Clique aqui para conhecer mais

Artigos e Notícias sobre Pequenos Grupos.

União Sul Brasileira

Site com as notícias da Igreja Adventista.

Estudos Bíblicos

São 8 estudos bíblicos com assuntos diversos para computadores e smartphones.

Ministério Pessoal da DSA

História, Notícias, Materiais e outros.

SITE TEMPLOS DE ESPERANÇA

Conheça o projeto para implantar novas Igrejas no Sul do Brasil.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

ALEGRIA NO INVISÍVEL

“Vocês o amam, mesmo sem o ter visto. Crêem nele, embora não o vejam agora. Assim, vocês se alegram com uma alegria tão grande e gloriosa que as palavras não podem explicar.” 1 Pedro 1:8. (BLH)

O ditado popular diz: “Ver para crer”. Assim, podemos afirmar que ver pode significar conhecer.

Porém, no texto acima, Pedro não tentou descrever Jesus para as igrejas, embora ele pudesse fazê-lo. Pedro não escreveu nenhuma palavra sobre a altura de Jesus, como Ele se vestia, como andava, a tonalidade de Sua voz, embora certamente Pedro guardasse na memória vivamente essas lembranças. Tinha estado pessoalmente com Jesus.

Em vez disso, no texto Pedro entra direto nos elementos essenciais da fé. O poder do Espírito Santo estava sustentando sua fé, e através desse poder, as igrejas conheciam a Jesus. Tinham passado com sucesso pelas provas e tentações, portanto podiam vê-Lo. Podiam amar a Cristo porque sentiam a Sua presença na difícil e atribulada vida que viviam. Nas provações, dores, perdas e sofrimentos.

Na mente de Pedro a fidelidade na provação e na dificuldade demonstrava que o cristão conhecia e via Aquele a quem amava. A fé no poder de Jesus para manter Seus filhos, mesmo através das provações criava nos cristãos alegria e regozijo. Pedro não precisava descrever com palavras a alegria nem os aspectos físicos de Jesus. Mas tinha a plena certeza que Ele era real na vida daqueles que amam e sevem a Jesus.

Pedro podia dizer que a alegria estava ali. Assim você também pode. Assim podem todos os que O vêem. A alegria vai expressar nossa esperança, e a alegria da confiança e do serviço irão conquistar-nos a todos para Cristo Jesus.

Alegre-se, confie, espere, você tem um Salvador que te ama e morreu por você, para que “todo o que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16.
Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Laguna – SC.
pr.thomaskloppe@gmail.com

domingo, 29 de novembro de 2009

CONTRAFAÇÃO

Desde o alvorecer da história, quando Caim trocou o sacrifício de animais pelo fruto da terra, o mundo vem se debatendo com os malefícios da contrafação. Segundo o dicionário, contrafazer é imitar, adulterar, alterar e falsificar. Não faltam no mercado interessados em adquirir o barato ou o que mais lhes agrada ainda que ao custo da qualidade. Por isso sempre há compradores para combustível adulterado, Cds piratas, eletrônicos falsificados e milhares de outros produtos.

Não é apenas no aspecto comercial que se manifesta a contrafação. Encontramo-la em Jacó tentando passar por Esaú, ou em Labão, trocando a esposa do mesmo Jacó em sua noite de núpcias.

A contrafação foi profetizada por Jesus: “Surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível os próprios escolhidos”. Mat. 24:24.
E. White usa em sua maioria, o termo contrafação para descrever o falso reavivamento que Satanás provocará no mundo um pouco antes de Segunda Vinda de Jesus. Podemos chamá-lo de contrafação do poder de Deus.

Há outras contrafações denunciadas pela autora e que merecem igualmente nossa atenção.

CONTRAFAÇÃO DE CRISTIANISMO

“Há uma contrafação de cristianismo no mundo, bem como cristianismo genuíno. O verdadeiro espírito de um homem é manifesto pelo modo como ele trata seus semelhantes. Podemos fazer a pergunta: Representa ele o caráter de Cristo em espírito e ação, ou simplesmente manifesta os traços de caráter naturais e egoístas que pertencem ao povo deste mundo? A profissão nada vale para Deus”. Conflito dos Séculos, pág. 593.

Esta contrafação manifesta-se por um espírito egoísta cujo possuidor parece dizer: “cada um por si e Deus por todos”. Judas é um exemplo disto. (João 12:4-6). Passamos no teste de originalidade cristã quando flui do nosso coração o amor ali implantado pelo poder de Deus.

CONTRAFAÇÃO DO AMOR

Eli é um exemplo desta contrafação: “Seus filhos se tornaram execráveis e ele não os condenou”, I Sam. 3:13. O amor condescendente, visto tanto no lar como na igreja, parece altruísta e misericordioso. Sua filosofia é: “Em nome do amor tudo é permissível” e um Deus de amor é incompatível com condenação e morte. Ellen White chama tal amor de desprezível contrafação.

“Somos admoestados pelo apóstolo: ‘O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros’. Rom. 12:9 e 10. Paulo queria que fizéssemos distinção entre o amor puro e altruísta que é inspirado pelo espírito de Cristo, e a inexpressiva e enganosa simulação de que o mundo está cheio. Essa desprezível contrafação tem desencaminhado muitas pessoas. Pretende eliminar a distinção entre o que é certo e o que é errado, concordando com o transgressor, ao invés de mostrar-lhe fielmente os seus erros. Semelhante atitude nunca promana de verdadeira amizade. O espírito que a instiga habita somente no coração carnal”. Testimonies, V. 5, 169-171.

CONTRAFAÇÃO DA JUSTIÇA.

Para os egoístas a contrafação do cristianismo oferece uma religião de fachada, para os condescendentes a contrafação do amor um Deus tipo Papai Noel e para os legalistas nada melhor do que a contrafação da justiça. Descrevendo a forma como Lúcifer (Satanás) se contrapôs à justiça de Deus, Ellen White afirma:

“O poder condenador de Satanás levá-lo-ia a estabelecer uma teoria de justiça incompatível com a misericórdia. Ele alega agir como a voz e o poder de Deus; alega que suas decisões são justas, puras e isentas de falha. Dessa maneira assume ele a sua posição no tribunal e declara serem infalíveis os seus conselhos. Aqui entra a sua justiça sem misericórdia, uma contrafação da justiça, aborrecível a Deus.” MM. 2002, 11.

Assim como o amor sem justiça representa a contrafação do amor, a justiça sem misericórdia manifesta a contrafação da justiça. Como podemos chegar ao ponto de equilíbrio? A igreja primitiva oferece o padrão ideal:

“Cada cristão via em seu irmão uma revelação do amor e benevolência divinos. Só um interesse prevalecia; um elemento de emulação absorveu todos os outros. A ambição dos crentes era revelar a semelhança do caráter de Cristo, bem como trabalhar pelo desenvolvimento de Seu reino”. AA, 48.

Um grande estímulo à falsificação no mundo atual é a certeza da impunidade. Esse era o mesmo pensamento dos contemporâneos de Malaquias. Por terem uma visão imediatista e materialista, concluíram que era inútil servir a Deus. Felizes, pensavam eles, são os ímpios que prosperam e escapam (Mal. 3:13, 15). Contudo, porque não quer que ninguém se perca, o Senhor abre a cortina do futuro e mostra as conseqüências de nossas decisões:

“Pois eis que vem o dia, e arde como fornalha, todos os soberbos e os que cometem impiedade serão como restolho...de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós outros que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas”. Mal. 4:1, 2.

Creia, o barato sai caro. Está chegando o dia em que a Receita Federal do Céu destruirá tudo o que for falsificado.

Deus não quer que O sirvamos por medo do ‘fogo de Malaquias’, quer isto sim, que o Espírito Santo nos batize com o mesmo fogo e poder do Pentecostes.

“Com anelante desejo, Cristo aguarda ver-Se manifestado em Sua Igreja. Quando o caráter do Salvador for perfeitamente reproduzido em Seu povo, então Ele virá a requerer os Seus. É o privilégio de todo cristão, não somente aguardar, mas apressar a vinda de nosso Senhor. Estivessem todos quantos Lhe professam o nome dando frutos para Sua glória, e quão pronto o mundo inteiro estaria semeado com o evangelho! Pronto estaria amadurecida a última grande colheita, e Cristo havia de vir”. MM. 1977,110

Que a imagem de Cristo em nós irradie ao mundo uma vida genuína e atrativa!

Pr. Antônio Moreira
Presidente da Associação Central Paranaense (ACP)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O PORQUE DA MISSÃO

Por que precisamos pregar o Evangelho? Se o último sinal antes da volta de Jesus é a pregação do evangelho a todos (Mateus 24:14), Deus não poderia enviar anjos para pregar de um dia para o outro e então voltar logo para nos buscar? A seguinte exposição de textos de Ellen White esclarecem porque devemos cumprir A Missão.

“Deus poderia haver realizado Seu desígnio de salvar pecadores sem o nosso auxílio.”DTN 142 - “Deus poderia ter proclamado Sua verdade por meio de anjos sem pecado.”AA, 330 - “O anjo enviado a Felipe poderia ter ele próprio feito a obra pelo etíope” AA pg 109
A ORDEM DIVINA É QUE O EVANGELHO SEJA PREGADO, MAS COM A PARTICIPAÇÃO DE CADA MEMBRO DE IGREJA. POR QUÊ?

1º PORQUE É UMA PROVA DA VERDADEIRA CONVERSÃO:

“O Espírito de Cristo é espírito missionário. O primeiro impulso do coração regenerado é levar outros também ao Salvador.” GC, 70

“Se os membros da igreja não lançarem individualmente mão desta obra, mostrarão assim não estar em viva conexão com Deus. Seu nome está registrado como servos negligentes.” TS V 3, 164.

“Não há pessoa verdadeiramente convertida que viva vida inútil e ociosa.” PJ. 280

2º PORQUE É O PLANO DIVINO PARA DESENVOLVER O CARÁTER DE JESUS:

“Deus poderia haver realizado Seus desígnios de salvar pecadores sem o nosso auxílio, mas a fim de desenvolvermos caráter semelhante ao de Cristo, é-nos preciso partilhar de Sua obra.” DTN, 142

3º PORQUE É O SEGREDO DO CRESCIMENTO NA VIDA CRISTÃ:

“Quem principia com pouco conhecimento, e de modo humilde fala o que sabe, ao passo que procura diligentemente mais sabedoria, achará todo o tesouro celestial aguardando seu ped ido. Quanto mais procurar comunicar luz, tanto mais luz receberá. Quanto mais alguém experimenta explicar a Palavra de Deus a outros, com amor as almas, tanto mais clara ela para ele se tornará. Quanto mais usarmos nosso conhecimento e exercitarmos nossas faculdades, tanto maior conhecimento e capacidade teremos.” PJ, 354
“O único meio de crescer em graça é achar-se interessado em fazer exatamente a obra que Cristo nos ordenou fazer.”SC, 101

4° PORQUE É O PLANO DIVINO PARA FORTALECER A FÉ:

“Não é por falta de conhecimento que o povo de Deus está perecendo agora... A luz, preciosa luz, brilha sobre o povo de Deus, mas não os salvará, a menos que consintam em ser por ela salvos... transmitindo-a a outros que se acham em trevas.” SC pg 39

“Deve-se fazer na igreja uma obra bem organizada para que seus membros saibam como comunicar a luz a outros e assim fortalecer a própria fé. Ao repartirem o que de Deus receberam firmar-se-ão na fé. A igreja que trabalha é igreja viva.” TS V 3 pg 68

“... a causa da grande deficiência na vida e na experiência cristã é a inatividade na causa de Deus. Os músculos de vosso corpo se tornarão fracos e inúteis se não se conservarem em exercício, e o mesmo se dá com a natureza espiritual. Se quereis ser fortes, tereis de exercer vossas faculdades.” SC, 84

“Há perigo para os que fazem pouco ou nada para Cristo. A graça de Deus não habitará por muito tempo na alma daqueles que, tendo grandes privilégios e oportunidades, permanecem silenciosos.” SC, 89

“Os que não aproveitam suas oportunidades, que não exercitam a graça que Deus lhes dá, têm menos inclinação de assim proceder e, afinal, entregues a dormente letargia, perdem aquilo que possuíam outrora.” SC,91

“São aqueles que, em amor para Deus e seus semelhantes, se estão esforçando para auxiliar outros, os que ficam estabelecidos, fortalecidos, e firmes na verdade.” OE, 84

5º PORQUE É UM ANTÍDOTO CONTRA A DISSIDÊNCIA E APOSTASIA:

“Há necessidade de trabalho sistemático, mas onde alguns de vós estais por muito tempo fazendo projetos, planejando, e aprontando-vos para o trabalho, Satanás ocupa previamente o campo com fábulas fascinantes e a atenção dos homens se absorve nos enganos do enganador-Mestre”SC, 75

“Muitos há que professam o nome de Cristo, e cujo coração não está empenhado em Seu serviço. Colocaram-se simplesmente numa profissão de piedade, e por esse mesmo ato aumentaram o tamanho de sua condenação, e se tornaram mais enganosos e mais bem-sucedidos agentes de Satanás, para a ruína de almas.” SC, 95

“Os que procuram manter a vida cristã aceitando passivamente as bênçãos que lhes são oferecidas pelos meios da graça nada fazendo por Cristo, estão simplesmente procurando comer para viver, sem trabalhar. No mundo espiritual, assim como no mundo natural, isso resulta sempre em degeneração e ruína” CC, 80,81

“Os cristãos, cujo zelo, fervor e amor crescem constantemente, não apostatam nunca. São aqueles que não se acham empenhados nessa Obra desinteressada os que se acham numa condição enferma, e chegam a esgotar-se com lutas, dúvidas, murmurações, pecados e arrependimentos, até perderem toda a consciência do que seja verdadeira religião. Reconhecem que não podem volver ao mundo, e assim penduram-se às extremidades de Sião, tendo ciúmes mesquinhos, invejas, decepções e remorsos. Estão cheios de espírito de crítica, e alimentam-se das faltas e erros de seus irmãos.” SC, 107

6º PORQUE É O MÉTODO DE CRISTO PARA PROMOVER UM REAVIVAMENTO SAUDÁVEL:

“A igreja deve ser ativa, se quiser ser uma igreja viva. Não se deve contentar meramente em manter seu próprio terreno contra as forças adversárias do pecado e do erro, nem se contentar com avançar a passos lentos, mas conservar-se passo a passo com o guia, fazendo novos recrutas pelo caminho.” SC, 84

“Coisa alguma proporcionará tanto vigor à vossa piedade, como trabalhar para promover a causa que professais amar, em vez de estorvá-la.” SC, 98

7º PORQUE É A MELHOR MANEIRA DE PREPARAR-SE PARA A VOLTA DE CRISTO:

“Estamos no tempo de espera. Mas este período não deve ser despendido em abstrata devoção. Esperar, vigiar e o atento trabalho, devem ser combinados.”SC, 85

“Nossa fé no presente tempo não deve consistir em mero assentimento ou em simplesmente acreditar na teoria da terceira mensagem. Precisamos do óleo da graça de Cristo para prover as nossas lâmpadas, e fazer que a luz de nossa vida brilhe, indicando o caminho aos que estiverem em trevas.” TS V 3 pg 356

8º PORQUE É O REMÉDIO PARA A MORNIDÃO ESPIRITUAL:

“Não há senão um remédio verdadeiro para a indolência espiritual, e esse é trabalhar - trabalhar pelas almas que necessitam de vosso auxílio.” SC, 107

“Eis a receita prescrita por Cristo para a alma desfalecida, duvidosa, tremente. Que os tristes, que andam lamentosamente na presença de Deus, levantem-se e ajudem alguém que está em necessidade.” TS V 2 pg 504

“Não haverá ninguém salvo no céu com uma coroa sem estrelas. Se entrardes ali, haverá alguma pessoa nas cortes da glória que encontrou entrada ali por vosso intermédio” Eventos Finais, 244

“A melhor ajuda que os pastores podem prestar aos membros de nossas igrejas não consiste em pregar-lhes sermões, mas em planejar trabalho para que o façam. Dai a cada um algo para fazer em prol de outros. Se posto a trabalhar, o desanimado logo esquecerá o seu desânimo; o fraco ficará forte; o ignorante, inteligente; e todos aprenderão a apresentar a verdade tal qual é em Jesus.” TS V 3 pg 323

“O humilde e consagrado crente sobre quem o Senhor da vinha colocou o encargo das almas, devem receber encorajamento daqueles a quem o Senhor deu maiores responsabilidades” AA, 110

“Os que ocupam lugar de líderes na igreja de Deus devem sentir que a missão do Salvador é dada a todos os que crerem no Seu nome.”AA, 110

Por isso, envolva-se na Missão, pregue o evangelho e seja feliz.

Pr. Evandro Fávero

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

OS 7 HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES

O livro Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, publicado pela editora Best Seller, é muito interessate e certamente o ajudará a crescer como líder e como ser humano.

Mais do que um livro de auto ajuda, o livro de Covey apresenta 7 hábitos importantes para aqueles que almejam a eficácia no que fazem.

O primeiro hábito é que o líder deve ser proativo. Deve aprender a tomar a iniciativa e perceber que é responsável pelas suas decisões. Qualquer projeto deve começar na mente do líder e, então, transmitida para outros líderes que por sua vez influenciarão a igreja.

O segundo hábito é ter sempre o seu objetivo em mente. Criar com nitidez um quadro de como quer que seja sua vida e a vida de sua igreja e guiar-se por ele.

O terceiro hábito é lembrar que o primeiro item de sua agenda sempre deve ser o mais importante. Aqui o autor apresenta como estabelecer as prioridades e organizar-se em função delas. Não deixe que o excesso de atividades do ministério o desvie seu foco, de seu trabalho e, consequentemente, do seu sonho.

O quarto hábito é pensar em ganhar/ganhar. Procurar o benefício mútuo em todas as suas relações. Lembre-se que quando a igreja se envolve na Missão ela ganha mais fé, confiança, determinação, perseverança e experiência missionária.

O quinto hábito é procurar compreender, antes de ser compreendido. Ouvir com empatia e a colocar-se no lugar do outro são a chave para as relações interpessoais. A empatia também é esscencial quando se fala de transmissão de valores.

O sexto hábito é criar sinergia. Isto pode ser feito quando se compartilha opiniões, interesses e atividades, e se cria assim, uma rede de comunicação eficaz.

O sétimo hábito é afinar o instrumento. A ferramenta mais importante de todo o processo é o líder, então ele deve manter-se sempre em forma tanto física, mental e espiritualmente. Certamente isto fará a diferença no trabalho para o senhor Jesus.

Algumas citações do livro:

“Culpar a todos pelos nossos problemas e desafios pode ser uma norma e talvez alivie temporariamente a dor, mas também nos acorrenta a esses problemas” pág. 13.

“Sua atitude determina sua altitude” pág. 30.

“Segundo as palavras de Emerson ‘O que você é ecoa em meus ouvidos com tanta força que não consigo ouvir o que diz” pág. 34.

“Admitir que não sabe é com frequência o primeiro passo em nossa educação” pág. 51.

“Podemos mentir. E, por algum tempo ir levando a farsa – pelo menos em público. Podemos até enganar a nós mesmos. Contudo, creio que a maioria de nós sabe a verdade ao que se refere ao que nós somos lá no fundo” pág. 52.

“A força derivada da posição é uma fraqueza” pág. 54

“Aristoteles diz que 'somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito mas um hábito'” pág. 62.

“Oração dos Alcoólicos Anônimos: ‘Senhor, daí-me a coragem para mudar as coisas que podem ser mudadas, a serenidade para aceitar as coisas que não podem ser mudadas, e a sabedoria para distinguir umas das outras” pág. 107.

“Não é o que os outros fazem, ou mesmo nossos próprios erros que causam a dor maior. É nossa resposta a essas coisas” pág. 113

“Primeiro, seja bem sucedido no lar. Busque e seja digno da ajuda divina. Jamais comprometa sua honestidade. Lembre-se das pessoas envolvidas. Ouça os dois lados antes de julgar. Procure se aconselhar com os outros. Defenda os ausentes. Seja sincero e firme. Desenvolva uma nova habilidade por ano. Planeje hoje o trabalho de amanhã. Ocupe-se enquanto espera. Mantenha uma atitude positiva. Tenha senso de humor. Seja organizado pessoal e profissionalmente. Não tenha medo dos erros – tema a falta de respostas criativas, construtivas e capazes de superar estes erros. Facilite o sucesso dos seus subordinados. Ouça o dobro do que fala. Concentre todas as habilidades e todos os esforços no trabalho que tem à sua frente, sem se preocupar com o próximo emprego ou com a promoção” pág. 130.

Estabeleça metas e organize o seu tempo. “Os dois fatores que definem uma atividade são urgente e importante. Urgente significa que a atividade exige nossa atenção imediata. É ‘Agora’! As coisas urgentes se impõem a nós. Um telefone que toca é urgente. A maioria das pessoas não consegue admitir a hipótese de simplesmente deixar o telefone tocando” pág. 181.

“Se uma das seguintes áreas estivesse deficiente, qual seria: (1) a incapacidade de estabelecer prioridades; (2) a incapacidade ou falta de vontade para organizar a vida a partir destas prioridades; ou (3) a falta de disciplina para executá-las, para manter fidelidade às suas prioridades e à organização” pág. 189.

“Muita gente se recusa a delegar poderes aos outros, porque acredita que leva muito tempo, dá muito trabalho e também que é possível fazer o serviço melhor sozinha. Contudo, delegar poderes é possivelmente a atividade de alto nível mais poderosa que há” pág. 205.

Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

LIDERANÇA CRISTÃ E INTEGRIDADE

Liderança significa “conduzir por um caminho, colocando-se à frente. O ato assemelha-se ao de se aventurar por um lugar em que ninguém esteve antes – uma aventura que não é para tímidos ou fracos.(1) A liderança é um dos fenômenos mais observados e menos entendidos sobre a terra.(2)

Mas quando se trata de liderança cristã, a situação reveste-se de especial significado e responsabilidade. A Bíblia revela diversos requisitos que deveriam constituir os líderes cristãos. E um deles é a integridade.

José, um líder íntegro, piedoso e temente a Deus

O testemunho da vida de José nos mostra a possibilidade de o líder manter-se, sob a graça divina, íntegro, independente da idade e das circunstâncias que o envolvam.

Integridade na casa dos pais

A família de Jacó passou por diversas crises: a. rixas entre as irmãs, Léia e Raquel (Gn 29:33; 30:1-8; b. injustiças (Gn 31:41) e intrigas financeiras (Gn 31:1); c. propensão à idolatria (Gn 31:34); d. traição, violência, imoralidade e invejas (Gn 34:25-30; 35:22; 37:11). Diante desse contexto, ele manteve-se puro, íntegro e temente a Deus, mesmo convivendo com pessoas de caráter reprovável.

Integridade na casa de Potifar

José fora jogado em uma cisterna pelos seus irmãos (Gn 37:17-24), vendido como escravo aos ismaelitas (Gn 39;25-28) e revendido a Potifar, comandante da guarda real egípsia (Gn 39:1). José agora era servo (Gn39:1-2) e superientendente dos bens de Potifar (Gn 39:4-6). Apesar de ser o agente da prosperidade (Gn 39:3) de Potifar, José não tirou proveito disso. Ao contrário, permaneceu íntegro, humilde e abnegado (Gn 39:4).”A fé e integridade de José deveriam, porém, ser experimentadas por terríveis provas. A esposa de seu senhor esforçou-se por seduzir o jovem a transgredir a lei de Deus”(3).Porém, fortalecido pela graça e temor de Deus, José resistiu às investidas do inimigo (Gn 39:12). Ele não transigiu com o pecado, mas diante do mal recuou com determinação e sabedoria. Ali ficaram consignadas a pureza e a santidade do caráter de José. É assim que deve agir todo líder que sofre tentação.

Integridade no cárcere

Acusado injustamente, José foi preso por seu próprio senhor (Gn 39:20). Na cadeia, não demorou para que conquistasse a confiança do carcereiro-chefe (Gn 39:21-22). Este o colocou como responsável por todos os encarcerados, inclusive, pelos dois eunucos de Faraó, presos por transgredirem suas ordens. Ambos, copeiro e padeiro, tiveram um sonho, e José, por providência divina, deu-lhes a interpretação (Gn 40: 9-19). Isso mostra que quando se tem um caráter puro e íntegro é possível continuar à disposição de Deus mesmo nas circunstâncias adversas.

Integridade no palácio

Ao interpretar o sonho de Faraó, José poderia engrandecer-se. Mas não o fez (Gn 41:39-41). Ele era humilde e soube esperar o tempo certo e Deus moveu o coração de Faraó para nomeá-lo como governador do Egito. José governou investido de uma autoridade ímpar. Ele era o primeiro, abaixo de Faraó, chefe supremo. Em Gn 41:40-44 registra-se seu status nas palavras de Faraó: “Administrarás a minha casa, e a tua palavra obedecerá todo o meu povo; somente no trono eu serei maior do que tu. Disse mais Faraó a José: Vês que te faço autoridade sobre toda a terra do Egito. Então tirou o Faraó o seu anel de sinete da mão e o pôs na mão de José, fê-lo vestir roupas de linho fino e lhe pôs ao pescoço um colar de ouro, e fê-lo subir ao seu segundo carro, e clamavam diante dele: inclinai-vos. Desse modo o constituiu sobre toda a terra do Egito. Disse ainda Faraó a José: Eu sou Faraó, contudo sem a tua ordem ninguém levantará mão ou pé em toda a terra do Egito”.Diante de oportunidades atraentes e promissoras, o líder cristão evita tomar decisões precipitadas. O melhor que ele pode fazer é confiar integralmente na vontade e soberania do Senhor. Certamente, José se contentaria apenas com sua liberdade, mas Deus fez por ele muito mais do que poderia pedir ou pensar.

Integridade diante de seus irmãos no reencontro

A liderança exercida por José, encontra seu clímax ao tratar com seus irmãos, que de maneira extremamente vil o venderam aos ismaelitas. O momento de dar “o troco”, até por direito, enfim chegara. Ele, soberano, no controle absoluto da situação, diante de seus irmãos que sem piedade o traíram, procede de forma incomum. Vemos um homem cheio do amor divino, reconhecedor da soberania de Deus, demonstrando seu amor, acompanhado de forte emoção afetuosa: “Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não puderam responder, porque ficaram atemorizados perante ele. Disse José a seus irmãos: Agora, chegai-vos a mim. E chegaram-se. Então disse: Eu sou José, vosso irmão, a quem vendeste para o Egito. Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vós mesmos por me haverem vendido para aqui; porque, para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós...E, lançando-se ao pescoço de Benjamim, seu irmão, chorou; e, abraçado com ele, chorou também Benjamim. José beijou a todos os seus irmãos e chorou sobre eles; depois, seus irmãos falaram com ele” (Gn 45:3-5; 14,15).

A docilidade deste líder expõe francamente lideranças insensíveis e indiferentes, embriagadas pelo poder. O apóstolo Pedro exorta os líderes: “Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores do que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos de rebanho” (1 Pe 5:2,3). Líderes dominadores são totalmente isentos de amor, piedade e temor de Deus. Em geral, a aspereza utilizada, decorre de figuras fracas que se sentem ameaçadas, procurando impor-se pela força. Estas pessoas costumam apresentar indisposição em ouvir outros, não são ensináveis, e agem sozinhas, como se fossem detentoras da verdade. Que a figura de José seja inspiração para conduzir ao arrependimento tais homens enfermos pelo poder.

Conclusão

“A obra de Deus necessita de homens de elevados padrões e força moral para engajar-se em sua divulgação. Procuram-se homens cujos corações estejam revigorados com santo fervor, homens de firme propósito, que não se abalam facilmente, que podem anular todos os interesses egoístas e dar tudo pela cruz e pela coroa. A causa da verdade presente requer homens leais ao senso do dever e justiça, cuja integridade moral seja inabalável e cuja energia seja igual à aberta providência de Deus. Qualificações como estas são mais valiosas do que riquezas incalculáveis investidas na obra e causa de Deus. Energia, integridade moral e firme propósito pelo direito são qualidades que não podem ser compensadas com qualquer quantidade de ouro. Homens dotados com essas qualificações terão influência em toda a parte. Suas vidas serão mais poderosas do que a eloqüência soberba. Deus chama homens de coração, homens de mente., homens de integridade moral a quem Ele possa tornar depositários de Sua verdade, e que representarão corretamente Seus princípios em sua vida diária”.(4)

Pr. Érico Tadeu Xavier
Pastor Distrital de Cascavel - PR
Doutor em Ministério pela Faculdade Teológica Sul Americana

Referências:
1. Ramon J. Aldag e Buck Joseph. Liderança e Visão: 25 princípios para promover a motivação, p. 07.
2. James MacGregor Burns. Leadership, p. 02.
3. Ellen G.White. Patriarcas e Profetas, p.148.
4. Ellen G.White. Testemunhos para a Igreja, vol.3, p. 23.

domingo, 22 de novembro de 2009

ADRA é destaque na Câmara de Vereadores de Curitiba

Pr. Moreira apresenta a ADRADeu no Site da Câmara de Vereadores de Curitiba:

Palestra sobre o valor do trabalho realizado pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) foi ministrada pelo pastor Antônio Alberto Guedes Moreira, presidente da Associação Sul Paranaense da Igreja Adventista 7º Dia, durante a tribuna livre desta quarta-feira (18), na Câmara de Curitiba. O convite foi do vereador Dirceu Moreira (PSL), que destacou a importância de trazer para o conhecimento dos demais parlamentares a abrangência e ações da organização para o desenvolvimento da cidade.

A ADRA, ressaltou Antônio Moreira, é uma organização humanitária mundial da Igreja Adventista, que se dedica há 25 anos às pessoas em situação de risco, com intuito de criar mudanças significativas por meio de parcerias que capacitem e resultem em ações responsáveis. Hoje, a Agência, presente em 120 países, é uma das maiores organizações não-governamentais.

No Brasil, a Adra conta com cerca de 670 trabalhadores, que, juntos, desenvolveram, somente no ano passado, 180 projetos, beneficiando mais de 622,5 mil pessoas, administrando recursos na ordem de mais de R$ 11,5 milhões. “Com um exército de voluntários, dedicamos nossos talentos e tempo para cumprir o lema da agência, que é 'transformando o mundo, uma vida de cada vez”.

Os cursos antitabagistas e o projeto Mutirão de Natal, que em 15 anos de existência recolheu mais de 16 mil toneladas de doações, entre alimentos, roupas e brinquedos, foram bastante elogiados pelos parlamentares, que questionaram, em apartes, sobre a meta para 2009. Segundo Moreira, a Adra pretende arrecadar, neste ano, 4,5 mil toneladas e continuar com os cursos, que, segundo ele, já auxiliaram 829pessoas a largarem o cigarro. “Toda vez que uma pessoa sem esperança participa de um dos projetos, passando a recuperar sua cidadania, valor próprio e autossustento, resgata sua dignidade e, ainda mais, passa a ser um agente transformador na vida de outras pessoas”, finalizou Moreira.

Entre as ações desenvolvidas pela organização, que realiza cerca de 180 projetos no País e 15 em Curitiba, estão campanhas contra violência, trabalhos comunitários, projetos de pesquisa contra a malária, saúde primária, desenvolvimento humano, combate à dependência química e educação básica. “Nas 34 unidades escolares existentes no Paraná, são atendidos mais de 15 mil alunos, 32% com bolsa de estudos”, afirmou, acrescentando que o valor total das bolsas ultrapassa R$ 3,6 milhões.

Assessoria de Imprensa

sábado, 21 de novembro de 2009

REVELAÇÃO PERFEITA DE DEUS

“Antigamente Deus falou muitas vezes e de muitas maneiras aos nossos antepassados, por meio dos profetas. Mas nestes últimos dias ele nos falou por meio de seu filho.” Hebreus 1:1-2 (BLH)

Desde que a primeira promessa de um Salvador foi dada a Adão e Eva, no jardim do Éden, quando desobedeceram, Deus tem procurado fazer com que a humanidade volte suas esperanças para Cristo, a perfeita revelação de Seu caráter.

Os patriarcas e os profetas falaram e escreveram da vinda do Messias. Essa foi à verdade central de todas as comunicações do Céu aos homens. Deus falou por Enoque e Noé ao mundo antediluviano. Falou por meio de Abraão ao povo que vivia em idolatria. Por Moisés comunicou a Israel, quando ainda eram escravos no Egito. Suscitou juizes que revelaram ao povo o Seu poder. Antes de Israel ir para o cativeiro babilônico, revelou a grandeza do Seu amor através da experiência de Oséias, chamado profeta perdoador. Isaías, o profeta evangélico, apresenta o sofrimento, sacrifício e vitória de Cristo, o Servo.

Palavras de esperança e conforto Deus mandou através dos profetas Ageu, Zacarias e Malaquias. Cada um mostra aspectos do plano de salvação. Mas a última e plena revelação do amor de Deus a humanidade, tornou-Se completa e plena em Jesus Cristo.

A vinda do Filho de Deus em carne humana foi e continua sendo a maior demonstração possível do caráter de Deus. Essa é o cumprimento de todas as promessas, em todas as épocas. Cristo Jesus é a Palavra viva para quem aponta a Palavra escrita, a Bíblia.

Em Cristo, Deus o Pai revela a plenitude do amor divino. O apóstolo do amor expressa assim: “E o amor é isto: não somos nós que temos amado a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados.” orientando “Queridos amigos, se foi assim que Deus nos amou, então devemos nos amar uns aos outros.” 1Jo 4:10-11.

Precisamos ter sempre em mente que Cristo também é revelado pela vida e obras daqueles que levam ou usam Seu nome.

Você tem revelado o amor de Deus aos que estão ao seu redor? Estou orando para sua resposta ser afirmativa! Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Laguna – SC.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Pequeno Grupo experimenta milagres em 15 anos de existência

Pr. Evandro, Leda e AltamiroPerseverança! Essa é uma palavra que define o Pequeno Grupo Falange Destemida que se reúne todas as semanas, há quase 15 anos ininterruptamente na cidade de Cachoeirinha, RS.

Tive o privilégio de estar nos dias 11 a 14 de novembro no distrito de Cachoeirinha para uma semana de treinamento e motivação. Ali pude rever o casal Altamiro Pinheiro e Leda Bianchi Pinheiro (foto acima) e ouvir sua linda história.

Conheci o casal quando fiz o estágio de Evangelismo Público, matéria do terceiro ano de teologia. Na ocasião eles tinham um Pequeno Grupo em seu lar que estava apenas começando.

Tudo começou com dona Leda. Ela aceitou o evangelho, foi batizada e orou durante 15 anos pela conversão do seu esposo, que é músico profissional. A oração tem poder e seu marido, tocado pelo Espírito Santo, foi batizado.

Altamiro e Leda sempre gostaram de freqüentar todos os cultos. Mas um dia mudaram-se para um bairro distante da igreja. Como não tinham dinheiro suficiente para ir a todos os cultos eles resolveram trazer a igreja para dentro de seu lar. Então começaram um Pequeno Grupo e se reuniam nos mesmos dias de culto da igreja (quarta-feira, domingo e posteriormente sábado de manhã).

No começo, apenas o casal e os filhos estavam presentes, mas Dona Leda preparava os temas como se a casa estivesse cheia. Eles oravam, e sempre chegava alguém que eles tinham convidado.

O PG fazia vigílias que duravam a noite toda (das 22h00 até as 6h00). Esses encontros eram poderosos e deram vida ao Pequeno Grupo que começou a crescer em resposta as orações, trabalho, amizade e dedicação do grupo.

Desde sua fundação o Pequeno Grupo já trouxe mais de 50 pessoas ao Batismo e deu origem a Igreja Adventista do Sétimo Dia do Bairro Parque da Matriz, que tem atualmente 110 membros. E o Pequeno Grupo continua ativo com 12 pessoas que freqüentam ativamente.

Para Altamiro a maior benção que eles receberam foi a conversão dos pais de Leda. “Nós orávamos por eles no Pequeno Grupo. Quando minha mãe, Pierina, se batizou, meu pai disse que não daria mais o remédio que ela usava e a mandaria embora. No dia de seu batismo nenhum parente veio assistir. Mas depois de um ano meu pai, Baptista, minha irmã Sinara, meu cunhado, três filhos e uma nora foram batizados” comemora Leda.

Altamiro e Leda declaram que não se vêem mais sem o Pequeno Grupo que já faz parte do seu estilo de vida. “O Pequeno Grupo é um encontro que nos dá coragem. Aqui a gente conversa, ora uns pelos outros, sente que há amigos com quem contar, pois se um está fraco na fé o restante do grupo ora por ele e se ajuda” afirma Altamiro.

O grupo também faz trabalhos sociais. Eles destacam um trabalho que fizeram debaixo de uma ponte. Um dia Leda viu uma senhora mendigando e teve pena. “Me ajoelhei e perguntei o que ela queria. Ela disse que queria uns pedaços de galinha para fazer uma canja. Ela disse que morava debaixo da ponte. Também contou que não queria mais morar lá pois tinha muitos ‘malandros’. Então fiz uma compra pra ela e no sábado fomos a referida ponte com o Pequeno Grupo. Quando chegamos lá perguntamos pela mulher. Mas todos os que ali ‘moravam’ disseram que aquela mulher nunca tinha morado lá”, afirmou Leda.

Eles entenderam que um anjo de Deus tinha chamado a atenção deles para aquele lugar. Então começaram a dar estudos bíblicos para traficantes, bandidos e pessoas que não queriam nada com a Bíblia. Desse grupo ninguém chegou a ser batizado mas o evangelho foi pregado e o lugar foi transformado pois os todos os bandidos foram embora daquele lugar.

“Se você quer começar um Pequeno Grupo, vá em frente. Não acredite na sua própria força e coloque tudo nas mãos de Deus. É a vontade dEle que você pertença a um pequeno grupo. Por isso não desanime ainda que venham as dificuldades, e elas virão. Coloque-se nas mãos de Deus pois ele providencia tudo. A única coisa que devemos fazer é começar e perseverar” destaca Leda.

Pr. Evandro Fávero

terça-feira, 17 de novembro de 2009

VÍDEO COM A PROPAGANDA DO MUTIRÃO DE NATAL VEICULADA NA TV GLOBO

TV GLOBO DIVULGA MUTIRÃO DE NATAL

“Solidariedade. A gente vê por aqui”. Desde segunda, 9 de novembro, a TV Globo divulga a campanha Mutirão de Natal. Uma das inserções do terceiro dia de divulgação da campanha televisiva foi em intervalo do Jornal Nacional. O spot veiculado tem 27 segundos com 3 segundos de assinatura.

O videotape inicia com a frase “mais um natal está chegando, mas, a fome, pobreza e a miséria continua atingindo um bilhão de pessoas no mundo e trinta milhões no Brasil”. Com narração de Sérgio Azevedo, o idealizador do projeto, o filme encerra que seu “amor e compaixão podem mudar esta história”. A produção foi de Jefferson Nali, da Seven Vídeo Produções de Vitória, ES e terá até o dia 18 de dezembro 3 chamadas diárias na TV Globo em cadeia nacional.

O Projeto Mutirão de Natal começou no Rio de Janeiro e ultrapassou as fronteiras do Brasil. Hoje, voluntários de oito países da América do Sul participam da ofensiva cujo objetivo não só recolher alimentos, roupas e brinquedos, mas, desenvolver ações de cidadania. O encerramento da campanha será dia 19 de dezembro, em Florianópolis, SC. Porém, ao mesmo tempo, todos os estados do Brasil farão suas festas de encerramento. Em quinze anos de existência a campanha recolheu 16. 205 toneladas. Só no ano passado, os voluntários recolheram 3.996 toneladas. “Para este ano a meta é 4 mil e 500 toneladas”.

Daniel Gonçalves
Jornalista da AC

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

DEUS DE MISERICÓRDIA E PERDÃO

“Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O Senhor não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia.” Miquéias 7:18. (ARA 2a Ed)

A terrível penalidade do pecado é repetidamente mostrada nas Escrituras. No Antigo Testamento Deus declara: “A alma que pecar, essa morrerá” Ezequiel 18:4; no Novo Testamento Ele diz: “O salário do pecado é a morte” Romanos 6:23. Essas declarações nunca foram apenas palavras. No Calvário, a culpa de um mundo pecaminoso tirou a vida do Filho de Deus.

Mas, o sacrifício de Jesus fez mais do que provar que o pecado destrói e mata; demonstrou o amor eterno do Pai para com Seus filhos, e abriu o caminho para que Ele perdoasse a todos aqueles que vão a Jesus e se arrependem.

Deus não Se alegra quando castiga, ao contrário, Se alegra na misericórdia. Oferece e pede a todo o pecador que aceite o perdão. Porém, nunca força a ninguém para que aceite as promessas de graça, amor e salvação.

Podemos entender melhor como Deus nos oferece perdão com a história de um homem chamado Jorge Wilson. Assaltante dos correios e assassino, foi condenado à forca no Estado da Pensilvânia (EUA), em 1829. O presidente dos Estados Unidos, Andrew Jackson, concedeu-lhe um indulto de perdão. Mas Wilson não aceitou um papel de perdão porque entendia que só estaria perdoado se o presidente viesse pessoalmente declará-lo perdoado.

O caso foi levado e julgado pela Suprema Corte. O juiz no parecer final afirmou: “um perdão é um papel, cujo valor depende de sua aceitação pela pessoa condenada. Não se imagina que um condenado se recuse a aceitar perdão, mas se o perdão não é aceito, não haverá perdão. Jorge Wilson deve ser enforcado”. A sentença foi executada, o condenado morto.

Através de Jesus, o Pai demonstra que o perdão está à disposição de todos. Por que então muitos não são salvos? Porque o perdão precisa ser aceito individualmente pela fé!

O Espírito Santo orienta: “Este é o caminho, andai nele.” (Isaías 30:21), e continuamente pede: “Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos observem os meus caminhos,” (Provérbios 23:26).

Qual é nossa resposta? Se formos a Jesus buscando perdão, Ele nos concederá pleno perdão, aceitação e mudança de vida. Não que mereçamos, mas porque “Deus tem prazer na misericórdia”! Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Laguna – SC
pr.thomaskloppe@gmail.com

domingo, 15 de novembro de 2009

ASSOCIAÇÃO SUL-PARANAENSE TEM LÍDERES ELEITOS

O corpo administrativo da nova Associação Sul-Paranaense acaba de ser conhecido. A Primeira Assembléia Quadrienal da ASP elegeu no fim da tarde deste domingo todos os seus dez secretários administrativos.

Para a presidência do Campo, o pastor Luiz Mário de Souza, vindo da União Centro-Oeste Brasielira.

Como secretário, foi eleito o pastor Herbert Boger, que vem da Associação Sul-Riograndense.

O senhor João Adilson Rodrigues, chamado da Associação Norte-Paranaense e eleito para o cargo de tesouraria, assume também o posto de expansão patrimonial.

O pastor Marcos Tosta, um dos evangelistas da antiga Associação Sul-Paranaense, assume os cargos de Missáo Global, ADRA e Evangelismo.

Para as cadeiras de Educação e Liberdade Religiosa, vem da Associação Catarinense a senhora Neide Lino Macedo, que ocupaca a mesma posição na AC.

Como departamental de Publicações e Espírito de Profecia, a Assembléia elegeu o pastor Rodrigo Bertotti, que já ocupava os mesmos cargos na Associação Sul-Paranaense.

O pastor Jayme Gandra, que atua como distrital de Santa Quitéria, em Curitiba, foi eleito para as pastas do Ministério Jovem e Comunicação.

Como departamental do Ministério Pessoal e Escola Sabatina, foi escolhido o pastor Gerson Marques, que desenvolve seu ministério como distrital em Ponta Grossa, no Paraná.

A esposa do pastor Luiz Mário, Jeanete Lima de Souza Pinto, assume os cargos à frente dos departamentos do Ministério da Mulher, Ministério da Criança e Afam.

Para as pastas de Mordomia Cristã, Ministério da Família, Ministério da Saúde e Testamaentos e Legados, foi eleito o pastor Gilson Grudtner, pastor titular da Igreja Central de Curitiba.

O Secretário Ministerial será eleito pelos pastores no primeiro concílio realizado pela nova Associação e deverá ser um dos dez nomes que já ocupam cargos nesta nova Organização.

O pastor Antônio Moreira, presidente da agora Associação Central-Paranaense, parabenizou os novos líderes e salientou a importância da divisão do campo para o crescimento da Obra. "Desejo a este grupo que creçam para honra e glória de Deus", disse o pastor. Para o pastor Marlinton Lopes, presidente da União Sul-Brasileira, a nova estruturação da Igreja no Paraná é uma mostra de que a obra avança. "Não tenho dúvidas de que o desejo de Deus é que a missão da Igreja avance", retratou. "O objetivo desta assembléia de hoje e desta divisão é que mais paranaenses sejam cidadãos do Reino Celeste", concluiu o presidente Lopes.

Elio Moura
Jornalista da ASP

PRESIDENTE DE ATUAL ASP AVALIA A DIVISÃO DO CAMPO

Associação Sul-Paranense(ASP), na configuração territorial como é conhecida hoje, existe desde o ano de 1989, quando a então Associação Paranaense passou pelo processo de cisão, a exemplo do que acontece historicamente neste domingo em Curitiba. Na época da formação das Associações Norte e Sul-Paranaense, 20 anos atrás, o Campo era formado por 34 distritos pastorais. Hoje, só na região sul do Estado são 65 distritos, cerca de 400 congregações, entre igrejas organizadas e grupos em formação, e quase 40 mil membros, considerados apenas os membros regulares, ou seja, pessoas que aceitaram a doutrina da Igreja por meio do batismo.

Em vista de tal amplitude, tanto geográfica quanto demográfica, o trabalho administrativo da Organização se torna pesado. O pastor Antônio Moreira, presidente da atual sede administrativa da ASP, avalia que a divisão do Campo vem num momento importante e deve impulsionar o crescimento da Igreja. "Esta cisão vai permitir um melhor atendimento por parte da liderança, mais proximidade e melhor conhecimento dos membros", aponta ele. Além disso, lembra Moreira, será possível acompanhar mais diretamente o trabalho dos pastores. "Desta forma, teremos mais facilidade para unir a igreja em torno da Missão e, portanto, o crescimento será mais acelerado", salienta ele.

Elio Moura
Jornalista da ASP

sábado, 14 de novembro de 2009

PARANÁ TERÁ NOVA SEDE ADMINISTRATIVA DA IGREJA ADVENTISTA

Neste domingo, 15 de novembro, acontece a 1ª Assembléia Quadrienal da Associação Sul-Paranaense (ASP). A reunião é realizada para a escolha dos líderes dessa nova organização, em decorrência da divisão do Campo da atual ASP.
A partir de domingo, a sede do que hoje é a Associação Sul-Paranaense passa a se chamar Associação Central-Paranaense e a nova associação recebe o nome da que hoje existe, ASP.

Participam da escolha dos novos líderes todos os pastores das igrejas e escolas da região geográfica da nova associação e um delegado de cada igreja organizada. Esse delegado é escolhido pela comissão da igreja.

Com a nova estruturação, Paraná terá trÊs associações: Norte-Paranaense, Central-Paranaense e Sul-Paranaense.

Veja abaixo como fica a cidade de Curitiba após a divisão.

A Região Metropolitana ficará disposta conforme quadro abaixo.
Elio Moura
Jornalista da ASP

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

MATÉRIA EM VÍDEO SOBRE A INVESTIDURA DE LÍDERES DE PEQUENOS GRUPOS EM CURITIBA

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

MUTIRÃO DE NATAL

O bem sucedido empresário norte americano John Rockfeller disse: “Nunca pense que você precisa se desculpar por pedir a alguém que doe para uma causa de valor, é como se você estivesse dando a ele a oportunidade de participar de um investimento de alto nível. O dever dele em dar é igual ao seu em pedir.”

E o próprio Jesus, ao falar sobre a Sua segunda vinda dissertou: “Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mateus 25:37-40

O Mutirão de Natal é uma oportunidade que temos para fazer parte destes que fazem o bem a Jesus ajudando alguém que precisa. Todos os anos milhares de quilos são arrecadados em todo o mundo. No ano passado milhares de famílias foram beneficiadas. Este ano você está sendo convidado a participar de mais uma edição do Mutirão de Natal, uma campanha que ajuda as pessoas, desperta interessados e coloca a igreja na mídia abrindo as portas para o evangelismo.

Você é convidado a fazer a diferença na vida de alguém. O lema da ADRA é “Transformando o mundo uma vida de cada vez”. Ajude a transformar o mundo transformando vidas através do Mutirão de Natal! Que bom poder contar com você!

Pr. Evandro Fávero

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

GUERRA E PAZ

Você prefere a guerra ou a paz? À primeira vista parece natural que todos desejemos a paz. O que leva um país ou pessoa a optar pela guerra?

A guerra faz parte da história do universo, ela começou no céu e desde então sempre esteve identificada com sofrimento, instabilidade e morte. Na sua gênese está relacionada com o desejo de Lúcifer ocupar a posição de Jesus. Daí, sedução, mentira, dissimulação e muito mais, sempre estiveram a serviço da guerra.

A paz completa virá somente quando Jesus, o Príncipe da Paz, eliminar o pecado e estabelecer “um reino de paz sem fim”. Is. 9:6 e 7. Enquanto Ele não vem vivemos numa situação paradoxal. Estamos em guerra, mas podemos ter paz. Cristo e Satanás disputam nossa vontade. Nada podendo contra Deus, o inimigo concentra-se em derrotar Seus filhos. Somos desde o nascimento servos do pecado, mas Jesus morreu para nos resgatar. Percebendo que perde influência, o inimigo intensifica a luta. É o caso da mulher de Ló, que mesmo com o fogo às costas, perdeu a salvação enquanto olhava para Sodoma. No fogo ou na tempestade não podemos abrir mão de olhar unicamente para Jesus.

Satanás procura nos distrair com o falso brilho do pecado. Como bom espião se disfarça de ovelha, mas é lobo. Por baixo da capa de santidade, esconde-se um inimigo voraz. Lamentavelmente muitos estão indo direto para o inferno enquanto cantam “pra terra abençoada vou”.
O conflito em nossa vida inicia-se logo ao nascer. À medida que tomamos consciência da situação precisamos definir nossa posição, que jamais pode ser neutra. Logo a guerra faz parte da vida. É bom para os interesses de Satanás que ignoremos sua realidade e sejamos anestesiados com a falsa sensação de paz. Assim vamos para o precipício sem reconhecer o perigo.

Antes de ir para a cruz Jesus disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração nem se atemorize”João 14:27. É incrível, mas Jesus assegurou que os discípulos poderiam ter paz, enquanto a maior crise do universo estivesse ocorrendo. Ele e o mundo oferecem paz, e ao buscá-la, muitos sem discernimento acabam por se iludir. Como é a paz do mundo? Nos dias de Jesus havia a expressão, pax romana, que era sinônimo da paz que os romanos impunham pelas armas. Nesse contexto o verso diz: “Deixo-vos a paz e esta não depende de fatores externos, mas é libertadora, porque resulta da minha presença em vós, portanto não se turbe o vosso coração nem se atemorize”João 14: 27.
Já foi dito que o preço da liberdade é a eterna vigilância.Como guerreiros de Cristo corremos dois grandes perigos:

- O primeiro é ignorar a realidade da guerra. Uma das maiores tristezas do General Jesus é ver Seus soldados em amizade com o acampamento do inimigo. Isto é alta traição. Dói Seu coração ver o filho pródigo longe de casa, enlameando a Sua imagem enquanto come o alimento dos porcos. Pense um pouco: Reconhecem os que o cercam a imagem do Pai em você? Sabem eles de que lado está nesta guerra? Percebe-se isso em sua apresentação, conversação, postura, música e outros hábitos? Pode a Pátria contar com a sua lealdade em qualquer circunstância?
Já deveríamos estar em Canaã. Como Israel ao sair do Egito podemos estar incorrendo nos mesmos erros olhando para trás com saudades dos pepinos e cebolas ou gastando energias e tempo em lutas internas e derretendo o coração com medo dos inimigos á frente.

- O segundo perigo é Lutar contra o inimigo errado. Disse alguém que os cristãos são os únicos que atiram em seus feridos. Tenha em mente “que nossa luta não é contra o sangue e a carne”. (Ef. 6:12.) Satanás se alegra quando vê os filhos de Deus destruindo-se e divididos pelo ódio e críticas, conforme fez no céu. É hora “de lançarmos fora o velho fermento da maldade e da malícia, para que sejamos nova massa com os asmos da sinceridade e da verdade”.(I Cor. 5:7 e 8) É tempo de nos unirmos para consagrar recursos e influência ao Reino de Deus. Ele conta conosco para pregar a última mensagem de advertência.

Como ganhar a guerra?

Conta-se que um barco pesqueiro na Europa realizava seu trabalho e depois voltava com o tanque cheio de bacalhaus vivos. Acontece que sempre alguns deles chegavam mortos ao final da viagem. Certa vez, pescaram por engano um enorme bagre e o colocaram no tanque. Ele começou a atacar violentamente os bacalhaus para comê-los. Ao fim da viagem todos os bacalhaus estavam vivos; é que lutando pela sobrevivência não tinham tempo de morrer.
Quer você sair vivo e vitorioso nesta guerra? A receita é manter-se com as armas espirituais em constante uso. Jamais deixe enferrujar a espada do Espírito, mas cuidado para não se pôr em luta contra o inimigo errado. Perseveremos vigilantes, trabalhando e orando, e assim quando o Príncipe da Paz voltar em breve faremos parte dos que com Ele reinarão pelos séculos dos séculos.

“Abri vós as portas, para que entre a nação justa, que guarda a fidelidade. Tu Senhor conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti... Senhor, concede-nos a paz, porque todas as nossas obras tu as fazes por nós”. Is. 26:2 e 12.

Pr. Antônio Moreira
Presidente da Igreja Adventista para o Sul do Paraná (ASP)

UM FILHO QUE VOLTA PRA CASA

Quase vinte anos atrás, fui convidado para dar estudos bíblicos às sextas-feiras à noite no colégio em que eu mesmo havia feito o curso técnico de química, no ensino médio, em Criciúma, SC. Na época, fazia faculdade em Florianópolis, a quase 200 km de distância, mas viajava todos os fins de semana para ensinar a Bíblia para centenas de alunos – não podia perder essa tremenda oportunidade de partilhar minha fé recentemente abraçada. Com o tempo, me tornei amigo de um jovem de longos cabelos escuros e escorridos. O nome dele é Willian e ele tomava o mesmo ônibus que eu, já que precisava passar perto da casa dos meus pais para ir para a casa dele. Isso permitia que continuássemos a conversa iniciada na sala de aula. Frequentemente, o Willian ficava em minha casa várias horas noite adentro. Nessas ocasiões, estudávamos a Bíblia juntos e orávamos. (A foto acima foi tirada em Joinville, em 1994.)

Willian cortou o cabelo, tornou-se estudioso da Bíblia, leitor voraz de livros religiosos, tomou a decisão pelo batismo e passou a me acompanhar em atividades missionárias (procurei fazer com ele o que o Vanderlei fez comigo). Infelizmente, como eu precisava ficar cada vez mais tempo em Florianópolis, não pude me dedicar tanto ao meu amigo recém-converso. Por esse e outros motivos, aos poucos ele começou a se afastar da igreja. Lembro-me de uma ocasião especialmente triste, quando o Willian foi até a casa dos meus pais para me dizer que não era feliz. E comparou: “Sinto-me como uma formiga fora do formigueiro.” Ele queria viver como os outros adventistas, mas dizia que não conseguia. E como conhecia a vontade de Deus e o destino deste mundo (os bastidores do grande conflito), também não conseguia mais ser feliz como achava que era antes de conhecer a Jesus e a verdade revelada por Ele.

Naquela noite nos abraçamos e choramos. Eu disse ao Willian que havia dado a ele a “coisa” mais preciosa que eu tinha: Jesus Cristo. Disse também que eu não queria que ele se sentisse daquele jeito. Que eu era feliz e que ele também poderia ser, se fizesse de Jesus seu melhor amigo. Mas o Willian acabou mesmo deixando a igreja e se afastando de Deus.

Os anos se passaram. Formei-me, casei-me e mudei para Tatuí, SP. O Willian também casou e se tornou advogado. Praticamente perdi o contato com ele, excetuando um ou outro encontro casual, quando minha esposa, filhas e eu estávamos de férias em Criciúma. Mas nesse tempo todo nunca deixei de orar por ele e convidá-lo a voltar, sempre que podia. Eu sabia que a semente plantada no coração do meu amigo era (e é) forte, e que o solo era (e é) dos melhores.

Hoje recebi este e-mail do Willian e tive que segurar as lágrimas:

“Olá, Michelson, como vai o amigo?

“Sou eu, o Willian. Gostaria de te agradecer por você me enviar esses e-mails, realmente são muito interessantes. Nesse fim de semana estive na Igreja Adventista Central, aqui em Criciúma. Foi muito bom. Quem pregou foi um pastor de Florianópolis.* Um grande sermão. Me senti novamente tocado por Deus. À tarde estive no festival de corais adventistas, realizado no Teatro Elias Angeloni, ali na Prefeitura, lembra? Minha esposa foi comigo.

“Na verdade, como você mesmo sabe, por um longo tempo estive afastado da Igreja e de Deus. Mas, agora, voltei a fazer um estudo bíblico por meio de um convite que recebi de um cliente meu aqui do escritório. Como eu já conhecia a mensagem adventista, aceitei prontamente. Quem está me dando o estudo é o pastor Arildo, um grande sujeito, um cara muito inspirado. Nos últimos dias, Ellen White já dizia que o Espírito Santo desceria sobre o mundo e através da chuva serôdia traria muitas pessoas novamente a Jesus. Talvez Deus esteja me dando mais uma chance, e espero desta vez não perdê-la.

“Acredito que minha esposa também seja uma pessoa sincera, e que Deus com o tempo vai tocar em seu coração. Com muita oração e com meu próprio testemunho, espero que um dia ela também aceite Jesus. As dificuldades serão muitas, mas pra Deus nada é impossível.

“Um grande abraço de seu amigo Willian.”

Deus seja louvado por nos dar essas surpresas aqui na Terra! Fico imaginando quantas outras teremos no Céu!

No fim de dezembro, vou a Criciúma. Quero dar outro abraço no Willian. Mas, dessa vez, as lágrimas não serão de tristeza... [Fonte: Blog Criacionismo]

Michelson Borges

(*) O pastor que pregou lá em Criciúma foi o Charles Rampanelli, meu colega de mestrado e servo de Deus.

Líderes de Pequenos Grupos são investidos em Curitiba

Líderes fazendo o Voto A Igreja Central de Curitiba foi o local escolhido para sediar a primeira investidura de líderes de pequenos grupos no Sul do Paraná. A cerimônia, realizada no último sábado, 7 de novembro, condecorou os líderes que cumpriram os requisitos do cartão de investidura. Formar duplas missionárias, realizar o evangelismo de Semana Santa e levar uma pessoa ao batismo pelo trabalho do pequeno grupo foram alguns dos desafios aceitos pelos líderes.

Líderes em DestaqueAo todo, 120 pessoas (foto ao lado) de várias cidades do Sul do Estado foram investidas como Líderes de Pequenos Grupos. Entre elas, oito pessoas foram um pouco além e também receberam o distintivo de Líder Máster. Estes cumpriram os 13 requisitos para a investidura em liderança e mais 17 para o nível de Master.

A festa preparada para o evento contou com a presença da cantora Fernanda Lara, Quarteto Voss e ainda da Orquestra Adventista de Curitiba. Para Joselita dos Santos, que foi à igreja apenas para acompanhar a programação, o trabalho dos líderes de pequenos grupos merece ser reconhecido. "É ali que as pessoas têm mais chance de estarem juntas e isso faz muita diferença para fortificar a fé. Em grupos menores as pessoas ficam mais unidas e a união traz força", aponta ela.

Para o Pastor Evandro Fávero, responsável pelo trabalho de pequenos grupos no Sul do Paraná, o evento foi um marco. "É o primeiro grupo a se investir como líderes na nossa região. Nossa expectativa é de chegarmos aos 200 líderes no ano que vem", adianta ele. "Isso é um incentivo para que mais pessoas percebam a importância desse trabalho e se motivem a formar pequenos grupos", avalia. Roselaine Palhano Dell Aringa é da cidade de Piraí do Sul, município a 191 quilômetros de Curitiba. Para a jovem, investida neste sábado como Líder, o programa de investidura é um grande incentivo. "O maior desafio do programa é levar uma pessoa ao batismo. A gente dá estudos bíblicos, acompanha as pessoas mas a decisão é de cada um", diz a moça que lidera um grupo com cerca de vinte pessoas, a maioria delas não adventistas.

Em 2010 será realizado em Faxinal do Céu um encontro com mais de mil líderes investidos de todo o Sul do Brasil, conforme explicou o pastor Sidnei Mendes, responsável por esse programa nos três estados do sul. "Será um programa maravilhoso para os líderes da nossa região", garante ele.

E a festa de investidura em Curitiba não poderia terminar de forma melhor. O programa foi coroado com uma cerimônia batismal. Entre os batizandos, duas pessoas que tiveram contato com o evangelho por meio de um pequeno grupo da capital paranaense decidiram fazer parte oficialmente do rol de membros da Igreja.

Elio Moura
Jornalista da ASP

Assista o vídeo desta matéria

sábado, 7 de novembro de 2009

DEUS VÊ O CORAÇÃO

“Mas o Senhor disse: Não se impressione com a aparência nem com a altura deste homem. Eu o rejeitei porque não julgo como as pessoas julgam. Elas olham para a aparência, mas eu vejo o coração.” 1Sm 16:7. (BLH)

Há um ditado popular que diz: “Não julgue um livro pela capa”. Isso é uma grande verdade. Livros de conteúdo discutível, ou de pouco valor para o cristão, são os que normalmente têm as capas mais atrativas e coloridas.

Enquanto outros, tidos como grandes publicações, livros que chegaram a revolucionar o mundo do pensamento, transformaram sociedades, até derrubaram governos; possuem capas simples, sem chamarem a atenção. Embora todos sabem que não se pode “julgar um livro pela capa”, parece que continuamos a proceder assim, gostamos de agir assim.

O pior é que não são somente em relação a livros que agimos assim. Podemos ir a qualquer supermercado, e veremos rótulos lindos, coloridos, chamativos, fantasiando ou mascarando produtos. As empresas se esforçam para atrair a atenção dos consumidores apelando para os olhos. Os produtores sabem que o consumidor vai escolher o pacote colorido “Gigante”, mesmo com menor quantidade do que um produto concorrente escrito “Grande”.

Ao contrário, “o Senhor olha o coração”. Deus não Se ilude com a embalagem: nossa aparência. Deus chamou a Davi para ser rei em Israel, não porque ele fosse mais alto do que os demais, como Saul era. Ou porque Davi era mais bonito. Deus chamou a Davi porque o seu coração era reto, puro.

Davi não era perfeito no sentido de ser sem pecado. Porém, foi chamado porque ansiava conhecer e praticar a vontade de Deus. E quando Davi caiu em pecado, foi pronto em arrepender-se, confessar e abandonar seu pecado.

Hoje, assim como no passado, Deus continua olhando além da nossa aparência exterior. Deus olha além de nossa reputação, que por vezes é construída artificialmente. Deus olha além da posição social. Deus olha além da nossa conta no banco.

Quando Deus procura um homem ou mulher para chamar, a fim de preencher algum lugar de responsabilidade ao Seu serviço, pergunta: Essa pessoa aceita ser ensinado? Ela ama a justiça mais do que as vantagens passageiras? Seu coração é puro? Seu coração está entregue totalmente? Seu coração não tem nenhum pecado guardado? Ele ama a verdade e pratica a justiça?

Deus somente pode usar e abençoar àqueles que têm uma resposta afirmativa a essas perguntas. Assim, com Davi devemos orar: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro; e renova em mim um espírito reto.” (Sl 51:10).

Somente Cristo Jesus habitando em nós é que pode mudar e purificar nosso coração! Jesus aguarda nosso convite, convide-O agora! Precisamos, pois afinal “o Senhor olha o coração”.
Feliz semana!

Pr. Thomas Kloppe
Distrital em Laguna, SC.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

DOIS VIZINHOS ENCERRA SEMANA DE EVANGELISMO COM CONGRESSO

Durante a semana de 24 a 31 de outubro, participamos do Evangelismo via Satélite Futuro com Esperança. Com as bençãos de Deus esse evangelismo alcançou a milhares de pessoas por todo a parte. Foram igrejas, auditorios e colégios que assistiram simultaneamente as pregaçoes do Pr. Mark Finley via satélite.

No distrito de Dois Vizinhos, sudoeste do Paraná, não foi diferente. As duas igrejas da cidade, e outras de cidades vizinhas, abriram as suas portas para levar esperança para aqueles que necessitam. Muitas pessoas decidiram-se por Jesus!

Para fechar com chave de ouro essa semana tão abençoada, o distrito de Dois Vizinhos recebeu a presença do Pr. Ignácio Kalbermatter, presidente geral da União Sul Brasileira, e reuniu cerca de 450 pessoas, vindas das cidades de São Jorge do Oeste, Salto do Lontra, Boa Esperança do Iguaçu, Cruzeiro do Iguaçu, Salto Canoas, Engenheiro Beltrão, Pato Branco e Quedas do Iguaçu.

No Sábado de manhã, 31 de outubro, foi realizada a programação no centro cultural da cidade com a participação do grupo musical Vocal Ellos de Maringá, PR, e da orquestra formada por membros da igreja adventista da região.

Ao meio dia todo se reuniram na igreja para o almoço com os amigos visitantes. A tarde, houve o batismo de 11 pessoas. O distrito ficou feliz com os novos irmãos na fé! No final da programação, quando o Pr. Kalbermatter fez o apelo, cerca de 30 pessoas abriram seu coração para Jesus.

A igreja de Dois Vizinhos naquela noite dormiu mais feliz, e no céu houve festa, pois a cidade, assim como o nome sugere, foi duplamente abençoada: Durante a semana com o Pr. Mark Finley e no sábado com o Pr. Ignácio Kalbermatter.

Daiana Grabowski
Líder da Igreja Adventista de Dois Vizinhos

VEJA DÁ BARRIGADA HISTÓRICA

Num dos boxes da matéria de capa desta semana, Veja comete o equívoco de chamar Guilherme Miller de “adventista”. Na verdade, Miller era batista e nunca se tornou adventista do sétimo dia, como alguns confundem. José Bates, Tiago White e Ellen Gould Harmon, esses, sim, podem ser considerados três dos fundadores do movimento que viria a ser conhecido como Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Embora esses e milhares de outros cristãos tenham passado pelo desapontamento de 1844 (devido à má interpretação do evento previsto nas profecias de Daniel para aquele ano), a Igreja Adventista, oficialmente organizada em 1863, nunca marcou datas para a volta de Jesus, como aconteceu com as testemunhas de Jeová, por exemplo. Para mais detalhes sobre a história do milerismo e do adventismo, clique aqui. [Fonte: Blog Criacionismo]

(*) Em jornalismo, "barrigada" é o erro cometido geralmente por falta de apuração adequada.

Michelson Borges
criacionismo.com.br

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

JOVENS ADVENTISTAS TESTEMUNHAM NO CEMITÉRIO E NA TV

Jonatas Freitas sendo entrevistadoO Clube de Jovens (JASP) formado por servidores do escritório administrativo da Igreja Adventista no Sul do Paraná realizou o Projeto Bálsamo no dia de Finados. O JASP foi fundado neste ano como uma tentativa dos jovens funcionários da Associação Sul-Paranense (ASP) de se envolverem com a Missão da Igreja.

Depois de participarem do seu primeiro campori de clubes de jovens, em outubro, o clube se empenhou em realizar o projeto no feriado de Finados. A intenção era apenas levar uma mensagem de esperança aos visitantes do Cemitério Municipal de Curitiba.

A surpresa foi serem procurados pela reportagem da RPC TV, afiliada da Rede Globo (vídeo abaixo). “A gente só tava fazendo o nosso trabalho, nem imaginávamos que isso poderia acontecer”, revela a assistente social Débora Dalla Cort, membro do JASP.

Jonatas Freitas é o diretor do clube. Jovem ainda, ele já é atuante nas atividades da igreja onde frequenta, no município de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Para Jonatas, ser funcionário da Associação é também uma oportunidade de poder trabalhar ainda mais pela Missão. “Trabalhando aqui a gente tá mais envolvido com tudo que acontece na igreja, temos mais chances de nos envolvermos porque ficamos em contato com tudo que ainda vai ser feito”, explica ele. “E participar do Clube JASP é mais uma chance que nós, como funcionários da igreja, temos de trabalhar pela Obra.”, completa.

Assista o Vídeo:



Elio Moura
Jornalista da ASP

terça-feira, 3 de novembro de 2009

UM CHAMADO, UM RECOMEÇO

Douglas e Patrícia NogariA vida de Douglas Nogari (foto ao lado) foi regada de altos e baixos, onde atitudes tomadas em desespero agora se refletem no presente. Mas, apesar das tentações e dos erros, conhecendo o amor de Jesus, pode-se notar que ainda há uma esperança. Conheça sua história:

"Conheci minha esposa Patrícia em 1997. Na época, eu tinha dezenove anos, e ela, apenas treze. Mesmo assim, iniciamos uma relação. A princípio era apenas um refúgio a um anterior relacionamento meu, mas, com o passar do tempo, nos apaixonamos e por sermos muito novos, movidos por tal sentimento, tomamos uma decisão incorreta, e Patrícia engravidou. Mesmo contra a vontade dos pais, optamos pelo casamento.

Durante este período muita coisa ocorreu em nossa vida. Conheci a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e, com o auxílio do pastor Márcio Vivan fui batizado em 1999, mas logo afastei-me de Jesus. As coisas pioraram, traí minha esposa, voltei a freqüentar bares e lanchonetes, beber, enfim afastei-me da obra que Deus queria operar em minha vida. Patrícia, mesmo jovem, me perdoou, e o casamento seguiu adiante.

Os anos se passaram, e, apesar do grande esforço, eu não obtinha resultados. Trabalhava com meu sogro em Arapoti, no Jornal Informativo, como diagramador e vendedor de publicidades, de onde retirava o sustento para minha família. Mas sentia que ainda faltava algo.

Em 2003 fui convidado para trabalhar no SINDIMOC, em Curitiba, um dos mais importantes sindicatos do sul do Brasil, como assessor de imprensa do presidente da entidade, e, mais tarde, assessor de imprensa da própria entidade, embora ainda não possuísse registro de Jornalista.

Infelizmente, o pecado voltou a reinar em minha vida, e comecei a freqüentar choperias e bares. Durante cinco anos minha família morou em Curitiba, onde conseguimos muito dinheiro. Foi então que montei uma extensão do jornal de meu sogro. Minha esposa também em Curitiba, como eu, foi enredada pelo pecado, nos traímos, nos escandalizamos. Era tudo fácil, nós éramos ferramentas de satanás e tudo era possível. Menos ter Paz no coração e um lar unido e feliz. Mas, sem saber, Deus já havia traçado um rumo para nossa família.

Voltamos para Arapoti sem nenhum dinheiro ou bem, apenas com dívidas a serem acertadas, e tendo que encarar o recomeço tudo de novo. Vimos que Deus tinha um plano para nós, desde o nosso primeiro encontro, que foi algo que eu jamais esquecerei. Uma criança e um adolescente que moravam na mesma rua e hoje um casal, pais de família que com toda certeza, se amam de verdade, pois nos perdoamos de nossos erros.

Decidimos retornar, então, para os braços de Deus. Iniciamos um estudo bíblico com o meu irmão mais novo e minha cunhada Silandy, logo depois com meu amigo Maxwel, com o meu pai e, por fim, mais um casal de amigos, Romildo e Angela, líderes da igreja Central de Arapoti.

Douglas e Patrícia sendo Batizados pelo Pr. Marcos BaptistaUma verdadeira transformação ocorreu em nossa vida. O Espírito Santo nos tocou e fomos batizados no dia vinte e cinco de outubro. Prometemos honrar ao nome de Deus e ao casamento.

Ainda há muitos erros a serem consertados, mas Jesus está voltando. Ele faz com que os pontos fracos do ser humano se tornem rochas firmes perante o inimigo. Hoje, eu e Patrícia já completamos dez anos juntos, temos dois filhos e produzimos um Jornal em Arapoti, com o nome “Jornal Canal de Notícias”.

Depois que Jesus opera milagres Ele faz com que nossos pontos fracos se tornem rochas perante o inimigo. E quer que nos conservemos fortes em Cristo Jesus.

Ainda voltarei a escrever meu testemunho nesse espaço pois entreguei meus problemas a Jesus e sei que se eu for fiel, ele não vai me desamparar. Meus problemas pessoais, meus erros que cometi no passado não me incomodarão mais pois Ele me perdoou. Esse foi meu chamado, o meu recomeço".

Douglas Nogari.
Jornalista e Editor do Jornal Canal de Notícias

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

GRATIDÃO PELA CURA DE CÂNCER

Odenir de Fátima ZolondekOdenir de Fátima Zolondek (foto ao lado) foi membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia por aproximadamente trinta anos, mas ao passar por variadas provações pessoais acabou se afastando de Deus e da igreja.

Quatro anos depois descobriu que possuía Neoplasia Maligna, ou seja, um tipo de câncer onde os tumores crescem descontroladamente. Seus médicos não lhe deram mais que oito meses de vida.

Seu quadro foi-se agravando rapidamente. Porém, conforme sua saúde diminuía, sua fé e confiança em Deus aumentavam e sentia que necessitava voltar para os braços do Pai.
Chegou a ser ungida pelo Pr. Antonio Lima. Iniciou o tratamento quimioterápico e, após oito meses, seu organismo começou a reagir.

Após esse longo período, quando parecia que sua saúde estava restabelecendo-se, foi descoberto mais um tumor, desta vez no útero. Orava a Deus, pedindo Sua misericórdia e forças para seguir adiante. Foi retirado então mais de duzentos gramas de tal tumor, o qual mostrou-se benigno. Durante sua recuperação, contraiu infecção hospitalar e ficou internada por mais quinze dias.

Enquanto estava no hospital, muitos amigos oravam intercedendo por sua saúde. Foram inúmeras pessoas participando do projeto “Madrugadas com Deus” orando por quarenta dias em seu favor e Deus atendeu as orações.

Hoje, Odenir encontra-se totalmente curada, e atribui tal milagre ao grandioso poder de Deus, o Médico dos médicos. Regularmente faz chek up e os resultados são excelentes. Não há nenhuma seqüela, a não ser as dores que, as vezes, sente nos cortes.

Odenir sendo batizada pelo Pr. Marcos BaptistaOdenir decidiu-se por Cristo na semana de Evangelismo via Satélite e foi batizada (foto ao lado) no domingo, 24 de outubro, na Igreja Central de Arapoti. Seu batismo é uma forma de demonstrar sua imensa gratidão a Deus pelo que Ele fez.

Pr. Evandro Fávero

domingo, 1 de novembro de 2009

O FIM DO MUNDO NA CAPA DA VEJA

Deu no Blog Criacionismo:

"A revista Veja desta semana traz na capa a chamada garrafal “O fim do mundo”. Leia aqui alguns trechos: “O ano de 2012 tornou-se o centro de gravidade do fim do mundo por uma confluência de achados proféticos. Primeiro, surgiu a tese de que a Terra será destruída com a volta do planeta Nibiru em 2012. Depois, veio à tona que o calendário dos maias, uma das esplêndidas civilizações da América Central pré-colombiana, acaba em 21 dezembro de 2012, sugerindo que se os maias, tão entendidos em astronomia, encerraram as contas dos dias e das noites nessa data é porque depois dela não haverá mais o que contar. Posteriormente, apareceram os eternos intérpretes de Nostradamus e, em seguida, vieram os especialistas em mirabolâncias geológicas e astronômicas com um vasto cardápio de catástrofes: reversão do campo magnético da Terra, mudança no eixo de rotação do planeta, devastadora tempestade solar e derradeiro alinhamento planetário em que a Terra ficará no centro da Via Láctea – tudo em 2012 ou em 21 de dezembro de 2012.

“Com tantas sugestões, a profecia ganhou as ruas. No dia 13 de novembro, terá lugar a estreia mundial de 2012, uma superprodução de Hollywood que conta a saga dos que tentam desesperadamente sobreviver à catástrofe final. No site da Amazon, há 275 livros sobre 2012. Nos Estados Unidos, já existem lojas vendendo produtos para o apocalipse. Os itens mais comercializados são pastilhas purificadoras de água e potes de magnésio, bons para acender o fogo. É sinal de que os compradores estão preocupados com água e fogo, numa volta ao tempo das cavernas. Na Universidade Cornell, que mantém um site sobre curiosidades do público a respeito de astronomia, disparou o número de perguntas sobre 2012. Há os que se divertem, pois não acreditam na profecia. Entre os que acreditam, os sentimentos vão da tensa preocupação, como é o caso de Patrick Geryl, autor de três livros sobre 2012, todos publicados no Brasil, até o pavor incontrolável. O fim do mundo é uma ideia que nos aterroriza – e, nesse formidável paradoxo que somos nós, também pode ser a ideia que mais nos consola. Por isso é que ela existe.

“No inventário dos fracassos humanos, talvez não haja aposta tão malsucedida quanto a de marcar data para o fim do mundo. Falhou 100% das vezes, mas continua a se espalhar, resistindo ao tempo, à razão e à ciência. As tentativas de explicar esse fenômeno são uma viagem fascinante pela alma, pela psique, pelo cérebro humano. Uma das explicações está no fato de que o nosso cérebro é uma máquina programada para extrair sentido do mundo. Assim, somos levados a atribuir ordem e significado às coisas, mesmo onde tudo é casual e fortuito. As constelações no céu, por exemplo, são uma criação mental para organizar o caos estelar. Ao enxergarmos as constelações de Órion ou Andrômeda, encontramos ordem e sentido. O dado complicador é que a vida, no céu e na terra, deve muito mais às contingências do acaso do que ao determinismo. O espermatozoide que fecundou o óvulo que gerou Albert Einstein foi um produto do acaso, resultado de uma disputa entre espermatozoides resolvida por milésimos de segundo. Assim como aconteceu, poderia não ter acontecido [mas o que não se pode afirmar é que a origem do espermatozoide seja fruto do acaso]. (...)

“A preponderância do aleatório sobre o determinado pode dar a sensação de desesperança, de que somos impotentes diante de todas as coisas. Talvez nisso residam a beleza e a complexidade da vida, mas o fato é que o cérebro está mais interessado em ordem do que em belezas complexas. Por isso, quando não vê significado nas coisas naturais, ele salta para o sobrenatural. (...) A religião seria uma criação mental através da qual o cérebro atende a sua necessidade por sentido. O apocalipse, nesse caso, é uma saída brilhantemente engenhosa. Explica duas questões que atormentam a humanidade desde sempre: o significado da vida e a inevitabilidade da morte. Somos a única espécie com consciência da própria morte e, no entanto, não sabemos o significado da vida. Afinal, por que estamos aqui? A pergunta, em si, revela nossa busca por sentido, devido à nossa dificuldade de conviver com a possibilidade de que, talvez, não estejamos aqui por alguma razão especial. O apocalipse é uma resposta. Está descrito nos seus mínimos e horripilantes detalhes no Livro do Apocalipse, escrito pelo evangelista João, por volta do ano 90 da era cristã, quando estava preso, perseguido pelo Império Romano.

“O começo do fim do mundo, diz João, será anunciado por sinais tenebrosos: um céu negro, uma lua cor de sangue, estrelas desabando sobre a Terra e uma sucessão de desastres varrendo o planeta na forma de terremotos, inundações, incêndios, epidemias. O Anticristo então dominará a Terra por sete anos [o autor desta matéria devia ter estudado melhor o Apocalipse], ao fim dos quais Jesus Cristo descerá dos céus com um exército de santos e mártires [outra barrigada: Onde está escrito que “santos e mártires” virão do Céu com Jesus?] – e vencerá Satã, a besta. Depois de 1.000 anos acorrentado, Satã conseguirá se libertar e forçará Jesus Cristo a travar uma segunda batalha, a terrível batalha do Armagedom. Derrotado Satã, todos nós, vivos e mortos, nos sentaremos no banco dos réus do tribunal divino [na verdade, o julgamento já terá ocorrido, pois a destruição de Satanás e dos ímpios é a sentença final]. Os bons irão para o paraíso celestial. Os maus arderão no fogo eterno [outro equívoco antibíblico]. (...)

“Nem sempre o apocalipse vem numa embalagem religiosa. A profecia de 2012 começou com base em eventos astronômicos e calendários antigos. Só depois recebeu a adesão de seitas espiritualistas e cristãs, mas originalmente 2012 é, digamos, um fim do mundo pagão. (...)

“As profecias do apocalipse são um desastre como previsão do futuro, mas excelentes como alegorias do presente. A coleção de afrescos e pinturas clássicas que retratam o Juízo Final, como a obra-prima de Michelangelo na Capela Sistina, reflete o temor do tribunal divino e o domínio da Igreja Católica de então. Depois da II Guerra, os filmes de Hollywood, grandes difusores da catástrofe final, passaram a enfocar o fim do mundo como resultado de uma guerra nuclear ou de um monstro deformado pela radioatividade. Estavam narrando as aflições dos americanos com a bomba de Hiroshima e Nagasaki e a chegada da corrida armamentista com a União Soviética. É o momento em que o apocalipse começa a ter duas fontes – a religião e a ciência. Nos anos 60, com as profundas transformações varrendo os EUA, da Guerra do Vietnã à revolução sexual, do advento do computador ao movimento dos direitos civis, dos Beatles a Woodstock, o apocalipse mudou de lugar. ‘O livro da revelação deixou o gueto cristão e entrou no coração da política americana e da cultura popular’, escreve Jonathan Kirsch em A History of the End of the World (Uma História do Fim do Mundo), um ótimo inventário do apocalipse.

“Desde os anos 50, cada década tem pelo menos uma dúzia de filmes apocalípticos dignos de nota, de Godzilla a Apocalypto, de O Planeta dos Macacos a Matrix, de O Bebê de Rosemary a Presságio. Eles sempre narram algo do seu tempo. Há estudiosos que acreditam que mesmo o Livro do Apocalipse teria sido uma resposta às perseguições que os cristãos sofriam no Império Romano – e a besta, o Anticristo, o Satã seriam Nero, o imperador que tocou fogo em Roma. Como os apocalipses tomam a forma de sua época, o Anticristo se atualiza. Na II Guerra, era Adolf Hitler. Hoje, é Osama bin Laden. Isso é claro nos EUA, cuja condição de potência acaba por difundir suas neuroses e seus achados para o mundo todo. O apocalipse na cultura? Antes, eram os hippies com sua percepção extrassensorial e drogas alucinógenas. Depois, no ano 2000, foi o tecnoapocalipse, na forma do bug do milênio. O apocalipse na política? Antes, era o Exército Vermelho. Agora, é o terrorismo islâmico. Como disse Eric Hoffer (1902-1983), que passou a vida como estivador e filósofo: ‘Movimentos de massa podem surgir e se espalhar sem a crença num deus, mas nunca sem a crença num diabo.’

“Nenhuma das hipóteses do fim do mundo em 2012 mencionadas nesta reportagem faz sentido. O planeta Nibiru nem existe. A civilização maia, cujo auge se deu entre 300 e 900 da era cristã, tinha três calendários: o divino, o civil e o de longa contagem, que termina em 2012. ‘Mas os maias nunca afirmaram que isso era o fim do mundo’, diz David Stuart, da Universidade do Texas, considerado um dos maiores especialistas em epigrafia maia. Uma mudança no eixo de rotação da Terra é impossível. ‘Nunca aconteceu e nunca acontecerá’, garante David Morrison, cientista da Nasa, agência espacial americana. Reversão do campo magnético da Terra? Acontece de vez em quando, de 400.000 em 400.000 anos, e não causa nenhum mal à vida na Terra. Tempestade solar? Também acontece e em nada nos afeta. Derradeiro alinhamento planetário em que a Terra ficará no centro da galáxia? Não haverá nenhum alinhamento planetário em 2012, e, bem, quem souber onde fica ‘o centro’ da nossa galáxia ganha uma viagem interplanetária. (...)”

Nota: É bastante conveniente para o inimigo de Deus comparar o relato inspirado do Apocalipse a outras “profecias” e mesmo a filmes hollywoodianos. Assim, nivela tudo por baixo e reforça a descrença dos céticos. Para aqueles que creem nesse novo “fim do mundo”, ele (o inimigo) pode estar preparando alguma “surpresa” para 2012. Ou não. O ano pode passar sem que nada de especial ocorra e as pessoas voltarão à sua vida rotineira, mais anestesiadas ainda para a mensagem da volta de Jesus. De qualquer maneira, infelizmente, o inimigo leva vantagem. Note a estratégia satânica: (1) o inimigo afasta as pessoas da Bíblia; (2) desvia a atenção delas para falsas profecias que não levarão a nada, exceto a uma excitação momentânea, sem a necessária santificação (afinal, a motivação neste caso é o medo); (3) passada a data anunciada, as pessoas caem no desânimo ou na descrença. Por isso, é mais do que necessário que a igreja se esforce (sob a direção do Espírito Santo) para mostrar ao mundo a solidez das profecias bíblicas e do método historicista de interpretação profética. É preciso que todos saibam que a Palavra de Deus nada tem que ver com essas “profecias” especulativas e sensacionalistas, pois, “daquele dia e hora ninguém sabe” (Mt 24:34), o que significa que devemos estar preparados para encontrar o Criador a qualquer momento.[MB]

Michelson Borges
http://www.criacionismo.com.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

COMPARTILHE

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More