domingo, 1 de agosto de 2010

Um dia contra o abuso e a violência

Lemos na Bíblia que Deus criou homem e mulher à sua imagem (Gen. 1:27). Mas o que temos visto é a supremacia de um sobre o outro, e nesta luta vem o desrespeito à criatura que, em sua origem, saiu das mãos de Deus.

Notícias dolorosas, para não dizer aterrorizantes, preenchem os noticiários e jornais. Não preciso relembrar nenhum caso, pois estou certa de que está bem vivo em sua mente muitos fatos sobre abuso e violência contra mulheres e crianças que ainda doem simplesmente em lembrar.

Dia 28 de agosto será um sábado separado para todos nós, como Igreja, nos envolvermos o dia inteiro em programações e entrega de material feito especialmente para alertar sobre as práticas de violência. É nosso dever informar e ajudar pessoas, mulheres e crianças que são as maiores vítimas, a denunciarem; não precisam ser subjugadas por pessoas desequilibradas e arrogantes, que buscam somente sua própria satisfação carnal. Neste dia 28 concentraremos esforços, mas nosso desafio é que sempre estejamos dispostos para estender a mão a quem precisar.

A violência no Brasil atingiu índices inaceitáveis. As principais causas são a pobreza, a má distribuição de renda, entre outras. A falta de respeito humano custa alguns milhares de reais por dia ao Brasil, sem mencionar os prejuízos emocionais e psicológicos, que não são mensuráveis. São dias não trabalhados, a logística dos presídios, clínicas, casas de apoio e tantos outros esforços para diminuir o abuso e mesmo assim, o Brasil tem um dos maiores índices de violência do mundo.

O apóstolo Paulo escreveu que nos últimos dias “haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade...” II Timóteo 3:2-5

Temos visto o cumprimento destas palavras todos os dias, porém o Evangelho fará a grande diferença, não tenho dúvida. E este é o nosso dever como o sal da terra: levar o amor de Deus as pessoas. Mostrar que Deus transforma a natureza humana e controla os sentimentos.

Ação ou omissão – você escolhe. Faça sua parte. Fale que o abuso e a violência precisam parar. Ensine como denunciar. Ame o seu próximo! Deus espera sua ação!

Shirley Moreira
Ministério da Mulher - ACP

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More