Departamental do Ministério Jovem da ACSR

Recapitulando com sucesso - lição 3

Clique abaixo em "Leia Mais" ou no título para assistir o vídeo produzido pela União Sul Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia para auxiliar os professores da Escola Sabatina a aprimorar a didática no ensino da Lição a cada sábado.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Tratamento pode reverter a síndrome de Down

Cientistas dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA fizeram uma descoberta que pode entrar para a história da medicina: conseguiram reverter os problemas de aprendizado e de memória em ratos com síndrome de Down. Para fazer isso, trabalharam sobre duas proteínas, que se chamam NAP e SAL. Elas são essenciais para o funcionamento das células gliais, que alimentam os neurônios com nutrientes. Nos portadores da síndrome de Down, as células gliais não funcionam direito - e é por isso que a pessoa apresenta dificuldades de aprendizado.

Os pesquisadores trataram camundongos de laboratório, que haviam sido geneticamente modificados para desenvolver a síndrome de Down, com essas duas proteínas - administradas por via oral. Após quatro dias de tratamento, as cobaias passaram a obter o mesmo desempenho dos ratos normais em tarefas cognitivas, como percorrer um labirinto. Os autores do estudo ainda não sabem se o tratamento pode ajudar também em outros sintomas da síndrome de Down, como problemas de malformação e no sistema cardiovascular, mas acreditam que seja possível.

De toda forma, ainda há um enorme salto a ser dado. "Não fizemos testes com humanos, então não sabemos se funciona com eles. E ainda há muitas etapas antes que os testes em pessoas possam começar", diz Catherine Spong, líder da pesquisa. Sem falar nas diferenças entre o cérebro de um rato e de um humano. Mas a descoberta aponta um novo caminho para a pesquisa - e a esperança. (Super Interessante)

Nota: Esperança é a nota tônica de todo cristão. A Grande Esperança que a Bíblia apresenta é que um dia toda doença será eliminada da Terra. Jesus prometeu que vai voltar (João 14:1-3). Sua volta aparece cerca de 1500 vezes nas Escrituras Sagradas. E, quando voltar, Ele "enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram." Apocalipse 21:4. Pense nisto, estude a Bíblia, e prepare-se para este dia! - Pr. Evandro Fávero

Por que Estudar a Lição da Escola Sabatina?

Um sábado desses eu estava em uma Unidade de Escola Sabatina, em determinada igreja aqui de Natal, e apenas 3 pessoas na Classe possuíam e haviam estudado a Lição da Semana, apesar de o grupo ser formado por umas 15 pessoas. É uma pena, pois a lição é preparada por grandes estudiosos. Mas são poucos os que parecem se preocupar com seu crescimento intelectual na doutrina, apesar de conhecê-la bem ser considerado importante fator para a salvação (cf. Efés. 4:14; 1Tim. 4:16; 1Ped. 3:15; 2João 1:9)

A conseqüência disso foi que temas tão interessantes, empolgantes, desafiadores e importantes (como: Trindade, encarnação de Cristo, Santuário, Romanos, Gálatas, epístolas de João, etc.) dão lugar a comentários vazios, pseudo-polêmicos e secundários, feitos exatamente pelos que adoram usar o "teologuês" na hora do estudo da Lição, porque não se dão ao trabalho de estudá-la durante a semana.

Houve um dos que estavam visitando a Classe que aproveitou a ocasião para apresentar seus "conhecimentos" sobre o grego bíblico de João 1:1-3, tomando grande parte do tempo da Lição, e sem contribuir com praticamente nada para a compreensão do tema estudado.

Certa vez eu fiz aqui um comentário sobre a grande importância que eu atribuo ao estudo sistemático da Lição da Escola Sabatina, bem como à leitura mensal da excelente Revista Adventista (veja aqui). Situações como a que presenciei na igreja citada no início só reforçam minha convicção de que a igreja não está mais perecendo por falta de conhecimento, por culpa dos "sacerdotes", como na época de Oséias. A culpa é totalmente nossa, dos membros, que não aproveitamos a alimentação consistente e sadia que nos é oferecida pela Instituição a qual nos associamos.

A Igreja é tão preocupada com o livre-acesso ao material da Lição, que disponibiliza gratuitamente o conteúdo semanal na Internet, para aqueles que preferem não adquirir o material impresso, apesar do irrisório valor cobrado, em comparação com o grande benefício proporcionado pelo estudo da Lição da Escola Sabatina.

Nenhuma outra denominação mundial faz isso pelos seus membros!

Gilson Medeiros

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Resumo da lição número 2 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: “No Princípio”

Texto-chave

“Nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a Terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dEle e para Ele”. (Cl 1:16).

Objetivos

1. Resgatar a ideia de defender o modelo Bíblico Criacionista tradicional.

2. Saber diferenciar o modelo evolucionista do modelo criacionista, reforçando a ideia de que não é possível conciliá-los.

3. Entender que os sete dias da semana da criação do mundo foram literais e não simbólicos.

Verdade Central

A doutrina da criação em seis dias literais é fundamental para tudo que acreditamos como adventistas do sétimo dia.

Lição de domingo: Semana da Criação

O texto de Gênesis 1:1 nos passa a ideia de acaso ou planejamento?

1. O primeiro capítulo de Gênesis não é tratado científico para explicar a origem do Universo, mas é suficiente para sabermos que Deus foi o Criador dos céus e da terra.

2. A expressão “a Terra era sem forma e vazia” indica que ela já existia e que foi “preenchida” com planejamento e propósito pelas mãos do Criador.

3. Sem planejamento ou propósito, a Terra seria fruto do acaso e assim nós, seres humanos, também viveríamos sem propósito e a Cruz não teria sentido.

Lição de segunda-feira: O Coração do Criador

Qual o sentido de “pairar sobre as águas” em Gênesis 1:2, referindo-se ao Espírito Santo?

1. Moisés usa esta expressão mais de uma vez referindo-se ao cuidado de Deus.

2. Como uma ave que paira suas asas sobre seus filhotes, assim o Espírito Santo pairava sobre o “ninho” que estava preparando para nós.

3. Houve envolvimento emocional entre Deus e o homem em cada detalhe da Criação.

Lição de terça-feira: Os céus proclamam

Quanto tempo gastamos em aprender sobre o Amor de Deus na natureza? Estamos perdendo esta prática?

1. Nos Salmos encontramos várias declarações que mostram como a natureza revela o amor de Deus. O Salmo 19 é um deles.

2. Quanto mais estudamos as obras de Deus, mais surpresas surgem e é impossível ao homem desvendar todos os mistérios da natureza, pois são frutos de Sua Mente Infinita.

3. Apesar de nosso mundo de tristeza e pecado, podemos nos concentrar nas maravilhosas obras de Deus e vivermos com alegria.

Lição de quarta-feira: A Cruz e a Criação

Qual é o fator que une Criação e Redenção em João 1:1-13?

1. Jesus como agente da Criação e da Redenção exclui qualquer tentativa de unir Criacionismo com Evolucionismo.

2. A morte como processo natural da Evolução entra em contradição com a Redenção, pois seria impossível Jesus nos libertar do processo que Ele mesmo planejou.

3. A Evolução ensina que nosso mundo está progredindo. A Criação nos ensina que saímos do perfeito para o decadente e que precisamos retornar para o perfeito.

Lição de quinta-feira: Criação e recriação

Como a Criação está relacionada à restauração deste mundo? De que forma a Evolução separa estes dois eventos?

1. Nossa esperança se baseia nas promessas de um novo céu e uma nova terra. Sem acreditar nisso, em vão lutamos contra o pecado.

2. De forma milagrosa e espetacular Deus criou e recriará este mundo.

3. A ideia de Deus deixar que o mundo evoluísse sem Sua interferência vai totalmente contra a promessa de que num abrir e fechar de olhos seremos transformados.

Conclusão

Não existe relação entre Evolução e Criação. Ou cremos que Deus planejou e criou o mundo com propósitos ou que simplesmente surgiu do acaso e, tentar formar uma terceira teoria é impossível.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem suas doutrinas baseadas no modelo tradicional da Criação. Tentar infiltrar pontos evolucionistas na doutrina da Criação faz cair por terra todas as outras doutrinas.

O mesmo Jesus que nos criou é o mesmo que nos salvou e o mesmo que nos restaurará do pecado.

Pr. Jakson Roberto de Andrade
Capelão do Colégio Adventista de Porto Alegre

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Recapitulando com sucesso - Lição 2

Clique abaixo em "Leia Mais" ou no título para assistir o vídeo produzido pela União Sul Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia para auxiliar os professores da Escola Sabatina a aprimorar a didática no ensino da Lição a cada sábado.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Estudo prova que carne vermelha causa vários tipos de alergia

O resultado de um sério estudo sobre alergias à alimentos foi divulgado nos EUA e deixou perplexa a comunidade científica. É que a pesquisa conduzida pela Academia Americana de Alergia indica que não são raros como se pensavam os casos de indisposição à carne vermelha.

São comuns os casos de alergia à camarões e frutos do mar, mas com carne vermelha esta é a primeira vez que se identifica o carboidrato que provoca alergia no sangue humano.

O estudo foi conduzido pela Universidade da Virginia e pelo Centro Médico John James, da Austrália. Foram analisados 60 casos de alergias sem diagnóstico e em 25 deles o culpado era a substância alpha-galactose, presente na carne.

Até este estudo, os médicos acreditavam que alergia aos alimentos só aconteciam até duas horas depois da ingestão, mas os estudos com carne mostraram que eles estavam equivocados.

Nota: Deus deu a alimentação natural para o ser humano. A alimentação com carne foi cedida ao homem como medida emergencial após o dilúvio. "Se já houve um tempo em que o regime alimentar devesse ser da mais simples qualidade, esse tempo é agora. Não devemos pôr carne diante de nossos filhos. Sua influência é provocar e fortalecer as mais baixas paixões, tendo a tendência de amortecer as faculdades morais. Cereais e frutas preparados sem gordura, e no estado mais natural possível, devem ser o alimento para as mesas de todos os que professam estar-se preparando para a trasladação ao Céu." Ellen White, Conselhos sobre Saúde, 42 - Pr. Evandro Fávero

sábado, 7 de janeiro de 2012

Sexo na adolescência e comportamento adulto

Segundo uma nova pesquisa, sexo durante a adolescência pode afetar o humor e o desenvolvimento do cérebro na idade adulta. O estudo, que foi realizado em hamsters, revela como as experiências sociais durante a adolescência, quando o cérebro ainda está em desenvolvimento, podem ter consequências amplas. Especificamente, os animais que copularam mais cedo na vida tinham níveis mais elevados de comportamentos depressivos, alterações no cérebro e tecidos reprodutivos menores em comparação com aqueles que tiveram relações sexuais mais tarde (ou não tiveram relações). “Ter uma experiência sexual durante esse ponto no tempo, no início da vida, traz consequências”, disse o coautor do estudo, John Morris. [...]

“Estudos anteriores em animais mostraram que as experiências e os hormônios sexuais, quando administrados no início da vida, têm consequências a longo prazo para o cérebro, para a fisiologia e comportamento”, disse o coautor da pesquisa, Zachary Weil. [...]

Sisk disse que acredita que uma combinação de hormônios e experiências afeta o desenvolvimento do cérebro durante a puberdade e adolescência. “Nos seres humanos, essas duas variáveis são difíceis de separar, porque os níveis elevados de hormônio que são típicos da puberdade levam ao aparecimento de características sexuais secundárias, que por sua vez alteram a natureza das interações com os pais, colegas e professores”, disse ela.

Os resultados do estudo são muito preliminares, e devem ser usados apenas para estimular a discussão sobre o papel das experiências iniciais na vida de seres humanos de uma forma geral.

“Há evidências anteriores de que a idade da primeira experiência sexual correlaciona-se com problemas de saúde mental em humanos”, disse Weil. “Mas, como todas as pesquisas com seres humanos, há uma série de outras variáveis envolvidas, como a supervisão dos pais e o status socioeconômico, que podem estar envolvidos tanto com a idade da primeira experiência quanto com a depressão”, explica.

Embora essa pesquisa possa ser útil em começar a compreender os resultados de saúde física e mental do sexo na adolescência em humanos, Weil disse que a principal conclusão do estudo é que a experiência durante a adolescência, quando o cérebro ainda está se desenvolvendo, pode ter efeitos a longo prazo sobre a saúde e o comportamento.

Weil disse que os dados, no entanto, indicam o quão potencialmente prejudicial pode ser a negligência e o abuso de jovens, em que ambos hormônios elevados e experiências negativas estão em jogo. (Hype Science publicado por Michelson Borges em Criacionismo.com.br)

Clique aqui para saber mais sobre as consequências do sexo fora de contexto.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Resumo da lição número 1 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: “O Deus Triúno”

Texto-chave
“Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna”. Jd. 20:21


Objetivos

1. Saber: A natureza trinitária do único Deus absoluto.

2. Sentir: A necessidade do trio celestial atuando contra as forças do mal.

3. Fazer: Aceitar e ver o grande amor da Divindade ao se sacrificar pela humanidade.

Verdade Central

Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três pessoas coeternas. Deus é imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente. Ele é infinito e está além da compreensão humana, mas é conhecido por meio de Sua auto-revelação. As Escrituras contêm referências e sugestões com relação à divindade e unidade da Trindade divina.

Domingo: A Unicidade de Deus

Existe apenas um Deus?

1. A unicidade de Deus diz respeito a singularidade do ser divino. Existe um único Deus em contraste com mais de um.

2. A palavra hebraica “echad” (um, entre outros) utilizada em Dt. 6:4 e Gn. 2:24 se refere a uma unidade composta. Uma unidade que resulta da união de mais pessoas. Moisés poderia dispor da palavra “yachid” (um no sentido de único ou sozinho) se referindo a um no sentido unitário, mas não no sentido plural. Porém ele empregou o plural “echad”, significando um entre outros numa unidade combinada ou compartilhada.

3. As declarações bíblicas a respeito da existência de “um só DEUS” dizem respeito a um Deus absoluto, nada falam, porém sobre a natureza interior do único Deus absoluto.

Segunda-feira: A Divindade de Cristo

A Divindade de JESUS:

1. Em Fl. 2:6 são encontradas expressões que revelam a divindade de Cristo:
1. “Subsistindo em forma de Deus”. A palavra grega “morphe” (forma) denota todas as características e atributos essenciais de Deus. Segundo Millard Erickson a palavra “morphe” significa o conjunto de características que fazem de uma coisa aquilo que ela é. Ele possuía inerentemente a essência ou substância da natureza ou “forma” divina.

2. “Não julgou como usurpação ser igual a Deus?”. Paulo esta dizendo aqui que alguém que era igual ao Pai esteve disposto a abdicar “do status e privilégio que eram Seus no Céu”. Ele não desistiu de Sua natureza divina, mas, ao manifestar Sua atitude redentora e auto sacrifical, não considerou o privilégio de ser igual a Deus “algo a que devesse apegar-se” ou “agarrar-se em seu próprio benefício”.

3. Em Col. 2:9 é afirmado que em Jesus habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade. O termo grego para Divindade é “theotes”. O termo aplica-se a própria face de Deus, Sua expressa imagem, a própria transcrição de Seu ser. Ou seja, o apóstolo declara que na pessoa de Jesus Cristo temos a própria “essência” da natureza da divindade revelada “corporalmente”.

4. Em Hb. 1:8 e 9 o autor faz uso do Sl. 45:6 para falar de Jesus Cristo, o filho de Deus. Esta é a primeira de sete (João 1:1 1 18; 20:28; Rm. 9:5; Tt. 2:13; II Pd. 1:1) aplicações neotestamentárias diretas do termo grego para “Deus” (Theos) a pessoa de Jesus. Os autores do Novo Testamento estão se referindo a Jesus como Deus.

5. As declarações “EU SOU” ( Jo. 6:35; 8:12; 8:58; 10:7; 10:11; 11:25; 14:6; 15:1 e etc) no evangelho de João deixam claro a natureza divina de Cristo. Cristo utilizou o mesmo nome usado por Deus ao revelar-se a Moisés em Ex. 3:14, “EU SOU O QUE SOU”. Atributos divinos são enfatizados através do nome EU SOU:
➢ Onipotência (Jo. 6:20-21);
➢ Eternidade (Jo. 8:58);
➢ Presciência (Jo. 13:19);
➢ Manifestação de honra e poder divinos (Jo. 18:5, 6 e 8) e
➢ Jesus como fonte de Salvação (Jo. 8:24)

Terça-feira: O Espírito Santo

Quem é o Espírito Santo?

1. O Espírito Santo possui atributos divinos:

➢ Eterno (Hb. 9:14);
➢ Sabe todas as coisas (I Cor. 2:11);
➢ Criador (Gn. 1:2);
➢ Pode ser blasfemado (Mt. 12:31 e 32. Somente Deus pode ser blasfemado);
➢ Intercede com gemidos inexprimíveis (Rm. 8:26);
➢ Onisciente (I Cor. 12:11 / Evangelismo, 617);
➢ Onipresente (Sl. 139:7 e 8);
➢ Verdade (I Jo. 5:7);
➢ Vida (Rm. 8:2) e
➢ Poder (Lc. 1:35 e Rm. 15:19).

2. A evidência bíblica sugere fortemente que o Espírito Santo é uma presença pessoal (ver itens 1 ao 6) profundamente sensível, útil e poderosa, com a finalidade de orientar e guiar.

➢ É possível mentir – At. 5:3-4;
➢ Pode ser entristecido – Ef. 4:30;
➢ Possui vontade ou a capacidade de fazer escolhas – I Cor. 12:11;
➢ Guia e orienta – Rm. 8:16;
➢ Ensina – Jo. 14:26;
➢ Convence – Jo. 16:8

3. A menção do Espírito Santo na fórmula batismal (Mt. 28:9) é um indicativo de sua Divindade. Está presente em 1400 manuscritos (todos) do Evangelho de Mateus. A fórmula saiu dos lábios de Jesus. Era conhecida pelos “Pais da Igreja” (Eusébio, e etc). Nos escritos de Ellen G. White é citada 168 vezes.

4. Jesus apresentou o Espírito aos discípulos como o “outro Consolador” (Jo. 14:16). Visto que o termo grego “allos” significa “outro da mesma espécie”, segue-se que o Espírito Santo era da mesma espécie que Cristo, a saber, uma pessoa divina.

Quarta-feira: Unidade e Igualdade

A Pluralidade de Deus:

1. Textos que sugerem uma pluralidade na Divindade no A.T.:

➢ Dt. 6:4 – Uso inerentemente do plural “echad” (Unidade composta).
➢ Gn. 1:26 e 27 – O plural “Façamos o homem a nossa imagem”. Deus fala de si mesmo no plural.
➢ Gn. 3:22 – Referindo-se ao pecado de Adão e Eva, “disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal”.
➢ Gn. 11:7 – Na história do pecado do povo junto a torre de Babel, Deus disse: “Vinde, desçamos, e confundamos a sua linguagem”.
➢ Is. 6:8 – Durante um visão o profeta Isaías relata ter ouvido a voz do Senhor, que dizia: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós ?”

2. Textos que sugerem uma pluralidade na Divindade no N.T.:

➢ Mt. 28:19 – A palavra “nome” utilizada no singular para descrever o Pai, o Filho e o Espírito Santo na ordem batismal. Este texto sugere que o Santo trio é um em nome, uma vez que Eles compartilham o próprio caráter da divindade.
➢ II Cr. 13:13 – Apresenta a saudação apostólica.
➢ Mt. 3: 16 e 17 – Ao Jesus iniciar formalmente o Seu ministério público de redenção, todos os três membros do Trio Celestial se encontravam presentes. O Filho mostra-Se em Sua existência humana encarnada, o Espírito Santo se apresenta sob a forma de uma pomba, e o Pai Se revela com voz audível. Estes textos retratam poderosamente a unicidade de propósito da Divindade.

Quinta-feira: Trindade e Salvação

O Propósito da Divindade:

3. A Em virtude de Sua profunda unidade e triúna unicidade em natureza, podemos reconhecer que o Pai e o Espírito Santo estavam também profundamente presentes e solidários com a morte substituta de Cristo (Ver II Cor. 5:18 e 19).

4. A humanidade de Jesus achava-se tão vinculada a Sua plena divindade que, ao Ele morrer, podemos verdadeiramente dizer que toda a Divindade “estava em Cristo” e sofreu a Sua morte expiatória. Em Cristo Ele satisfez as necessidades da justiça através de Seu próprio auto-sacrifício divino e voluntário. Somente Deus poderia realizar o Sacrifício (Maior revelação de altruísmo do Deus Triúno).

5. O Deus triúno através do Filho suportou a penalidade do pecado como nosso substituto e fez uma provisão infinitamente valiosa e poderosa para a plena reconciliação de toda a raça humana. E se Deus pode fazer uma provisão tão eficaz para a humanidade alienada pelo pecado, isso assegura-nos que Ele também pode restaurar as divisões mais amplas do Universo.

6. Uma vez que Deus é eterno, as três pessoas sempre existiram. A definição Pai, Filho e Espírito Santo aparecem apenas depois da queda, dentro do plano da redenção.

7. “Há três pessoas vivas pertencentes ao trio celeste; em nome destes três grandes poderes, o Pai, o Filho e o Espírito Santo os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo”. Evangelismo, 615

Conclusão

1. A compreensão trinitária de Deus aponta-nos a exaltada experiência de tornarmos Deus o ponto central de toda adoração, formação moral, serviço e testemunho ao Mundo.

2. O Deus revelado nas Escrituras consiste de três pessoas divinas que existiram desde toda a eternidade em profunda unidade ou unicidade de natureza, propósito e caráter.

3. A verdade contida nesta profunda doutrina forma a base essencial para o próprio âmago do que representa o cristianismo.

4. Na Divindade vemos o único Deus absoluto, manifestado em três pessoas: O Pai parece atuar como fonte, o Filho como mediador e o Espírito Santo como atualizador ou aplicador. A encarnação ilustra de forma bonita o relacionamento funcional entre as três pessoas da Divindade: O Pai entregou Seu Filho. Cristo deu-se a Si próprio e o Espírito Santo operou a concepção de Jesus (Jo. 3:16, Mt. 1:18 e 20)

• Citações de Ellen White:

A) Os eternos dignitários celestes - Deus, Cristo e o Espírito Santo - munindo-os [aos discípulos] de energia sobre-humana, ... avançariam com eles para a obra e convenceriam o mundo do pecado. Manuscrito 145, 1901, citado no livro Evangelismo, 616.

B) “O Pai é toda a plenitude da Divindade”. “O Filho é toda a plenitude da Divindade” e o “Espírito Santo é toda a plenitude da Divindade”. Evangelismo, 614 e 615;

C) Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Special Testimonies, Série B, nº 7, pág. 51, citado no livro Evangelismo, 617.

Pr. João Nicolau Gonçalves
Distrito de Indaial/SC - ANC

Recapitulando com sucesso - Lição 1

A União Sul Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia lançou um vídeo para auxiliar os professores da Escola Sabatina a aprimorar a didática no ensino da Lição a cada sábado. Veja a primeira edição deste vídeo que terá publicação semanal.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Campanha mundial de oração

Começa amanhã a campanha "Operação Chuva Global", onde pessoas em todo mundo irão orar simultaneamente pelo derramamento do Espírito Santo. O projeto foi idealizado pela Igreja Adventista e acontece entre 4 a 14 desse mês. Na internet, a campanha está sendo promovida pelo site reavivamentoereforma.com e pela página facebook.com/ igrejaadventistadosetimodia.

A Rádio e TV Novo Tempo também estarão incentivando diariamente as pessoas a orar e passarem mais tempo com Deus estudando a Bíblia.

Quem acessa a internet poderá assistir e fazer download de vídeos abordando o tema do dia.

Para cada dia haverá um motivo especial de oração:

04/01 - Intercessão pelo derramamento do Espírito Santo - Hebreus 10:22
05/01 - Entrega pessoal - Tiago 1:6
06/01 - Arrependimento sincero - Daniel 9:4-6
07/01 - Confissão - I João 1:9
08/01 - Amor pelos perdidos - João 17:20 e 21
09/01 - Exame pessoal - problemas com familiares ou membros da igreja - Salmos 51
10/01 - Ajuda financeira para a obra de Deus - Filipenses 2:5-9
11/01 - Obediência - maturidade em Cristo - Romanos 12:1 e 2
12/01 - Ação de graças - cura dos doentes - Filipenses 4:4-6
13/01 - Testemunho apaixonado - missão para o mundo - Romanos 1:16 e 17

Veja algumas dicas:

- Peça a Deus para preparar o seu coração para essa experiência de 10 dias de oração.
- Forme um grupo de oração. Convide uma ou mais pessoas para acompanhá-lo, ou peça ao pastor de sua igreja para divulgar essa atividade para toda a igreja.
- Escolha um horário conveniente para que as pessoas que você convidou possam participar com você.
- Separem uma hora por dia para orar, se possível.
- Comecem e terminem o momento de oração em grupo com louvores e agradecimentos.
- Façam orações de frases curtas para que cada pessoa possa orar mais de uma vez e para permitir ao Espírito Santo impressioná-lo como orar.
- Passem mais tempo efetivamente orando em grupo do que apresentando pedidos de oração.
- Separe tempo pessoal, particular com Deus, além do tempo de oração em grupo.
- Pense em adotar algum tipo de jejum, como o de TV, música secular, filmes, Internet, ou sobremesas.
- Use o tempo extra para orar e ler a Bíblia.
- Peça a Deus para Se revelar a você.
- Peça ao pastor de sua igreja para promover os 10 dias de oração na igreja local através de testemunhos de como Deus operou como resultado das orações em grupo.
- Nos cultos de Sábado durante os 10 dias dêem um destaque especial a oração.
- Peça a Deus para mostrar-lhe cinco pessoas por quem orar durante os 10 dias.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Tempo gasto na igreja está relacionado a queda da pressão arterial

Um estudo norueguês de larga escala conduzido no condado de Nord-Trondelag, na Noruega, e liderado por pesquisadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), descobriu uma relação clara entre o tempo gasto na igreja e a queda da pressão arterial em homens e mulheres. Em outras palavras, aqueles que eram religiosamente ativos eram mais saudáveis do que quem não era.

“Descobrimos que, quanto maior a frequência das pessoas à igreja, menor era sua pressão arterial, mesmo quando mantínhamos sob controle uma série de outros possíveis fatores explicativos”, disse ao MedicalXpress Torgeir Sorensen, doutorando da Faculdade de Teologia e do Centro de Psicologia da Religião na Sykehuset Innlandet (Inland Hospital).

É a primeira vez que um estudo do tipo é feito na Escandinávia. Sorensen explicou que pesquisas anteriores realizadas nos Estados Unidos já haviam mostrado essa relação, mas as muitas diferenças religiosas e culturais entre o país e a Noruega tornavam difícil transferir os resultados para a população escandinava.Cerca de 90% da população do condado de Nord-Trondelag são membros da igreja estatal norueguesa, enquanto os americanos apresentam uma variedade muito maior em suas preferências religiosas e éticas. A frequência à igreja também difere bastante. Cerca de 40% dos americanos vai a cultos religiosos semanalmente, contra apenas 4% em Nord-Trondelag County.

“Por esse motivo, não esperávamos encontrar qualquer correlação entre a religiosidade e a pressão arterial na Noruega. No entanto, nossos achados são quase idênticos aos anteriormente relatados nos Estados Unidos. Ficamos realmente surpresos “, disse Sorensen.

Causa e efeito

Apesar de trazer informações interessantes, o estudo revelou dados sobre um grupo de pessoas em um determinado momento, mas não disse nada sobre as causas. O professor Jostein Holmen, um dos autores do estudo, explicou que ainda é cedo para afirmar se a religiosidade afetou a saúde das pessoas ou se a saúde é que afetou a religiosidade. “A fim de determinar o que causa isso, precisamos de novos estudos que observem as mesmas pessoas em momentos diferentes”, disse. “Mas o fato de os fiéis terem a pressão arterial mais baixa nos encoraja a continuar a estudar esta questão.” (Super Abril)

Nota: Frequentar a Igreja, além de beneficiar a saúde, fortalece a fé, contribui para o relacionamento entre amigos e nos aproxima de Jesus. "Em Sua providência Deus impressiona as pessoas para freqüentarem as reuniões e os cultos da igreja... Muitas vezes são eles convencidos do pecado. A palavra proferida com espírito de amor faz neles impressão duradoura." - Pr. Evandro Fávero

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More