Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Fechar bares uma hora mais cedo reduz violência em 16%, afirma estudo

Cada hora a menos de funcionamento de bares à noite pode diminuir a violência associada ao consumo de álcool em 16%, segundo um estudo norueguês publicado nesta terça-feira na revista especializada Addicition. Os resultados também mostraram que uma hora a mais de bares abertos aumenta os índices de violência na mesma proporção. Um incremento de até 20 casos por ano a cada grupo de 100.000 pessoas.

"Esses resultados têm implicações importantes para comunidades no mundo inteiro que estão lutando contra o pesado fardo dos efeitos nocivos do álcool", afirma um dos autores do estudo, Thor Norström, do Instituto Sueco de Pesquisa Social, em Estocolmo, na Suécia. "Restringir o horário de venda parece ser uma medida eficaz para reduzir esses efeitos", completa.

Os resultados estão sendo divulgados um ano após o governo norueguês propor uma redução nacional do horário de venda de bebidas como forma de diminuir a violência. A proposta foi apoiada por autoridades policiais, mas rejeitada por empresários do ramo de bebidas e parlamentares de oposição ao governo, que afirmaram que a medida afetaria e economia e não teria efeito na redução da violência.

Experiência brasileira — Nas cidades pesquisadas, o horário de fechamento dos bares em fins de semana estava entre 1 e 3 horas da manhã. Tarde em comparação com as chamadas "leis secas" adotadas em cidades brasileiras.

Em Diadema, na Grande São Paulo, bares e lanchonetes que vendem álcool precisam fechar as portas antes das 23 horas. Em 2002, ano de implantação da lei, foram registrados 158 homicídios dolosos (com intenção de matar). No ano anterior, anterior, foram 238 homicídios — 60% deles entre as 23 e 6 horas, horário em que os bares ficam obrigatoriamente fechados. Em 2011, de janeiro a setembro, a cidade registrou 27 mortes criminosas. O poder público considera a diminuição expressiva no número de crimes contra a vida uma consequência da rigorosa legislação.

Também às 23 horas, os bares de Embu das Artes, outra cidade vizinha de São Paulo, deixam de funcionar. A lei está em vigor desde 2003 e a cidade registrou uma diminuição nos números da criminalidade. No início da década, eram registrados cerca de 200 homicídios a cada ano, a maioria durante a madrugada e nos arredores de bares. Este ano, foram 37 mortes até outubro; período em que 179 bares foram autuados. Segundo a prefeitura da cidade, desde a entrada em vigor da lei, nenhum homicídio foi registrado dentro de bares. Como em Diadema, a prefeitura multa bares que desrespeitam a norma e pode fechá-los em caso de reincidência.

Em Brasília, única capital a adotar esse tipo de "lei seca", os frequentadores de bares têm um pouco mais de tempo para consumir bebida alcoólica. De domingo a quarta, os estabelecimentos precisam fechar a 1 hora da manhã. De quinta a sábado, 2 horas. Ao mesmo tempo, outras bebidas tentam inibir o abuso de álcool. Postos de gasolina do Distrito Federal só podem vender bebidas até as 22 horas e o Detran e a PM realizam blitzes diárias para realizar o teste do bafômetro. (Veja)

Nota: Bom mesmo seria não utilizar o alcool em nenhum horário. A Bíblia é contra o uso de qualquer tipo de alcool porque nosso corpo e mente pertencem a Deus (Romanos 12:1-2, I Coríntios 3:16,17 e 6:19,20). O sábio Salomão afirmou que "O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio." (Provérbios 20:1) e "De quem são os ais? De quem as tristezas? E as brigas, de quem são? E os ferimentos desnecessários? De quem são os olhos vermelhos? Dos que se demoram bebendo vinho, dos que andam à procura de bebida misturada. Não se deixe atrair pelo vinho quando está vermelho, quando cintila no copo e escorre suavemente! No fim, ele morde como serpente e envenena como víbora. Seus olhos verão coisas estranhas, e sua mente imaginará coisas distorcidas.Você será como quem dorme no meio do mar, como quem se deita no alto das cordas do mastro. E dirá: 'Espancaram-me, mas eu nada senti! Bateram em mim, mas nem percebi! Quando acordarei para que possa beber mais uma vez?'" (Provérbios 23:29-35-NVI).

"Beber moderadamente, eis a escola em que se estão hoje educando homens para a carreira de alcoólatra. Tão gradualmente desvia Satanás das fortalezas da temperança, tão traiçoeiramente o inofensivo vinho e a cerveja exercem sua influência no gosto, que, eles entram na senda da embriaguez sem o suspeitar. O gosto pelos estimulantes é cultivado; o sistema nervoso fica em desordem; Satanás conserva a mente numa febre de desassossego, e a pobre vítima, imaginando-se perfeitamente segura, vai prosseguindo, até que toda barreira é derribada, sacrificado todo princípio." Ellen White, Conselhos sobre Regime Alimentar, 433. Pense nisto.

Pr. Evandro Fávero

Carne bem passada eleva riscos de tumor de próstata

O consumo da carne vermelha grelhada ou em churrasco pode aumentar em até duas vezes os riscos de desenvolvimento da doença

Uma nova pesquisa conduzida pela Universidade da Califórnia oferece evidências sobre a relação entre o câncer de próstata agressivo e o consumo de carne vermelha. O estudo sugere que essa relação seria causada principalmente pelo consumo da carne grelhada ou do churrasco, especialmente quando ela está bem passada. Os pesquisadores esperam que a descoberta ajude a determinar quais os potenciais causadores de câncer de próstata nos quais devem ser focadas as estratégias de prevenção. O estudo foi publicado na edição online do periódico PLoS ONE.

Apesar de já estabelecida, a relação entre o consumo de carne vermelha e o câncer de próstata ainda não estava clara. Os pesquisadores se propuseram, então, a descobrir se essa inconsistência se devia ao fato de diferentes tipos de tumores estarem relacionados a diferentes tipos de preparação da carne.

Pesquisa – Durante o estudo, feito entre 2001 e 2004, foram analisados 470 homens com câncer de próstata agressivo e 512 homens que não tinham a doença. Todos responderam questionários que permitiram aos pesquisadores avaliar não só o consumo de carne vermelha nos 12 meses anteriores, mas também o tipo de carne e sua preparação, incluindo o nível de cozimento.

Descobriu-se, então, que o consumo elevado de carne moída ou de processada estava positivamente relacionada com o câncer de próstata agressivo; a principal causa dessa relação foi a ingestão de carne grelhada ou de churrasco, tendo a carne mais bem passada os maiores riscos para a doença; homens que consumiam as maiores quantidades de carne vermelha moída bem ou muito bem passada tinham duas vezes mais chances de desenvolver o câncer de próstata agressivo – o consumo baixo aumentava os riscos em 1,5.

“Embora certos compostos mutagênicos, como MelQx e DiMelQx, tenham um papel fundamental nesse processo, outras moléculas também podem estar envolvidas. É preciso novos estudos para caracterizar melhor o papel desses compostos no câncer de próstata e para se descobrir se eles podem ser o alvo de uma prevenção quimioterápica desse câncer”, dizem os especialistas. (Cantinho Vegetariano)

Nota: Deus permitiu o uso de carnes em uma situação emergencial, por ocasião do Dílúvio, mas Seu plano original para o homem era a alimentação vegetariana (Gênesis 1:29). Ellen White escreveu: "Pelo comer carne, são enfraquecidas as faculdades físicas, mentais e morais. O homem é constituído daquilo que come. As paixões animais ganham domínio em resultado da alimentação cárnea, do uso do fumo e das bebidas alcoólicas. O Senhor dará sabedoria a Seu povo para preparar daquilo que a terra proporciona, alimentos que tomem o lugar da carne. Combinações simples de nozes e cereais e frutas, preparadas com sabor e habilidade..." Conselhos sobre Regime Alimentar, 269. Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Continência a Bandeira

Ao conduzir uma semana de oração no município gaúcho de Santa Maria, localizado na região central do Estado, algumas características locais me impressionaram bastante ao longo da minha estada na cidade. Santa Maria, quinta cidade mais populosa do Rio Grande do Sul, é uma região com um número expressivo de estudantes e de soldados. São nove Universidades, 18 unidades militares do Exército e uma base aérea. Depois do Rio de Janeiro é o segundo efetivo militar do país.

Todos os dias, pela manhã, fazíamos uma caminhada passando em frente do Regimento Maleet (3° GAC AP - Unidade de Artilharia mais antiga e tradicional do Exército Brasileiro) e me chamou a atenção a reverência e o respeito na hora do hasteamento da Bandeira Nacional.

Em conversa com Neimar Vargas de Jesus - membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Santa Maria -, militar do Exército, ele informou que o hasteamento da Bandeira é a primeira atividade oficial do dia. Ela é realizada pela guarda que está entrando de serviço, inclusive nos finais de semana e feriados, sempre às 08:00 horas da manhã. Uma vez por semana, entretanto, todo o efetivo do quartel participa da formatura geral e presta continência à Bandeira Nacional.

Em uma daquelas ocasiões em que passamos pelo local, parei a caminhada para observar o hasteamento. Fiquei impressionado ao ver que todos - inclusive um soldado que estava do outro lado da rua e uma jovem senhora que chegava atrasada - pararam e prestaram continência, manifestando, assim, respeito pelo símbolo nacional.

É claro que além de prestar continência à Bandeira todos os soldados devem, ao longo do dia, obedecer às ordens dos superiores e, após o término do expediente, a guarda de serviço presta continência novamente para arriar a bandeira, sempre às 18:00 horas.

Soldados de Cristo

Esta experiência me chamou a atenção porque nós também somos soldados e pertencemos a um exército. Ninguém está neutro. Ou pertencemos ao batalhão de Cristo ou ao do inimigo.

Estamos inseridos no Grande Conflito e nosso inimigo luta para nos destruir, pois sabe que pouco tempo lhe resta (Apocalipse 12:12).

Mas como vencer as artimanhas e estratégias do inimigo? O que faz de mim e de você um soldado no exército de Cristo? Ao contrário dos exércitos terrestres, no batalhão de Cristo todos podem e tem condições de ingressar. O único requisito é querer entrar.

Em Êxodo 17:15 Moisés afirma que o Senhor é nossa bandeira. E em Mateus 6:33 e Lucas 12:31 Jesus enfatiza a necessidade de buscá-lo em primeiro lugar. Por isso, se quero ser um soldado obediente e vencer na batalha do grande conflito, cada dia, na primeira hora do dia, somos convocados a prestar continência ao Senhor.

O Senhor é nossa bandeira mas é também o Grande General, o Senhor dos exércitos (1 Samuel 17:45). Ele deve ser o primeiro em nossa lista de prioridades. Levantar mais cedo para orar, estudar a Bíblia, meditar no sacrifício de Jesus e louvar o Seu nome deve ser a nossa primeira tarefa.

Ellen G. White escreveu muito sobre oração. No livro Caminho a Cristo (p. 70) ela enfatiza:

“Consagrai-vos a Deus pela manhã; Fazei disto vossa primeira tarefa... Esta é uma questão diária. Cada manhã consagrai-vos a Deus para esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência.”

Deus deve ser o primeiro, o último e o melhor. Por isso, ao longo do dia somos chamados a obedecer e, no final do dia, a prestar continência ao Senhor depondo nossa vida em seu altar. “Todo dia que passou no qual Cristo não teve permissão para entrar na alma, é um dia perdido.” (Ellen White, Este Dia com Deus, p. 51)

“Não pode haver limite à utilidade de uma pessoa que, pondo de parte o eu, oferece margem à operação do Espírito Santo em seu coração, e vive uma vida inteiramente consagrada a Deus.” (Ellen White, Ciência do Bom Viver, p. 159).

Lembre-se que a vitória verdadeira está no Senhor. Como diz o hino “Grande Comandante”, uma das canções inspiradoras do Hinário Adventista:

“Grande comandante Cristo nos será. Nesta guerra santa à frente marchará. Nunca Suas hostes abandonará. Há de até o fim lutar. Seu pendão glorioso vamos defender. Hostes inimigas sempre combater. Nosso general por certo irá vencer. Seguiremos a Jesus. Na feroz batalha temos proteção. E afinal em coro junto a multidão. Entoaremos todos a real canção. Quando nós chegarmos lá.

Sempre avante manda o General. Sempre avante guerra contra o mal. Firmes fortes nunca vacilar. Com Jesus havemos de ganhar”.

Pr. Evandro Fávero

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Resumo da lição 9 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: “Apelo pastoral de Paulo”

Texto-chave
“Eu lhes suplico, irmãos, que se tornem como eu, pois eu me tornei como vocês. Em nada vocês me ofenderam”. Gl 4:12

Objetivos
1. Conhecer a diferença entre o “fazer” e o “ser”.

2. Sentir que podemos confiar no amor e na direção de Deus, mesmo em meio às doenças ou sofrimentos.

3. Levar-nos a decisão de testemunharmos contextualizando a pregação do evangelho às diferentes pessoas e culturas.

Verdade Central

Devemos testemunhar da graça de Jesus, apesar das lutas que muitas vezes enfrentamos, assim poderemos falar aos outros da esperança que temos em Jesus.

Domingo: O coração de Paulo

Qual era a preocupação de Paulo com os Gálatas? Era puramente doutrinária ou pessoal?

1. Paulo queria ver o bem deles e sua salvação.

2. Ele tinha apresentado a eles Cristo como Salvador e agora via que se desviavam do genuíno plano da redenção.

3. Paulo desejava que Cristo fosse formado no coração deles.

Segunda-feira: O desafio da transformação

O que Paulo quis dizer com a afirmação: “Sede qual eu sou”?

1. Paulo não pediu que eles agissem como ele, mas que fossem como ele era.

2. A questão aqui não era o comportamento, mas sua identidade como cristão.

3. Ser como Paulo era significava confiar no que Cristo fez e não nas obras da lei.

Terça-feira: Eu me tornei como vocês

Até que ponto devemos contextualizar a mensagem do evangelho ao testemunharmos aos outros?

1. Paulo ía além das barreiras culturais e pregava o evangelho usando métodos diferentes que se adaptavam às diferentes culturas que ele buscava alcançar.

2. A contextualização nunca pode mexer no conteúdo do evangelho, apenas na forma como ele é pregado e na aplicação aos ouvintes.

3. Pense em formas como você poderia pregar o evangelho em sua própria cultura, mas para três pessoas diferentes: uma mãe solteira, um jovem universitário e um mendigo.

Quarta-feira: Naquele tempo e agora

Você conseguiria testemunhar com entusiasmo sobre a esperança em Jesus, quando você mesmo está vivendo uma situação difícil?

1. Uma enfermidade levou Paulo a ficar algum tempo na Galácia. Ele não desanimou e nem se acovardou, mas usou este tempo de recuperação para pregar o evangelho naquela região.

2. Este problema, talvez tenha sido a forma como Deus usou para conduzi-lo àquela região para ali pregar o evangelho.

Quinta-feira: Falando a verdade

Você já teve que dizer a alguém a verdade e sentiu que não foi aceito ou bem compreendido?

1. Paulo precisou dizer muitas verdades aos Gálatas.

2. Ele fez isso com firmeza, mas com amor.

3. Ele se importava com a verdade, mas também com eles. Quando você fala algumas verdades às pessoas, qual é seu objetivo real?

Conclusão

1. Quando as pessoas sabem que as amamos e nos importamos com elas fica mais fácil dizer o que tem que ser dito.

2. Precisamos pedir sempre a sabedoria de Deus para tornar claro e atual a mensagem do Evangelho às diferentes pessoas que entramos em contato.

3. Somente a presença e o poder do Espírito Santo poderão fazer por nós, em nós e através de nós essa grande obra.

Pr. Paulo Aguiar
Distrital em São Leopoldo - ACSR

Especialistas apontam principais erros dos pais na educação financeira dos filhos

Compensar a ausência dando presentes ou dinheiro ao filho. Dar mesada muito cedo. Tentar falar de dinheiro com a criança usando termos que ela não entende.

Esses são alguns dos erros que os pais cometem em relação à educação financeira dos filhos, na análise de especialistas no assunto.

Para a educadora financeira Cássia D’Aquino, o principal equívoco é achar que a criança não precisa ser educada sobre o tema.

"É um erro atribuir a responsabilidade da educação financeira à televisão, aos amigos ou à publicidade. Quem realmente interfere e estimula os filhos, em todos os aspectos, são os pais", diz.

O consultor financeiro Gustavo Cerbasi, que acaba de lançar o livro "Pais inteligentes enriquecem seus filhos" (Editora Sextante), afirma que os pais erram, por exemplo, quando deixam de envolver as crianças nas decisões financeiras da família.

"O filho pode ser convidado a participar do planejamento do orçamento das férias, da ceia de Natal ou de um fim de semana de passeio, por exemplo", sugere.

Só dar dinheiro não é suficiente

De nada adianta os pais se disporem a tratar do assunto com os filhos, no entanto, se usarem uma linguagem ou exemplos que não fazem parte da realidade das crianças.

O especialista em educação financeira Álvaro Modernell, autor de oito livros voltados para crianças, diz que um dos maiores erros dos pais é falar com elas de assuntos que fazem parte do universo adulto, como o custo da energia ou a aposentadoria.

Para Modernell, o mais adequado é fazer a abordagem em momentos relacionados a assuntos de interesse da criança.

"Se ela quer comprar uma bola, por exemplo, o pai pode ir com ela até duas ou três lojas para mostrar a importância da pesquisa de preços."

Outro erro comum, afirma Modernell, é achar que dar uma mesada já é suficiente. "Além de dar dinheiro, é importante que os pais deem orientação com relação ao planejamento e à poupança."

Dar dinheiro à criança sem data certa e valor definido também pode ter um efeito inócuo na educação financeira, afirma Cássia D’Aquino.

"A função da mesada é permitir que a criança possa começar a organizar seu dinheiro. Sem uma frequência, ela não tem como se planejar."
Mesada, só a partir dos 11 anos

Segundo Cássia, a mesada não deve ser dada à criança antes de ela completar 11 anos, porque é só a partir daí que ela tem a noção exata da duração do mês.

"Antes dos 11 anos, o ideal é dar uma semanada. Assim, se ela gastar todo o dinheiro e 'falir' no meio da semana, por exemplo, não precisará esperar tanto tempo para se recuperar", ensina.

Os especialistas também reprovam os pais que, na ânsia de dar aos filhos o que não tiveram, tentam satisfazer os desejos das crianças comprando presentes ou dando dinheiro de forma não planejada.

"Dessa forma, criamos a ilusão de que podemos compensar nossa ausência com a compra de bem-estar para os filhos", diz Gustavo Cerbasi. (UOL Notícias)

Nota: Os pais são os primeiros e grandes responsáveis pela educação dos filhos. A Bíblia orienta: "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele." Provérbios 22:6.

Ellen White escreveu: "Que se ensine cada jovem e criança não simplesmente a resolver problemas imaginários, mas a fazer com precisão as contas de seus próprios ganhos e gastos! Que aprenda o devido uso do dinheiro, usando-o! Quer seja suprido por seus pais, quer seja ganho por eles mesmos, aprendam os moços e as moças a escolher e comprar sua própria roupa, seus livros e outras coisas necessárias; e fazendo um registro de suas despesas aprenderão, como não o fariam de qualquer outra maneira, o valor e o uso do dinheiro." Conselhos Sobre Mordomia, pág. 294.

Pr. Evandro Fávero

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O olhar da fé

“E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.” João 3:14, 15

Trabalhamos no distrito missionário de Merced, um lugar tropical na selva peruana do departamento Junín, no centro do país. Com minha esposa estávamos visitando uma comunidade chamada Río Seco e no caminho topamos com uma cobra chamada “gergona”, que dizem ser uma serpente muito venenosa. Nossa reação foi nos abraçarmos e gritarmos como nunca! Os moradores do local correram em nosso auxílio e espantaram o animal. Recobrados do susto, veio-me à mente a experiência do povo de Israel, quando as serpentes venenosas do deserto começaram a atacar e a picar muitas pessoas.

Israel havia chegado na fronteira com a terra prometida, mas para entrar na terra de Canaã tinham de atravessar o território de Edom. Essa travessia lhes custaria quinze dias. Porém, como os edomitas não permitiram, os israelitas tiveram de rodear essa cidade, agora exigindo uma caminhada de três meses. O povo não mais queria seguir caminhando pelo deserto e assim desanimou. Sentiam-se perdidos, aniquilados e estavam morrendo de sede e fome. A Bíblia diz que a reação deles foi: “E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil” (Nm 21:5). Esqueceram que somente pelo poder de Deus tiveram a vida conservada naquele “grande e terrível deserto de serpentes abrasadoras, de escorpiões e de secura, em que não havia água” (Dt 8:15). Os israelitas deixaram de reconhecer a proteção de Deus. Então, o Senhor lhes tirou essa proteção para que pudessem apreciar Seu misericordioso cuidado e se voltassem para Ele, arrependidos e humilhados.

Em sua ingratidão e incredulidade, haviam declarado que preferiam a morte e recusavam a vida que vinha do Céu. Agora o Senhor lhes estava concedendo sua petição, permitindo que a morte lhes sobreviesse. Quando a mão protetora de Deus se afastou de Israel, muitíssimas pessoas foram atacadas pelas serpentes venenosas.

Houve então terror e confusão em todo o acampamento. Em quase todas as tendas havia mortos e moribundos.

O povo se humilhou diante de Deus. Muitos se aproximaram de Moisés para lhe fazer confissões e súplicas. Disseram: “Havemos pecado, porque temos falado contra o SENHOR e contra ti; ora ao SENHOR que tire de nós as serpentes” (Nm 21:7). Deus ordenou a Moisés que fizesse uma serpente de bronze, semelhante às que atacaram o acampamento, e que a levantasse diante do povo. Todos os que tivessem sido picados deveriam olhar para a serpente de bronze e encontrar a salvação.

Muitos já haviam morrido, mas quando Moisés a levantou, somente os que haviam sido picados e creram e aceitaram olhar para a serpente foram curados. Os demais pereceram na incredulidade. Não obstante, muitos tiveram fé na provisão de Deus para sua salvação.

A serpente de bronze tinha por objetivo ensinar uma lição importante para os israelitas. Não poderiam se salvar do efeito fatal do veneno que havia em suas feridas. Somente Deus podia curá-los. Porém, tinham de demonstrar fé na provisão de Deus. Deviam olhar e viver. A salvação não é como queremos ou pensamos, ela é o que Deus quer. Se você aceitar Deus, terá salvação e vida eterna.

Queridos companheiros no ministério, mantendo os olhos fixos em Jesus viveremos. Ele empenhou Sua palavra de nos salvar. Nosso dever primordial é olhar; o olhar da fé nos dará a vida eterna.

Pr. Walter Querevalú Mere
Missão Sul Oriental do Peru – UPS

domingo, 20 de novembro de 2011

Comunhão e Missão

A Igreja Adventista do Sétimo Dia está enfatizando e falando muito sobre Reavivamento e Reforma, Comunhão e Missão.

Reavivamento tem a ver com a renovação da vida espiritual e Reforma com
a mudança nos hábitos e práticas. Comunhão tem a ver com a busca de Deus
na primeira hora do dia e Missão com a pregação do Evangelho.

Isso significa que precisamos orar como nunca antes, mas precisamos pregar também. No livro Caminho a Cristo (p. 101), Ellen White observa: “Nossa vida deve ser tal como foi a de Cristo - dividir-se entre o monte da oração, e o convívio das multidões. Aquele que não faz senão orar, ou em breve deixará de o fazer, ou suas orações se tornarão formais e rotineiras. Quando os homens se retiram da convivência de seus semelhantes, da esfera dos deveres cristãos, deixando de levar sua cruz, quando deixam de trabalhar zelosamente pelo Mestre, que com tanto zelo por eles trabalhou, privam-se do objetivo essencial da oração, deixando de ser estimulados às devoções, suas preces se tornam pessoais e egoístas.”

Ela também escreveu: “Ao passo que nos cumpre orar pedindo as bênçãos de Deus, temos de reforçar nossas súplicas com trabalho mui diligente, cabal e zeloso.” Evangelismo, pág. 652.

Por isso, a Igreja Adventista do Sétimo Dia tem enfatizado a comunhão com Deus e a devoção pessoal na primeira hora do dia (Mateus 6:33). Ela é a base e o combustível que nos leva a orar intercessoramente e a pregar através de um Pequeno Grupo, Dupla Missionária, Recepção, Classe Bíblica ou Evangelismo.

A Devoção Pessoal também é a base para a fidelidade nos dízimos e ofertas. Paulo elogiou as igrejas da Macedônia porque antes de doarem voluntariamente deram-se primeiramente ao Senhor. “Pois dou testemunho de que eles deram tudo quanto podiam, e até além do que podiam. Por iniciativa própria eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos. E não somente fizeram o que esperávamos, mas entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus.” 2 Coríntios 8:3-5 (NVI)

Quando nos doamos primeiro ao Senhor entendemos que não seria muito dar um pouco do que Ele tem nos dado. O texto de II Crônicas 29:14 nos lembra: “Quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos contribuir tão generosamente...? Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos”. (NVI)

Por isso, antes de pensar em pregar o evangelho, ou em devolver os dízimos e ofertas ao Senhor, ou em mudar hábitos de vida, lembre-se de buscar primeiro ao Senhor Jesus a cada dia. “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.” Lamentações 3:22 e23

“A oração da fé é a maior força do cristão, e certamente prevalecerá contra Satanás. Eis por que ele insinua que não necessitamos orar. O nome de Jesus, nosso Advogado, ele detesta; e quando nos chegamos fervorosamente a Ele em busca de auxílio, os exércitos de Satanás ficam alarmados. Serve bem aos seus fins o negligenciarmos a prática da oração, pois então seus prodígios de mentira são recebidos mais facilmente.” (Evangelismo, p. 609)

Por isso, a Devoção Pessoal é a maior necessidade dos cristãos. Seja sua oração diária:

“‘Toma-me, Senhor, para ser Teu inteiramente. Aos Teus pés deponho todos os meus projetos. Usa-me hoje em Teu serviço. Permanece comigo, e permite que toda a minha obra se faça em Ti’. Esta é uma questão diária. Cada manhã consagrai-vos a Deus para esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência. Assim, dia a dia, podereis entregar às mãos de Deus a vossa vida, e assim ela se moldará mais e mais segundo a vida de Cristo.” (Caminho a Cristo, p. 70)

Pr. Evandro Fávero

sábado, 19 de novembro de 2011

Evangelismo A Grande Esperança

Clique na imagem acima e assista de 19 a 26 de Novembro o Evangelismo A Grande Esperança. Você pode assistir pela internet ou em uma Igreja Adventista do Sétimo Dia próxima a sua casa.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Resumo da lição 8 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT

Título: “De escravos a herdeiros”

Texto-chave
“Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro”. Gl. 4:7, NVI

Objetivos
1. Conhecer o processo pelo qual somos revestidos de Cristo no batismo e nos tornamos herdeiros de Seu reino.

2. Sentir a intimidade pai/filho, através do Espírito de Cristo em nosso coração.

3. Levar-nos a viver como filhos de Deus, não sob a condenação da lei, mas livres para aceitar os plenos direitos da herança.

Verdade Central

Enquanto vivemos a vida de Cristo, somos chamados filhos de Deus e temos todos os direitos dos que herdarão o reino de Cristo por causa de Suas dádivas, e não por nossos méritos.

Domingo: Nossa condição em Cristo (Gl. 3:26-29)

Qual a nossa relação para com a lei, agora que somos redimidos por Jesus?

1. Sem Cristo, estávamos sob o controle da lei como uma criança ficava sujeita à autoridade de um tutor ou aio.
2. A fé em Cristo nos eleva à condição de filhos de Deus. Paulo diz que já não somos “menores”, mas filhos adultos, que pelo batismo, se associam a Cristo e tornam-se “co-herdeiros” com Cristo (Rm. 8:17).

Segunda-feira: Escravizados aos princípios elementares

As leis e sacrifícios do Antigo Testamento eram apenas os fundamentos da salvação.

1. Para Paulo, estabelecer a vida em torno dessas regras, em vez de Cristo, é voltar no tempo, é voltar à imaturidade cristã.

2. Cristo nos perdoa as transgressões da lei e nos confere poder para obedecê-la.

3. A lei que nos condenava quando escravos, agora nos atrai como filhos.

Terça-feira: “Deus enviou Seu Filho” (Gl. 4:4)

A entrada de Jesus na história humana não foi acidente.

1. Foi uma iniciativa de Deus (“Ele enviou Seu Filho”).

2. Unindo Sua natureza divina à nossa natureza humana, Cristo se qualificou legalmente para ser nosso substituto, Salvador e Sumo Sacerdote.

3. Por Sua morte na cruz, Ele cumpriu a justiça da lei e ofereceu-nos a redenção.

Quarta-feira: Os privilégios da adoção (Gl. 4:5-7)

O que Paulo quis dizer com Cristo ter vindo ao mundo “resgatar os que estavam sob a lei” (v.4,5)?

1. A palavra resgatar significa “comprar de volta”.
2. Referia-se ao preço pago para comprar a liberdade de um refém ou escravo.
3. O contexto implica um passado negativo em que não havia liberdade. Nossa redenção nos liberta do diabo e de suas artimanhas, da morte eterna, do poder do pecado que nos escravizava e da condenação da lei.

Quinta-feira: Por que voltar à escravidão? (Gl. 4:8-20)

Paulo tinha em mente que as práticas religiosas dos gálatas eram um falso sistema de adoração que resultava em escravidão espiritual.

1. Sua carta era uma advertência aos gálatas que estavam se afastando da filiação e retrocedendo à escravidão.

2. Paulo apela para que os novos cristãos gálatas não retornassem aos “rudimentos fracos e pobres” que uma vez os haviam escravizado (Gl. 4:9).

Conclusão

1. Em Cristo fomos adotados na família de Deus como filhos e filhas.
2. Como filhos de Deus, temos acesso a todos os direitos e privilégios que envolvem essa relação de família.
3. Querer um relacionamento com Deus na base das normas e regulamentos seria um absurdo. Seria como um filho querendo renunciar à sua posição e herança a fim de se tornar escravo.

Pr. Wallace Barreto
Pastor distrital do IACS, RS.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Mantendo a sanidade mental em meio à crise financeira

Desde que cheguei aos Estados Unidos, no início de março, o que mais me surpreendeu foi a difícil situação econômica em que o país se encontra. Lojas vazias e preços em baixa. As grandes redes de lojas que antes dominavam o mercado e faturavam bilhões agora dão sinais de fraqueza, e algumas já fecharam as portas. O mercado imobiliário vai de mal a pior; oportunidades de emprego são cada vez mais raras, e milhões de pessoas estão sendo demitidas todos os meses. No Brasil, talvez a situação não esteja como na América do Norte, mas os ventos da crise já estão soprando.

Se você pensa que a crise econômica está afetando somente seu bolso, pense novamente. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a crise financeira global pode afetar sua saúde. Segundo Margaret Chan, diretora geral da OMS, a pobreza, exclusão social e sentimento de insegurança constante estão relacionados com o desenvolvimento de doenças mentais. Um artigo publicado em fevereiro de 2009, no New Englando Journal of Medicine, respeitado jornal médico americano, indica que demissões estão fortemente relacionadas com ansiedade, abuso de substâncias e comportamento antissocial. Ex-fumantes são mais propensos a voltar a fumar. Pessoas que usam álcool geralmente aumentam o consumo de bebidas alcoólicas para lidar com o estresse.

Mas não é só a mente que pode ser afetada. Pesquisadores do Laboratório de Neurociências Sociais da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, relatam que "estresse financeiro pode causar descontrole no sistema cardiovascular". Segundo Louise Hawkley, Ph.D, os níveis elevados de hormônios relacionados ao estresse provocam vasoconstrição dos vasos sanguíneos e aumento da pressão arterial, que aumenta o risco de doenças cardiovasculares, como o infarto.

As próprias operadoras de planos de saúde também poderão sofrer impacto negativo com o desemprego e desequilíbrio financeiro. Com a diminuição de usuários, medidas para contenção de despesas podem ser tomadas, e é possível que ocorram no futuro diminuição da cobertura e aumento das participações dos segurados nos custos de consultas, exames e tratamentos.

Em meio a esse cenário conturbado e preocupante, é melhor não dar abertura para as doenças. Para isso, nada melhor do que cuidarmos da saúde com medidas simples e baratas, principalmente se as finanças não vão muito bem.

Eis algumas dicas rápidas para aumentar sua disposição: tenha um horário definido para dormir. Durma cedo e de 7 a 8 horas por noite. Lembre-se: a cama é local de repouso físico e mental; tente não ficar pensando nos acontecimentos do dia nem nas possíveis dificuldades futuras. Ao despertar pela manhã, comece seu dia com 1 a 2 copos de água pura. Se preferir, coloque algumas gotas de limão. Então sorria, agradeça a Deus a saúde e saia de casa para uma caminhada ao ar livre. A combinação de água pura, ar puro, exercício físico e luz solar em moderação é um dos melhores remédios para qualquer tipo de doença, seja física ou mental.

Procure não dar espaço para pensamentos negativos e preocupações em excesso. Se os problemas surgirem, não perca a esperança. Faça seu melhor, pense naquilo que é bom e correto, e lembre-se de que temos um Deus que é especialista em resolver coisas impossíveis. Nos momentos de grandes dificuldades, temos uma oportunidade de nos aproximarmos de Deus e desenvolvermos nossa espiritualidade. Ter confiança e esperança nos ajuda a lidar com o estresse de maneira saudável e, cabe ressaltar, é totalmente gratuito.

Luiz Fernando Sella

Nota: Vale também o conselho de Jesus: "Não se preocupem, dizendo: “Que vamos comer?” ou “Que vamos beber?” ou “Que vamos vestir?”Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal." Mateus 6:31-34. Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Carne no prato, diabete à vista?

De uns tempos pra cá, a carne vermelha é vista com desconfiança. E o pé atrás é compreensível: estudos recentes indicam que abusar no consumo aumenta o risco de ter doenças cardiovasculares e certos tipos de tumores. Agora, uma ampla pesquisa realizada pela Escola de Saúde Pública da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, traz à tona uma nova e perigosa relação. Depois de acompanhar mais de 200 mil pessoas por uma média de 20 anos, os cientistas concluíram que comer 100 gramas de carne vermelha por dia, o equivalente a um bife, oferece um risco 19% maior de desenvolver diabete do tipo 2. Para aqueles que preferem abocanhar 50 gramas de embutidos, como uma salsicha ou dois pedaços de bacon, a história é mais desanimadora, já que o risco sobe para 51%.

"Uma das hipóteses para explicar o perigo representado pela carne vermelha é a presença de ferro do tipo heme. Ao que tudo indica, doses elevadas do mineral causam resistência à insulina", conta An Pan, líder do trabalho. Trocando em miúdos: quando o famoso hormônio que transporta a glicose para dentro das células tem dificuldade para exercer sua tarefa, o sangue fica lotado de açúcar e, com isso, o diabete dá as caras.

Outras teorias, vale ressaltar, não foram descartadas. Uma delas coloca a culpa na alta concentração de gordura saturada encontrada nos bifes. "Essa explicação é mais plausível. Afinal, já se sabe que exagerar nessa gordura cria um processo inflamatório no pâncreas, órgão que produz a insulina", avalia o endocrinologista Antônio Lerário, diretor da Sociedade Brasileira de Diabetes.

No caso das versões processadas, há um agravante: elas são munidas de conservantes como nitratos e sal. An Pan explica: "Os nitratos são convertidos em nitrosaminas, substâncias consideradas tóxicas para as células beta do pâncreas, responsáveis por fabricar a insulina. Já o exagero no sódio do sal está associado à resistência ao hormônio".

Mesmo que os resultados não sejam conclusivos, o endocrinologista Airton Golbert, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, acredita que o trabalho merece atenção. "Diminuir o consumo de carne já era sugerido para evitar problemas cardíacos. E esse dado inédito, que é o elo com o diabete, deve nos levar a pensar mais uma vez nessa redução", afirma.

A nutricionista Semíramis Domene, professora da Universidade Federal de São Paulo, na Baixada Santista, corrobora o conselho: "Ninguém precisa tirar a carne bovina da dieta, até porque o ferro heme é o mais bem aproveitado pelo corpo. Mas sua ingestão pode ficar restrita a duas ou três vezes na semana, sendo que a porção deve ter o tamanho de uma carta de baralho". Aqui é preciso salientar que estamos falando de adultos, já que as crianças, adolescentes e grávidas precisam de um aporte mais caprichado do mineral para afastar a possibilidade de ter anemia, um quadro bem sério e recorrente no Brasil. "Para esses grupos, indicamos o consumo diário, mas em quantidades moderadas, é claro", frisa Semíramis.

Ainda de acordo com a pesquisa de Harvard, quem substituiu a carne vermelha por grãos integrais, nozes ou alimentos com baixo teor de gordura afugentou o diabete. Portanto, nos dias em que topar seguir a sugestão dos especialistas e deixar o bife fora do prato, aposte nessas boas fontes de proteínas. Semíramis dá mais ideias: "No reino animal, a melhor opção são os peixes, sobretudo os magros. E os ovos estão liberados duas vezes por semana". Para abastecer o corpo de ferro, a sugestão é combinar leguminosas, como feijão, grãode- bico e soja, a reservas de vitamina C na mesma refeição. "Entre uma garfada e outra de arroz com feijão, beba suco de laranja, limão ou acerola", exemplifica a nutricionista. "Assim, o ferro de origem vegetal se torna mais solúvel e o organismo consegue aproveitá-lo com maior eficiência."

Troca-troca
Alguns alimentos podem suprir o rico conteúdo de proteínas e ferro da carne vermelha quando ela não entrar no menu. Veja:

Proteína
Aposte em peixes magros e misturas de cereais integrais com leguminosas, como arroz e feijão. O ovo tem sinal verde duas vezes por semana.

Ferro
Associe leguminosas a fontes de vitamina C na mesma refeição. Por exemplo: ao comer feijão, tome suco de laranja. Assim, o ferro de origem vegetal é mais bem absorvido pelo organismo. (Thaís Manarini - Saúde Abril)

Nota: Não de é de hoje que pesquisas vem confirmando o que a escritora Ellen White escreveu há décadas. Movida pelo Espírito Santo ela deixou um legado impressionante com informações riquíssimas sobre educação, administração, religião, história e, entre outros, saúde. Sobre o uso da carne ela assegurou:

"Nos cereais, frutas, verduras e nozes encontram-se todos os elementos alimentícios de que necessitamos. Se formos ter com o Senhor em simplicidade de espírito, Ele nos ensinará a preparar comida saudável, livre da contaminação das carnes." Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 313.

"Quando devidamente preparadas, as azeitonas, como as nozes, substituem a manteiga e as comidas de carne. O azeite, comido na oliva, é muito preferível à gordura animal." Idem, 350.

"Verduras, frutas e cereais, devem constituir nosso regime. Nem um grama de carne deve entrar em nosso estômago. O comer carne não é natural. Devemos voltar ao desígnio original de Deus ao criar o homem." Idem, pág. 380.

"Um regime de carne tende a desenvolver a sensualidade. O desenvolvimento da sensualidade diminui a espiritualidade, tornando a mente incapaz de compreender a verdade.” Idem, pág. 382.

Pense nisto, seja vegetariano, e tenha saúde!

Pr. Evandro Fávero

Leia também:
Consumo de nozes e castanhas pode ajudar a reduzir o colesterol, diz estudo
Seu filho virou vegetariano, e agora?
Segunda-feira sem carne

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Toda nação, tribo e língua

“Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo.”
Apocalipse 14:6

Hoje, graças aos meios de comunicação e de transporte, podemos em minutos receber ou enviar notícias, assim como em poucas horas chegar ao itinerário desejado. Isto facilitou muito para a pregação do evangelho a lugares longínquos. Mas a pouco menos de trinta anos, isto era apenas um sonho. Principalmente para quem era pastor no interior do Amazonas, quando para chegar a alguns lugares passavam meses viajando de barco.

Por 18 anos trabalhei em lanchas missionárias para ajudar os ribeirinhos do Amazonas. Como lancheiro, tive o privilégio de trabalhar por quatro anos na primeira lancha da IASD, a Luzeiro 1. Depois em outras Luzeiros (4, 5, 22 e 23), sem falar das canoas que também fizeram parte da rotina de trabalho. Além de evangelizar cinco tribos indígenas, os saterê-maués, os danis, canamaris e culinas, me recordo da primeira experiência entre os índios no Norte do País.

Já era a quarta vez que visitava a tribo dos Canamarisna Luzeiro I, para falar de Jesus, porém não era aceito pelos índios. Por intermédio do irmão Vicente Taveira - o primeiro homem que batizei que trabalhava diretamente com os índios-, que insistiu para que não desistisse desta tribo, me aconselhou: “Pastor, acho que o problema está na sua roupa. Experimente mudar o seu visual!”.

Decidi seguir seu conselho, e pela primeira vez em toda a minha vida preguei sem gravata, camisa e sapato, apenas de bermuda e descalço. Coloquei um pequeno projetor a pilha com algumas músicas infantis e imagens sobre o nascimento de Jesus. E para chamar a atenção dos índios comecei a cantar o corinho infantil “Cristo fez os peixes”, fazendo os gestos.

Um curumim, que quer dizer índio pequeno no idioma indígena aproximou-se e começou a imitar a cantoria. Motivo para todos os índios sorrirem e logo começarem a cantar. Nesta noite, falei do nascimento de Jesus e do grande Criador que fez todas as coisas. Em pouco tempo depois, toda aquela tribo se converteu e somente no primeiro batismo 76 índios se batizaram, inclusive o chefe da tribo, o Tuchauae o curandeiro, o Pajé.

Estes índios, que pareciam inacessíveis e isolados do mundo, foram alcançados porque para Deus não existe barreira de distância e etnia. Quando Deus nos chama para pregar a toda nação, tribo e língua, Ele nos capacita, basta que aceitemos o desafio.

Pr. Natércio Uchõa
Associação Amazonas Roraima - UNOB

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Resumo da lição 7 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR O POWER POINT
Título
“Caminho para a fé”

Texto-chave
“A Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que creem”. Gl 3:22

Objetivos

1. Conhecer como a lei, apesar de não nos dar vida, nos protege e conduz para Cristo.

2. Sentir amor pela lei, conforme refletida no sistema sacrifical, sendo (a lei de Deus) o fundamento do reino de Deus.

3. Levar-nos à disposição de submeter-nos à disciplina da lei, à medida que ela nos leva Àquele que escreve Sua lei em nosso coração.

Verdade Central

Apesar da lei não ter o poder de nos comunicar vida, ela é essencial no plano da salvação, pois revela nossa pecaminosidade, e nos conduz a Cristo que, por Sua graça, nos perdoa e implanta Sua lei em nosso coração.

Domingo: A Lei e a Promessa

Os conceitos de lei e promessas divinas são contraditórios? Que benefício pode ser obtido ao crermos e observarmos cada um deles?

1. Eles não são contraditórios, mas complementares.

2. Vida verdadeira é obtida pela fé nas promessas divinas.

3. A vida obtida pela fé nas promessas, é regulamentada pela lei.

Segunda-feira: Prisioneiros da lei

O que Paulo quis dizer ao declarar “estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados” (debaixo da lei) em Gl 3:23?

1. A expressão “debaixo da lei” usada de 2 maneiras: (1)Como forma alternativa de salvação e (2)no sentido de estar sob a condenação da lei.

2. A lei funciona como um carcereiro prendendo a todos os que a transgridem trazendo sobre si a sentença de morte.

3. É nesse sentido que estávamos sob sua tutela e nela encerrados; precisávamos de um libertador. Apenas tendo essa consciência seríamos levados a sentir necessidade de salvação.

Terça-feira: A lei como nosso “vigilante”

A princípio, estar “sob a tutela da lei e nela encerrados” tem uma conotação negativa; existe algo de positivo nessa situação?

1. Rm 11:32 diz que Deus “encerrou” todos na desobediência, afim de usar de misericórdia para com todos.

2. As promessas de libertação não atraem/beneficiam os que não estão encerrados (sentem-se livres; mesmo que, na verdade, sejam escravos).

3. Mencione pelo menos 3 benefícios que você tem desfrutado por observar a lei.

Quarta-feira: A lei como nosso tutor

De que maneira a lei nos conduz a Cristo?

1. “A lei nos revela o pecado, levando-nos a sentir nossa necessidade de Cristo e fugir para Ele em busca de perdão e paz mediante o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo”. ME, vol 1, p.234

2. Ela também nos instrui a respeito da vontade de Deus para nossa vida, levando-nos a buscar poder do Senhor para viver o ideal que Ele tem para nós.

Quinta-feira: A lei e o cristão

Com base em Rm 8:1-3, o que significa não ser mais condenado pela lei? Como essa verdade deve afetar nossa maneira de viver?

1. Visto que a justiça de Cristo me é imputada, a lei em nada me condena.

2. Minha vida será semelhante à de Cristo; que dizia: “Agrada-me fazer a Tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a Tua lei” Sl 40:8.

3. Através do relacionamento com Jesus, temos poder para obedecer a lei como nunca antes.

Conclusão

1. Não é pela obediência à lei que recebemos vida, mas pela fé nas promessas de Deus.

2. A lei nos encerra sob condenação para que nos conscientizemos do pecado e sintamos necessidade de um Salvador.

3. A lei nos conduz a Cristo como o Salvador e nos instrui a respeito de Sua vontade para nós.

4. O crente em Cristo recebe o perdão dos pecados e, mediante comunhão constante com Ele, tem prazer na obediência.

Pr. Luiz Antonio Dias
Pastor do distrito de Boehmerwaldt, Joinville/SC

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Mordomia no vestuário

“E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.” Lucas 16:2

Quando se fala em mordomia, algumas pessoas associam diretamente esta palavra a dinheiro, dízimos e ofertas. É certo que mordomia inclui a administração de bens financeiros, mas diz respeito a outros aspectos de nossa vida também.

Além da administração do tesouro que Deus nos confiou, ser mordomo implica em administrar o tempo, cuidar do templo e desenvolver os talentos para a obra de Deus. Será que temos sido mordomos fiéis em todos esses aspectos?

Alguns acham fácil ser fiéis a Deus no que diz respeito à devolução dos dízimos e em aplicar seus dons e talentos na obra do Senhor, mas sentem dificuldade quanto a controlar os gastos com roupas, administrar bem o tempo e cuidar do templo através de uma alimentação mais saudável possível. Outros já têm facilidade na questão da alimentação, mas não possuem muito controle financeiro.

É certo que cada um tem suas lutas pessoais no que diz respeito ao serviço de mordomo de Deus. Hoje, gostaria que nos concentrássemos em apenas 2 dos aspectos da mordomia cristã – o tesouro e o templo – a partir de apenas um ítem – o vestuário.

Quanto do tesouro confiado por Deus a você tem sido investido na aquisição de vestuário? Quanto desse vestuário (incluindo acessórios) são realmente importantes e necessários? E de que forma esse vestuário tem contribuído para a sua saúde? Para nós, mulheres, essas perguntas são muito importantes. Conversando com uma amiga, neste final de semana, ela dizia que ler os livros sobre saúde, de Ellen White, era algo fácil para ela, mas ler conselhos sobre mordomia e se deparar com questionamentos como esses sobre o vestuário não estava sendo tão fácil assim.

O fato é que muitas vezes encerramos a reforma de saúde na abstinência de carne, o que está COMPLETAMENTE ERRADO! E com isso, crescemos na Igreja sem perceber que a simples escolha de minha roupa tem a ver com saúde também, com o cuidado com o Templo. Encerramos a mordomia em devolução de dízimos. Novamente um GRANDE ERRO! E com isso, caminhamos em nossa vida cristã sem administrar o investimento em vestuário de acordo com a vontade de Deus.
Será que você deseja ouvir de Deus “…Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.” (Lucas 16:2)? Creio que não! Eu também não desejo ouvir isso! Então precisamos aprender a sermos mordomos melhores.

Leia com atenção as seguintes orientações:

“Mesmo entre os que professam ser filhos de Deus, há os que gastam mais do que é necessário com o vestuário. Devemos vestir-nos decentemente e com gosto, mas, minhas irmãs, quando estais comprando ou fazendo a vossa própria roupa ou a de vossos filhos, pensai no trabalho da vinha do Senhor que ainda está esperando para ser feito. É correto comprar bom material e confeccionar o vestuário com cuidado. Isso é economia. Mas não há necessidade de ricos enfeites, e nisso condescender é gastar para a satisfação própria o dinheiro que devia ser colocado na causa de Deus. Não é a vossa roupa que vos torna valiosos aos olhos do Senhor. É o adorno interior, são as graças do espírito, a palavra bondosa, a atenciosa consideração para com os outros, que Deus aprecia. Passai sem os enfeites que não forem necessários, e ponde de lado, para o avanço da causa de Deus, os meios assim economizados. Aprendei a lição da abnegação, e ensinai-a a vossos filhos. Tudo o que puder ser economizado pela abnegação é necessário, agora, na obra a ser realizada. O sofredor deve ser aliviado; o nu, vestido; o faminto, alimentado; deve a verdade para este tempo ser contada aos que não a conhecem. Privando-nos do que não é necessário, podemos ter uma parte na grande obra de Deus.” Conselhos Sobre Mordomia, p. 301 e 302 .

“Devemos considerar as palavras do apóstolo Paulo, nas quais apela ele a seus irmãos, pela compaixão de Deus, para que apresentem seus corpos “em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”. … A santificação não é apenas uma teoria, uma emoção ou uma forma de palavras, mas um princípio vivo e ativo, que faz parte da vida diária. Demanda que nossos hábitos no comer, beber e vestir sejam de molde a assegurar a preservação da saúde física, mental e moral, para que possamos apresentar ao Senhor os nossos corpos – não uma oferta corrompida por hábitos maus – mas um “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”. Rom. 12:1.” Conselhos Sobre Saúde, p. 67.

Visualizar a relação entre vestuários e finanças talvez seja mais fácil que compreender a relação que existe entre vestuário e saúde. O fato é que, como no texto citado acima, nosso vestuário afeta tanto a nossa saúde física (e existem roupas e sapatos que prejudicam a circulação sanguínea, colaboram para o desenvolvimento de doenças, etc.) como nossa saúde mental e moral, e portanto esse assunto merece atenção! Que tipo de desafio isso representa para você? Lembre-se que esse é um assunto importante dentro de nossa atuação como mordomos de Deus! Sejamos mordomos fiéis! Deus nos abençoe! (Portal do Advento)

Nota: Concordo com este artigo e quero ampliar o conceito de Mordomia Cristã. Segundo o dicionário, entre outras coisas a palavra mordomia pode significar: "Cargo ou ofício de mordomo, administrador dos bens de uma casa, de uma irmandade, de uma confraria". Mas mordomia bíblica é mais do que isto. É o estilo de vida da pessoa que aceita o senhorio de Cristo, andando em parceria com Deus e atuando como Seu agente para administrar Seus negócios na terra. É tudo de mim em resposta ao tudo de Deus. Quando passamos tempo na presença de Deus na primeira hora do dia, Ele vai moldando nosso caráter, transformando nossos gostos e dando-nos sabedoria para tomar as decisões certas para, entre outras coisas, comprar nossa roupa. Experimente!

Pr. Evandro Fávero

Impasse religioso impede que família seja sepultada junta

Por conta de um impasse religioso, o evangélico luterano Irineu Wasen, 60, teve de ser enterrado fora do cemitério católico do município de Poço das Antas (RS), onde a mulher, Eunice Teresinha Ely, 58, e a sogra Carmelita Maria Ely, 78, foram sepultadas. Os três morreram em um acidente de trânsito na rodovia Tabaí-Lajeado (BR-386) no feriado de Finados, na quarta-feira (2).

Abalada pela perda trágica de três pessoas da família, a filha de Irineu, Paola Wasen, queria que todos fossem sepultados no cemitério católico em Poço das Antas, cidade de origem das mulheres. Porém, apenas elas puderam ser enterradas no local, na manhã de ontem (3).

De acordo com o padre João Paulo Schäfer, responsável pela paróquia e pelo cemitério, Irineu era evangélico e, portanto, não poderia ser enterrado junto à mulher.

"É uma norma da igreja que não podemos quebrar. Só podemos sepultar em nosso cemitério pessoas católicas que contribuem e estejam em dia com a taxa anual. Expliquei isso para a família, e eles entenderam", disse o padre, que ainda afirmou não poder abrir exceções.

A negativa e a busca por outro local para sepultar Irineu abalou ainda mais a família. "Foi uma espera angustiante. A filha queria muito que os pais fossem enterrados no mesmo local", disse Cleris Elizabete Flach, parente das vítimas.

"Com uma tristeza dessas, três pessoas da mesma família perdem a vida, e não há quem se sensibilize por isso", afirmou Marlise Meyer, amiga da família.

O corpo de Irineu foi levado para a cidade natal do empresário, Teutônia, no Vale do Taquari. A família acompanhou a cerimônia fúnebre no cemitério da comunidade de Linha Clara, interior do município, mesmo local em que os avós de Irineu já estão sepultados.

Irineu, Eunice e Carmelita moravam na capital e passaram o feriado de Finados em Poço das Antas para visitar a família e também prestar homenagens a parentes já falecidos. Retornavam para Porto Alegre quando o carro em que estavam bateu em uma caminhonete no km 377 da rodovia Lajeado-Tabaí, perto do trevo de acesso ao município de Paverama. (UOL)

Nota: “A doutrina dos dízimos e ofertas é bíblica, mas muitos a tem deturpado pregando-a de forma errada. A igreja muitas vezes mais parece um clube onde seus membros precisam pagar uma taxa ou mensalidade para usufruir os benefícios que ele oferece. É triste que a igreja, em muitos casos, tenha se assemelhado a isto. Chegamos ao ponto de valorizar mais a morte do que a vida, mais as normas do que as pessoas, mais o livro de regulamentos do que o evangelho que ordena amar a todos (João 15:12). Jesus disse: ‘Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância’ (João 10:10). Ele também assegurou: ‘Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará’ (João 8:32). Pense nisto! Pr. Evandro Fávero

Quer conhecer a verdade? Clique aqui e estude a Bíblia gratuitamente.

sábado, 5 de novembro de 2011

Homens de segunda milha

“Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas.” Mateus 5:41

Havia uma lei entre os romanos, que um soldado do Império tinha o direito de obrigar um cidadão comum em tempos de guerra a carregar-lhe os apetrechos para a peleja.

A lei exigia que o cidadão deveria andar pelo menos uma milha (1.000 passos, ou em média 1,5 Km) e dar a sua capa para proteger o soldado do sol (Luc. 6:29).
Jesus expressou uma atitude comum de seus dias para ensinar uma lição espiritual.

O cidadão comum andava os 1.000 passos que a lei requeria e pronto, sentia-se então desobrigado. No entanto, Jesus afirma que o cristão deveria ir além do necessário, deveria andar uma segunda milha, mais 1000 passos.

O que faz apenas o mínimo, jamais estará pronto para o máximo. É necessário ir além do óbvio. Andar a segunda milha é estar disposto a não se acomodar. É viver acima da mediocridade. É estar disposto a fazer mais do que se pede.

Na Bíblia encontramos exemplos práticos do que é andar a segunda milha. Um desses exemplos é o de Moisés. Ele andou a segunda milha quando arriscou a própria vida em favor do povo de Israel.

Depois de ter passado 40 dias no Sinai, ao voltar, encontrou o povo corrompido, adorando um bezerro de ouro. O povo havia trocado o verdadeiro Deus por uma escultura. Demonstrando um amor profundo pelo povo apóstata, Moisés orou: “Agora, pois, perdoa-lhes o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste”. Êx. 32:32. Moisés estava andando a segunda milha.

Estava indo além do esperado. Estava arriscando a própria vida em prol de um povo que já havia intercedido dezenas de ocasiões anteriores. Não hesitou interceder mais uma vez, andou a segunda milha em prol de Israel, mesmo que isto viesse a lhe custar à própria vida.

Contudo, o exemplo supremo de abnegação é o de Cristo. Ele andou a segunda milha quando carregou os nossos pecados até o ponto mais probante que poderia suportar. Ele foi além do necessário, além do óbvio. Ele carregou muito mais do que o peso das armas de um soldado por uma milha (1000 passos). “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobe si...”. Isa 53:4.

Ele deu muito mais do que 1000 passos em favor de uma alma. Seus pés calejados eram a prova de que nenhum esforço foi medido para que pessoas fossem resgatadas das trevas para a luz. Andou a segunda milha em favor de Maria Madalena para tirá-la da prostituição. Andou a segunda milha em favor de Jairo para salvar a sua filha. Andou a segunda milha em favor do endemoninhado de Gadara para tirá-lo da opressão de Satanás. Andou a segunda milha em favor de Zaqueu para apresentar-lhe que o tesouro celestial é superior ao tesouro terreno.
Cristo andou a segunda milha até a cruz e só não andou mais porque ali era o ponto final. Não havia mais milhas para andar, pois andou todas as milhas por amor a mim e a você.

Conta-se que no século passado, certo dia, um grupo de homens reuniu-se de manhãzinha para orar. Um deles disse a seus companheiros: "O mundo ainda está esperando ver o que Deus pode fazer por meio de um homem inteiramente consagrado a Ele." Um dos jovens meditou nessas palavras e disse: "Pela graça de Deus eu serei aquele homem."

Como conseqüência, o jovem Dwight L. Moody visitou quase todas as cidades importantes da América pregando e levando a cabo dois grandes esforços evangelísticos na Inglaterra. Um autor afirma que pregou a mais de cem milhões de pessoas. Outros dizem que orou pessoalmente com 75.000. Passou quase 10.000 dias e noites em reuniões em um estupendo esforço que durou mais de 25 anos. Tudo isto sucedeu porque Moody decidiu ser "aquele homem", porque dedicou sua vida a ser um homem de segunda milha.

Deus precisa de homens de “segunda milha”. Estamos nos aproximando do evangelismo via satélite e somente pessoas que estão dispostas a ir além, provarão da benção de ver almas resgatadas pelos passos daqueles que não mediram esforços na tarefa de salvar vidas. Faça mais do que o comum, se entregue completamente como instrumento nas mãos de Deus e veja os ilimitados recursos da graça à transformar corações.

Pr. Everon Donato
Ministério Pessoal – DSA

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Resumo da lição 6 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título: “A Superioridade da Promessa”

Texto-chave:
“Porque, se a herança provém da lei, já não decorre da promessa; mas foi pela promessa que Deus a concedeu gratuitamente a Abraão”. Gl 3:18

Objetivos:

1. Mostrar que a fé não anula a lei.
2. Esclarecer o propósito da lei.
3. Mostrar que a nossa salvação depende da aceitação da promessa.

Verdade Central:

Da promessa temos a salvação, da lei temos o conhecimento do pecado e não a justificação dela.

Lei e fé: lição de domingo

A fé não anula a lei, e nem tão pouco a lei anula a fé. A lei não salva e nem a fé aponta o pecado. Cada uma tem sua função e propósito.

1. Para Paulo a promessa da salvação baseada na fé é eterna.

2. A aliança provê todo o necessário para a salvação – basta aceitá-la.

3. A aceitação da promessa é respondida por interesse voluntário e ardente.

Lição de segunda-feira: Fé e Lei

Para Paulo quaisquer obras da lei são pré-requisitos para a salvação. Isso significa que você pode ser a melhor pessoa do mundo, mas isso não é o suficiente para salvá-lo.

1. A marca da cristandade não é a lei, mas fé.

2. A lei tem o seu papel que é santo, justo e bom, mas não é a sua atribuição ajudar a salvar.

3. O resultado da aceitação da aliança pela fé é uma obediência por amor e gratidão pelo dom da salvação, concedido pela fé.

Lição de terça-feira: O propósito da Lei

De que lei Paulo se refere em Gálatas 3? Certamente que é a lei moral e não somente a cerimonial como se costuma pensar. Como entender isso no contexto de Israel e no nosso hoje?

1. O propósito da lei é mostrar o pecado.

2. No contexto de Israel: O povo estava imerso no pecado e nem se dava conta disso. A lei já existia antes de Israel, mas Deus dá novamente a Israel essa lei, com todos aqueles fenômenos físicos, para que o povo entendesse sua real condição e voltasse para Deus pela aceitação de sua graça.

3. No nosso contexto: Quanto mais entendemos a doença, tanto mais sabemos a cura. Reconhecer o pecado é o antídoto que inicia o processo de recebimento da salvação.

Lição de quarta-feira: A duração da Lei de Deus

Até aonde vai a Lei? Até a cruz?

1. Ela vai além da Cruz.

2. Até na sua morte Cristo cumpre as obrigações da Lei, [o pecado é a transgressão da lei; o salário do pecado é a morte; sem derramamento de sangue inocente não há remissão de pecados]

3. Cristo não veio para revogar, mas cumprir, Ele mesmo declara isso em Mateus 5:17,18.

4. A lei continuará a desempenhar o seu papel de apontar o pecado.

Lição de quinta-feira: A superioridade da promessa

Como a superioridade da graça de Deus pode ser experimentada em minha vida?

1. Tendo encontros de confirmação da aliança com Deus diariamente através do culto familiar e de Deus na primeira hora de cada dia.

2. Crendo nas suas promessas incondicionalmente.

3. Retribuindo através de interesse profundo na sua graça e experiência diária com Ele.

Conclusão:

Com Abraão Deus faz a promessa, com Moisés dá o caminho para a libertação do Egito no coração. Em você hoje:

1. Ele quer estabelecer aliança perpétua pela aceitação de Cristo hoje.
2. Ele quer mostrar o caminho pela revelação do seu caráter que a Lei.
3. Ele quer que você responda a promessa demonstrando interesse diário pela graça

Pr. Alex Palmeira
Departamental de Escola Sabatina na ASP

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Vídeo relatório da Igreja Adventista (USB) na Comissão Diretiva da DSA

Assista abaixo ao relatório de atividades da Igreja Adventista do Sétimo dia no Sul do Brasil (USB) apresentado no relatório da Comissão Diretiva da Igreja na Divisão Sul Americana (DSA):

O câncer de Lula

Lula está com câncer. Podia ser eu ou você. Lula fumou praticamente a vida toda. Faz menos de um ano que parou. Eu não fumo e você, provavelmente, também não.

O tumor do ex-presidente é na laringe. Tem cerca de três centímetros de diâmetro e é curável, sem necessidade de cirurgia. O tratamento começou no dia 31 de outubro.

Segundo os especialistas, os fumantes têm 10 vezes mais chances de desenvolver câncer na laringe. Associado ao álcool, caso de Lula, o risco desse tipo de câncer aumenta 43 vezes mais!

Mais de 9 mil brasileiros engordaram a estatística dessa doença no ano de 2009. Os homens são as vítimas principais. Os principais sintomas são dor de garganta, rouquidão persistente e sem causa aparente, alteração na qualidade da voz, dificuldade de engolir, sensação de caroço na garganta, dificuldade para respirar ou falta de ar.

A prevenção sempre é o melhor remédio. Ficar longe do cigarro e do álcool é imprescindível. A doença, quase sempre, é causa de uma alimentação e vida desequilibrada. Mais cedo ou mais tarde colhemos o que plantamos. E aí a cor, posição social ou financeira não tem valor algum.

Força, Lula. Quanto a você e eu, façamos nossa parte. “Amado, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma”. Está na Bíblia! III João, verso 2. (Blog do Amilton Menezes)

Nota: Deus deixou orientações claras na Bíblia e Espírito de Profecia sobre o cuidado com a saúde. Entre elas está o exercício físico, repouso, temperança, alimentação adequada, uso de água e abstinência de tudo o que prejudica como o fumo e o álcool. "Que grande quantidade do capital confiado por Deus é gasta na compra de fumo, cerveja e bebidas alcoólicas! Deus proíbe todas essas condescendências porque elas destroem a estrutura humana. Devido a sua condescendência a saúde é sacrificada, e a própria vida é oferecida no altar de Satanás. O apetite pervertido faz com que o cérebro enfraqueça, de modo que os homens não possam pensar com argúcia e clareza, nem idear planos que levem ao êxito nas coisas temporais; e muito menos poderão pôr um intelecto culto em suas transações religiosas. São incapazes de distinguir as coisas sagradas e eternas das que são comuns e temporais." Conselhos sobre Mordomia, 134 - Pr. Evandro Fávero

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sexo promíscuo pode fazer mais do que partir seu coração — estudo constata ligação entre HPV e ataque do coração

Uma doença sexualmente transmissível resistente às camisinhas, o vírus do papiloma humano (HPV), conhecido como a principal causa do câncer do colo do útero, tem também sido ligado a um risco maior de ataque do coração, de acordo com uma nova pesquisa divulgada nesta semana.

Mulheres com variantes provocadoras de câncer do vírus do papiloma humano (HPV) podem estar em risco maior de sofrer doença cardiovascular (DCV) e derrame cerebral, mesmo quando não está presente nenhum fator de risco para o DCV.

Pesquisadores da Seção Médica da Universidade do Texas (conhecida como UTMB) em Galveston são os primeiros a investigar uma conexão potencial entre DCV e HPV, uma das infecções sexualmente transmissíveis mais comuns nos EUA. As descobertas deles foram publicadas na edição de 1 de novembro da Revista do Conselho Americano de Cardiologia.

“Aproximadamente 20 por cento dos indivíduos com DCV não mostram nenhum fator de risco, indicando que outras causas ‘não tradicionais’ podem estar envolvidas no desenvolvimento da doença. O HPV parece ser um desses fatores de risco entre as mulheres”, disse o principal autor Dr. Ken Fujise, diretor da Divisão de Cardiologia da UTMB.

Fujise e seus colegas creem que a ligação pode ser devido ao papel do HPV na inativação de dois genes que suprimem tumores, o p53 e a proteína retinoblastoma (pRb).

“Se esse mecanismo biológico for comprovado, uma droga composta que inibe a inativação do p53 poderia ajudar a impedir o DCV nas mulheres que já estão infectadas com o HPV”, disse Fujise.

O estudo analisou aproximadamente 2.500 mulheres entre as idades de 20 a 59 usando dados de seções transversais da Pesquisa Nacional de Exame de Nutrição e Saúde do período 2003-2006. (John-Henry Westen - Pró-Família)

Nota: Sempre vale a pena ouvir a Palavra de Deus. O melhor método de prevenção para as doenças sexualmente transmissíveis ainda é a abstinencia e a virgindade até o casamento. O sexo foi criado por Deus. E, quando desfrutado dentro do compromisso do casamento, promove a felicidade e a procriação do ser humano. (Gênesis 1:26-28, Gênesis 2:24, Mateus 19:5,6, I Coríntios 7:1-9 e Hebreus 13:4).

Pr. Evandro Fávero

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More