Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Jesus: exemplo de ensino

Responderam eles: Jamais alguém falou como este homem. João 7:46.

Lemos a respeito dos ensinos de Jesus: “...E a grande multidão o ouvia com prazer” (Marcos 12:37). “Jamais alguém falou como este homem”, declararam os guardas enviados para prende-Lo. As palavras de Jesus consolavam, fortaleciam e abençoavam aos que sentiam anelo pela paz que somente Ele pode dar. Quão cheias de compaixão e ternura foram Suas lições para os pobres, para os aflitos e os oprimidos!

“As ilustrações empregadas por Cristo eram tiradas das coisas da vida diária e, conquanto fossem simples, encerravam admirável profundeza de significação. As aves do céu, os lírios do campo, a semente a brotar, o pastor e as ovelhas - com estas coisas exemplificava Cristo a verdade imortal. E sempre, dali em diante, ao acontecer que os ouvintes vissem esses objetos, recordavam-Lhe as palavras” (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 261).

“As palavras de Cristo, tão consoladoras e revigorantes para os que as ouviam são também para nós hoje. Assim como o fiel pastor conhece e cuida de suas ovelhas, de igual forma Cristo cuida de Seus filhos. Ele conhece as provas e as dificuldades que rodeiam a cada um” (Review and Herald, 18 de maio de 1897).

Este é um exemplo digno para uma classe bíblica onde as pessoas conhecerão o Salvador e irão se preparar para uma vida melhor. Que o professor seja transformado pelo poder de Cristo e que seus ouvintes possam dizer dele: “Jamais alguém falou como este homem”.

Nesta manhã, que Deus possa fortalecer seus planos, seus sonhos e que esta meditação possa levá-lo à decisão de ter uma linda experiência de ensino como Jesus o fez. Tenha um ótimo dia.

Pr. Hernán Camargo - UPS

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Resumo da lição 5 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título: “Abigail: Senhora das Circunstâncias”

Texto-chave
“No coração do prudente, repousa a sabedoria, mas o que há no interior dos insensatos vem a lume”. (Provérbios 14:33)

Objetivos
1. Mostrar que as circunstâncias adversas são uma oportunidade para o cristão demonstrar seus valores.

2. Demonstrar que toda ação praticada deve ser precedida de uma profunda reflexão em busca dos conselhos divinos. Na vida de Abigail, isso era um estilo de vida.

3. Fazer um contraste entre aqueles que são direcionados por Deus, e os que agem por impulso e instintos meramente humanos.

Verdade Central
Abigail, uma mulher sensata e temente a Deus, salvou sua casa de uma iminente destruição. Embora pudesse aproveitar-se da situação para alcançar a liberdade, permaneceu fiel ao seu compromisso de casamento e seus princípios de vida.

Lição de domingo: Alguém que ouça

Quem era realmente Abigail? Você acha que antes de casar-se, ela sonhava com um príncipe encantado vindo buscá-la? Como a infeliz realidade de sua vida deveria contrastar com seus sonhos? Será que Abigail era realmente feliz?

1. Abigail poderia na sua frustação, revoltar-se com Deus e até mesmo desanimar, sujeitando-se assim às circunstâncias nada agradáveis ao seu redor, mas o texto sugere que ela se tratava de uma mulher decidida, que tomava as rédeas da casa e era respeitada pelos servos de seu marido. Ao levar os presentes aos soldados de Davi, tentando contornar uma situação criada pelo áspero e mal educado Nabal, ela não pede autorização a ninguém. Naqueles dias, poucas mulheres teriam liberdade para agir dessa forma.

Lição de segunda-feira: Ações falam mais alto que palavras

Algumas pessoas agem de modo a suprimir o que pregam. Quanta dicotomia na realidade do cristão moderno. O que a ação de Abigail revela sobre seu caráter?

1. Agindo como uma “reconciliadora” e assim evitando uma guerra, Abigail assume umas das características do ministério de Cristo.

2. Francisco de Assis disse: “Pregue sempre o evangelho. Se necessário, use palavras”.

Lição de terça-feira: Tempo de falar

Se um dia Abigail esperou por um príncipe, certamente não foi assim que havia imaginado esse encontro. Curvada diante de Davi, ela intercede pela vida de seu marido e os queridos de sua casa. O que este gesto nos ensina? Quais os verdadeiros benefícios da oração intercessória?

1. “Nenhuma oração sincera se perde. Em meio das antífonas do coro celestial, Deus ouve o clamor do mais débil ser humano. Derramamos o desejo do nosso coração em secreto, murmuramos uma oração enquanto seguimos nosso caminho, e nossas palavras atingem o trono do Rei do Universo. Podem não ser audíveis aos ouvidos humanos, porém não podem morrer no silêncio, nem perder-se no tumulto dos afazeres diários. Nada pode sufocar o desejo do coração. Ergue-se sobre o barulho das ruas e a confusão da multidão às cortes celestiais. É a Deus que falamos e nossa oração é atendida. Você que se sente o mais indigno, não tema confiar seu caso a Deus”. (Parábolas de Jesus, pág. 174).

Lição de quarta-feira: O que Abigail se recusou a fazer

Não é o objetivo desta lição, ensinar que uma pessoa vítima de qualquer forma de abuso, deva permanecer calada e defender seu abusador sob qualquer circunstância. Isso fica claro no estudo de quarta-feira, e deve ficar evidente na explanação desta na classe da Escola Sabatina. Abigail não escondia os maus tratos de Nabal, no entanto, ela entendia que numa sociedade em que a mulher era desvalorizada, e muitas vezes considerada um objeto de uso descartável, havia um Deus agindo a seu favor. Como Deus resolveu seu problema?

1. Interceder por alguém que não merece é um dom, assim como amar com sinceridade nossos inimigos. O conceito estabelecido por Cristo, como percebemos, não é novo e remonta às páginas do Antigo Testamento.

Lição de quinta-feira: Dentro e fora

Abigail encantou a Davi. Ela tornou-se a segunda esposa do futuro rei, e sua notória sabedoria e graciosa intercessão são lembradas nas páginas da história do livro sagrado. Em contraste, a insensatez de Nabal e sua morte repentina ilustram a vida curta dos insensatos de espírito.

1. Que exemplo desejamos seguir?
2. Que tipos de impulsos repentinos e acessos de ira provocam afastamento entre as pessoas?

Conclusão

1. Sobre as palavras de Abigail: “Estas palavras poderiam apenas ter vindo dos lábios de quem tivesse participado da sabedoria do alto. A piedade de Abigail, semelhante ao perfume de uma flor, exalava de seu rosto, de suas palavras e ações, sem que disso ela se apercebesse. O Espírito do Filho de Deus habitava em sua alma. Seu discurso, adubado pela graça, e cheio de bondade e paz, derramava uma influência celestial” (PP, 667).

2. O que pode ser dito a alguém que quer agir como Abigail?

3. Deus recompensa aos que são fiéis.

4. O espírito de Deus nos ajuda a tomar as melhores decisões e fazer escolhas sensatas.

Pr. Alex Escher
Departamental da Escola Sabatina na MOSR

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Decisões por Cristo em Foz do Jordão

Na terça-feira (26/10) foi o quarto dia do evangelismo Tempo de Esperança. Tive a alegria de realizar o batismo de 8 pessoas na cidade de Foz do Jordão, PR.

Cinco pessoas pessoas pertenciam a uma mesma família. Destaco o Senhor Nelson (Marido e pai) que já conhecia a verdade há 15 anos mas por pertencer a uma igreja evangélica não queria tomar a decisão.

Os membros da Igreja Adventista, amigos e instrutores de Nelson e Soeli começaram a orar pela sua conversão. O Espirito Santo tocou em seu coração e eles foram batizados (foto acima e ao lado). O filho Ismael foi batizado com os pais no lago e os filhos Simael e José foram batizados a noite depois do apelo do Pr. Luis Goncalves.

Fiquei muito feliz também com o batismo da senhora Maria da Luz. Ela estudou a Biblia por três anos com a sua patroa Carol. Fomos a casa de Carol para pegar um endereço e quando chegamos lá encontramos a Maria. Estudamos sobre o Batismo e, enquanto o Pastor Célio Longo e eu conversávamos com ela, Carol foi para outro cômodo da casa para orar. O Espírito Santo tocou em seu coração e ela também foi batizada a noite (foto acima).

Querido amigo lembre-se que a oração tem poder e que “o plano de se darem estudos bíblicos foi uma ideia de origem celeste. Deus não há de permitir que esta obra em Seu favor fique sem recompensa. Coroará de êxito todo esforço humilde feito em Seu nome” (Obreiros Evangélicos, 192).

Ainda nesta semana escreverei contando outros testemunhos.

Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Alguém não estará no céu?

Olá tudo bem? Hoje vamos estudar o tema: “ alguns que não estarão no céu.” Apoc. 21: 6 a 8. O pastor anglicano John Newton foi um grande poeta e escritor (1725-1807). O seu hino mais conhecido é Amazing Grace (Graça Excelsa- HA 208).

Newton disse certa vez: “Quando chegar ao céu terei três surpresas. A primeira será a de de ver pessoas que eu não imaginaria encontrar lá. A segunda, a de não achar gente que eu tinha certeza de que lá estaria. E a terceira, a melhor de todas: eu estar lá.”

NÃO ESTARÃO NO CÉU:

1º - OS QUE CONDESCENDEM COM O PECADO:

“...Ninguém que condescenda com o pecado e o acaricie poderá ir para o Céu, pois nesse caso Satanás outra vez conseguiria firmar-se ali.” Testemunhos Para a Igreja, vol.4, pág.346

2º - AQUELES CUJOS PENSAMENTOS E INTERESSES TENDEM PARA ASSUNTOS TERRENOS:

“Vi um anjo com balanças na mão, pesando os pensamentos e interesses do povo de Deus, especialmente os jovens. Num prato estavam os pensamentos e interesses que tendiam para o Céu; no outro achavam-se os que se inclinavam para a Terra. E nessa balança era lançada toda leitura de romances(novela), pensamentos acerca do vestiário e exibição , vaidade, orgulho, etc. Oh! Que momento solene! Os anjos de Deus em pé com balanças, pesando os pensamentos de Seus professos filhos- aqueles que pretendiam estar mortos para o mundo e vivos para Deus! O prato cheio de pensamentos da Terra, vaidade e orgulho, desceu rapidamente...o que continha pensamentos e interesses que se voltavam para o Céu subiu ligeiro enquanto o outro descia e oh! Quão leve ele estava!...Disse o anjo: “Podem esses entrar no Céu? Não , não , nunca. Diga-lhes que a esperança que agora possuem é vã, e a menos que se arrependam depressa o obtenham as salvação, hão de perecer”. Testemunhos Para a Igreja, vol.1, pág.155.

3º AQUELES QUE LEVAM UMA VIDA DE EGOÍSMO:

“Ninguém suponha que possa viver vida de egoísmo, e então , tendo servido aos próprios interesses, entra no gozo do Senhor.” Parábolas de Jesus, págs.364 e 365

4º NERO E SUA MÃE:

“Entre a multidão resgatada acham-se os apóstolos de Cristo, o heróico Paulo, o ardoroso Pedro, o amado e amante João, e seus fiéis irmãos, e com estes o vasto exército dos mártires, ao passo que , fora dos muros, com tudo o que é vil e abominável, estão aqueles pelos quais foram perseguidos, presos e mortos. Ali esta Nero, aquele monstro de crueldade e vício....Sua mãe ali está para testemunhar o resultado de sua própria obra; para ver como os maus traços de caráter transmitidos a seu filho, as paixões incentivadas e desenvolvidas por sua influência e exemplo, produziram frutos nos crimes que fizeram o mundo estremecer .

5º HERODES, HERODIAS E PILATOS:

“...Cada ator relembra a parte que desempenhou. Herodes, matando as inocentes crianças de Belém, a fim de que pudesse destruir o Rei de Israel; a vil Herodias, sobre cuja alma criminosa repousa o sangue de João Batista; o fraco Pilatos, subserviente às circunstâncias; os soldados zombadores; os sacerdotes e príncipes , e a multidão furiosa que clamou: O Seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos!”.

6º REI SAUL:

“...Esse ato (consultar a médium de Endor) selou a sua separação de Deus. E chegou a fazer um concerto com a morte, um acordo com o inferno. O cálice de sua iniqüidade transbordou.”

7º A MULHER DE LÓ:

“...Em vez de aceitar com gratidão o livramento, presunçosamente olhou para trás, desejando a vida daqueles, que haviam rejeitado a advertência divina. Seu pecado mostrou ser ela indigna da vida, por cuja preservação tão pouca gratidão sentira.” P. P. págs .161 e 162

8º CAIM

“Apesar de Caim haver merecido a sentença de morte pelos seus crimes, um Criador misericordioso ainda lhe poupou a vida, e concedeu-lhe oportunidade para o arrependimento. Mas Caim viveu apenas para endurecer o coração.” P.P., pág. 78

9º JUDAS

“No livro O Desejado de Todas as Nações, na pág. 686, há um pensamento incrível sobre Judas que diz: “( Judas) amava o Grande Mestre, e anelava estar com Ele. Tivera o desejo se ser transformado no caráter e na vida, e esperava experimentar isso mediante sua ligação com Jesus. O salvador não repelira a Judas. Dera-lhe o lugar entre os doze. Confiou-lhe a obra de evangelista. Dotou-o de poder para curar doentes e expulsar demônios. Mas Judas não chegou ao ponto de render-se inteiramente a Cristo. Não renunciou suas ambições terrenas, nem a seu amor ao dinheiro. Ao passo que aceitava a posição de ministro de Cristo, não se colocou no divino molde. Achava que podia reter seus próprios juízos e opiniões, e cultivou a disposição de criticar e acusar." (Grifo Nosso)

Querido amigo, você pode amar a Jesus, anelar estar com Ele, ser um grande evangelista, ter o poder de curar doentes e expulsar demônios..., mas se você e eu, não se render inteiramente a Cristo, estaremos inteiramente perdidos como Judas.
Quero neste momento fazer um convite a você. Entregue- se totalmente a Cristo e prepare-se para morar eternamente com Deus no Céu.

Há uma linda promessa de Jesus a todos nós que quero ler com você agora:

João 14: 1 a 3: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. Um Salvador compassivo, uma cidade maravilhosa e uma linda casa esperam por você."

Lembre-se: “O Céu é um lugar preparado, para pessoas preparadas.”

Pr. Gérson B. Marques
Líder de Mipes e Escola Sabatina no Sul do Paraná (ASP)

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Encontro Meninas com Jesus

Nos dias 19 a 21 de novembro deste ano, acontecerá no CATRE – Santa Catarina, o Projeto Meninas com Jesus. Um programado visando desenvolver amizades e motivar ainda mais o desejo de estarem envolvidas na Missão. Além disto, preparadas para vencer os desafios que lhes são impostos, buscando, sem perder o foco principal – a nova terra – ocuparem-se em fazer do seu mundo um exemplo vivo do amor de Deus.

Para mais informações acesse o site Meninas com Jesus. Além de fazer as incrições ali também há um espaço para o bate papo entre amigas e outras mais que fará. É só um clique para desfazer todas as suas dúvidas. Este site continuará online depois do evento. Aguardamos você!

A equipe

domingo, 24 de outubro de 2010

Como conceder e receber perdão

“Perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todo o que nos deve.” Lc 11:4 (BLH).

Conta-se o caso de uma jovem pianista que aprendeu uma lição de misericórdia e perdão de uma grande pessoa, e de modo estranho. Ela havia dado concertos como pianista, em muitos lugares da Alemanha. Para aumentar sua fama, anunciava-se como discípula de Lizt. Ao chegar a uma cidade onde havia conseguido ser conhecida enganando, ficou muito perturbada quando viu na lista dos recém-chegados ao hotel, o nome de Lizt.

O que ela poderia fazer? Seu engano certamente seria descoberto, e nunca mais poderia dar outro concerto. Em completo desespero, resolveu recorrer à misericórdia do grande artista. Trêmula, rosto molhado de lágrimas de humilhação, ajoelhou-se aos pés do mestre para confessar a fraude e implorar-lhe perdão.

Contou-lhe a história de sua vida. Fora deixada órfã quando criança e como nada mais tinha senão o talento musical, procurou usar o nome do grande mestre, para assim vencer os muitos obstáculos e contratempos sob os quais vivia. Sem usar o nome dele, não teria conseguido nada. Mas perguntou-lhe se ele a perdoaria. Venha, venha, disse o maestro, ajudando-a a se levantar, vamos ver o que você pode fazer. Aqui está o piano. Quero ouvir uma das peças que você vai tocar amanhã.

Ela obedeceu e começou a tocar, timidamente no começo, mas logo com entusiasmo. O grande músico ficou ao seu lado, e em alguns momentos deu algumas instruções e sugestões sobre como melhorar. Quando ela acabou de tocar, o mestre bondosamente disse: “Agora, minha filha, eu lhe dei uma lição de música. Você é discípula de Lizt”.

Antes que ela pudesse recompor-se, ele continuou: “Estão impressos os programas?” Ainda não senhor! Então mande acrescentar ao programa que você será assistida por seu professor, e que a última peça será executada por Franz Lizt.

Não existem palavras melhores para ouvir dos lábios de alguém que ofendemos do que: “Sim, eu te perdôo.” O mal só pode ser dominado pelo bem e nunca por outro mal. Por isso, uma ofensa nunca desaparecerá por meio de vingança. Porque dinheiro, ódio ou violência, usados contra o ofensor não remove o mal cometido, mas, ao contrário, incita a outras vinganças, lutas e desforras.

Deus, conhecendo o coração do homem, depois de contaminado pelo pecado, estabeleceu a única maneira de acabar com questões entre os homens – o perdão! Perdoar e ser perdoado.

Ofender, qualquer um pode, não se precisa inteligência, educação, cultura ou coisas semelhantes. Mas, para perdoar é preciso que o coração tenha sido cheio pelo amor que vem do Calvário, ouvindo dos lábios de Jesus: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” Lc 23:34.

Que alívio para o transgressor! O rei Davi diz: “Confessei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniqüidade do meu coração.” Sl 32:4.

Portanto, para todos os que confessam suas transgressões a Deus, a promessa é: “Bem-aventurados aqueles cujas iniqüidades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos.” Rm 4:7.

Por ser o amor que conduz ao perdão, Jesus ensinou aos discípulos a orarem: “Perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todo o que nos deve.” Lc 11:4.

Meu amigo, se você tem algum tipo de problema com o seu próximo, use o método de Jesus Cristo, procurando resolver tudo com a força do amor, perdoando e pedindo perdão, pois o “perdoar é divino”.

Somente assim, você poderá sentir em seu coração a “paz” que Jesus prometeu nos conceder. Que Deus te abençoe e te guarde!

Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Laguna – SC

sábado, 23 de outubro de 2010

Evangelismo via satélite começa com batismos no Paraná

Começou hoje o programa que talvez seja o mais esperado entre os adventistas do sétimo dia no Brasil e demais países da América do Sul. A partir das 20h deste sábado, a série Tempo de Esperança passou a ser transmitida, via satélite, pela internet, rádio e TV para todo o continente sul americano, além dos cerca de 15 mil endereços cadastrados onde o programa será assistido ao vivo em congregações adventistas.

Até o próximo sábado, dia 30, toda a América do Sul vai estar integrada por este que é o principal programa de evangelismo adventista neste ano. As mensagens serão apresentadas pelos pastores Luís Gonçalves e Robert Costa. A partir de Maringá, o pastor Gonçalves fala para as igrejas brasileiras e o pastor Costa, do Chile, para os países de língua hispana.

Em entrevista à ASN, agência adventista de notícias, o pastor Luís Gonçalves falou sobre o programa. "Esta é uma semana para todos os tipos de pessoas, para quem é membro ou não da igreja", salientou ele.

Em diversas igrejas da Associação Central Paranaense (ACP), a primeira noite do evangelismo foi marcada pela decisão de pessoas pelo batismo. Foi o que ocorreu em Laranjeiras do Sul (foto acima), município a 368 quilômetros de Curitiba, onde cinco pessoas foram batizadas logo após o término da mensagem do pastor Luís Gonçalves. Célio Longo, responsável pelas igrejas do município e região vizinha, avaliou que a primeira noite de evangelismo foi impactante. "A semana começou muito bem, o programa foi ótimo e temos certeza de que muitas pessoas vão se decidir por Cristo neste evangelismo", disse o pastor.

Nas igrejas da ACP, os membros estão organizados para oferecer aos visitantes uma recepção bem planejada e uma programação local atrativa. A intenção é preparar bem o ambiente para as mensagens do pastor Gonçalves.

Durante toda a semana, nos auditórios e igrejas, a programação começa às 19h30 e às 20h tem início transmissão das pregações ao vivo.

Élio Moura
Acessor de Imprensa

P: Consoante bilabial e explosiva

P: Consoante bilabial e explosiva. Surda, décima quinta letra do alfabeto. Importante em muitas áreas da vida. Na música - piano, pianíssimo; nas datas - p.p. - próximo passado; Em documentos - PP - por procuração; Na química - símbolo do fósforo. Na vida espiritual – Poder.

P, de Pátria, e de Patriota; P, de Planeta terra, de Preservar. Uma Pequena Palavra também começa com "P": Jesus disse "Eu vos dou e vos deixo a Paz" - isto não é o Paraíso?

São tantas palavras fortes que iniciam com a letra "P" e nos acompanham durante toda a vida. Nosso nascimento é um Parto. Principiamos nossa vida cristã na Pia batismal. P, de Peixe, símbolo do cristianismo. P, de Páscoa, lembra a Paixão, Perdão e Passagem para a nova vida.

P, de Púlpito, de Prédica. P, de Protestantes. P, na oração: Pai nosso... Pão nosso... Perdoa nossas dívidas... E terminamos Pois teu é o reino e o Poder. P de Perdão! E o que é mais difícil: Pedir Perdão ou Perdoar? Na confissão de Pecados dizemos: tem Piedade de nós, Senhor!

P, de Parábolas; P, de Pedro; P, de Paulo; P, de Perseverança na fé; P, de Próximo; P, de Pentecostes. P, de Purificação e Perfeição... Mas, hoje o P tem um significado especial: P de Pastor! Homens que estudam longos anos a Palavra de Deus para nos ensinar a orar, nos batizar, nos confirmar, despertar nossa fé, nos casar e orientar pela vida a fora, até chegarmos aos céus.

Pastor amigo, hoje é o seu Dia! Parabéns pelo seu Pastorado e por sua vocação e, Por tudo o que nos têm ensinado e Pregado, receba as nossas Preces e também as nossas Palmas.

Pr. Dirceu de Lima
Ministerial e Mipes na ACSR

Ser Pastor

Não sei por qual modo você foi chamado para o ministério pastoral, mas tenho a esperança de que tendo recebido em sua alma o toque peculiar do Espírito Santo, não sentiu descanso, enquanto não deu um passo à frente e se colocou à disposição do Senhor numa decisão para toda a vida.

Cada um de nós tem sua história, seu momento único, seu chamado pessoal, que tanto pode ser na estrada de Damasco, como no Vale de Jaboque ou até mesmo durante o luto pela morte do rei Uzias, quando, em meio à insegurança pela vacância do trono terrestre, podemos com os olhos ainda marejados, olhar para o alto e descobrir que o Senhor continua assentado num alto e sublime trono.

Ouça o Mestre a lhe dizer: “Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. Quando passares pelas águas eu serei contigo; quando pelos rios eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”. Isaías 43:1,2.

Esta promessa de Deus nos assegura que nada neste mundo poderá nos separar ou desviar do ministério que nos foi confiado enquanto nos mantivermos sob sua jurisdição. Somos o que somos porque fomos chamados por Ele. “Jesus subiu a um monte e chamou para si aqueles que quis, os quais vieram para Junto dEle”. Escolheu doze, designando-os apóstolos para que estivessem com Ele”... Marcos 3:13-15.

Por isso ser pastor é muito mais do que ser um pregador, administrador de igreja, professor ou conferencista, ser pastor é algo da escolha e do coração de Jesus. Ser pastor é amar gente, especialmente quem nos rejeita ou odeia. Ser pastor é surpreender os pecadores com um amor incondicional como o de Jesus. Ser pastor é chorar pelos rebeldes como chorou Jesus por Jerusalém, ser pastor é fazer tudo para conseguir ganhar alguns para Cristo.

Ser pastor é festejar a festa da igreja e do céu, por um pecador que se arrepende, é alegrar-se com aquele que conseguiu um novo emprego, aquele que se graduou na faculdade ou com o que recebeu alta do hospital. Ser pastor é esperar o melhor de quem não oferece humanamente nenhuma esperança. Ser pastor é orar a tempo e fora de tempo, é amar a Palavra de Deus de tal forma que os que nos ouvem possam dizer: este é “um santo homem de Deus”.

Ser pastor é também chorar, chorar pela ingratidão daqueles a quem temos servido e por quem temos intercedido.

Ser pastor é compadecer-se das pessoas, que estão aflitas e exaustas como ovelhas sem pastor, ser pastor é orar por mais trabalhadores, porque hoje como há dois mil anos, a seara é grande mas os ceifeiros são poucos!

Ser pastor é não ter outro interesse a não ser “pregar a Cristo e este crucificado”, é não envolver-se nos negócios deste mundo, nem buscar riquezas, fama ou posição, porque acima disso pesa a responsabilidade e o privilégio de “cuidar dos negócios do Pai”.

Ser pastor é contradizer o coração, e dizer não quando o Senhor disser não e sim quando disser sim. É não ir à casa dos ricos em detrimento dos pobres, é não dar atenção demasiada para uns esquecendo-se dos outros. É não ficar ao lado dos jovens, em detrimento dos adultos e vice-versa. Ser pastor é incomodar os acomodados e acalmar aos agitados.

Ser pastor é partilhar com sua liderança seus sonhos e ter disposição para ouvir as aspirações de sua congregação. Ser pastor é andar humildemente diante de Deus e dos homens, é não agir como Senhor do rebanho e sim como seu provedor e servidor. Ser pastor é valorizar seus colaboradores e dar-lhes justo reconhecimento diante dos seus coirmãos.

Ser pastor é seguir a Deus e não ao coração. É ser um servo da verdade, mesmo quando isto exigir reconhecer seu erro ou retratação. Ser pastor é não buscar a popularidade fácil, principalmente quando tiver que tomar decisões pesadas e difíceis.

Ser pastor é ouvir muito mais do que falar, é dar sempre a oportunidade ao contraditório e não julgar pelas aparências. É ser ético em relação aos seus liderados e superiores, mantendo em segredo tudo o que possa denegrir ou prejudicar a vida das pessoas.

Ser pastor é não emitir opiniões ou críticas de que venha a ser arrepende. Ser pastor é sofrer o dano, o dolo e a injustiça, confiando nAquele que é o galardoador dos que o buscam. Ser pastor é ser o padrão dos fiéis, na temperança, no falar, na pureza, fidelidade e liberalidade, e começando pelo lar pregar diariamente o mais poderoso sermão, o sermão do exemplo.

Ser pastor é estar pronto para a solidão. É manter-se no Santo dos Santos de joelhos prostrados, obtendo a solução e direção para os problemas e planos do dia a dia.

Ser pastor é ser profeta, tornar o seu púlpito um “assim diz o Senhor”, uma tocha flamejante, um facho de luz, uma espada de dois gumes, afiada e afogueada, proclamando aos quatro ventos a salvação e a santificação do povo de Deus.

Ser pastor é ter paciência com seus filhos e esposa, não colocando sobre eles “um fardo que nem nossos pais puderam suportar”. Os nossos familiares devem ser o exemplo dos fiéis, não porque fazem parte da família ministerial, mas sim porque foram comprados pelo sangue de Cristo e em gratidão oferecem sua vida em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.

Ser pastor é ser marido e ser pai. É fazer de seu ministério motivo de louvor dentro e fora de casa. É não causar à esposa a sensação de que a igreja é uma amante, uma concorrente, que lhe tira todo o tempo de vida conjugal.

Ser pastor é amar os seus filhos da mesma forma que ensina aos pais cristãos amarem os seus. É olhar para os olhos de seus filhos e ver o brilho de seus próprios olhos. É preocupar-se menos com que os outros vão pensar e mais no que os filhos vão aprender, sentir e receber. É ver cada filho crescer, dando a cada um a atenção e o amor necessários. É orgulhar-se de ser pai, alegrar-se por ser esposo, servir de modelo para o povo. E, quando solteiro, tornar a sua castidade e dignidade modelo dos fiéis, enaltecendo ao Senhor, razão de sua vida.

Ser pastor é pedir perdão. Se os pastores fossem super-homens, Deus daria a tarefa pastoral aos anjos, mas optou por fazer de pecadores convertidos os líderes de rebanho, pois, sendo humanos, poderiam mostrar aos demais que é possível ser uma bênção, mas, quando pecarem, saberem pedir perdão. Humildade é uma chave que abre todas as portas, até as portas emperradas dos corações decepcionados.

Ser pastor é crer quando todos descrêem. Saber esperar com confiança, saber transmitir otimismo e força de vontade. É fazer de seu púlpito um farol gigantesco, sob cuja luz o povo caminha sempre em frente, para cima e em direção a Deus. Ser pastor é ver o lado bom da questão, é vislumbrar uma saída quando todos imaginarem que é o fim do túnel.

Ser pastor é contagiar, e não contaminar. Ser pastor é inovar, é renovar, é oferecer-se como sacrifício em prol da vontade de Deus. Ser pastor é fazer o povo caminhar mais feliz, mais contente, é fazer a comunidade acreditar que o impossível é possível, é fazer o triste ser feliz, o cansado tornar-se revigorado, o desesperado ficar confiante e o perdido salvar-se. As guerras não são ganhas com armas, mas com palavras, e as do pastor são as palavras de Deus, portanto, invencíveis.

Ser pastor é saber envelhecer com dignidade, sem perder a jovialidade. É ser amigo dos jovens e companheiro dos adultos. Ser pastor é saber contar cada dia do ministério como uma pérola na coroa de sua história. Ser pastor é ser companhia desejada, querida, esperada. É saber calar-se quando o silêncio for a frase mais contundente, e falar quando todos estiverem quietos. Ser pastor é saber viver. Ser pastor é saber morrer.

E quando morrer, deixar em sua lápide dizeres indeléveis, que expressem na mente de suas ovelhas o que Paulo quis dizer quando estava para partir: “combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé”. Ser pastor é falar mesmo depois de morto, como o justo Abel e o seu sangue, através de sua história, de seu exemplo, de seus escritos, de suas gravações. Ser pastor é deixar uma picada na floresta, para que outros venham habitar nas planícies conquistadas para o Reino do Senhor. Ser pastor é fazer com que os filhos e os filhos dos filhos tenham um legado, talvez não de propriedades, dinheiro ou poder político, mas o legado do grande patriarca da família, daquele que viveu e ensinou o que é ser um pastor.”

Então, um abençoado dia do pastor!

Pr. Antonio Moreira
Presidente da Igreja na Região Central do Paraná (ACP)

PS. Texto adaptado da internet

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Mundo Interativo

Nosso mundo se tornou pequeno. Embora não tenha diminuído de tamanho, parece que não temos mais distâncias. Tudo está ao alcance de um clique. Você pode entrar em um museu, uma loja ou um estádio de futebol. Fazer um tour pelo mundo, em outros planetas e até estrelas ficou fácil. Conhecer ruas, casas, achar endereços é rotineiro. Você pode conhecer e reconhecer pessoas, lugares, animais, objetos que nunca imaginou encontrar antes. Amizades que antes eram impossíveis de serem formadas, agora são completamente naturais. Este é o nosso Mundo Interativo!

Você já pensou que muito antes da internet surgir, você já tinha acesso a algo semelhante, mas muito mais poderoso? Nosso Deus é o Senhor da Interatividade! Ele conhece cada pensamento seu. Escuta toda vez que você fala com Ele. Não apenas conversa conosco, através de Sua Palavra, mas enviou Seu próprio Filho para vir a Terra. Isto sim é interatividade! Mas o Seu maior ato de interatividade ainda está por vir: a volta de Jesus! Ele diz em João 14:3 “E quando Eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos recebei para Mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.”

Nosso Deus é assim. É interativo porque é Amor! E Ele deseja estar conosco para sempre. Habitar comigo e com você. Aí sim, não teremos distâncias. Viveremos em um novo mundo interativo!

Pr. Charles Rampanelli
Líder de Jovens em Santa Catarina (AC)

Resumo da lição 4 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Jônatas: Nascido para a grandeza

Texto-chave
“Disse... Jônatas ao seu escudeiro: Vem, passemos à guarnição destes incircuncisos; porventura, o SENHOR nos ajudará nisto, porque para o SENHOR nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos.” I Samuel 14:6

Objetivos
1. Reconhecer o que Deus considera importante no estilo de liderança servidora de Jônatas.

2. Sentir apreciação pela fidelidade e amizade que Jônatas demonstrava tanto a seu pai Saul quanto ao jovem Davi.

3. Praticar a liderança servidora, não importando a humilhação nem os desafios que sejamos chamados a suportar.

Verdade Central
Assumindo uma função de apoio para com seu pai e para com seu melhor amigo, mesmo a ponto de sofrer a sorte de seu pai na batalha, Jônatas demonstrou a dedicação altruísta e amorosa de um líder servidor. Ele estava disposto a voltar as costas ao que o mundo considera grande e, ao contrário, buscar um tipo diferente de “grandeza” – a grandeza de Deus.

Lição de domingo: O elevado ofício da amizade

Você já foi traído por um amigo? Quais são os traços de caráter necessários para ser um amigo verdadeiro? Leia Êxodo 33:11; Provérbios 17:17e 27:9; Eclesiastes 4:10 João 15:13-15.

1. A amizade é mais que instinto;
2. A verdadeira amizade deve ser nutrida pela comunicação;
3. A amizade envolve mais do que conversa;
4. Um amigo está pronto a dar ajuda prática mesmo sob grande risco pessoal;
5. Um amigo ama, aconselha, ajuda, tem intimidade para conversar.

Lição de segunda-feira: Uma grande vitória

Como saber a diferença entre fé e presunção? Jonatas pediu um sinal a Deus (1 Samuel 14:6-13). Podemos pedir um sinal a Deus ainda hoje? Se sim, quando e como podemos pedir sinais a fim de saber qual é a vontade de Deus para nós?

1. Jônatas não confiou nas próprias forças;
2. Ele sabia que Deus é muito maior que o problema que Israel enfrentava;
3. Jônatas não dependia somente de sinais ele consultou outras pessoas tementes a Deus e partilhou com elas os seus planos e idéias;
4. Jônatas entendia que Deus não está limitado e não tentou manipulá-lo: ofereceu-se para ir ou para ficar.

Lição de terça-feira: Relação pai-filho

Jonatas se colocou a disposição de seu pai mesmo que fosse para morrer. O que significa honrar pai e mãe? Leia Efésios 6:1-3. Que coisas práticas podem ser feitas para melhorar as relações com os pais?

1. Honrar os pais significa mais que oferecer um cartão ou um presente ocasional;
2. Temos a obrigação bíblica de sustentar os pais emocional e também materialmente (I Tim. 5:8);
3. Honrar os pais não significa defender os erros deles, significa porém que temos obrigações especiais não importando o tipo de pessoas que sejam.

Lição de quarta-feira: Tomando o segundo lugar

Qual é o mais fácil: Admitir o erro ou culpar os outros? Por quê?
Qual a diferença entre a atitude de Jônatas (I Sam. 23:17) e Adonias (I Reis 1:5)? De que forma podemos controlar os sentimentos de rejeição, inveja e ódio?

1. Jonatas tinha o direito de culpar o pai pela maioria de suas dificuldades pois se Saul tivesse sido fiel Jônatas teria obtido o trono;
2. Em vez de se deixar envolver pela amargura e ressentimento ele acreditou que Deus sabia o que era melhor;
3. Ele se dispôs a tomar o segundo lugar, tentando inspirar harmonia e reconciliação entre o pai e o amigo Davi.

Lição de quinta-feira: Quando a vida não é justa

Qual foi o fim de Jônatas? (I Sam. 31:1-7) Como entender isso? O que você diria para uma pessoa que sempre cuidou da saúde e descobre que tem câncer? Ou para alguém que sempre foi fiel e não consegue um trabalho por causa do sábado?

1. Embora saibamos que o bem vencerá o mal na volta de Jesus a realidade é que os bons nem sempre ficam bem nesta vida e que os maus nem sempre se dão mal;
2. Jônatas não era orgulhoso e estava disposto de abrir mão do seu trono;
3. Como João Batista Jônatas é um exemplo dos que não conseguem alcançar o que parecem merecer na vida;
4. Sob a nossa perspectiva acontece muita coisa que não faz sentido nem parece justo. Mas a promessa é de que um dia, todas as coisas serão esclarecidas e teremos a resposta para o que agora nos parece insondável.

Conclusão

1. Jônatas é um exemplo de amigo verdadeiro, um homem de fé, que tinha respeito pelos pais, era humilde e confiava em Deus acima de tudo.
2. Jônatas lutava pelo que era correto mas aceitava a direção que Deus dava para sua vida;
3. Jônatas permaneceu ao lado de seu pai até o último momento de sua vida.

Pr. Evandro Fávero

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Formatura do Mestrado 2010

Dicas para o Mutirão de Natal

“O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. Mateus 25:40

Não esqueça, só um apaixonado consegue apaixonar ou inflamar uma pessoa, um grupo de pessoas, uma igreja ou uma multidão. Como isso acontece? Pense em todos os passos do projeto de maneira positiva e otimista, e comece a falar e organizar o programa em sua igreja ou distrito, “pois fogo produz fogo”, somente assim você será capaz de incendiar outros. Abaixo algumas dicas para que seu programa de mutirão de natal seja um sucesso:

1. Eleja Líderes.
Eleja um líder distrital e mais um líder para cada igreja, apaixone-os, mostre-lhes o DVD do projeto mutirão de natal. Estes líderes não precisam ser necessariamente os líderes da ASA (Ação Solidária Adventista).

2. Reúna a Comissão.
Reúna a comissão da igreja e explique toda a dimensão do projeto. Mostre tudo o que vai acontecer no distrito e na igreja. Fale do poder evangelístico do projeto junto à sociedade e o que a ASA de cada igreja poderá ganhar com o projeto.

3. Doação dos membros.
No lançamento distribua as sacolas da ASA para os membros da igreja trazerem sua participação de fé, que deverá ser de 5, 10, 15 ou mais quilos. Esta é a largada da campanha.

4. O “dia D”.
Escolha um dia específico, o famoso “dia D”. Neste dia todos os membros deverão sair para recolher alimentos.

5. Preparação.
Durante a semana que antecede o “dia D”, devem-se mapear os bairros onde a campanha será realizada. A divulgação deverá ser feita através de carro de som e mídia.

6. Programação da igreja no “dia D”.
No dia D, haverá apenas o resumo da lição da escola sabatina, a apresentação dos resultados já alcançados com a doação dos membros e as orientações finais.

7. O trabalho de coleta.
Deverão ser organizadas equipes compostas de um carro e duas duplas. Cada carro, previamente inscrito e devidamente identificado com cartazes da campanha, deverá conduzir duas duplas munidas de mapas, sacolas e disposição para buscar as doações nos bairros. Cada dupla deve cobrir um lado da rua, acompanhadas de um carro, que estará recebendo os alimentos e levando-os para caminhões e/ou carros que estarão estacionados em pontos estratégicos.

8. Veiculação na Imprensa.
Avise a imprensa sobre a campanha. A população deve ser motivada a levar suas doações aos postos de arrecadação, onde equipes estarão recebendo as doações. Convide a TV para fazer a cobertura do trabalho de arrecadação. Isso facilitará o trabalho de “corpo a corpo” das duplas.

Acredite! Faça sua parte e lembre-se que cada quilo doado, além de tornar a igreja conhecida, cumpre o ensinamento de Jesus: "Sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes"

O segredo do sucesso é a "união do esforço humano e o poder divino". Não se intimide, vá em frente e Deus lhe ajudará!

Pr. Evandro Fávero

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Quem já está no Céu ?

Olá Tudo bem? Hoje vamos estudar mais um pouco sobre o céu e responder a pergunta: Quem já está no Céu?

Uma revista norte-americana fez uma pesquisa sobre o que os americanos pensam do céu.

• 72% pensam que suas chances de ir para o céu está entre bom e excelente;
• 62% disseram que seus amigos estarão lá também;
• 67% disseram crer na existência do inferno e,
• 96% crêem em Deus.

A Bíblia afirma que o céu é 100% verdadeiro. Alguém disse que “o céu é vida com Deus; inferno é vida sem Deus. Céu ou inferno não são recompensas. São conseqüências das escolhas que fazemos.”

Muitos acreditam que quando uma pessoa morre, se ela foi boa em vida, ela vai diretamente para o céu. Mas a Bíblia não afirma assim. Ela ensina que Deus já determinou um dia em que tanto os mortos que um dia em vida aceitaram a Jesus como Salvador e Senhor como os vivos justos irão para o céu.

Paulo ensina em 1 Tessalonicenses 4: 13 a 17:"Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor."

Essa é a regra geral. Mas há exceções e delas vamos falar Hoje.

Quem já está no Céu?

"E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos." Mateus 27:50 a 53

“Quando Cristo ressurgiu, trouxe do sepulcro uma multidão de cativos. O terremoto, por ocasião de sua morte, abrira-lhes o sepulcro, e ao ressuscitar Ele, ressurgiram juntamente. Eram os que haviam colaborado com Deus, e que à custa da própria vida tinham dado testemunho da verdade. Agora deviam ser testemunhas dAquele que os ressuscitara dos mortos. Durante Seu ministério, Jesus ressuscitara mortos. Fizera reviver o filho da viúva de Naim, a filha do principal, e Lázaro. Estes não foram revestidos de imortalidade. Ressurgidos, estavam ainda sujeitos à morte. Aqueles, porém que ressurgiram por ocasião da ressurreição de Cristo, saíram para a vida eterna. Ascenderam com Ele, como troféus de Sua vitória sobre a morte e o sepulcro.” Visões do Céu, págs. 104 e 105.

Não sabemos o nome dessas pessoas, nem o seu número. Mas sabemos que foram pessoas que “a custa da própria vida tinham dado testemunho da verdade,”ou seja foram mártires.
Além destes a Bíblia menciona o nome de 3 pessoas que já estão no céu.

I) ENOQUE:

"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus" Mateus 5:8

“Durante 300 anos, Enoque estivera procurando pureza de alma, para que pudesse estar em harmonia com o céu. Durante três séculos, andara com Deus. Dia após dia, almejara uma união mais íntima; cada vez mais estreita se tornara a comunhão até que Deus o tomou para Si. Estivera no limiar do mundo eterno, havendo apenas um passo entre ele e o país da bem-aventurança; e, agora, abriam-se os portais; o andar com Deus durante tanto tempo praticado em terra continuou, e ele passou pelas portas da santa cidade, o primeiro dentre os homens a entrar ali.” Patriarca e Profetas, pág.87

II) MOISÉS:

"Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda." Judas 9

“O próprio Cristo, com os anjos que sepultaram a Moisés, desceu do céu para chamar o santo que dormia. Satanás exultara com seu êxito, fazendo Moisés pecar contra Deus, e cair assim sob o domínio da morte. O grande adversário declarou que a sentença divina- és pó, e em pó te tornarás - lhe dava posse dos mortos. O poder da sepultura nunca havia sido quebrado, e todos os que se achavam no túmulo ele considerava como cativos seus, para jamais serem libertos da tenebrosa prisão... O Salvador não entrou em discussão com Seu adversário, mas naquele momento, ali mesmo, iniciou a obra de quebrar o poder desse adversário decaído, e de trazer o morto à vida.... Em seus próprios méritos(Moisés) era o legítimo cativo da morte; mas foi ressurgido para a vida imortal, mantendo este título em nome do Redentor. Moisés saiu do túmulo glorificado, e ascendeu com seu Libertador à cidade de Deus” Visões do Céu, págs.100 e 101.

III) ELIAS:

"Sucedeu que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim. E disse: Coisa difícil pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará, porém, se não, não se fará. E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho." II Reis 2:9 a 11

Em Moisés e Elias vemos a representação em miniatura do Reino dos Remidos. Moisés representa os que serão ressuscitadas da morte por ocasião da 2º vinda de Jesus. E Elias representa os que no final da história terrestre, serão mudados do estado mortal para imortal e serão transladados ao céu sem ver a morte.

E Enoque representa algum grupo também? Enoque é um símbolo da vida e obra que devem ter os que aguardam a breve volta de Jesus.

Ellen White diz: “Para Enoque não foi mais fácil viver uma vida justa em seu dias do que é para nós no tempo presente. O mundo nos dias de Enoque não era mais favorável ao crescimento na graça e santidade do que agora, mas Enoque dedicou tempo à oração e comunhão com Deus, e isso o habilitou a escapar da corrupção das paixões que há no mundo. Foi a sua devoção a Deus que o capacitou para a transladação.” ( Manuscrito 1, 1869, S.T. Vol.2, págs,5 e 6)

“Enoque foi santo porque andou com Deus nos caminhos de Deus. Nele teve o mundo um exemplo daquilo que,ao voltar Cristo, serão os que forem arrebatados nas nuvens para encontrá-lo no ar. Assim como Enoque foi, devemos ser. A piedade pessoal deve combinar-se com os mais fervorosos e vigorosos apelos e advertências.” ( Carta 97, 1902- Manuscript Releases, Vol.12, pags.213 e 214.

“Pois bem, Enoque era um representante daqueles que estarão sobre a Terra quando Cristo vier, e que serão transladados ao céu sem provar a morte”. Sermons and Talks, Vol.1, pág.32
A pergunta para nos hoje é: Estaremos nós também no céu? Estamos realmente jornadeando para lá?

São perguntas difíceis para alguns. Mas há um texto no livro Testemunhos para a Igreja, Vol.5, pág. 745 que nos ajuda a responder de forma satisfatória essas perguntas, ele diz:

“Caso estejamos realmente Jornadeando para lá, o espírito do Céu habitará em nosso coração aqui. Mas, se não encontramos prazer agora na contemplação das coisas celestiais; se não temos qualquer interesse em buscar o conhecimento de Deus, deleite algum em deter os olhos no caráter de Cristo; se a santidade não tem a menor atração para nós , podemos então estar certos de que é vã nossa esperança do Céu.”

  • O espírito do Céu habita em seu coração?
  • Tem você prazer na contemplação nas coisas celestiais?
  • Tem buscado o conhecimento de Deus?
  • Tem prazer em contemplar o caráter de Cristo?
  • A santidade é o seu alvo?
Se você pode afirmar positivamente a estas perguntas, então você está no caminho certo rumo ao Céu, e como Enoque, antes de ser levado, está mais perto da casa de Deus do que da sua.

Lembre-se: “O Céu é um lugar preparado para pessoas preparadas”. Estamos aguardando em feliz antecipação o dia em que Jesus retornará à Terra, não como um homem de dores, mas como o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Nesse dia, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro, depois, Seus seguidores que estiverem vivos serão “ transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos”( I Cor.15:51 e 52), e todos juntos, nessa multidão de remidos, agora imortais, irão viajar através do tempo e do espaço, em direção ao Paraíso de Deus, ao Céu.

Comece desde já a provar “as virtudes do século futuro.” Heb.6:5 Há um lugar para mim e para você nas mansões celestiais, nosso lugar não é aqui. Que Deus venha em breve nos buscar. Amém.

Pr. Gérson B. Marques
Pastor na Região Sul do Paraná

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Adventistas somam 16,6 milhões de membros em todo o mundo

G. T. Ng, secretário da Igreja Adventista em âmbito mundial, apresentou seu relatório aos delegados do Concílio Anual no domingo, 10 de outubro, destacando a necessidade de aumento de atividade de missões em áreas onde a Igreja tem trabalho reduzido.

Muito desse crescimento vem da América Latina e da África Oriental e Meridional, disseram líderes da Igreja durante o relatório do secretário para o Concílio Anual, uma reunião administrativa da Comissão Executiva denominacional que reúne aproximadamente 300 delegados.

Embora a apresentação reiterasse informações de relatórios do ano anterior, serviu como uma visão expandida das operações da Igreja, incluindo a atividade de missões, e foi a primeira exposição de G. T. Ng como secretário da Igreja Adventista.

Novas análises incluíram uma visão "séria" quanto à mudança de uma "metodologia pró-ativa para uma reativa" em alocação missionária. Ng, um ex-secretário associado que supervisionava o recrutamento para missões em boa parte da Ásia, disse que mais missionários estão servindo em instituições estabelecidas do que no trabalho missionário de "linha de frente".

Em 2008, a Igreja enviou 755 missionários de tempo integral, cerca de 56 por cento dos quais serviram em instituições. Esse número está acima dos 45 por cento 10 anos atrás, declarou Ng. A Igreja gasta de 21 a 24 milhões de dólares ao ano com salários para missionários de tempo integral, recrutados e processados mediante a sede da administração denominacional.
"Se gastarmos uma boa parcela de nosso orçamento em instituições [missionárias], então estaremos sacrificando nossa necessidade na Janela 10/40", comentou NG, referindo-se à região mundial da África Ocidental até a Ásia Oriental onde o cristianismo conta com pouca presença.

Número e desafios - A membresia denominacional em muitas regiões do mundo é forte e crescente, declarou Bert Haloviak, diretor do escritório de Arquivos e Estatísticas. Em 30 de junho, havia 16.641.357 adventistas por todo o mundo, informou Haloviak. Isso representa um adventista para cada 414 pessoas sobre o planeta, uma melhora de 10 desde o Concílio Anual do ano passado, ele disse.

Haloviak disse aos delegados que a África tem o maior número de membros entre todos os continentes e que a quantidade de membros na América do Sul é a que está crescendo mais rapidamente. Do número total de membros, a África tem 37 por cento, a América Latina 33 por cento, a Ásia 19 por cento, a América do Norte 7 por centro e a Europa/Oceania tem 4 por cento.

Este é também o sétimo ano consecutivo em que a Igreja tem um ganho líquido de mais de 1 milhão de membros. Haloviak declarou que 1.062.655 pessoas uniram-se à Igreja entre 1o. de julho de 2009 e 30 de junho deste ano. Cerca de 41 por cento desses novos membros estão na América do Sul e África Meridional, 18 por cento na América Central e quase 16 por cento na África Centro-Oriental. Os 21 por cento restantes vivem em outras regiões mundiais. A Europa respondeu por menos de 2 por cento dos novos membros.

Haloviak também relatou sobre as contínuas auditorias de membros na América do Sul, como tem feito em anos anteriores. Mesmo com recentes medidas de auditoria ali e na região da Ásia Meridional-Pacífico, os registros revelam que ambos os campos estão entre as áreas de mais rápido crescimento na denominação.

A Igreja na América do Sul tem conduzido auditorias de membros para cada um dos últimos três anos. A membresia mesmo assim cresceu ali em 218.000 membros no ano passado. Na Ásia Meridional-Pacífico, o crescimento líquido têm coerentemente se mantido acima de 6,5 por cento pelos últimos três anos. A região também têm experimentado perda de 6,5 por cento de membros para cada 100 conquistados, a única das 13 regiões mundiais a ter perda líquida de membros de um dígito.

"Temos a tendência de ir a lugares onde o trabalho é fácil", ele disse. "Mas quando consideramos a escuridão nos países da Janela 10/40 ... temos que tomar nota disso e fazer planos correspondentes", ele comentou aos delegados.

Ansel Oliver
Equipe ASN

domingo, 17 de outubro de 2010

A segunda milha

“Se alguém, das tropas estrangeiras de ocupação, obrigar você a levar uma carga um quilômetro (milha), leve dois quilômetros (milhas).” Mt 5.41. (BLH)

Esta é uma das grandes exortações do Senhor. Jesus se refere a um costume romano. Muitos cidadãos dos países dominados por Roma, eram obrigados a servir até em trabalhos forçados. Além de serem recrutados de guias indo a terras desconhecidas, ainda eram obrigados a levar grandes cargas por longas jornadas.

No tempo de Jesus, a religião dos fariseus mandava amar os amigos e odiar os inimigos, tratar aos outros como se era tratado, aceitar ir só uma milha. Jesus orienta: vá além, em amor, em serviço, em abnegação. Vá além do que estão pedindo.

O princípio é claro; os amigos de Jesus devem amar os inimigos e orar pelos que os maltratam, perseguem ou prejudicam.

O cristão não deve ficar controlando o relógio, com medo de trabalhar minutos a mais. Não deve registrar tudo o que faz pelos outros, com medo de fazer mais do que tem recebido. Deve ir além, andar a segunda milha.

Também no sentido espiritual, facilitamos demais nossa religião. Quase sempre queremos andar só a primeira milha, no sentido de consagração, oração, amor aos outros e até na obediência à vontade de Deus.

Achamos que cumprimos nosso dever quando damos alguma oferta ou esmola, ou nos ajoelhamos pela manhã e à noite e repetimos uma rápida oração, ou lemos apressadamente algum texto da Bíblia. Essas são no máximo caminhadas da primeira milha.

Na vida do cristão tudo deve ser infinito. Não existem fronteiras demarcadas que não possamos ultrapassar. Não há limite no serviço e na comunhão de um servo de Jesus. “Que fazeis vós mais do que os outros?” é a pergunta que prova nosso viver cristão.

Muitos se contentam em fazer só o que os outros fazem. Ficam satisfeitos ao se compararem, e verem que estão iguais.

A atitude de um verdadeiro cristão, porém, é ir além. Você, na vida social, familiar, espiritual, tem sido um cristão da primeira ou da segunda milha? Peça a Jesus que lhe faça ser cristão da segunda milha!

Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe.
Distrital em Laguna – SC

sábado, 16 de outubro de 2010

Médico do HC de São Paulo dá dicas para adaptação ao novo fuso horário

O início do horário de verão no próximo domingo (17) vai exigir uma boa qualidade de sono por parte dos brasileiros, segundo Jacob Faintuch, clínico geral do Hospital das Clínicas da USP. Para o médico, os cinco primeiros dias após a mudança no relógio são os piores, mas após o período o corpo já consegue se adaptar, se a pessoa conseguir descansar adequadamente.

A má qualidade de sono afeta o desempenho da pessoa nas atividades do dia seguinte. Mas a nova marcação no relógio não é a única causa de desequilíbrio do organismo. "Novos turnos de trabalho ou viagens internacionais podem agir da mesma forma", diz Jacob.

Complicações no coração e no sistema circulatório também poder surgir com uma rotina de noites mal dormidas. "O infarto, por exemplo, costuma acontecer apenas algumas horas depois de acordar e, principalmente, na segunda-feira, quando o stress aumenta", afirma o médico.

O horário oficial será adiantado em uma hora neste mês de outubro, menos nos estados do Nordeste e do Norte. Na prática, os moradores do Centro-Sul do Brasil terão 60 minutos a menos para dormir. No dia 20 de fevereiro de 2011, o horário de verão terminará.

O que não fazer
Segundo o especialista, é preciso reduzir o consumo de chá preto e café. "Exercícios físicos mais cansativos também devem ser evitados", afirma Jacob. "O ideal é praticar atividade física depois de, pelo menos, duas horas acordado e não praticar o esforço à noite."

O sono é regulado pelo melatonina, um hormônio acionado pela falta de luz. Atividades muito estimulantes como ler livros ou ver filmes antes de dormir atrapalham a capacidade da pessoas em relaxar e pioram a qualidade do sono. “Para se adaptar ao novo horário, é importante evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite”, diz o médico.

Comer demais no jantar, ir dormir sem se alimentar até tomar banhos muito frios ou muito quentes são também práticas não recomendadas, segundo o especialista. (G1)

Nota: "Ao regular as horas do sono, não se deve proceder com descuido."(CPPE, 297). Deus deseja que todos tenham saúde. "Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma." III João 2

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A mudança começa por mim

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:1-2

É difícil ter uma vida espiritual genuína onde as tradições e costumes são prioritários para as pessoas. Durante um ano e dez meses de trabalho pastoral em nosso campo, aprendemos que para muitos cristãos não é fácil mostrar uma vida coerente com os princípios da Palavra de Deus.

Certo dia, um ancião da igreja e sua esposa vieram à casa pastoral em busca de conselho, pois havia ocorrido um assunto doméstico que prejudicou a susceptibilidade da família. Eles estavam dispostos a impor represálias diante do ocorrido. Pensavam mudar o mundo à sua moda, sem levar em conta sua investidura – ou seja, dar testemunho de alguém sereno, paciente e cristão. Eles se tornaram em pessoas sem o Espírito de Deus.

No decorrer de nosso diálogo, ficou compreendido que havia necessidade de mudar a atitude e que isso poderia ser uma inspiração para os demais. Ele aceitou que tratava mal à esposa e que não mantinha bom relacionamento com os filhos e, além disso, não era fiel a Deus. Isso levou o ancião a compreender que a mudança deveria começar por ele.

Mas, como pastores, somos bons conselheiros, amigos da igreja, pais espirituais, bons pregadores, e não nos damos conta de que também necessitamos fazer mudanças. Às vezes apagamos com o cotovelo o que escrevemos com a mão. Lembremos que a mudança deve ser iniciada em nós, em nossa família, pois ela é o termômetro para uma experiência maravilhosa na igreja. Tenhamos bem claro que a mudança é de dentro para fora e não o contrário. Somente Jesus pode tornar isso realidade em nossa vida.

Há alguma situação em nossa vida que necessita de mudança, mas que é muito difícil? Ou talvez como obreiro do Senhor você já tenha conseguido essa mudança, de tal forma que pode dizer como o apóstolo Paulo: “sejam meus imitadores”? Porém, estou certo de que para muitos de nós a voz do Senhor, silenciosa e profunda, segue dizendo: “Apenas se esforce e seja corajoso...”. Que a luz do Espírito Santo guie seus passos durante as vinte e quatro horas deste dia maravilhoso.

Feliz Sábado!

Pr. Carlos López Pezo
Misión el Lago Titicaca - UPS

Resumo da lição 3 da Escola Sabatina

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO PARA BAIXAR A LIÇÃO EM POWER POINT

Título: “Aprendendo a ser alguém”

Texto-chave
“Então, orou Ana e disse: O meu coração se regozija no Senhor, a minha força está no Senhor; a minha boca se ri dos meus inimigos, porquanto me alegro na Tua salvação. Não há santo como o Senhor; porque não há outro além de Ti; e Rocha não há, nenhuma, como o nosso Deus” (1 Samuel 2:1, 2)

Objetivos
1. Saber que para Deus não existem impossíveis.

2. Ter um relacionamento mais íntimo com Deus através de uma oração sincera.

3. Desenvolver um sentimento constante de gratidão honrando nossos votos perante Deus

Verdade Central
Mesmo sendo tão grandioso Deus considera cada um dos Seus filhos de maneira amorosa e especial. Por isto devemos ter o coração agradecido diariamente.

Lição de Domingo: Qual é o meu valor?

Ana é uma das várias mulheres do Antigo Testamento que não podia ter filhos. Cite outras mulheres e por que isto era importante?

1. As três matriarcas do povo de Israel, Sara, Rebeca e Raquel também eram estéreis. Vemos aqui o milagre divino para surgimento da nação de Ana, os israelitas.

2. A atitude absurda de ofecer uma serva, no caso de Sarai, para ter relações sexuais com Abrão (Gên 16:1 e 2), além de ser uma lei entre os povos naquela época (Artigo 145 do Código de Hamurabi) sugere também o desespero que a esterelidade causava nas mulheres. Ana, uma mulher sem filhos, tinha uma vida sem nenhum propósito.

3. Assim como aconteceu com Ana, diversas situações podem nos desanimar e até tirar nossa vontade de viver. Luto, desemprego, tragédias e outras situações mais devem ser vistas à luz da seguinte citação de Ellen White: “O extremo do homem é a oportunidade de Deus” (Atos dos Apóstolos, pag. 146). Deus não conhece barreiras para demonstrar Seu poder.

Lição de segunda-feira: Com amigos como esses...

Além de sua esterilidade, que outra situação tirava a alegria do coração de Ana? (1 Samuel 1:6)

1. Penina, a segunda mulher de Elcana e rival de Ana, colocava um grande fardo sobre os ombros desta sofrida mulher. O texto que lemos é dramático, já que retrata Ana sendo alvos de comentários maldosos por parte de Penina.

2. A Bíblia reprova severamente a calúnia e a difamação (Mateus 18:15-17; Efésios 4:29; Tiago 3:2-13). Em Levítico 19:16, a calúnia e o assassinato são considerados iguais perante Deus. O verdadeiro adorador de Deus não age como Penina.

3. Como cristão podemos ouvir muitas críticas e palavras duras contra nossa fé e nossos propósitos, mas devemos desenvolver uma habilidade preciosa de reter em nossa mente somente aquilo que é importante. Se apenas lembrarmos das críticas e ofensas proferidas contra nós, nossa fé não suportará muito tempo.

Lição de terça-feira: Derramando o coração

O que Ana fez para suportar a situação desagradável com Penina? (1 Samuel 1:9-16)

1. Não é nenhuma novidade que devemos orar a Deus todos os dias, mas quando foi a última vez que conversamos por um longo tempo com Deus? Quando foi a última vez que expomos a Ele não apenas uma dilema mas também os verdadeiros sentimentos que estào por detrás do nosso motivos?

2. Muitas vezes imaginamos que estamos em dia com Deus quando fazemos uma oração as pressas ou até mesmo uma decorada. Ana, porém, “derramou” o coração em sua prece. Como descobrimos na lição desta semana, este tipo de oração é o que mais promove uma intimidade com Deus. Você já orou desta forma?

Lição de quarta-feira: Cantando louvores

Em 1 Samuel 2 temos o cântico de Ana demonstrando sua gratidão por Deus tê-la agraciado com um filho. Que lições podemos aprender deste incidente?

1. Ana aprendeu que a felicidade não deve ser colocada sobre as circunstâncias que mudam a todo tempo, mas em um Deus que nunca muda.

2. Uma curiosidade do texto bíblico é o nome do filho de Ana, Samuel, que vem do verbo hebraico sha’al, que significa pedir, solicitar, exigir. Aquilo que Ana pediu, Deus lhe concedeu. (1 Samuel 1:20)

3. Quando a Bíblia diz que “o Senhor se lembrou dela” (1 Samuel 1:19), não significa que Deus se esquece dos Seus filhos e depois de um tempo se lembra. O que o texto bíblico quer dizer é que Deus concedeu uma atenção maior à ela para cumprir a oração de Ana.

Lição de quinta-feira: O plano de investimento de Deus

Um dos assuntos estudados nesta semana foi o voto que Ana fez ao Senhor. Se ela tivesse um filho, o mesmo seria consagrado a Deus. Qual o valor que Deus dá aos votos que fazemos com Ele?

1. A Bíblia está repleta de indicações de como Deus considera nossos votos e promessa. Quando Josué e os israelitas fizeram um pacto com os gibeonitas (Josué 9), mesmo tendo sido enganados, a aliança foi honrada e mantida. Votos como casamentos, pacto nas ofertas e outros mais devem ser mantidos perante a face do Senhor, caso contrário estaremos traindo ao nosso Deus.

2. Dois textos importantes neste assunto são Tiago 5:12 e Mateus 5:37.

3. Ana não pensou duas vezes em cumprir sua promessa. Ela tinha a consciência de que Deus leva nossa palavra a sério. Samuel foi levado até o sacerdote Eli para ser instruido pelo mesmo. Começava assim a vida de um grande líder espiritual dos israelitas.

Conclusão

1. Deus não conhece barreiras para o Seu poder.
2. A alegria duradora é aquela que tem como fundamento um Deus eterno.
3. Devemos honrar e cumprir nossos votos feitos perante Deus.

Pr. Luiz Gustavo S. Assis
Distrital do Bairro Pioneiro - Caxias do Sul, RS.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O alto preço da pornografia

A pornografia é um negócio grandioso. Com rendimentos anuais excedendo aos 13 bilhões de dólares nos Estados Unidos e 97 bilhões ao redor do mundo, a indústria pornográfica é maior do que a Microsoft, Google, Amazon, eBay, Yahoo!, Apple, Netflix e EarthLink juntas. Claramente, o apetite por obscenidade é voraz. Mas seria isso ruim? Muitos diriam que não. De acordo com as pesquisas do Barna Group, 38% dos adultos acreditam não haver qualquer imoralidade em ver material de sexo explícito. Além disso, aproximadamente um a cada quatro acredita que não deveria haver restrições quanto à pornografia ou ao seu acesso, a despeito de seu conteúdo impróprio para menores. Infelizmente, 28% dos cristãos “nascidos de novo” acreditam que, mesmo com o que está escrito em Mateus 5:28, não há nada de errado em ver pornografia. O mais triste é descobrir que por volta de 50% dos cristãos e 40% de seus pastores admitem ter problemas com a pornografia. Sob tudo isso está o conceito de que a pornografia seja uma relação particular entre um provedor do mercado livre e seus consumidores. Diferente de outras formas de atividade sexual como a prostituição, o adultério ou o estupro, as consequências negativas, em qualquer das citadas, são apenas vivenciadas pelo usuário. Ainda que a pornografia possa não ser saudável, de acordo com o ponto de vista social, tem pouca ou nenhuma importância. Quanto a todas as preocupações excessivas dos grupos religiosos e conservadores, essa está ultrapassada e inapropriada. Contra tais noções, está a evidência esmagadora da natureza destrutiva da obscenidade, não pelos usuários, mas pelos familiares e a sociedade.

Os estudos mostraram que as imagens sexualmente estimulantes deixam marcas no cérebro que ativam respostas bioquímicas espontâneas, causando dependência psicológica que influencia comportamentos e hábitos. Por exemplo, em uma audiência do Senado americano em 2004, a Dra. Mary Anne Layden, do Departamento de Psiquiatria da Universidade da Pensilvânia, declarou que o cérebro rastreia os resultados mostrados das imagens pornográficas, da mesma forma que ocorre com usuários de cocaína. Em suma, a pornografia é viciante e na internet ela é como o crack.

Atraídos pela disponibilidade, acessibilidade e o anonimato, 40 milhões de americanos adultos visitam regularmente os sites de sexo virtual. De acordo com o National Council on Sexual Addiction and Compulsivity (Conselho Nacional sobre o Vicio e a Compulsividade Sexuais), existem entre 18 e 24 milhões de viciados em sexo nos Estados Unidos, 70% dos quais “afirmam ter problemas de comportamento sexual virtual”.

Muitos descrevem seu vício como sendo uma “vida no inferno”. Como sua tolerância psicológica produz pelo material sexualmente explícito, os usuários são conduzidos a mais e mais imagens pervertidas, a fim de alcançar os mesmos níveis de satisfação sexual. Eles descobriram, assim como C. S. Lewis uma vez propôs, “um desejo cada vez mais crescente por um prazer cada vez menor”.

O consumidor habitual pode gastar horas procurando na internet por aquela imagem especial que ela espera lhe satisfazer por todo o dia; as procuras estendem-se ao local de trabalho. Uma pesquisa da Nielsen Online descobriu que 25 por cento dos empregados com acesso à internet visitam sites de sexo explicito no escritório, ainda que corram riscos de serem disciplinados ou mesmo demitidos. Mas tais comportamentos não estão limitados aos trabalhadores de nível inferior ou em posições não críticas.

Só em abril, o inspetor geral da Comissão Americana de Valores Mobiliários (CAVM) descobriu que, em 2008, trinta e um oficiais superiores acessavam pornografia nos computadores do escritório, enquanto o mercado financeiro estava em chamas. Mais recentemente, mesmo com o derramamento sem fim de petróleo BP no Golfo, funcionários do governo responsáveis por supervisionar as atividades de perfuração foram pegos, entre outras atividades, baixando pornografia no local de trabalho.

No local de trabalho, o vicio em pornografia resulta na perda da produtividade e na negligência de cumprir os deveres, que podem ter efeitos danosos talvez até desastrosos. Em casa, resulta paradoxal e tragicamente em desordens íntimas.

Como o desejo do viciado é pelas cenas eróticas, sua excitação pela “coisa real” diminui. Os fóruns médicos online estão cheios de preocupações quanto aos homens que perderam a libido pelas mulheres na sua vida após a inclinação prolongada à pornografia. Um homem escreve o seguinte:

“Desde que coloquei internet de alta velocidade em casa, comecei a ver muito mais pornografia e meu desejo e desempenho sexuais diminuíram lentamente. Agora está se tornando um problema real. Eu simplesmente não fico tão excitado quanto ao sexo como de costume e parece que perco o interesse depois de alguns minutos.”

Eu sempre me perguntei acerca do mercado frenético de drogas sexuais masculinas que começaram a aparecer na televisão uma década ou mais atrás. Como um vermelho sangue, homem de meia idade, eu tive um péssimo momento, imaginando uma clientela suficiente para comprar todos aqueles produtos. Li registro após registro de homens que se alimentam de pornografia, os quais começaram por uma foto, mas experimentam disfunção erétil (DE) com uma pessoa. Essa é uma experiência masculina comum.

“É assustador o pouco conhecimento que há na internet de que a DE, causada pelo excesso de pornografia, é um problema bem real... Acredito de fato em toda essa anulação de sentimentos. Embora meu coração e alma estejam em minha esposa, ela não pode fisicamente me excitar.”
A baixa libido e o medo de falhar fazem com que muitos homens “pornografados” se tornem indiferentes à sua esposa, até irritados ao ponto de evitarem seus avanços românticos.

Assim como os homens objetificam as mulheres em montantes de seios, coxas e bumbuns, todos unidos para a felicidade masculina, as mulheres se objetificam em espécie. Para competir com aquela modelo das telinhas toda photoshopada, cheia de silicone, as mulheres tentam imitar sua aparência. Lábios com botox, aumento de seios, bronzeamento, “bumbum brasileiro”, entre muitos outros. A auto-objetificação feminina se reflete, o que se tornou, rapidamente, em um dos presentes mais populares de graduação às garotas: aumento de seios, com preços iguais ou maiores que 4.000 dólares. Não é coincidência o fato de que as demandas de drogas para o desempenho masculino e os aumentos do corpo feminino seguem juntos à explosão da pornografia na internet.

Às vezes, uma esposa visitará os sites favoritos de seu marido, na esperança de aprender o que o satisfaz. Mas no fim, de coração partido, ela sempre perde para a megera computadorizada. Assim um viciado reflete dolorosamente: “Ela não pode competir; nenhuma garota nunca pode competir com a ficção visual sexual sem fim que a pornografia oferece.”

A pornografia coloca um enorme estresse no relacionamento, principalmente o casamento. É comum que a esposa do usuário expresse sentimentos de traição, desconfiança e perda de autoestima. Com frequência, tais sentimentos levam à depressão clínica com feridas psicológicas e emocionais duradouras.

Com o surgimento da desconfiança e da ferida, muitas mulheres decidem terminar seu casamento em divórcio. Para ter ideia de quantos, dois terços dos advogados presentes na reunião de 2003 da Academia Americana de Advogados Matrimoniais disseram que a pornografia virtual estava envolvida na metade dos casos que representaram. Considerando as consequências negativas do divórcio, sentido principalmente pelas mulheres e crianças, a pornografia, contrariando o movimento do livre arbítrio, é uma doença social grave. E isso inclui a própria indústria pornográfica.

Shelley Lubben, ex-estrela pornô que abandonou esse mercado, é hoje advogada cristã para os que são vítimas da indústria que lhes é prejudicial física, emocional e espiritualmente. Falando da própria experiência, Shelley diz: “[As atrizes] devem fazer no set o que eles desejam… As garotas… sentem-se como estrelas. São alvos das atenções… Elas não percebem a degradação… Originadas na pornografia, [elas] nem mesmo perguntam se isso é errado… Se afundam nas drogas para dormir. Têm seu [corpo] rasgado… Elas contraem HIV e herpes e se desligam emocionalmente, morrendo.”

Isso é pelos empregados “voluntários” no mercado, mas e quanto aos involuntários? Um número significativo de pessoas na pornografia no cinema e na internet são vítimas de tráfico internacional de humanos. O Departamento Estadual Americano registra que há mais de 12 milhões de escravos modernos, aproximadamente 1,5 milhão dos quais são forçados para o mercado do sexo. Também são incluídas as vítimas mais jovens da demanda insaciável pela obscenidade infantil.

Como mencionado anteriormente, o consumo habitual leva à tolerância psicológica, que cria um desejo crescente pelas imagens distorcidas e chocantes. A escalada no desvio leva com frequência à pornografia infantil.

O Departamento de Justiça Americano estima que há quase 100 mil pedófilos em todo o mundo, que mantêm a internet cheia de mais de um milhão de imagens pornográficas de crianças, que nem são adultas nem consentiram com isso por qualquer definição racionável. Há vítimas que vivem o mesmo tipo de efeitos físicos e psicológicos assim como outras crianças abusadas sexualmente, mas com uma diferença. Agregadas às memórias do abuso em si, estão as imagens degradantes que permanecem “lá fora”, escondidas nas gavetas da escrivaninha ou arquivos eletrônicos, prontos para reaparecer a qualquer momento ao redor do mundo com o clique de um mouse e a re-traumatização da vítima.

Homens, mulheres e famílias, cristãos ou não cristãos, leigos e clérigos, adultos e crianças, empregados, local de trabalho e a indústria. Não há segmento da sociedade que não seja tocado pelos tentáculos corrosivos da pornografia, a um custo financeiro inestimável e um custo humano para o qual nenhuma cifra de dólar pode ser assinada. (Saúde e Família)

Regis Nicoll é colunista da BreakPoint, Salvo e Crosswalk, além de contribuir para o blog da Irmandade da Prisão, The Point; tradução Elizandra Milene da Rocha)

Nota: Vale a pena atentar para as seguintes advertências da Bíblia:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convém. Todas as coisas são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas... O corpo não é para a impureza, mas para o Senhor, e o Senhor, para o corpo.” I Coríntios 6:12-13

“Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso não sabeis que o vosso corpo é o santuário do Espírito santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” I Coríntios 6:18-20

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição, que cada um saiba possuir o seu corpo em santificação e honra, não com desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda, nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza e sim para a santificação... Quem rejeita estas coisas não rejeita ao homem e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.” I Tessalonicenses 4:3-8

“Foge... das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.” I Timóteo 2:22

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filipenses 4:8

Último mineiro resgatado


"Deus não nos dá provas que não possamos suportar". Estas foram algumas das palavras do presidente do Chile Sebástian Piñera ao comentar as tragédias que o Chile suportou desde o último terremoto e a vitória alcançada ao resgatar o resgate dos 33 mineiros soterrados há 69 dias.

O resgate destes homens é um exemplo de superação, unidade, amor pela vida, dedicação e valorização do ser humano. Mas, além disso, esta história também é um exemplo do esforço que todos nós somos chamado a fazer para salvar os seres humanos que estão presos na escuridão do pecado.

Um dia Jesus virá para nos buscar (João 14:1-3). E antes que isso ocorra ele nos manda anunciar que o resgate está por chegar. Em breve seremos resgatados deste mundo escuro e levados para um lugar melhor (Apocalipse 21:4).

Cinco resgatistas desceram para ajudar a salvar os mineiros. Da mesma forma Deus chama você e eu para sermos um resgatista disposto a descer ao mundo escuro daqueles que não tem esperança para levá-los a luz do evangelho (Mateus 28:19,20). Você aceita o chamado?

Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Publicada a lei que pune quem fala mal de pai ou mãe

A lei que prevê punição para pais ou mães que tentarem desqualificar a imagem um do outro quando estiverem com os filhos foi publicada no último dia 27 no Diário Oficial da União e começa a valer a partir de agora.

A lei prevê como alienação parental “a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância”.

Entre as formas puníveis estão dificultar o exercício da autoridade de um dos pais, dificultar o contato da criança com o genitor, omitir informações, mudar de casa sem justificativa ou ainda apresentar falsa denúncia contra um dos pais.

Dois artigos da lei foram vetados por Lula, um sobre a possibilidade de mediação extrajudicial para solucionar disputa entre os pais e outro que estabelecia pena de seis meses a dois anos de detenção para os que fizessem contra o outro uma denúncia falsa de conduta. (UOL)

Nota: Esta lei é importante pois visa proteger os filhos. No entanto o plano de Deus é que a família fosse estável e única. Um lugar de paz e transmissão de valores. (Salmo 78:2-6 e Deuteronônimo 6:4-7). Por isso Jesus ensinou que o casamento deveria ser um compromisso sério. "Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem." Mateus 19:5,6.

"Que é religião pura? Cristo nos diz que religião pura é o exercício da piedade, simpatia e amor no lar, na igreja e no mundo. Essa é a espécie de religião a ser ensinada aos filhos, e é artigo genuíno." Beneficência Social, 35

Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Compaixão – O Melhor Sermão

Texto Bíblico: “Quando Jesus saiu do barco e viu tão grande multidão, teve compaixão deles e curou os seus doentes.” Mateus 14:14

Este foi um dos dias mais conturbados na vida de Jesus.

Logo pela manhã, chega a notícia de que João Batista, o primo, o amigo e predecessor, havia sido decaptado sob as ordens do ímpio e moralmente fraco Herodes.

Você já viveu uma experiência assim? Tudo parece transcorrer com a naturalidade de sempre quando surge um mensageiro inesperado com a informação do falecimento de uma pessoa querida. Ainda que tente se recompor e demonstrar força, você certamente ficará extremamente abalado e triste.

Os problemas, porém, não terminaram aí. Já percebeu que as coisas ruins nunca acontecem sozinhas? Quase sempre ocorrem em cascata? Junto vem a informação de que o mesmo Herodes que cortou a cabeça de João Batista estava à caça do pescoço de Jesus. Lucas 9:9

Você já sofreu ameaças? Como se sentiu nessa ocasião?

O impacto de tudo isto sobre o coração de Jesus foi tão forte que ele decidiu se isolar por algum tempo para se recompor.

Neste momento chegaram seus discípulos. Eles vieram da expedição missionária que lhes havia sido designada. Chegaram felizes, cheios de entusiasmo, relatando as vitórias maravilhosas do poder de Deus, curando pessoas, expulsando demônios, transformando vidas. Nunca antes haviam experimentado algo igual. Até então haviam visto Jesus fazendo maravilhas. Nunca eles próprios. Agora a experiência era diferente. Sentiram-se como instrumento do poder de Deus. Estas eram novas de grande alegria. Jesus depositava nestes homens total confiança para a continuidade de sua missão. Você consegue enxergar o choque de emoções dentro do coração do Mestre: da profunda tristeza para alegria indescritível. Do vale, para o cume. É muita coisa para um só dia.

Sem muitas palavras Jesus os convida para unirem-se a ele num momento de descanso e isolamento. Jesus precisava disso. Suas emoções haviam sido testadas ao máximo. Além do mais, a procura pela intervenção do Mestre era tão grande que nos últimos dias nem ele, nem os discípulos haviam tido tempo sequer para se alimentar adequadamente.

Já se sentiu nestas condições? Precisando parar para se reequilibrar? Dar um tempo? Entrar no quarto e fechar a porta para balanço?

Entraram no barco e navegaram à procura de um lugar deserto em que pudessem estar sozinhos e relaxar um pouco. Talvez uma praia solitária num rincão escondido.

Acontece que as notícias correm muito rápido. De algum modo as pessoas percebem e por terra, seguiram o grupo de Cristo. Aliás, correram tanto que chegaram antes de Jesus. Quando desembarcaram, Jesus e os discípulos encontraram cinco mil homens, mais mulheres e crianças, aguardando por eles.

Embora, possivelmente, houvesse ali muitos curiosos, a grande maioria era de sofredores, pobres, doentes, desiludidos, desesperançados, feridos pelas batalhas cruéis da vida.

Estavam em busca da esperança que já não julgavam encontrar mais. Procuravam pela ajuda que durante tanto tempo buscaram em tantos lugares e pessoas sem encontrar, e que agora se desenhava à sua frente. Para muitos era a última esperança...

O que você faria se estivesse no lugar de Jesus? Como você trataria estas pessoas?

Eu provavelmente diria: “Meus amigos, vocês chegaram na hora errada. Voltem para a casa e retornem num momento melhor. Acabo de receber a notícia do falecimento de um amigo querido. Não tenho cabeça para pensar em nada. Além disso, vejam: meus discípulos estão regressando de uma estressante campanha missionária. Se não bastasse isso, nos últimos dias a pressão tem sido tão forte que não temos encontrado nem sequer tempo para nos alimentar direito. Prometo que ajudo vocês, mas não agora. Voltem depois porque ninguém é de ferro!”

Pergunto: Jesus estaria errado se tivesse dito isto? Estes argumentos não eram a mais pura expressão da verdade?

Quando medito neste ponto, fico corado de vergonha ao comparar meus sentimentos, atitudes e reações com os de Jesus... Como sou pronto para arrumar desculpas (reais ou imaginárias), como estou longe de ter o mesmo olhar do Mestre... Como ao invés de viver para fora, para os outros, tranco-me no meu mundo, nas minhas necessidades, tristezas, emoções e depressões... Como fujo do caminho do serviço, da minha responsabilidade pessoal, do ministério que Deus me designou em minha comunidade, fechando-me numa visão pessoal e egoísta... Como cerro os olhos para as necessidades dos outros, enxergando apenas as minhas próprias... Talvez por isso é que a nossa geração é tão vazia, a vida sem sentido, as enfermidades psico-somáticas multiplicam-se, e as pessoas são tão estressadas e sozinhas.

A melhor maneira de resolver uma angústia pessoal é trabalhar para solucionar as angústias dos outros. Feche-se e morrerá com seus problemas. Envolva-se e sua vida se renovará. Os psicólogos, neurologistas e epidemiologistas estão afirmando que agora está cientificamente provado: ajudar ao próximo traz benefícios para a saúde de quem ajuda. Fazer o bem é bom para o coração, para o sistema nervoso e imunológico. Aumenta a expectativa de vida e a vitalidade.

Em um projeto realizado nos Estados Unidos ao longo de dez anos, 2.700 pessoas foram estudadas, a fim de verificar como o relacionamento social afetava sua saúde. Os pesquisadores descobriram que o fato de realizar regularmente trabalho voluntário, aumentava muito a expectativa de vida, principalmente dos homens, que tinham taxas de falecimento duas vezes e meia mais baixas, do que os que não o faziam.

Segundo os especialistas, ao fazer o bem, despertamos gratidão e afeto, sentimentos que nos provocam uma sensação de bem estar. Essa sensação em parte é causada pelas endorfinas produzidas pelo cérebro. A hostilidade, que é o oposto do altruísmo, coloca nossa saúde em risco. Quanto mais hostil a pessoa, mais fechadas as suas artérias coronárias e maior o risco de doenças cardíacas.

Mesmo estando sofrendo, mesmo carecendo ele próprio de ajuda, mesmo sobrecarregado e necessitando parar para descansar, Jesus decidiu parar para ajudar. As multidões precisavam disto. Mais do que isto, o próprio Jesus, enquanto ser humano, também precisava.

Por vezes afirmamos que os pobres e necessitados precisam da ajuda da igreja. Provavelmente esta afirmação está, na maior parte das vezes, distorcida; talvez a igreja precise muito mais dos pobres e necessitados do que eles de nós. Por isso é que o Senhor permite que estejam à nossa porta.

Ellen White escreveu: “Ao passo que o mundo necessita simpatia, orações e assistência do povo de Deus, ao passo que precisa ver a Cristo na vida de Seus seguidores, o povo de Deus se acha em igual necessidade de ocasiões de exercer simpatia, de dar eficácia a suas orações e desenvolver neles um caráter segundo o modelo divino. É para proporcionar essas oportunidades que Deus colocou entre nós os pobres, os desafortunados, os doentes e sofredores.” Ministério do Amor, pág. 15

Entenda uma coisa: a igreja precisa mais da ADRA que o mundo lá fora. Os maiores beneficiados pelo trabalho da ADRA não são os milhares atendidos anualmente. São os membros da igreja, que unindo-se em serviço voluntário em prol de seus semelhantes, dão uma chance maior a Jesus para trabalhar seu caráter e curar suas feridas emocionais mais íntimas. Sem a ADRA a igreja seria mais pobre e infeliz.

Jesus sabia disto, assim sendo, parou para ajudar. Diz o Evangelho: “Quando Jesus saiu do barco e viu tão grande multidão, teve compaixão deles e curou os seus doentes.” Mateus 14:14

Compaixão – Este termo aparece 83 vezes nas Escrituras na versão em português: 65 vezes no Antigo Testamento e 18 vezes no Novo Testamento. É significativo observar que das 18 vezes em que é usado no Novo Testamento, 11 ocorrem nos Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas em relação ao ministério de Jesus Cristo. Havia um leque grande de palavras no grego que poderiam ser usadas pelo evangelista para expressar a compaixão de Jesus. Cada uma delas com significado e aplicações distintos. Mas ele não usa o termo aleatóriamente. Não. Ele escolhe propositalmente o de alcance mais significativo e profundo.

Eis algumas das palavras gregas que poderiam ter sido usadas, no relato deste episódio:
Sumpatheo – Em português, “simpatia”. Em Hebreus 4:15, referindo-se ao Sacerdócio de Cristo esta é a palavra usada. Significa “sofrer com o outro”.

Oikteiro – “Ter piedade, um sentimento de aflição pelas adversidades dos outros”. Em Romanos 9:15 este termo aparece referindo-se à compaixão de Deus.

Eleeo – “Mostrar generosidade, mediante beneficência ou ajuda”. É usada em Judas 22 falando sobre a atitude esperada dos crentes para com os escarnecedores dos últimos dias.

Metriopatheo – Traduzido como “compadecer-se”. Ocorre em Hebreus 5:2, relacionando-se com a ação de Jesus Cristo, nosso sumo-sacerdote para com os que erram.
Sob a orientação do Espírito Santo, o evangelista deixa de lado todas estas opções para usar outra palavra:

Splanchinizomai – Se você trabalha na área da saúde ou já estudou sobre “esplancnologia” percebe o alcance do termo. Esplancnologia é o estudo das partes viscerais, ou no jargão popular, “o estudo das tripas”. Significa ser movido como pelas entranhas, sensibilizar-se por compaixão. Esta é a palavra que os evangelhos com freqüência registram a respeito de Jesus para com as multidões e pessoas que sofrem. É usada referindo-se ao apelo de um pai, cujo filho era atormentado por demônios. Expressa o sentimento do pai na parábola do filho pródigo de Lucas 15.

Isto é extremamente significativo. Dizem que quando você é confrontado com situações de necessidade que o desafiam a doar e doar-se, existem três modelos possíveis: o do seixo, o da esponja e o do favo de mel. Para conseguir algo do seixo é preciso dar-lhe uma pancada com um pedaço de aço, e mesmo assim não dá mais que uma fagulha viciosa. A esponja ao ser apertada, não devolve tudo que absorveu. O favo de mel é apenas uma frágil cobertura de abundante doçura, e o menor rompimento dessa cobertura dá visão à doçura.

Jesus não era seixo, nem esponja. Era puro favo de mel. Quando Mateus escreve que Jesus compadeceu-se das pessoas, ele não está dizendo que Jesus teve uma pena casual. Não, o termo tem um sentido mais forte. Jesus sentiu dor em seu intestino: sentiu a fraqueza do aleijado, o sofrimento do doente, a solidão do leproso e a vergonha do pecador.

E, uma vez que sofreu dessa maneira, não podia resistir. Não dava para ficar de braços cruzados. Tinha de curar a dor das pessoas. Ele foi movido em seu interior pelas necessidades delas. Foi tão tocado pelas necessidades alheias que esqueceu-se de suas próprias necessidades.

Olhando sob a perspectiva humana não havia muito que pudesse fazer além de ensinar-lhes sobre o Reino de Deus e depois mandá-los de volta para casa. Sua missão era conduzi-los ao Céu, não ministrar suas necessidades materiais. Não tinha bens físicos para compartilhar. Aliás, o Mestre em certa ocasião afirmou que “As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. Mateus 8:20

Depois de muito esforço conseguiu reunir 5 pães e 2 peixes. Mas, o que era isto diante da necessidade do povo? Como podia com tão pouco atender aquelas pessoas que precisavam ser alimentadas?

Este mesmo dilema ainda hoje nos alcança. Veja o que dizem as estatísticas:

- Há 800 milhões de pessoas desnutridas no mundo.
- 11 mil crianças morrem de fome a cada dia.
- Um terço das crianças dos países em desenvolvimento apresenta atraso no crescimento físico e intelectual.
- 1,3 bilhão de pessoas no mundo não dispõe de água potável.
- 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se abaixo do peso. - Uma pessoa a cada sete padece fome no mundo.
- 14 milhões passam fome no Brasil.
- Mais de 72 milhões de brasileiros estão em situação de insegurança alimentar, ou seja, dois em cada cinco brasileiros não têm garantia de acesso à alimentação em quantidade, qualidade e regularidade suficiente.
- Quase 40% da população, não sabe se terá dinheiro para repor a comida que tem.
- Temos no Brasil 21,9 milhões de indigentes que representam 12,9% da população com renda per capita menor que um quarto do salário mínimo, cerca de R$ 110,00.
- São 14,6 milhões de analfabetos, 11% da população brasileira, sendo que 9,6 milhões moram na zona urbana.
- Temos 53 milhões de pobres, o equivalente a 31,7% da população, isto é, temos milhões de famílias com renda domiciliar per capita inferior a meio salário mínimo por mês.

Como igreja, muitas vezes, nos desviamos do caminho da misericórdia e solidariedade justificando-nos de que nossa missão é puramente espiritual. Atender aos pobres é perder o foco. Além do mais, não dispomos de muitos recursos. Onde conseguir os meios para transformar o amor intangível em atitudes concretas e palpáveis? Racionalizamos e descansamos em paz aliviando a consciência com a desculpa esfarrapada de que estamos dispensados de fazer o bem. Engano nosso.

Ouça o que diz Ellen White: “Se um espírito egoísta e contrário à simpatia se permite existir em qualquer de seus membros para com os desafortunados, as viúvas, os órfãos, os cegos, os coxos ou os que são enfermos no corpo e na mente, Ele esconderá Sua face de Seu povo até que cumpram o dever e removam o erro de seu meio.” Min. do Amor, 210

Mas, e os meios?
“Os meios de que dispomos talvez não pareçam suficientes para a obra; mas se avançarmos com fé, crendo no todo-suficiente poder de Deus, abundantes recursos se nos oferecerão.”

...‘O Senhor diz: “Dai, e ser-vos-á dado.” O que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância também ceifará... E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo toda a suficiência, abundeis em toda boa obra; conforme está escrito: “Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre.”’ Ministério do Amor, pág. 336.

Os discípulos reuniram o pouco que possuíam – apenas 5 pães e 2 peixes – e colocaram nas mãos de Jesus, a serviço da multidão. Jesus começou a parti-los. A partir daí, tudo o que os discípulos tinham de fazer era apanhar das mãos de Jesus e distribuir ao povo. Todos foram atendidos. Ninguém permaneceu com fome. Ninguém foi dispensado de volta para casa da mesma forma que veio. O emprego desses recursos no atendimento dos carentes abriu corações para ouvir e aceitar o anúncio do evangelho. Tornou mais palpável, próximo e real, o que antes soava tão distante.

Às vezes me surpreendo pensando: O que nos falta hoje: recursos ou fé? Nosso problema é ausência de meios ou carência de amor? Porque não fazemos mais: por falta de meios ou falta de compaixão? Porque a pregação não é mais poderosa: por falta de poder ou por excesso de retórica distanciada da prática?

Referindo-se ao tempo do fim Jesus profetizou: “Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará.” Mateus 24:12

De maneira assustadora vemos estas palavras cumprindo-se diante de nossos olhos. Amor é uma das palavras mais usada por nós, porém isso é o que menos se vê por aí: amor entre as pessoas. Não importa a idade, sexo, raça, cor, credo, todos humanos anseiam ser amados e procuram por esse amor. Até um vira-lata abana o rabo em troca de um simples toque.

A ciência já comprovou que o amor é um fator fundamental, estreitamente ligado à saúde e à doença; à tristeza e à alegria; ao sofrimento e à cura. Ainda não inventaram um remédio que tivesse este mesmo efeito.

No entanto o que temos visto por aí é uma tremenda falta de amor em nossa sociedade, aliás, esta sociedade que dá mais ênfase à riqueza, ao poder, à fama e ao sexo, à mídia, do que à necessidade que temos de nos relacionarmos uns com os outros. E isto acontece mesmo dentro da igreja. Nossa carência de amor é tão grande que Deus cuidou de colocar na Bíblia um capítulo inteiro só sobre o amor – I Coríntios 13. Tire um tempo para meditar neste texto. Ali somos advertidos que as nossas melhores intenções ou atitudes sem amor não significam realmente nada.

Será que não está na hora de incorporarmos esta mensagem? De sermos mais parecidos com Jesus? De pregarmos com palavras, mas acima de tudo com ações, práticas, concretas, reais?
Será que não está na hora de fazer o bem por amor – por verdadeira compaixão ao que sofre, antes que por interesses particulares ou mesmo a busca de holofotes, menções honrosas ou atenção da mídia?

Concluo com um antigo poema: O Melhor Sermão (Autor Desconhecido)
.(...) Disse-lhe então, que o maior sermão que podemos pregar é...

SER–MÃO que levanta quem caiu,
SER-MÃO que sinaliza esperança pra quem se sente sozinho,
SER-MÃO de solidariedade pra quem se encontra cercado e encurralado
por toda forma de conflito,
SER-MÃO de perdão pra quem traiu,
SER-MÃO de misericórdia pra quem se sente no fundo do poço,
SER-MÃO de benção pra quem não tem nada e um nada se sente,
SER-MÃO que aponta o céu, mesmo que a única realidade presente seja o
inferno,
SER-MÃO que fala sem palavra alguma, onde só se veja e ouça o gesto
da mão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More